Boas a todos nesta grande casa que é o Wrestling PT!

Na WWE dos dias de hoje, há, definitivamente, uma falta de lógica nas histórias e na construção da personalidade e credibilidade dos seus lutadores. É muito fácil assistirmos a uns 6 meses com certos lutadores a terem destaque para, nos 6 meses seguintes, o destaque ter passado para outros lutadores completamente diferentes. É extremamente difícil hoje um lutador manter sempre a mesma posição, e não só dela não sair, como ainda ter momentos em que sobe no card, mantendo sempre uma certa proteção, independentemente da rivalidade ou combate que tenha.

Contudo, há um lutador que, para meu espanto, tendo em conta as suas qualidades, eu nunca percebi como conseguiu essa posição. Trata-se de Baron Corbin, um lutador que não é apreciado pela generalidade dos fãs de wrestling, e mesmo aqueles que o aceitam, não o fazem por um gosto especial, mas sim através de expressões como “não é assim tão mau”, ou “ele até é um bom heel”. Ou seja, temos uma generalidade dos fãs de wrestling que não aprecia o seu trabalho, e os restantes adeptos desta modalidade, apesar de o aceitar, continuam a não gostar dele. Eu faço parte do primeiro grupo de fãs, e sou, provavelmente, dos maiores críticos do trabalho deste lutador que, a meu ver, não tem nada, mas absolutamente nada que justifique ter uma posição no card tão sólida e, muitas vezes, tão importante.

É exatamente esta estupefação que gostaria de explicar no artigo de hoje, todas as razões que me levam a não gostar deste lutador e a não perceber o seu lugar na WWE. Não há nada de especial nele, nem sequer há alguma gosta para gostar nele. Mas antes de passar a essas questões, vamos recapitular um pouco do que foi a carreira do Corbin na WWE, de forma a contextualizar algumas conquistas, para perceberem o quão overrated é este lutador.

Recuando até ao NXT, o Baron Corbin nunca ganhou lá nenhum título, mas sempre foi dos lutadores mais protegidos pela brand amarela no seu tempo, tempo esse em que, não aparecendo alguma vez no main-event, era alguém que andava lá próximo e tinha rivalidades constantes com o pessoal que estava no topo do NXT. Mas que combate é que vocês se lembram da sua estadia no NXT? Pois. Nenhum! Nada! Zero! Niqueles! Pelo meio, ainda protagonizou aquele que, a meu ver, foi o pior combate da história dos TakeOvers, aquele No DQ match com Bull Dempsey, que foi uma junção de fraco e desinteressante.

Apesar disso, subiu ao main-roster para ganhar a Andre The Giant Memorial Battle Royal, e teve um primeiro ano em que andou sempre a lutar de igual para igual com nomes como Dean Ambrose, Dolph Ziggler e AJ Styles, que na altura eram o topo do SmackDown. No segundo ano foi Mr. Money in the Bank e, apesar de falhar o cash-in, continuou a lutar com nomes como Shinsuke Nakamura (na altura super over), John Cena e foi campeão dos Estados Unidos. No terceiro ano protagonizou um dos piores anos do RAW no que diz respeito a audiências enquanto GM e principal heel da brand. E sabem como a WWE o tratou depois disso? Dando-lhe a honra de ser o último combate da carreira do Kurt Angle. No quarto ano venceu o King of the Ring, ao mesmo tempo que enfrentou nomes como Seth Rollins pelo título Universal. Este último ano, teve já mais apagado, mas parece que voltou a ganhar uma nova vida, desta vez com novos aliados.

A minha pergunta é: porquê? Porquê o Baron Corbin? Porquê ele com um roster tão talentoso? Porquê que um lutador tão desinteressante e fraco teve tantas oportunidades sem agarrar nenhuma e continua a tê-las? Porquê? Porquê? Porquê? Por muito menos outros lutadores ficaram sem oportunidades e foram relegados para baixo no card, ao contrário do Corbin que é sempre e constantemente uma das personagens do mid-card que são relevantes e às vezes até dá um jeito ao main-event, quando nada do que ele fez foi memorável, e nada do seu trabalho digno de registo. Se olharmos para as qualidades que a própria WWE aprecia num lutador, ele nem aí se encaixa.

Vejamos ponto por ponto. O físico e o aspeto do Baron Corbin são miseráveis. Para mim, só há 3 tipos de lutadores que, com o passar dos anos, usam uma gear que lhe cobre o corpo todo: aqueles cuja personagem o exige, como era o exemplo do Reigns com o colete; aqueles veteranos pelos quais o tempo também passa e é normal que o seu corpo não seja o mesmo da sua juventude e se queiram proteger; e aqueles, como o Baron Corbin, que simplesmente são miseráveis nesse aspeto, que não tentam melhorar e são completamente desleixados.

O Baron Corbin não só tem falta de músculo e um corpo que se parece com nada, como um pelo facial que o faz parecer um emprego de mesa de um restaurante barato. Vejamos, a WWE, que tanto prima pelo entretinimento, que tanto procura tantas personagens larger than life, que se interessa não tanto pelo wrestling em si e pela qualidade técnica dos seus wrestleres, deixa que um dos seus nomes mais constantes tenha este aspeto? De facto, encontrar um Roman Reigns de entre 15 samoanos é muito difícil, mas encontrar um Baron Corbin em 30 empregados de mesa é fácil, muitos deles até terão um look melhor que o Corbin.

Agora quanto às promos, já vi muita gente a dizer que o Corbin é razoável nas promos. E talvez o seja, tem um texto bem decorado e faz um discurso pausado para se ir lembrando do que tem de dizer. Tem, salvo raras exceções, um tom monocórdico, sem sentimento, sem emoção, sem nada. Acredito que muitos possam ser piores neste modelo da WWE, mas isso não faz do Baron Corbin bom neste aspeto.

Finalmente, quanto ao seu trabalho no ringue, em muitos momentos mostrou-se decente, mas mais uma vez, que combate do Baron Corbin é que se lembram? Que momento ou história se lembram de ele ter conseguido contar no combate ou fora dele? A receita é sempre a mesma, é a de um heel que domina grande parte do combate de forma completamente desinteressante, cujo comeback do babyface mais tarde resulta na sua derrota ou numa vitória obtida por táticas menos líticas.

Não sei se alguma vez repararam, mas o Baron Corbin perde muitas vezes por pin rápido, o que demonstra que a WWE o tenta sempre proteger, mas eu vou contar-vos um segredo a vocês e à WWE: se um lutador perder uma ou duas vezes com um small package ou um school boy, e ganhar nas restantes, ele é protegido; já se um lutador perde 15 vezes por small package ou school boy, ele não é protegido, porque perdeu muitas vezes, e sempre da mesma forma. É, não é? Acredito que nunca esperaria por uma revelação tão surpreendente…

Mas voltando ao in-ring work do Corbin, ele também faz constantemente os mesmos moves, para além de ter uma capacidade de strike que não faz ninguém acreditar nos seus movimentos, e uma incapacidade de manter o combate interessante com as submissões enquanto domina o babyface. Ele limita-se ao End of Days como finish (um move que eu até gosto bastante), ao Deep Six, e não me lembro de mais nada. Ah! Já sei, é muito engraçado quando ele dá a volta ao canto do ringue para surpresa do adversário! Isso sim é muito cool! E quando ele faz isso às duas e três vezes no combate, então é que é espetacular, coisas que já ninguém esperava. Ao mesmo tempo, os comentadores enaltecem a grande capacidade atlética do Corbin, pois, realmente, aquilo, parece ser muito difícil de fazer (percebam a ironia).

Mas dou-lhe reconhecimento num aspeto, que me parece cada vez mais em falta no mundo do wrestling atual, e que se perde cada vez mais, e que o Baron Corbin (à semelhança do Miz, ou Sami Zayn atualmente), tem em mente que o que é simples é melhor. Nunca vimos o Corbin a fazer um dive, nunca o vimos a lutar para a crowd ou pela crowd, porque ele tenta ser o heel desprezível do qual não há nada para gostar, procura um estilo mais old school, tenta proteger o seu finish e as suas manobras de impacto, e fugir delas como heel covarde que é. Tenta um combate o menos espetacular possível, pois esse é o trabalho do babyface e não do heel. O que acontece, é que o Baron Corbin não é o melhor a fazer isto, nem o mais interessante.

Poder-me-ão dizer que exatamente por ninguém gostar do Baron Corbin ele é um bom heel. Respondo a isso com a expressão “não exatamente”, e não, não vou tentar distinguir entre “bom” heat e “mau”, entre o heat de um heel que os fãs não gostam pelas suas ações, mas gostem enquanto lutador, e o heat de um heel que os fãs simplesmente não o querem na sua TV, não porque o consideram um bom heel, mas porque não gostam dele como lutador sequer, dado que me parece uma distinção, embora correta, algo irrealista.

Vou sim pegar na distinção entre um heel interessante e um heel desinteresse. Se no primeiro caso, temos um heel capaz de concentrar ódio em si, seja porque razão for, mas que faz os fãs quererem continuar a ver, pelo qual são atraídos pelo desejo de ver um babyface vencê-lo ou vingar de alguma das suas vigarices. No segundo caso, que é o caso de Baron Corbin, temos um heel que faz os fãs simplesmente quererem deixar de ver o produto, um heel que não ajuda à construção de uma história, mas à destruição do programa ou promotora em questão. Bem vistas as coisas, um verdadeiro heel só poderá ser o do primeiro caso.

Um heel é suposto ser um antagonista, um obstáculo credível, severo e duro que o herói vai ter de ultrapassar. Esse antagonista tem personalidade, tem habilidades de sedução e de criar interesse e tem credibilidade. Se assim não fosse, o herói não tinha porque lutar, nem os fãs teriam alguma razão para querer ver o herói triunfar. O problema do Corbin é a exatamente este. Quando ele entra numa rivalidade com alguém, os fãs não querem esperar que ele seja derrotado, querem é deixar imediatamente de ver o que o seu adversário passou a fazer, querem é desligar-se da história e deixar de prestar atenção ao trabalho do Corbin e do seu adversário.

Prova disto é que até hoje, qualquer pessoa que tenha rivalizado com o Corbin se tornou muito menos interessante, na sua personalidade e no seu trabalho. Quando alguém que vem em ascensão de baixo até ao topo e encontra o Corbin, das duas uma, ou fica por ali, ou acaba por voltar para baixo. Um exemplo desta situação que se passou este ano foi com Matt Riddle, alguém que se estreia com toda a força, que tem uns combates interessantes com o AJ Styles pelo IC belt e que, a partir do momento em que rivaliza com o Corbin, fica completamente perdida no card, exatamente porque a receita dos ataques no backstage, das vitórias cobardes deste lutador e as promos chatas e longas não permitem que a ascensão continue. Aquele um ou dois meses de rivalidade sabem a nada, porque no fim, quando o lutador vence o Corbin, isso vale 0, pois já ninguém se sente cativado para ver aquilo.

Mas o mesmo se passa noutra situação. Quando é o Baron Corbin que tem uma rivalidade com uma estrela de topo como o Roman Reigns, não é o Baron Corbin que vem para o nível do Roman Reigns, em termos de interesse, qualidade e credibilidade, é o Roman Reigns que desce para o nível do Baron Corbin em todos estes três parâmetros. Ora, rivalidades mais ou menos acesas, blood feuds servem para elevar sempre algum lutador, se é para ambos ficarem na mesma posição, ou pior, então não faz sentido elas existirem. E isto acaba por se passar em quase todo o trabalho deste lutador na WWE, e dilacero-me como é possível a WWE nunca ter dado por isto. Como se já não fossem suficientes os pontos menos maus do Corbin que referi antes.

É verdade que este não é apenas um problema do Baron Corbin e que há mais alguns lutadores assim na WWE, em que as rivalidades com essa pessoa não ajudam ninguém. É o caso, por exemplo do Bray Wyatt, mas, e mesmo eu não sendo fã nem coisa que se pareça do Bray, este ainda tem algo de interessante, algo para oferecer ao produto. É muito melhor ao nível das promos, tem uma personagem em quem muitos fãs acabam por investir, e tem, aqui e ali, muitos combates que nos lembramos (Daniel Bryan, John Cena, Dean Ambrose, etc.), e que na altura foram elogiados. Bem, com Baron Corbin… isso não existe.

Poder-me-ão dizer que o Corbin, pelo tamanho que tem, nunca poderia ser um jobber, ou um lutador nada protegido do undercard, mas como se diz na minha terra: “é pinheiro? Se é pinheiro bota a baixo!”

Hoje ficamos por aqui.

Até para a semana e obrigado pela leitura.

39 Comentários

  1. Sandrojr1 mês

    Concordo com a maior parte do que vc disse, ótimo artigo.

  2. Descordo a 100% mas respeito a opiniao… eu desde o nxt que gosto dele e vejo talento, tanto em rungue, promos e até e bem carismatico, é aquele heel irritante e mes.o assim é um big guy o qie nao me lembro de ver a junca de big guy e heel irritante… esta gimmick de king corbin fez mostrar esse carisma do lutador e o tsl irritsnte que consegue ser, no entanto gosto mais de um corbin sério e destruidor tipo lone wolf mesmo, as pessoas nao gostam dele??? Muitas até gostam, nao gostam é da gimmick dele ou seja o tipo irrita mesmo…

    No nxt nao teve combates? Elias, rhyno sao alguns exemplos, bull dempsey??? Quem.consegue fazer bons combates com um bronco daqueles? O bull nao tinha move set nenhum era 0, para alem de que a rivalidade se resumia em eliminar oponentes em menos segundos possiveis logo nunca daria certo nem com o keith lee nessas condicoes…

    • Jaul1 mês

      Eu concordo absolutamente, isto foi um artigo que na minha opinião foi mais movido pelo hate do que pela razão, o Corbin é bom em ringue sim, ele já teve várias boas lutas posso mencionar algumas até visto que o senhor que estava a escrever o artigo não se lembrou de nenhuma, Corbin vs Ziggler vs Bobby Roode, Corbin vs Aj Styles Vs Ziggler (em que nesse combate o Corbin foi o destaque) o combate do Corbin contra o Roman Reigns no TLC e Royal Rumble foram bons e teve bastante gente que gostou, este ano o Corbin teve uma ótima luta com o Drew num show do Raw também e fora as ótimas lutas dele no king of the ring e principalmente a luta com o Chad Gable

    • Jaul1 mês

      O Corbin no microfone é alguém que consegue ser engraçado e até ser bastante provocante, o que é ótimo para um heel, e muitas das pessoas esquecem se mas o Corbin é alguém que chegou a wwe a relativamente pouco tempo, e em todos os anos ele conseguiu entregar alguma coisa de interessante.
      Vou dar um exemplo do Nakamura, um lutador que é extremamente bem elogiado pela comunidade deste site e lá no fundo na wwe nunca fez nada assim de especial (embora eu saiba que ele bom lutador) mas sempre que lhe deram oportunidade de fazer uma luta nunca entregou algo que seja mesmo espetacular, e várias pessoas colocam o lutador como um dos melhores da empresa

    • Jaul1 mês

      Acrescento também que conheço bastante gente que assim como eu é fã do Baron Corbin

    • Facebook Profile photo

      Gangrel_Rules, obrigado pelo comentário. Não vejo carisma em lado nenhum do Corbin. Se ele tem alguma reação do público, sempre foi como heel, e não tem personalidade suficiente para transparecer carisma. Se achas que esses combates são bons (Elias, Rhyno, etc.), acho que tens um défice de bom wrestling no que já viste/vês. Foram combates no mínimo decentes, em que nem te lembras deles no dia a seguir, nem de qualquer momento deles.

    • Facebook Profile photo

      Jaul, obrigado também pelo comentário. Eu não me movo por hate, mas se com hate queres dizer que foi um artigo em que mostrei o porquê de não gostar o Baron Corbin, com razões objetivas e fundamentadas e causas subjetivas e pessoas, então sim, foi hate.
      Mais uma vez, se esse tipo de combates é o melhor que vocês conseguem apontar, acho tremendamente insuficiente.
      Quanto à comparação do Nakamura, acabo por concordar em parte. Sou eterno fã do Nakamura do Japão, na WWE está completamente desfazado, mas ainda conseguiu entregar mais bons combates que o Corbin, ainda tem uma personagem mais interessante e quanto ao carisma, bem, acho que é senso comum que tem mais num dedo do que o Corbin alguma vez terá no corpo todo. Quanto às promos, sim, é um handicap.

    • Ricardo nao disse que ele é un wrestler tipo aj styles em ringue, disse que é bom em ringue apenas nao disse ser de excelencia, quando ao que já vi de pro wrestling vou te já dizer que acompanho wwf/wwe desde attitude era e ao contrário de muita gentr que comenta aqui no site nao critico apenas A ou B sem se quer os conhecer (caso goldberg exemplo) eu posso e falo porque vi muitos desses lutadorrs que sao tao criticados por gente que nem viva era nos seus auges…

      Mas sem mudar de assunto, respeito a tua opinião e soubeste argumentar e defender a mesma, mas como disse tenho a minha propria opiniao fundamentada que é totalmente diferente da tua

    • Facebook Profile photo

      O pessoal pode ter ido ver o trabalho desses lutadores no passado. P. ex., no meu caso, eu tenho um estilo de wrestling preferido que teve o seu auge ainda eu nem era nascido.
      Poder-me-ás dizer que quando se vê na altura se tem uma perspetiva diferente, e eu aí concordo, mas não deixam de haver causas objetivas para as pessoas criticarem lutadores do passado.
      Mas não acho que a tua opinião esteja errada, de certeza que há muita gente que não viu nada no auge de muitos lutadores e mesmo assim critica. Obrigado pela opinião e pelo fair-play 😉

  3. Bea Ospreay1 mês

    O engraçado é que tem pessoas que querem que o Seth quando voltar, tenha uma feud com o Corbin, e que não gostaram quando eu disse que o Corbin não ajuda ninguem nas feuds que tem. Lutador super desinteressante, e que esta bem longe de ser um bom wrestler.

    • Facebook Profile photo

      Obrigado pelo comentário. Concordo com as tuas observações.

    • Victor X1 mês

      Seth está em seu pior personagem, que ele passe longe do Corbin, que não merece ter que rivalizar contra o Seth.

  4. Anónimo1 mês

    O Baron Corbin é mau tal como são 80% dos wrestlers no main roster da WWE. Se uma pessoa quer realmente ver bom wrestling então não é a ver WWE que vai encontrar isso de certeza.

    • Fala me entao doscunicos 20% de jeito… é que eu vejo maia 90% de bons wrestlers e apenas 10 maus… a wwe é que nao os sabe aproveitar

    • Facebook Profile photo

      Obrigado pelo comentário. Não acho que roster da WWE seja tão mau como dizes, e há lá lutadores que podem e devem ser trabalhados de uma forma melhor. Acho que a WWE tem um excedente de lutadores que parecem não andar lá a fazer nada e nisso concordo. Se houvesse um roster mais pequeno, com as principais caras conhecidas, aquilo que íamos notar de qualidade seria muito maior.

  5. Antes de mais,gostei bastante do artigo,muito bem escrito.

    Acho que o Corbin como personagem não é nada por ai além,mas consegue fazer(ainda que de forma errada) que as pessoas não gostem dele.
    Como wrestler é alguém limitado e não consegue proporcionar bons combates,e sendo ele heel e ter de carregar maior parte do combate,deixa bastante a desejar.
    E o look dele não é nada de especial,é só um gajo grande mas com uma morfologia fisica normal.
    Poderia ser melhor se tivesse mais qualidade em ringue e tivesse um personagem melhor,que em vez de desincentivar as pessoas a ver fizesse exatamente o oposto

  6. Victor X1 mês

    Bons argumentos, mas eu nem ligo tanto pro Corbin. Ele vai lá faz o seu e pronto, contanto que ele fique perambulando pelo midcard e nunca suba para o main card está de bom tamanho.

  7. Facebook Profile photo
    JAGG1 mês

    Não precisavas ofender os empregados de mesa… Hehehehe

  8. Eduardo1 mês

    Tá ai um lutador que divide meus pensamentos. Em alguns momentos acho insuportável a proteção que é dada ao Corbin, quando este muitas das vezes entrega combates sonolentos (e não é pela falta de dives ou high risk moves, eu não acho isso necessário para um combate ser bom). Mas é simplesmente porque lhe falta um move-set mais abrangente, um move-set que o faça trabalhar bem com seus oponentes. E acho até que algumas coisas não são culpa do Corbin, acho que a gimmick de “King Corbin” já está pra lá de saturada, e a WWE nunca fez grandes coisas com essa personagem, vez ou outra o Corbin aparece com alguns aliados que o ajudam em algumas ocasiões e depois desaparecem, ele entra em rivalidades que não resultam em nada. Mas ainda assim vejo que se a WWE souber construir um personagem e conseguir de alguma forma, fazer com que os fãs vejam o Corbin com outros olhos, ele pode ser muito útil ao roster, não para ser um campeão mundial ou um múltiplo campeão de mid card ou de duplas, mas alguém que vez ou outra vence um título, e vez ou outra consegue fazer rivalidades produtivas, que elevem seu adversário e também o ajude a se tornar um lutador mais bem visto pelos fãs.

    Ótimo artigo!

  9. O Corbin não é dos mais adorados entre os fãs, para quem sabe ele é um heel efetivo da empresa, cumpre os requisitos de lutador e até em bom em promos na que faz, o cash-in falhado foi péssimo na sua carreira e teve algumas oportunidades por títulos, penso que o seu auge na WWE foi quando foi General Manager do RAW!
    Abraço Ricardo

  10. Bom artigo, também nunca fui grande fã do Corbin, especialmente com vários e melhores talentos no roster que não são aproveitados.
    Queria apenas dizer também que gostava de voltar a ver aqui no brain buster uma série de re-booking como a que fizeste com o ano de 2016. Achei bastante interessante e sou um enorme fã de bookings, e mesmo que não fosse feito todas as semanas confesso que é algo que gostaria imenso de voltar a ver.
    Abraço

    • Facebook Profile photo

      Obrigado! Fico feliz por esse entusiasmo com uma possível série de rebooking. Foi algo que fez durante o confinamento, não só para vos dar conteúdo numa altura em que não tinham tanto wrestling, mas também porque pessoalmente tinha mais tempo livre ahahah. Tenho andado mais ocupado, mas é algo que penso trazer no futuro, talvez já para o ano.

    • Facebook Profile photo

      Já agora, se quiseres podes deixar uma sugestão acerca de ano/período do wrestling/promotora gostarias que eu fizesse. Eu tenha uma ideia em mente, mas se me aparecer algo mais interessante ponho em consideração.

    • Pessoalmente tenho 4 opções que gostaria de ver o que farias: 2007, 2010, 2011 ou 2013. Não digo 2009 porque já foi feito no bottom line, mas acho que qualquer um desses seria interessante e com um melhor booking em comparação ao que aconteceu na realidade.

    • Estou a falar mais concretamente da wwe porque fora os últimos anos era praticamente apenas o que assistia em termos de promotoras

    • Facebook Profile photo

      Obrigado pelas sugestões. Do que sugeriste, estaria inclinado para 2011 ou 2013, mas depois ponho à consideração.

  11. Bom artigo!

    Concordo com a grande parte que descreveste sobre o Corbin.
    Considero o Corbin alguém em quem a WWE confia e que tem boa visão a longo prazo sobre ele, mas a verdade é que é um lutador que tem muito que evoluir, se evoluir… mic skills considero razoáveis, mas não me lembro de nenhuma boa promo dele, qualidade em ringue é decente mas algo limitada, safa-se o finisher que é muito bom, em termos de carisma e look não são lá grande coisa, fisicamente é péssimo e no look dele só se safam as tatuagens chamativas que tem, gimmick estupida e carisma deixa muito a desejar.

    Por acaso sei de uma combate bom que ele esteve envolvido, Chairs Match contra o Kalisto.

  12. Facebook Profile photo
    Hugo Braga4 semanas

    Discordo totalmente do artigo.Acho que o problema do Corbin foi a mudança da sua gimnick que eu acho horrível. Em ringue não o melhor mas é bom e em termos de promos é alguem que consegue incomodar o público com o que está a dizer algo que 90% do roster não consegue. Penso que o Corbin se tornasse uma personagem mais séria que não precisasse de roubar podia estar no topo facilmente

    • A personagem de Lone Wolf era boa e combinava com o visual e finisher dele mas a personagem atual é péssima… tudo nela o empurra para baixo, a musica de entrada é das piores da WWE, a gear não o favorece e nada desenvolve nas feuds que fica inserido porque não atrai interesse nenhum.
      O Corbin para atingir o main event tem de melhorar em várias coisas, personagem, físico (péssimo e desleixado) e carisma. Um reboot no lutador era uma boa opção, porque é um heel natural e podia ser melhor explorado com algumas arestas limadas.

    • Facebook Profile photo

      Obrigado pelo comentário. É a tua opinião, e opiniões diferentes são sempre bem-vindas.

  13. Anonimo4 semanas

    respeita o rei