Brain Buster #10 – Aparentemente condenado

Foto de perfil do Facebook há 3 meses 12

Boas a todos nesta grande casa que é o Wrestling PT!

Na 10ª edição do Brain Buster irei retomar novamente um tema relativo à NJPW, na qual abordarei um pouco da história e a situação actual de um dos seus títulos. Estou a falar, claro está, tendo em conta a imagem do artigo, do NEVER Openweight title. É um título bastante controverso, com uma história bem confusa, cuja situação actual não se assemelha, na minha opinião à melhor possível, principalmente quando comparada com a dos restantes títulos desta empresa nipónica, sendo mesmo o título que tem recebido o pior booking nos últimos tempos.

Mas recuando até à fase dos seus primórdios, “NEVER” é um acrónico que resulta das palavras “New Blood”, “Evolution”, ”Valiantly”, “Eternal”, e “Radical”. Começou por ser um nome atribuído a uma série de eventos produzidos pela NJPW, dos quais constava, principalmente, lutadores jovens e/ou wrestlers que não pertenciam à companhia. Os mesmos duraram entre 2010 e 2012, ano em que foi anunciado o NEVER Openweight title.

Foi um título que, na origem do seu nascimento estava programa para que fosse defendido, exclusivamente em NEVER events, o que faria destes uma espécie de NXT da NJPW, ou mesmo como seu território de desenvolvimento, uma ideia que não era, de todo, má, mas na qual nunca se chegou a apostar, acabando-se com eventos deste tipo e passando o título a ser defendido nos vários shows da NJPW.

Por outro lado, à semelhança dos eventos que estiveram na origem deste título, o mesmo foi, inicialmente pensado para ser disputado por lutadores jovens, mas o que não foi, posteriormente seguido, até bem pelo contrário, o seu primeiro campeão, Masato Tanaka, tinha, à altura, 39 anos. O seu estilo marcaria, no entanto, o estilo que ficou associado a este título, que se caracteriza pelo estilo duro que os seus campeões usaram/usam, acrescentando-se ao primeiro campeão, nomes como Tomohiro Ishii, Togi Makabe e Katsuyori Shibata.

Associado a isto está o facto do NEVER title se ter tornado o último título do mid-card, disputado fortemente ou por veteranos já afastados do main-event como o Masato Tanaka, o Makabe e o Yuji Nagata, quer por ótimos lutadores que ainda não tinham chegado lá, seja pela razão que tivesse sido, como o Ishii e o Shibata, sendo raramente objecto de campeões jovens que estivessem a crescer no card, sendo somente exemplos desses o Naito e o Ospreay.

Já quanto às divisões por peso, este título insere-se no meio dos Heavyweights e Jr. Heavyweights, podendo ser disputado quer por uns, quer por outros, daí a designação de “Openweight”. Não obstante, desde a sua criação, apenas tivemos um verdadeiro Jr. como sendo campeão, referindo-me aqui ao Will Ospreay, que deteve o título ainda este ano. Isto poderá fazer sentido se pensarmos que a NJPW gosta de elevar bem a distinção entre estas suas divisões, pelo que em casos bastante raros é que veremos tal a ocorrer.

Só por esta história, já conseguimos perceber a confusão e a indecisão que presidirão, quer à origem deste título, quer ao longo da sua história, começando por apresentar algo de novo, mas dando uma grande volta que acabou por dar na proposta mais simples: um título do mid-card, que mesmo não sendo propriamente de low-card, acabará por estar sempre condenado à relativa falta de interesse e importância em comparação com a história dos outros, embora tenha tido o seu destaque ao longo dos anos e é nisso que me vou agora focar.

Depois do seu primeiro reinado com óptimos combates, o que também seria difícil tendo em conta o seu campeão, eis que o seu segundo reinado começa com uma vitória do Naito. Finalmente um lutador jovem detinha este título, mas no mais desconfortável dos momentos. Na altura, Naito havia ganho o G1 Climax e iria lutar pelo IWGP Heavyweight title no Wrestle Kingdom, pelo que esta mudança de título pouco impacto teve e funcionou, nos meses seguintes, como um simples adereço do Naito, parecendo algo completamente secundário no seu rumo até ao WK, assim como, inevitavelmente, o NEVER title havia de ser deixado de fora do maior show do ano da NJPW.

Dias melhores para este título só chegariam após o WK desse ano quando o Ishii o venceu. Ishii foi, a meu ver, o melhor campeão que este título já deteve. À altura, a sua stable detinha o IWGP title no Okada e o título Intercontinental no Nakamura, responsável por uma elevação tal deste título que o conseguiu defender no main-event do WK8, acima até do IWGP title. Na altura, Ishii referiu que gostava de fazer com o NEVER title, aquilo que os seus companheiros haviam feito com os seus respectivos títulos: elevá-los, torna-los especiais e prestigiados; tarefa que bem conseguiu cumprir, a ponto de o ter defendido no main-event de um show.

O segundo grande campeão deste título viria a aparecer no WK9, quando Togi Makabe venceu Ishii. O seu reinado foi, essencialmente, marcado pelos combates incríveis e bem duros que teve com Ishii, que estabeleceria, definitivamente, a marca de “gritty“ já atribuída a este título, não esquecendo que a elevação deste título, embora tenha tido como grande responsável o Ishii, foi a sua rivalidade com o Makabe que o consegui, pelo que este merece também esta palavra.

Essa marca foi ainda mais corroborada com a rivalidade entre o Ishii e o Shibata. No entanto, a troca de título que aconteceu nesta rivalidade viria a afastar definitivamente, à altura, o Ishii da rota do título, o que representou, na minha opinião, o declínio do NEVER title que ainda não havia chegado sequer a ter a credibilidade dos restantes títulos da NJPW. Os reinados do Shibata não pecaram pela qualidade dos seus combates, algo que até seria impossível tendo em conta o lutador que estamos a falar, mas a verdade é que no espaço de um ano, o mesmo perdeu e venceu o título 3 vezes, acabando o seu último reinado com uma derrota para o Goto no WK11. Esta falta de estabilidade e a facilidade com que se iniciavam e retomavam reinados durante este ano não ajudou em nada este título.

Por outro lado, foi, mais uma vez, entregue a um lutador que havia estado na rota do IWGP title, mas que havia falhado na sua captura. Não vejo problema algum em títulos do mid-card serem atribuídos a lutadores como estes, até contribui, e muito, para a sua importância, mas a verdade é que até à altura, não trouxe nada de novo. Situação semelhante viria ainda a ocorrer com o próximo campeão, o Minoru Suzuki.

O Goto acabou por recuperar o título, mas aquando da sua perda no Dominion do ano passado, o destino do NEVER title tem sido bem atribulado e tem mesmo sido retratado, na minha opinião, como a “ovelha negra” dos títulos da NJPW: Goto perdeu o título para o Elgin, mas havia de o recuperar 8 dias depois, para em Setembro voltar a perdê-lo para o Taichi, recuperando-o, no entanto, em Novembro, voltando-o a perder em Dezembro para o Ibushi. Esta troca serviu para nos dar um Dream match no WK13 entre o Ibushi e o Ospreay por este título, no que tinha tudo para atrair, novamente, interesse para o NEVER title, embora mais uma vez, o foco não foi o título, mas este combate, que acabava por ser maior que ele.

Mas tal efectivamente aconteceu quando finalmente um lutador em ascensão na NJPW o venceu. Estou a falar, naturalmente do Ospreay, cujo reinado foi o mais longo desde o momento atrás evocado, mas que nunca recebeu verdadeiro destaque. Embora efectivamente melhor do que o reinado do Naito, viria a perder o título também bastante cedo, para o Jebb Cobb, em MSG, que perderia para o Taichi um mês depois. Este último teve um segundo reinado igual ao primeiro: perdeu o NEVER title na sua primeira defesa do título para o Ishii no Dominion deste mês.

Depois de alguns anos a perder o destaque que os seus principais campeões lhe trouxeram e a ser alvo de várias trocas de campeões, o este título volta ao seu principal campeão, ao Ishii. Contudo, os termos não são os mesmos que haviam presidido aos seus primeiros reinados. Ishii volta a vencer este título depois de ter estado no main-event, seguindo os mesmos passos que muitos outros lutadores quando venceram este título.

Na minha opinião, teria até feito sentido o Taichi manter o título. Como óptimo heel e com uma posição definida na NJPW, tinha tudo para manter o NEVER title por uns bons meses e trazer estabilidade a este título. Não obstante, acredito que o Ishii também será capaz de o fazer, tal como o foi nos primeiros anos da existência deste título. Acima de tudo, estas trocas constantes não prestigiam o título, nem os seus campeões, pelo que entendo que é urgente que parem.

Posto isto, podemos concluir que a história do NEVER title é bem atribulada. Actualmente, está atrás de 4 títulos individuais (incluindo o título dos Jr.), assim como muitas vezes, até os próprios títulos de Tag Team acabam por ter mais destaque que o mesmo.

Embora com uma história aparentemente condenada e com uma posição de “ovelha negra” dos títulos da NJPW, é, na minha opinião, um título interessante, até porque permite afastar as divisões de peso, pelo que uma aposta mais forte no mesmo pela NJPW acabaria por ser bem recebida. Apesar de sofrer com a grande quantidade de títulos que a NJPW já tem, poderia ser usado em shows menores, como main-event, destacando-se dos restantes. Penso ser esta a melhor proposta para lhe trazer alguma credibilidade.

E então? Conheces este título? O que achas da sua historia e situação atual? Tens alguma proposta para a melhorar?

Hoje ficamos por aqui.

Até para a semana e obrigado pela leitura.

12 Comentários

  1. Bruna há 3 meses

    Acho muito interessante estas curiosidades sobre outras empresas sem ser a WWE. Continua com o bom conteúdo! 👊🏼

  2. Parabéns por teres conseguido fazer 10 artigos. Nem sempre é fácil saber o tema que escrever, espero sinceramente que continues a fazer artigos por mais tempo.

  3. Leleco há 3 meses

    Muito bom, parabéns.

  4. duzonraven há 3 meses

    Ótimo artigo contando a história de um título que poucos conhecem e bem interessante… parabens!!

  5. Sandrojr há 3 meses

    Otimo artigo como sempre, acompanho desde o primeiro, na minha opinião o OSPREAY era o campeão ideal para elevar esse titulo, mas a njpw c@gou o mesmo, e voltou a ser um titulo quase que low-card.

    • Foto de perfil do Facebook

      Obrigado pelo comentário. De facto, o Ospreay era o campeão ideal neste momento, mas também há que ver que o mesmo ainda tinha coisas a terminar com o título dos Jr. antes de alcançar o próximo nível definitivamente.

  6. Nunofcs há 3 meses

    Concordo com alguns pontos…no entanto a que frisar, e não obstante do que foi dito, é e continua a ser um título importante para a NJPW pois abre um espaço, como objectivo, para vários lutadores crescerem. É claramente um titulo virado mais para o strong style, embora não seja exclusivo disso. Continua a ter mais prestigio que outros titulos, noutras promoções, que funcionam quase como batata quente, em que todos têm a sua vez…

    • Foto de perfil do Facebook

      Obrigado pelo comentário.
      Sem dúvida, mas em comparação com os restantes títulos da NJPW, principalmente os individuais, não tem trazido nada de novo, assim como tem tido um booking muito pobre. Isto claro, na minha opinião.
      A situação foi a comparação na NJPW e não fora dela.

Comentar