O nosso YouTube está de volta. Subscreve!
Frank casino

Esta quinta-feira surgiu a notícia de que a WWE pode estar prestes a remover o termo “Women’s” do NXT Women’s Championship, e começar a apelidar Rhea Ripley apenas como NXT Champion. A ideia é diminuir a divisória que existe no seu roster, removendo a nomenclatura de género que está associada ao título.

A notícia surgiu cerca de dois dias depois de Becky Lynch ter dito, no WWE Backstage desta semana e numa troca de opiniões com Renee Young e CM Punk, que a WWE deveria eliminar o termo “Women’s” dos seus programas. No entanto, não era a isto que a “The Man” se estava a referir e a lutadora quis esclarecer isso pelo Twitter.

O meu comentário sobre remover o termo “women” da conversa não foi sobre renomear a divisão, foi sobre começar a repensá-la. Eu não estava a promover uma mudança em nomes de títulos nem nada do género (até porque não tenho esse poder), mas simplesmente procurar igualdade no volume de oportunidades, com base nas capacidades e não no género.

O termo “women” pode limitar muitas possibilidades, em frases como: “já temos um women’s match no show”, que ainda é algo muito comum de se ouvir. Somos todos Superstars e todos queremos ter as nossas oportunidades nos shows, caso as mereçamos. Apenas gostava que chegássemos a um ponto em que podemos ter três “women’s matches” num PPV, ou dez… ou nenhum, e se isso acontecer não estaremos a servir o público.

Estas declarações surgem então na sequência das que já tinha feito no WWE Backstage e sobre os rumores da possibilidade da WWE remover o termo “Women’s” do NXT Women’s Championship. Recentemente, Becky Lynch já tinha criticado o facto de várias pessoas acharem que foi um erro colocar um main event feminino no Survivor Series e no TLC, lembrando que os homens também têm combates “menos bons” em main events.

Outras Superstars, como Charlotte e Paige, já demonstraram o seu apoio a Becky Lynch nesta matéria, em entrevistas ao Sportskeeda. A WWE precisa de trazer maior igualdade entre homens e mulheres dentro da empresa, não querendo isso dizer que a divisão entre rosters deixem de existir e tenham de lutar uns contra os outros.

O que achas destas declarações de Becky Lynch? Estás de acordo?

22 Comentários

  1. Showstealer1 mês

    Completamente de acordo! E basta ver que muitos lutadores (sexo masculino) também concordam com Becky Lynch pois fizeram retweet, como Seth Rollins.

    • Hugo1 mês

      Bom….o que é preciso é mais combates femeninos em todas as marcas,isso de tirar a nomenclatura dos títulos é a meu ver 1 não assunto. Por exemplo o cage match femenino foi 1 show,mas é preciso mais.

    • Showstealer1 mês

      Sim, claro. Isso também é fundamental, Hugo. Mas o que a Becky Lynch defende é o que você também disse: haver mais spotlight para as mulheres se o merecerem atendendo à sua qualidade e não forçosamente alterar nomes só para dizerem que já estão no mesmo patamar.

    • Brito1 mês

      Hugo, retirando a nomenclatura tem haver com um tratamento mais igual na apresentação. As lutas dos homens nunca são apresentandos com o termo Man antes de suas lutas ou titulos.
      Isso seria praticamente o que de certa forma o UFC faz ao apresentar suas lutadoras ou, por exemplo com as Olimpíadas faz ou tenis faz, pois eles nunca apresentam suas campeãs como Women Champion, mas somente o nome do torneio em questão + a nomenclatura Champion.

  2. O NXT também tem o termo Women’s e não há esse problema… a questão não é o género é a qualidade.

    • Brito1 mês

      E eles estão eliminando o termo agora.

    • As mulheres estão a fazer por isso… No NXT ambas as divisões estão bem equilibradas eu(no seu todo) até costumo gostar mais da divisão feminina, as mudanças são feitas assim, é a mostrar que merecem, mas não sinto tanta desigualdade no NXT como sinto no main roster, porquê? Qualidade

    • Brito1 mês

      Pessoalmente considero que ha mais igualdade no main roster do que no NXT, pelo desde que a Asuka saiu de lá. Quando as 4 horsewomen e a Asuka estavam lá eu sentia que os títulos estavam no mesmo patamar, mas desde quando sairam do NXT e somado ao grande foco que o show da ao DIY, sinto que a divisão feminina tornou-se algo secundário, muito por reinados sem muitos brilhos da Ember e Kairi e um reinado demasiadamente longa da Shayna que so foi ficar bom nos meses finais.
      Já no main roster, os títulos femininos estão constantemente no main event (algo que so ocorreu uma vez no NXT, ha 5 anos atrás) além das últimas top faves da Empresa ter sido mulheres.
      É certo que agora no NXT as mulheres estão recebendo mais tempo de Tv e têm storylines secundárias (o que o SD de alguma forma também tem) mas isso so vêm acontecer desde Outubro, quando o show paddou a ser duas horas, alem delas mal conseguir uma segunda luta em Takeovers.

  3. Hugo1 mês

    Bom…concordo em parte,o que é preciso é mais combates femeninos. O retirar a nomenclatura é 1 não assunto.

  4. L26MC1 mês

    Para mim era criar um show para as mulheres com PPV’s à parte. Elas querem igualmente mas não pensam que se os homens tem mais destaque ou ganham mais, é porque vendem mais, tão simples quanto isto.
    Para mim os títulos principais das mulheres podiam ter o mesmo nome que o dos homens, mas também tinham que ter outro show. Talvez assim percebessem que não vendiam tanto, que não enchiam tanto as arenas… há coisas que não se deve questionar, é na minha opinião, neste momento as mulheres estão a ter tanto destaque quanto os homens. Já foram main event de Wrestlemania, nos shows semanais tem tido muito tempo de antena, já há Heel in a Cell, Steel Cage, Elimination Chamber… MITB, Royal Rumble… acho que não se podem queixar de falta de atenção e investimento.

    • Brito1 mês

      A Becky foi a maior draw da WWE em 2019 e a Ronda foi em 2018, isso segundo o WON, alem de tanto no NXT quanto no main roster os segmentos que ganham mais audiência são em sua maioria com participação de mulheres.

    • L26MC1 mês

      Claro, não duvido. A questão é se elas num show só para elas com PPV’s também iam ter tanto destaque.

    • Brito1 mês

      Duvido também se os homens atrairiam tanta atenção sem as mulheres no show. Isso na WWE, claro.

  5. Felipe Cardoso1 mês

    Erro foi termos um combate feminino em pleno main event de WM.

  6. Alexandre1 mês

    O volume de oportunidades já é de acordo com a capacidade, oras, sempre foi. Quer comparar o roster masculino com o feminino? Não me faça rir. O problema dessas mulheres é que elas estão a delirar achando que tem a mesma capacidade dos homens, estão precisando de um choque de REALIDADE. Talvez elas devessem observar as dezenas e dezenas de lutas 5 estrelas, 6 estrelas e 7 estrelas, e perceber que não há nenhuma luta feminina entre elas, e acham que tem a mesma capacidade dos homens? Já passou da hora de alguém por essas “empoderadinhas” no devido lugar delas.

    • Claro, por que a opinião do Meltzer é absoluta não é?🙄
      Têm várias lutas femininas que já receberam 5 stars, você nunca ouviu falar da Manami Toyota? Ela conseguiu 14 lutas com classificação 5 star.
      Mesmo assim, 5 star match não vale uma mísera m@#%. O Hulk Hogan nunca chegou nem perto de receber uma na carreira e mesmo assim ela é a maior estrela da história, o mesmo vale para o The Rock, Triple H, Batista, etc. Wrestling, assim como toda industria no mundo capitalista que vivemos é sobre dinheiro, a Becky é uma das maiores draw do Wrestling hoje e constantemente os segmentos femininos são os que dão maior audiência na WWE.

    • Anónimo1 mês

      Tem muitas mulheres que são bem mais talentosas que muitos homens. Wrestling é fake, vale o talento que os lutadores têm, não o género. E combates 5 estrelas classificado por um jornalista, não valem nada de nada.

  7. Andrey1 mês

    Isso, WWE, vai lá e começa a lacrar mesmo. Começa a enfiar cada vez mais política identitária sim. Pode confiar que vai dar super certo kkkkkkkkkk
    A AEW agradece 🙂

    • Você está falando da mesma AEW que têm uma forte pauta pró-LGBT, tendo inclusive uma lutadora transgênero no roster e têm todo um discurso de inclusão, sendo que eles até baniram um fã depois de fazer um discurso homofóbico?

  8. Y2Jean1 mês

    A questão mesmo é oportunidade, espaço. Se houver qualidade, com o tenpo esse espaço será conquistado. Mas todos sabemos que isso beira o impossível. Estamos chegando na WM 40 e tivemos mulher no main event UMA VEZ. RR match feminina se tiver 5 anos é muito, tag team começaram “ontem”. E algo me diz que não passa de uma onda que Vince e cia só irão surfar quando conveniente. Espero que todo esse esforço não fique pelo caminho…

  9. Anónimo1 mês

    Concordo com o que a Becky Lynch falou, mas acho que a prioridade devia terem mais tempo e espaço, do que propriamente mudar o nome dos títulos.

  10. Sk4 semanas

    Mas elas não são ‘women’??