A AEW transmitiu esta sexta-feira uma edição especial do Rampage no canal TNT, com 2 horas de duração e apelidada de Grand Slam, a partir do Arthur Ashe Stadium em Queens, Nova Iorque.

O AEW Rampage é transmitido na FITE TV. Subscreve aqui!

Resultados

CM Punk venceu Powerhouse Hobbs
– SuperKliq (Adam Cole & Young Bucks) venceram Christian Cage & Jurassic Express (Jungle Boy & Luchasaurus)
– Men Of The Year (Scorpio Sky & Ethan Page) venceram Chris Jericho & Jake Hager
– AEW World Tag Team Champions Lucha Bros (Rey Fenix & Penta El Zero M) & Santana & Ortiz venceram Hardy Family Office (Private Party (Isiah Kassidy & Marq Quen) & The Butcher & The Blade)
– Penelope Ford venceu Anna Jay
– Jon Moxley & Eddie Kingston venceram Lance Archer & Minoru Suzuki (Lights Out Match)

Vídeos

Watch Wrestling

Report

– CM Punk venceu Powerhouse Hobbs: CM Punk entrou com tudo e fez da perna esquerda de Powerhouse Hobbs o seu alvo preferencial, sendo que o poderoso lutador só começou a dominar quando Hook distraiu o veterano. Powerhouse Hobbs dominou durante vários minutos, mas o “Second City Saint” começou a recuperar e foi o primeiro lutador a quase vencer este combate. Os minutos seguintes tiveram várias quase vitórias e foi algo confuso.

No final, Hook tentou interferir, mas a ideia correu-lhe mal e CM Punk aplicou o seu GTS em Powerhouse Hobbs, vencendo assim o seu primeiro combate em televisão em mais de 7 anos.

Em seguida vimos Thunder Rosa, Jade Cargill e Nyla Rose a falar dos problemas que as três têm umas com as outras e todas elas se mostraram dispostas a lutar.

– SuperKliq (Adam Cole & The Young Bucks) venceram Christian Cage & Jurassic Express (Jungle Boy & Luchasaurus): O trio de Christian Cage & Jurassic Express entrou melhor neste embate, tendo dominado durante alguns minutos, mas a SuperKliq isolou Jungle Boy e assim passaram para o volante deste embate.

Depois de um domínio de vários minutos, Jungle Boy conseguiu fazer o tag a Luchasaurus, que virou o combate do avesso e quase o venceu sozinho. O caos instalou-se e as duas equipas quase venceram por várias vezes, sendo que Jungle Boy teria vencido, não fosse a distração de Doc Gallows.

A confusão aumentou ainda mais, sendo que fora do ringue os Young Bucks com um low blow nas costas do árbitro tiraram Christian Cage de combate. No final, o “dinossauro” residente da AEW ficou sozinho contra a SuperKliq e depois de vários signature moves, Adam Cole fez o pin da vitória.

– Men Of The Year (Scorpio Sky & Ethan Page) venceram Chris Jericho & Jake Hager: A dupla dos Inner Circle entrou melhor neste embate, mas o duo de Scorpio Sky & Ethan Page conseguiu isolar Jake Hager e assim dominou durante vários minutos. O homem forte dos Inner Circle conseguiu sobreviver ao ataque dos Man Of The Year e fez o tag ao “Le Champion”, que entrou com tudo neste embate e quase venceu com o seu Lionsault.

Chris Jericho & Jake Hager quase venceram, se não fosse a distração de Dan Lambert. Uma segunda interferência por parte de Dan Lambert abriu espaço para Scorpio Sky com um pin rápido vencesse o combate.

Assim que o combate terminou, Chris Jericho e Jake Hager tentaram atacar Dan Lambert, mas os lutadores da American Top Team destruíram os dois lutadores da AEW, sendo que o ataque terminou com uma incrível joelhada por parte de Jorge Masvidal no “Demo God”.

– AEW World Tag Team Champions Lucha Bros (Rey Fenix & Penta El Zero M) & Santana & Ortiz venceram Hardy Family Office (Private Party (Isiah Kassidy & Marq Quen) & The Butcher & The Blade): Este combate foi uma confusão desde o primeiro segundo e depois de muita ação aérea acabou por ser a Hardy Family Office a dominar este embate, tendo isolado Rey Fenix.

O luchador conseguiu aguentar a ofensiva e fez o tag e os seus parceiros de equipa viraram o combate do avesso e tivemos mais caos nos minutos seguintes. No final, os Proud & Powerful venceram o combate para a sua equipa.

Nos bastidores, Matt Hardy foi entrevistado e estava irritadíssimo com Orange Cassidy estar sempre a meter-se nos seus problemas, e foi então que lançou um desafio para um Hair vs Hair Match entre o “Freshly Squeezed” e Jack Evans.

Em seguida tivemos Fuego Del Sol e Sammy Guevara com os habituais cartazes do “Spanish God”, mas o TNT Champion Miro apareceu e destruiu os seus dois rivais, atirando Fuego Del Sol através de uma mesa e aplicando o Game Over no atual candidato ao título.

Logo a seguir tivemos Andrade El Idolo a voltar a referir que não gostou de ganhar a PAC com ajuda, mas que se voltarem a lutar, ele irá voltar a vencer o “Bastard”, e desta vez ele não terá desculpa.

– Penelope Ford venceu Anna Jay: Este combate começou de forma bastante agressiva, com Anna Jay a dominar de tal forma que teria vencido se não se tivesse distraído com The Bunny. Esta distração permitiu a Penelope Ford a hipótese para dominar durante alguns minutos, sendo que a “Queen Slayer” ainda tentou dar luta, mas The Bunny sem o árbitro ver deu a soqueira a Penelope Ford, que a usou para vencer o combate.

Já depois do combate terminar, Penelope Ford e The Bunny continuaram a atacar Anna Jay, mas Tay Conti veio ao ringue para ajudar a sua amiga, mas também acabou por sofrer um soco com a soqueira por parte de “Bad Girl”.

Orange Cassidy e Kris Statlander queriam fazer frente à Hardy Family Office, sendo que tiveram a ajuda da Dark Order, o que fez o grupo liderado por Matt Hardy fugir do ringue. No final, parecia que íamos ter finalmente a paz dentro do grupo, mas Evil Uno e Stu Grayson saíram do ringue e assim os problemas continuam dentro da stable.

Depois tivemos Mark Henry a entrevistar as duas equipas que se vão enfrentar no Lights Out Match, e como seria de esperar, as palavras aumentaram de tom rapidamente e os quatro lutadores ficaram mais do que irritados rumo ao main event desta noite.

– Jon Moxley & Eddie Kingston venceram Lance Archer & Minoru Suzuki (Lights Out Match): Este combate foi uma guerra desde o primeiro segundo e os quatro lutaram tanto dentro como fora do ringue e com várias armas à mistura.

Minoru Suzuki & Lance Archer dominaram o combate, sendo que até conseguiram “algemar” Jon Moxley, que mesmo assim foi dando luta. O “Mad King” ainda conseguiu criar algum ímpeto, mas mais uma vez o duo dos Suzuki-Gun voltou ao controlo.

Quando parecia que Eddie Kingston ia sofrer um Blackout em duas cadeiras, tivemos a surpresa de Homicide aparecer na AEW. O ex-ROH World Champion veio em auxílio do seu melhor amigo, Eddie Kingston, e atacou Minoru Suzuki & Lance Archer e tirou as “algemas” a Jon Moxley.

Com isto, Jon Moxley & Eddie Kingston viraram o combate do avesso e o “Mad King” colocou Lance Archer dentro de um caixote do lixo, e depois de dezenas de pancadas com um kendo stick venceu o combate em sua “casa”.


O que achaste deste AEW Rampage Grand Slam?

16 Comentários

  1. Essa galerinha do MMA aparecendo… Sei não…

  2. Niels Omega2 meses

    Gostei mt do jorge masdival participando
    aquele joelhada dele como finisher foiespetacular

  3. Kay Orton2 meses

    Cara a AEW tem um produto tão leve e tão rápido pra assistir que vc nem vê i tempo passar, é uma delícia assistir essas tag team matchs sempre são movimentadas com uma ótima apresentação, e hoje uma ótima apresentação do Punk vs Hobbs com esse último mesmo perdendo mostrando que é alguém pra se investir, gostei muito do combate da Penelope vs Anna Jay também, fizeram uma boa apresentação.

    Ao todo, é um show gostoso de assistir, não é algo pesado ou arrastado nas horas que passa, muitos combates as vezes são opcionais pra assistir mas sempre vale a pena.

    Nota 7,5

    • Fernando Nogueira2 meses

      Mesma nota que dei. Não foi épico… mas foi um show consistente e divertido.

    • Kay Orton2 meses

      Consistência nos shows da AEW é super comum, estou acompanhado oficialmente tem 6 meses tentando assistir e consumir tudo todas as semanas e sendo muito honesto, até agora não me decepcionei com nenhum show.

  4. L26MC2 meses

    Show bastante sólido.

    Desculpem… mas que merda de main event foi este?! O combate em si, já se sabia que não ia apresentar uma grande qualidade, mas esperava um combate mais agressivo, com melhor uso dos materiais, talvez sangue à mistura e um ou outro spot que deixasse os fãs entusiasmados.
    O final foi horrível, custa-me a acreditar que num combate de igual para igual e não sendo o Moxley propriamente um heel, ia precisar de ajuda para vencer um combate.

    Men of the year vs Jericho e Hager – gostei bastante da exibição do Jericho e do Hager como dupla, os dois tiveram muito bem. O combate em si foi bonzinho. A vitória podia baloiçar para os dois lados e acabou por ir para o lado dos, Men of the year.
    Tenho a dizer que não vejo muito futuro nos Men of the year, até agora só vejo um manager chato. Não sei se os grandes nomes do UFC vão realmente participar como lutadores, futuramente ou se será apenas estas aparições básicas, contudo espero que saia daqui alguma coisa de jeito.
    Ps. Que joelhada do Masvidal!!!

    Punk vs Hobbs – Combate sem grande história, o Punk neste combate teve melhor que no seu primeiro, não que no primeiro tivesse mal, mas neste teve mais movimentação e mais moves. Embora o combate tivesse sido dominado 90% pelo Hobbs, não deixou de ser um mau combate, mas muito longe de ser também bom.

    Falar agora do combate da noite, mas não se entusiasmem que também não foi nada de mais.
    Já era mais que esperado uma vitória dos SuperKliq, foi até que um combate com alguma qualidade, num todo os 6 participantes tiveram bem, talvez o final do combate podesse ser com o Luchasaurus a dar mais trabalho.

    Segmentos:

    Que o ataque do Miro seja só para marcar terreno e mostrar a sua supremacia, quero continuar a vê-lo como campeão até ter uma rivalidade a altura.

    Gostei bastante do segmento do Matt, quando todos pensavam que ele ia dar o corpo ao manifesto, manda o outro representar e certamente ficar sem cabelo… pobre Jack.

  5. Gostei:
    – CM Punk vs Powerhouse Hobbs. Um bom combate com boas exibições de ambos. Após algum domínio de Hobbs, Punk conseguiu vencer.
    – The Elite vs Christian Cage & Jurassic Express. Não foi tão bom como o anterior, mas ainda foi divertido. Quando parecia que os faces iam vencer, Cole aplica um Panama Sunrise do nada e, após alguns momentos, os heels vencem.
    – Minoru Suzuki & Lance Archer vs Jon Moxley & Eddie Kingston. Os Suzuki-Gun dominavam quando Homicide fez a sua estreia na AEW, atacando os heels. Moxley, depois, consegue a vitória para a sua equipa. Um ótimo combate para terminar o show.

    Não gostei:
    – Chris Jericho & Jake Hager vs Men of the Year. Nada de mais aqui. Os heels vencem com ajuda de Dan Lambert.
    – Após o combate, a American Top Team atacou Jericho e Hager. Estranho como os Inner Circle não ajudaram, mas ok.
    – The Lucha Bros & Santana & Ortiz vs Hardy Family Office. Um combate que até estava a ser bom, mas foi curto. Os faces vencem.
    – Anna Jay vs Penelope Ford. A divisão feminina continua a ser o principal problema da AEW. A menos que estejas a lutar contra a Britt pelo título, boa sorte em teres um combate que passe os 7 minutos. Isto chega a ser do nível das Divas… The Bunny ajuda Ford a vencer.

    Overall: 6/10. Um show decente. Honestamente, só o main event e o combate de abertura é que realmente vale a pena ver-se. O restante não perdem nada.

    • Discordo de algum dos pontos. Não consigo perceber a lógica do Homicide aparecer e ajudar o Mox e o Eddie, além disso tendo em conta os envolvidos e a estipulação acho que não foi nada de especial.
      Acho normal o Inner Circle não ter aparecido visto que estavam ocupados com os próprios assuntos
      Quanto a divisão feminina, acho que exageraste bastante, nada a ver com a Divas, as divas eram sempre combates de 2m, até em ppv´s, a AEW já apresenta grande womens matches, além disso ainda no Smackdown foi o que foi, mas concordo que a AEW ainda não está no ponto necessário neste aspeto, mas acredito que está a melhorar

    • O Homicide, do que vi por aqui, é um grande amigo do Eddie Kingston. A meu ver, fez total sentido o aparecimento dele.
      Os Inner Circle também têm os seus problemas, mas o Sammy e Santana & Ortiz estavam lá no show. Acho que vendo os seus colegas a levar um massacre daqueles, eles podiam ter aparecido. Mas também entendo porque é que eles não apareceram.
      Sobre a divisão feminina, agora em retrospectiva, concordo contigo e exagerei ao comprarar com as divas. Mas a verdade é que, na Women’s division da AEW, só a feud pelo título é que tem o verdadeiro destaque. As outras feuds têm pouquíssimo destaque. Dessa forma, não consegues dar um bom build a outras estrelas.

  6. Facebook Profile photo

    Nao sei se sou so eu, mas estes show deixam me cansado. É luta atras de luta atras de luta. E sao todas tao longas. Nao ha promos pelo meio, nada. Ter um “ppv” todas as semanas torna se cansativo.

  7. Um belo episódio
    Bom combate do Punk e do Hobbs
    Também mais um bom combate do Superkliq vs Christian e Jurassic Express, vai ser bom ver Adam Cole vs Jungle Boy no futuro
    Men Of The Year vs Inner Circle também foi bom, se bem que não gosto nada deste tipo de finais. Mas o pós combate também foi interessante
    O combate de quartetos também foi bom, e parece que estão a preparar Lucha Bros vs Proud and powerful, o que vai ser ótimo de se ver
    Quanto ao main event acho que não fez sentido absolutamente nenhum. Em primeiro lugar visto a estipulação e as pessoas envolvidas estava á espera de algo bem mais hardcore. E aquele final não faz sentido, eu sei que o Mox e o Eddie não sei os típicos faces, mas mesmo assim, chegar um tipo de fora e colocarem-se em vantagem numérica para vencer não faz sentido, e sinceramente nem tenho grande interesse em ver o Homicide na AEW.

  8. Anónimo2 meses

    Bom combate entre Punk e Powerhouse Hobbs.

  9. Ótimo show. Destaco o opener porreiro entre CM Punk e Powerhouse Hobbs, o Trios Match entretido e o main event pela surpreendente aparição de Homicide no final.