Frank casino

Boas a todos nesta grande casa que é o Wrestling PT!

Depois de, na semana passada, ter dedicado um só artigo à DDT Pro-Wrestling, eis que esta semana o meu interesse continua por terras nipónicas, consistindo o Brain Buster de hoje numa espécie de antevisão do próximo grande evento da Stardom, atualmente a maior e melhor promotora de joshi do mundo, bem como de wrestling feminino no geral. Não será a primeira vez que falarei dela aqui no meu espaço semanal, porém, será sim a primeira vez que falarei dela num artigo em que a mesma será o tema integral do mesmo.

Sempre referi, principalmente nos tops que fiz em que alguma coisa da Stardom fez parte deles, que sou um enorme fã do seu produto. Confesso que até descobrir esta fed nipónica, pouco era o wrestling feminino no qual me conseguia investir, tendo somente consistido em determinados períodos localizados (as Knockouts da TNA e a divisão feminina do NXT são dos poucos exemplos), mas isso mudou quando comecei a acompanhar Stardom. Com um roster talentoso do início ao fim do card, com uma qualidade no wrestling que muitas empresas masculinas gostavam de ter, a Stardom puxou a minha atenção desde o primeiro dia.

Mas a Stardom não é só uma fed em que as lutadoras são muito boas no ringue, é também uma fed em que toda a gente se empenha para tornar o produto melhor, mesmo que contra todas as adversidades que têm assolado a Stardom no último ano. Aliás, mais do que tentar que o produto seja bom contra isso, a Stardom consegue que o seu produto chegue ao nível muito bom, mesmo contra isso. Ficar sem Hazuki e Kagetsu em pouco tempo, perder a melhor lutadora de 2019 na Arisa Hoshiki depois de uma lesão que a afastou dos ringues, a tragédia da morte da Hana Kimura, a chegada do Covid-19 e a paragem dos shows, bem como a impossibilidade de usar nomes importantes como a Bea Priestley e a Jamie Hayter, o regresso aos shows e um surto de coronavírus a entrar no roster, voltar à paragem nos eventos quando o 5STAR Grand Prix ainda estava a começar, sendo que quando o mesmo recomeçou, uma das lutadoras que tem recebido maior destaque, a Syuri, perdeu a sua mãe.

Estão a imaginar o turbilhão de emoções que toda a gente envolvida na Stardom passou nos últimos tempos? Seria então de esperar que houvesse um decréscimo do produto, o que não tem, de todo, acontecido. É que nem de perto nem de longe, pois os eventos têm sido incrivelmente bons, os combates têm entregue de forma espetacular e as histórias também têm sido interessantes. Agora imaginem se a Stardom não tivesse passado por isto tudo…

Por outro lado, farei hoje algo que não me lembro de ter alguma vez feito: vou fazer uma antevisão a um show, e não, como de costume, uma análise já quando o mesmo tiver decorrido. Porquê fazê-lo exatamente quando a este evento? Pois, é que para além de trazer mais diversidade aqui ao Brain Buster, pretendo deixar os potenciais fãs de Stardom com água na boca em relação a um dos principais eventos deste ano da Stardom, se não mesmo o principal! Dia 3 de outubro, no Yokohama Budakon, a Stardom realiza o Yokohama Cinderella 2020, cujo card que se tem formado é dos melhores do ano, não só da Stardom, como de todo o wrestling japonês, e até do wrestling em geral.

Percorrerei os combates principais do card, procurando prever um resultado e o que levou até aos mesmos. Não vou, contudo, antever todos os combates do card, até porque até ao momento em que escrevo este artigo o card ainda não foi todo revelado, e há dois singles matches com apenas uma lutadora. Sabe-se apenas que Hanan enfrentará uma adversária mistério, e a Death Yama-San enfrentará a nova e 5ª edição das Donna Del Mundo, pessoa essa que também ainda não foi anunciada. Não faço ideia quem poderá ser, mas estou muito curioso para descobrir. Seja como for, deverão ser combates facilmente vencidos pelas respetivas estreias/regressos. Olhando agora para o card com que podemos contar, temos:

Riho e Saya Iida vs. Natsu Sumire e Yuna Manase

Este combate marcará o regresso de Yuna Manase à Stardom, uma lutadora que lutou nos últimos anos na TJPW (da qual se despediu há uns meses), bem como se tornou, mais recentemente, numa das principais caras dos shows da Ganbare da DDT, sendo que até tem lutado nos eventos da DDT. É uma lutadora que eu gosto particularmente, não só porque é muito boa no ringue, como ainda consegue ser bastante engraçada e participar em combates de comédia, sendo uma das principais estrelas dos mesmos.

Não sei é se este regresso será para se estender por mais algum tempo, ou se será uma aparição de uma noite. Lembro que a Stardom é do mesmo grupo da NJPW, pelo que a Yuna fazendo parte da DDT, poderá haver aqui algum conflito de interesses que impossibilitem uma participação da Yuna na Stardom daqui para a frente. Independentemente disso, acho que seria uma ótima adição ao roster da Stardom, que até tem diminuído em número e em star-power nos últimos tempos. A Yuna encaixaria muito bem neste roster.

Quando à história do combate, se for para a Yuna ficar, talvez desenvolva uma relação com as Oedo Tai, visto que fará equipa com a Sumire que faz parte dessa stable, e talvez seja essa a história aqui contada. Já quanto ao resultado, prevejo a Yuna a vencer a Iida, até porque me parece o nome mais fraco e que facilmente pode sofrer um pin sem afetar a credibilidade da Riho, que ainda não foi utilizada a toda a força na Stardom, coisa que gostava de ver daqui para a frente. Teve um reinado como High Speed champion algo dececionante, mas é uma lutadora que, bem utilizada, pode ser uma peça central da Stardom.

High Speed title match: AZM (c) vs. Starlight Kid

Segue-se um combate por um dos títulos menores da Stardom, mas que em termos de “tema” se pode comparar ao X-Division title do Impact Wrestling, pois os seus combates são sempre muito rápidos, e as lutadoras que lutam por ele, apesar de baixas de estrutura como a as duas envolvidas neste, como Riho ou a Death Yama-San, são lutadoras que usam um estilo de moves bastante velozes.

As duas envolvidas neste combate vêm do 5STAR Grand Prix com momentos diferentes. Enquanto a AZM vem de uma prestação razoável no torneio, tendo conseguido 6 pontos mas, mais do que isso, muito boas prestações, a Starlight Kid atravessa um momento menos bom. Fez apenas 2 pontos no torneio, e pouco foram os combates relevantes em que participou. Mais do que isso, a AZM venceu a Kid para conquistar este título num 3-way com a ex-campeã Riho e, recentemente, a Kid sofreu também um pin num combate pelos títulos de Trios da Stardom. Mais do que isso, se voltar a perder, a Kid volta a perder por um título que já falhou inúmeras vezes em conquistar.

Posto isto, acho que se podem fazer duas coisas neste combate: a Kid vence e tem uma história de redenção; a Kid perde e deixa o grupo das STARS e adota uma atitude mais “heel”, até porque como ninguém da Stardom tem verdadeiramente heat do público é difícil aplicar essa designação aqui. A Kid já deu sinais de alguma frustração e já falou do seu momento menos bom. Acho que será por aqui que a Stardom pode ir, e confesso que gostava de ver a Starlight Kid com mais atitude, pois personagens tipicamente babyfaces como ela na Stardom já existem muitas, dando-lhe a oportundiade de apresentar algo de novo.

No Rules match: Natsuko Tora vs. Jungle Kyona

Este match ainda não foi realmente confirmado, mas para lá caminha. As Oedo Tai e as Tokyo Cyber Squad andam em feud desde que regressaram da paragem dos shows, sendo que as suas líderes, Natsuko Tora por parte das Oedo Taki, e a Jungle Kyona por parte das TCS se enfrentaram num combate sem regras, com a estipulação de que quem perder, terá de ver o seu grupo separado.

É uma rivalidade que facilmente cativa os fãs, mesmo que bastante simples: as Oedo Tai rebelaram-se contra a Stardom, não dando entrevistas, atacando lutadoras a qualquer momento, usando correntes e cadeiras nos seus combates, arruinando matches do 5STAR Grand Prix, sendo que as TCS foram as mais prejudicadas. De notar, ainda, que a Natsuko e a Kyona, a certa altura da sua carreira na Stardom, foram campeãs de equipas. Os seus caminhos separam-se e as suas personalidades mudaram com os anos, o que torna dá a este match uma aura muito boa.

Relativamente ao resultado, penso que vencerá a Natsuko Tora e as TCS separar-se-ão. Porquê? Pois bem, estas duas stables sofreram imenso nos últimos tempos com lutadoras que, ora saíram da Stardom, ora estão impedidas de voltar por causa do Covid. No entanto, as TCS foram as que mais perdeu quando ficaram sem a sua líder Hana Kimura, vendo-se sem rumo e, essencialmente, sem a Hana que era a alma do grupo e a razão dele existir, pelo que, sem ela, não há razão para esta stable continuar a existir. Mais do que isso, as Oedo Tai são a única stable que utiliza práticas menos lícitas durante os combates, e que têm uma atitude mais “heel”, pelo que oferecem muito mais do que as TCS.

WSA World title match (vago): Momo Watanabe vs. Bea Priestley

Este é um dos combates do card para os quais tenho mais expectativas. Desde logo, estamos a falar de dois dos principais nomes do main-event da Stardom, que irão lutar aqui com uma história muito interessante, visto que a Bea deixou o grupo das Queen´s Quest da Momo para se juntar às Oedo Tai, e já um ano se passou desde o seu belíssimo confronto pelo Red Belt, que foi, na minha opinião, dos melhores combates do ano passado.

O título foi declarado vago, sendo que a sua ex-campeã, a Jamie Hayter é parceira de tag team da Bea, que quererá assim recuperar este título. A Bea fez o seu regresso no evento da final do 5STAR Grand Prix, sendo este uma enorme adição a um card, já de si, delicioso. Este combate, também é uma das poucas vezes na Stardom em que duas lutadores estão naquilo a que se chama “blood feud”, adjetivo que é usado muito atualmente pois quase todas as rivalidades o são, o que não deveria acontecer. Temos visto uma Momo mais agressiva, e com uma atitude de vingança pela Bea muito cativante.

Quanto ao resultado, é difícil prever, mas aposto numa vitória da Bea aqui com a história de que a Momo não se focou em ganhar o combate, mas mais em obter a retribuição do mal que a Bea fez a si e ao seu grupo no último ano. Seria, aliás, mais do que natural que a Momo até conseguisse conquistar o título daqui a uns meses, já mais focada e competitiva. As cartas estão, deste modo, jogadas. Duas das melhores do mundo estão aqui presentes, pelo que podemos esperar o melhor que as mesmas nos podem dar.

Goddess of Stardom title match: Queen´s Quest (Utami Hayashishita e Saya Kamitani) (c) vs. Donna Del Mundo (Maika e Himeka)

Segue-se o combate pelos títulos de Tag Team, entre quatro das estrelas mais jovens que a Stardom tem neste momento. No entanto, são jovens já mais que estabelecidas no card e com a sua importância para a empresa. Basta pensar que neste combate temos a vencedora do 5STAR Grande Prix (a Utami), a finalista do mesmo torneio (a Himeka) e a Future of Stardom champion (a Maika).

Relativamente ao resultado, acho que vamos ter uma troca de títulos, e isto por várias razões: a Utami deverá focar-se no seu Red Belt match com a vencedora do main-event deste show entre a Mayu e a Syuri, a Saya Kamitani é a lutadora mais fácil de levar um pin neste title match e a Himeka e Maika podem, desta forma, continuar a colecionar o maior número de títulos possível para as DDM, coisa que estas têm como objetivo. Mais do que isso, até podemos ter uma Saya Kamitani a entrar numa feud com a Maika pelo Future of Stardom title depois deste show, e seria uma boa maneira de a fazer ir atrás da Maika pelo seu título, dado que esta lhe tirou o seu.

Wonder of Stardom title match: Giulia (c) vs. Tam Nakano

Este combate vai opor duas lutadores cuja relação me tem intrigado bastante nos últimos meses. No primeiro match pelo vago White belt, foi uma luta entre as STARS e a líder das DDM, que é uma outsider que veio de fora, mas no segundo match no 5STAR Grand Prix, com a vitória da Giulia, esta ficou o que até agora não tinha ficado, bastante irritada, andando a dar mais atenção à Tam Nakano, tendo esta conseguido que a Giulia jogasse o seu jogo. Foi, desta forma, uma boa construção para este combate, que deverá findar esta interessante rivalidade. As duas vêm de dois combates muito bons, principalmente o primeiro, e nada mais espero que também o façam desta vez.

Já quanto ao resultado, acho que a Tam Nakano vence o match e o título, um título que ela não só prosseguiu nesta feud, como já o ano passado o tinha feito com a Arisa Hoshiki. Vamos ter aqui a história de redenção que não penso que vamos ter com a Starlight Kid, e ficarei muito contente de ver alguém tão adorado pelos fãs ter uma grande vitória destas já no dia 3. Quanto à Giulia, como sendo a lutadora em que a Stardom apostou mais este ano, deverá continuar a fazê-lo no futuro. Deverá subir ao estatuto do Red Belt, e ganhar o título já no início do próximo ano.

World of Stardom title match: Mayu Iwatani (c) vs. Syuri

Bem, e depois de um artigo em que eu o passo a dizer que este combate vai ser ótimo, e que aquele vai ser espetacular, e que aquelas duas rivalidades são muito interessantes e cativantes, o que vou dizer agora sobre este match pode parecer muito pouco de novo e até redundante, mas este é o combate que mais quero ver do show. Vai opor a melhor lutadora do ano em 2020 e uma das wrestlers que não conhecia, mais que me tem impressionado imenso este ano.

A Mayu está a ter um reinado espetacular, vencendo nomes como a Bea Priesley, Momo Watanabe e Jungle Kyona em combates que ficam na memória de qualquer fã que os vir. Teve, igualmente, aquele fenomenal match of the year contender com a Takumi Iroha que, mesmo perdendo, deixa sementes para um futuro rematch que quem viu o primeiro, também não vai querer perder. Já a Syuri, tem tido ótimos combates como parte das DDM, sendo até a estrela de muitos dos combates e conseguindo-se destacar entre 6 ou 8 lutadores no mesmo ringue. Durante o 5STAR Grand Prix teve, igualmente, muito boas prestações. Até digo mais. De todos os title matchs da Mayu até agora, este é aquele que me cravou a atenção com tudo, mais do que qualquer um dos outros, e penso que isto é dizer muito.

A Mayu deverá reter o título, tendo já duas candidatas para as quais só faz sentido a ter como campeã. De um lado, temos o desafio já feito da Takumi Iroah que quer enfrentar a vencedora deste main-event pelo título no rematch que toda a gente quer ver. Do outro lado, temos a vencedora do 5STAR Grand Prix. Não sei qual das duas irá ter o title match primeiro depois do dia 3, talvez a Takumi visto que a Utami referiu que não se importa desde que aumentem o valor do título enquanto ela não o vai ganhar. Seja como for, para qualquer uma das adversárias, só vejo a Mayu como campeã possível campeã numa história que faça sentido e seja mais cativante.

Os elogios que deixo à Stardom neste artigo derivam muito do excelente ano que a mesma está a ter em termos de qualidade no seu wrestling. Espero que este show seja o culminar de todo o trabalho que os seus membros tiveram. Espero, desta forma, um grande show, para um grande ano que a Stardom está a ter.

Hoje ficamos por aqui.

Até para a semana e obrigado pela leitura.

6 Comentários

  1. bottom4 semanas

    Excelente artigo, passei a acompanhar a stardom em 2019 por causa da Hana Kimura e não me arrependi, melhor wrestling feminino do mundo. Fiquei muito interessado em ver esse show do dia 3, os programas da stardom são um pouco complicados de achar completos por aí, mas vou atrás.

  2. Sandrojr4 semanas

    Ótimo artigo, Ricardo qual seu top 3 de wrestlers da STARDOM?

  3. 13 cm4 semanas

    Excelente artigo, conheci a Stardom anos atrás por causa da Io e da Kairi, e fiquei impressionado com a qualidade dos combates.

    Porém, durante anos eu ficava apenas vendo combates avulsos de forma bem casual, agora em 2020 eu tentei dar mais atenção para a promotora, assisti alguns eventos completos e com um pouco mais de frequência, e aos poucos quero ver se consigo ver mais combates de anos anteriores.