Brain Buster #9 – Falta de Consideração

Foto de perfil do Facebook há 3 meses 14

Boas a todos nesta grande casa que é o Wrestling PT!

Quem me conhece ou já leu alguns dos meus artigos terá notado que, raramente, vejo pontos negativos no wrestling que vejo, porque tal é mesmo verdade e resulta do facto de eu só ver o wrestling que me diverte e que mais me diz enquanto fã dos estilos que mais gosto. Tal resultou, e muito, de deixar de ver o produto do RAW e SmackDown exaustivamente, limitando-me a ver os programas e PPV`s, onde ocorrem mudanças de títulos.

Aqui há uns anos, passei cerca de um ano sem WWE, mas tal não podia continuar, pela simples razões de que dificilmente me perdoaria se perdesse grande parte das carreiras de lutadores como o AJ Styles, o Bálor, o Joe, o Nakamura, entre muitos outros lutadores talentosos que a WWE possui hoje em dia e que me obriga a ver o mínimo do seu produto exactamente por isso. Não obstante, vejo-o exatamente por essa razão e não pela qualidade do produto da WWE.

A WWE é, exactamente, o oposto que eu gosto no wrestling, põe histórias acima da protecção da credibilidade dos seus lutadores e cria rivalidades que não favorecem ninguém, assim como não respeita os seus fãs. Acha que eles se esquecem do que passou há menos de duas semanas e traz algo completamente diferente e sem sentido com o que vinha a ser contado. Mas, acima de tudo, não conhece os seus fãs, principalmente os actuais, as suas preferências e o que estes realmente querem ver. Entre muitas outras coisas, isto é algo que me faz não ver a WWE integralmente e a preferir ver muitas outras promotoras por esse mundo fora. Sem dúvida que, para mim, é um tempo muito mais bem utilizado, tempo esse que é bastante escasso.

As razões que porventura evoquei no parágrafo anterior, reflectem-se na última grande ideia da WWE: dar vitórias, atrás de vitórias, a Shane McMahon. Não fosse já isto, a meu ver, negativo, existem rumores que o mesmo pode até vir a vencer o título da WWE, tal como o Vince venceu em 1999. Apesar de se tratarem de rumores e de isso valer o que vale, admito que é algo que, enquanto fã desta modalidade, me deixa, mais uma vez, com vontade de desligar de tudo o que diga respeito ao RAW e SmackDown.

Esteja conectado, ou não, à realidade, seja provável ou improvável acontecer ou esteja, ou não, nos planos da WWE, na minha opinião é ideia sem cabimento. Penso que quando digo isto falo por 75% dos fãs que assistem WWE neste momento. Contudo, apesar de ser uma péssima ideia, há sempre quem ache que uma péssima ideia é uma ótima ideia. Alguém achou que o Brawl for All era uma óptima ideia e alguém sequer equacionou que ver um lutador tão limitado como o Great Khali como campeão mundial seria muito bom, algo que, infelizmente viria a acontecer. Por isso, é necessário demonstrar a essas pessoas porque é que ideias como essas, são péssima e não óptimas, assim como pretendo que se afastem rumores como esse, desmitificando eventuais pontos positivos que alguém possa ver nisso.

Primeiro, e comparando com a época em que o Vince McMahon venceu o título da WWE, estamos em momentos da história do wrestling completamente diferentes. Em 1999, o absurdo era a regra, aliás, a luta de audiências com a WCW baseou-se nisso e não na qualidade dos combates ou nas histórias simples que faziam sentido.

O importante era vencer a empresa rival, por isso, havia que inovar, mesmo que na maioria das vezes tal não fosse no melhor dos sentidos, havia que criar algo novo que despertasse expectativas nos fãs de wrestling de forma que audiências subissem necessariamente, sob pena de nunca mais as recuperar. É neste contexto que Vince McMahon se torna campeão da WWE. Sendo fã ou não da Attitude Era, foi algo que, tendo em conta os fãs da época, fazia sentido acontecer, fossem as críticas na altura serem poucas ou muitas.

Contudo, 20 anos mais tarde, a ideia de ver um executivo da WWE, alguém da família que controla a empresa, voltar a vencer um título é uma ideia já feita, como já referenciei, não trás absolutamente nada de novo, ignorante, pois a WWE mostra mais uma vez que não conhece o tipo de wrestling que a maioria dos seus fãs aprecia, e, totalmente nada inteligente, do ponto de vista da credibilidade dos seus lutadores e da consideração que mostra por eles.

Com fãs que olham cada vez mais para a qualidade dos combates, para o sentido das histórias e para a protecção dos seus lutadores preferidos que, na maioria das vezes são muito dotados in-ring, fará sentido dar o maior e mais prestigiado título da empresa a um não-lutador, que apesar de bons momentos e combates que proporcionou no passado nunca representou uma verdadeira ameaça, mesmo que seja por “sorte” ou “com ajuda” e por pouco tempo? Digo vincadamente que não. Tal seria uma falta de consideração por nós, adeptos da modalidade, pelos muitos lutadores que treinam e lutam todos os dias por uma oportunidade como esta e pela arte que todos gostamos, que nas mãos da WWE não tem sido muito bem tratada.

Por outro lado, será também mais do mesmo no que toca à utilização de nostalgia. Apesar do Shane ser uma parte integrante da história que decorre neste momento, a verdade é que, mais uma vez, lutadores/personagens do passado voltam a ter destaque, seja com vitórias, seja mesmo com títulos, assim como mostra a pouca competência e capacidade dos mais novos em competir com as estrelas do antigamente, mostrando, novamente, que estão abaixo delas, um problema que penso assolar a WWE há demasiados anos e que deveria terminar.

Note-se, no entanto, que fruto da sua personagem, Shane poderá e até deverá aparecer nos programas da WWE durante muitos anos, podendo até considerar que, tal como o seu pai, tem uma personagem que perdura no tempo e cuja presença não afecta o seu interesse. Contudo, mostrará mais do mesmo. Um vilão que faz parte da família rica que controla a WWE. Quantas vezes assistimos a isso nas últimas duas décadas? Demasiadas, na minha opinião.

Um dos argumentos a favor destas vitórias poderá ser a criação de heat até ao momento em que Shane McMahon finalmente perca e seja destronado num combate dominado e vencido por um babyface querido por todos. Sim, é verdade, mas mais uma vez, é mais do mesmo e tendo em conta as histórias deste género na WWE nos últimos anos, tal pode não ser bem assim.

Olhando para o caso da sua irmã, a Stephanie, de 2013 até 2018, foi a maior heel da companhia, e foi pois usava o seu poder e o da sua família para humilhar todas os lutadores/as que interagiam com ela, algo que afectava a sua credibilidade e que, muitas das vezes, nem compensado nos seus combates e resultados era. Ninguém respondia à mesma, até que a Ronda Rosey chegou. No entanto, foram 6 anos em que assistimos a isto, em que a vimos parcialmente derrotada só uma vez, em que muitas vezes chegou a agir como babyface, embora no fundo continuasse a ser heel, o que confundia os fãs. Enfim, pela confusão e pelo hiato temporal enorme em que ocorreu levou ao nosso desinteresse, só mais ou menos revitalizado e não à força toda, como poderia ter sido, quando a Ronda a venceu.

Há, devido à teimosia da WWE em não admitir que está errada, muita probabilidade de tal vir a acontecer, também, com o Shane. Mas ao escrever isto, lembro-me do momento em que, no final do ano passado, toda a família McMahon veio ao ringue admitir que o seu trabalho não estaria a ser o melhor e a prometer um produto melhor doravante. Seria algo interessante, se não feito por heels como a Stephanie e o Vince, pelo Triple H cuja personagem atual ninguém entende, pois não deixa antever se será heel ou face a cada storyline, seja no main-roster, seja no NXT e pelo único babyface no Shane, que também haveria de virar heel proximamente. A solução que nos foi apresentada pela WWE foi, afinal, o seu grande problema.

Porém, esta não foi a única vez que aconteceu algo parecido. A seguir a períodos de booking bastante maus, seguem-se declarações no sentido de o melhorar. Assistimos a bons eventos da WWE e a decisões razoáveis da mesma, mas no curto espaço volta tudo ao mesmo. Não me admiraria até, se, a esta altura, já nem se lembrassem do que haviam dito no final de 2018.

Mas voltando à situação do Shane, o seu booking forte e com bastante protecção já não é de agora. Remonta desde que regressou em 2016 como salvador dos fãs contra a sua família e continuou durante todo este tempo: lutou de igual para igual contra Undertaker na Mania; num segmento em que se encontrava com lutadores como AJ Styles, Dean Ambrose e Undertaker no ringue, foi o Shane que este último elogiou e o pôs over; lutou de igual para igual e no seu estilo de combate contra o AJ Styles na Mania seguinte, entre muitas outras ocasiões em que foi tratado como uma verdadeira ameaça, quando ninguém o vê dessa forma. Agora, como heel, a WWE tem finalmente a situação perfeita para o fazer vencer combates, seja criando situações se sorte ou ajuda.

Estas vitórias têm ainda incidido sobre dois dos lutadores mais protegidos nos últimos anos, cada um com a sua personagem, naturalmente, no Miz e no Roman Reigns. No caso do primeiro, teve de servir de derrotado duas vezes para o Shane, em dois combates em que apesar de não ter perdido verdadeiramente, o que é facto é que a WWE mostrou que o mesmo foi incompetente para arrecadar a vitória, numa fase decisiva da sua carreira em que pode, finalmente, funcionar como face na WWE, mas veremos que efeitos estas derrotas podem ter sobre si a longo prazo.

Quanto ao Roman, o super protegido Roman, também foi vítima deste booking e, mais do que ele, Drew McIntyre, que tem de ajudar Shane a vencer os seus combates, numa atitude que vai ao encontro de tudo, menos da sua personagem actual. Um dos lutadores com maior potencial para main-eventer na WWE que já vi não podia ter vencido o Roman na Mania (tal como o Jay White venceu o Okada no WK deste ano – situações bem similares), mas o Shane já pode.

Concluindo, estamos a assistir a um booking muito pouco inteligente, egoísta e sem qualquer interesse. Que vontade terá alguém de ver o próximo show da WWE se o Shane vencer o título, quando mesmo agora já custa ver todo o destaque que já tem?

Não me coaduno com este tipo de booking, mas também não estou à espera que mude. A WWE é a WWE e não vale a pena achar que algum dia vai mudar, pelo menos enquanto a sua estrutura for esta. Mais vale dar uma oportunidade a muitas outras empresas que, essas sim, valem a pena e não nos fazem perder o nosso tempo, deixando-nos angustiados, quando nos deveriam era divertir e aproveitar os tempos livres, por ser um dos maiores hobbies de quem é fã.

Mas então, o que achas desta situação? Concordas? Ou achas que o Shane merece este destaque? O que achas de algum dia ele vir a vencer o título?

Hoje ficamos por aqui.

Até para a semana e obrigado pela leitura.

14 Comentários

  1. Flávio há 3 meses

    Concordo mas infelizmente as perdes perde muito por os westlers entrarem no ringue e já saber quem é o vencedor acho que as promotoras ganhavam mais em deixar o combate decorrer sem ninguém saber quem iria ganhar mas pronto e o meu ponto de vista

  2. Ainda não percebi bem o porquê de o Shane estar a receber o destaque que está a receber nos últimos meses. Se por acaso o Shane ganhar o título nos próximos meses, a WWE está a mandar uma mensagem a dizer que prefere dar destaque a alguns part-timers do que ao pessoal que realmente merece ter destaque. Há lutadores com qualidade que mereciam ter o destaque que o Shane está a ter.

  3. SJ1904 há 3 meses

    Excelente artigo, concordo com todos os pontos abordados. Realmente não entendo o porque do Shane estar a receber tanto push num momento em que existe o produto NXT a fornecer lutadores para o Main Roster e a floparem de uma maneira inacreditável. Ainda acho que falta lutadores/as que tenham a coragem e batam de frente com a família McMahon, só a Ronda não basta!

    • Foto de perfil do Facebook

      Obrigado pelo comentário.
      Eu acho que a solução nem é lutadores fazerem frente aos McMahon`s, mas sim que estes desaparecem de vez dos programas semanais e das histórias que neles se contam.

  4. Showstealer há 3 meses

    Boa crónica. Plenamente de acordo com o que foi aqui dito, de facto é surreal equacionar-se sequer um não wrestler vencer o maior título da empresa mais mediática do mundo do wrestling. Shane McMahon tem algumas qualidades, não vamos também ser injustos, mas não é de todo merecedor de toda esta relevância que tem tido desde a WrestleMania porque há coisas que não consegue ou não sabe fazer e só um verdadeiro lutador de main event as possui. Espero mesmo que essa possibilidade do Shane conquistar o WWE Championship não passe de um boato e deixem-no apenas como um heel que corta promos e/ou está envolvido em feuds que não envolvam títulos.

  5. Muito bom artigo, concordo com tudo o que disseste. É frustrante a inconsistência da WWE, quando parece que de facto está tudo bem encaminhado para finalmente assistirmos a um produto regularmente bom, era assim que eu me sentia após a WrestleMania, eis que eles nos decidem desiludir ao conseguir desajustar todo o bom trabalho que fizeram para nos dar meses a fio de storylines mal construídas.
    E é como tu dizes, eles preocupam-se muito pouco com a credibilidade dos lutadores e mais grave ainda, não os deixam ascender ao estrelato. Hoje em dia não há ninguém que seja maior que a companhia como o Cena era há uns anos atrás ou o The Rock na Attitude Era e não há porque eles não querem, não é por falta de talento para isso.

  6. Sandrojr há 3 meses

    Dá wwe só se salva o NXT e o 205 de resto só tem merd@. E aliás otimo artigo, leio desde o primeiro.

  7. Anonimo há 3 meses

    o shane perdeu com o roman reigns, com o aj styles, perdeu no survivor series… nao sei a onde é que ele ganha sempre.

    • Foto de perfil do Facebook

      Obrigado pelo comentário.
      Vitórias em 2019:
      Venceu os títulos de Tag Team no Royal Rumble;
      Venceu o Miz na Mania;
      Venceu o Miz no MITB;
      Venceu o Reigns no Super Show Down.

      Em 2019 não para de ganhar.

Comentar