Boas a todos nesta grande casa que é o Wrestling PT!

Ora, como prometido, nesta 95ª edição do Brain Buster, trago-vos um artigo de Perguntas e Respostas, algo que irei fazer apenas pela segunda vez aqui no meu espaço, e que espero que os meus caros leitores tenham gostado de participar. Antes de ir às perguntas e correspondentes respostas, gostaria apenas de agradecer a todos aqueles que deixaram a sua pergunta, e que me permitiram ter redigido este artigo, numa altura em que o Brian Buster se aproxima da sua 100ª edição. Foi, realmente, bastante prazeroso e igualmente divertido para mim responder às vossas questões. Ei-las:

Quem dura por mais meses com os seus títulos em 2021, o Roman Reigns com o WWE Universal ou o Kenny Omega com o AEW World? (Sandrojr)

São ainda dois campeões muito recentes, que ainda estão no auge do seu momentum e com a pujança toda para terem um reinado bem longo, recheado de bons combates e rivalidades. O Roman Reigns entrou numa zona em que será muito difícil qualquer lutador entrar nos próximos tempos, o nível em que está subiu imenso com este heel-turn, ele finalmente é visto aos olhos dos fãs como a grande estrela desta geração que a WWE sempre quis que ele fosse. O Kenny, por seu turno, entrou numa deriva que desperta grande curiosidade, porque tem mais por onde pegar, tem mais empresas em que pode trabalhar e colecionar belts, mais lutadores para serem seus adversários, ao mesmo tempo que se encontra protegido, e bem protegido pelo grupo do Don Callis e dos Good Brothers.

É difícil adivinhar o futuro, mas pessoalmente gostaria que o Roman fosse campeão muito tempo, talvez ultrapassando 2021 na totalidade com o título, até que um bom e ótimo babyface estivesse ao seu nível, pronto para ser contruído como uma estrela que derrotou a grande estrela desta geração. O Kenny tem a vantagem de a AEW ser mais paciente na troca de campeões e de ter um booking com mais construção e a longo termo. Não obstante, para te dar uma resposta final, diria que o Roman mantém o título por mais tempo, a tempo até de defrontar o The Rock enquanto campeão na WrestleMania 38, ao passo que o Omega perderá o título mais ou menos em outubro ou novembro, sem prejuízo de voltar a ganhar mais à frente, mas penso que este reinado terminará mais cedo do que o do Roman.

Como atrair um consumidor cansado dos vícios do produto da WWE para que estes acompanhem outras promotoras de wrestling? Que aspetos de outras empresas poderiam ser atrativos para os mesmos? (Victor X)

Admito que achei esta pergunta bem interessante, mas penso que a resposta será bem simples. Bem, qualquer empresa que queira recuperar um fã de wrestling cansado de WWE, não pode fazer exatamente aquilo que a WWE faz. De um ponto de vista negativo, se os fãs da WWE estão cansados das histórias contadas semana a semana que não tem conteúdo nenhum e parecem fast food no modo rápido e sem substância como são apresentados, então não o vamos fazer. Se os fãs da WWE não querem ver veteranos a tirar o lugar aos mais jovens e a não os construir para o futuro, também não o fazemos. Por fim, se os fãs da WWE estão cansados da quantidade ridícula de shows que têm de ver para acompanhar o produto, enquanto devemos tentar ter um produto que seja mais fácil de assistir.

Mas olhando para tua pergunta de um lado positivo, deve-se procurar fazer algo diferente daquilo que a WWE já oferece. Ter um programa semanal em que temos combates curtos que muitas vezes se sentem desnecessários, com segmentos de comédia, com histórias de traições, intrigas e romances é o que a WWE faz. Se os fãs estão cansados, então vamos apresentar algo diferente disso, porque só o podemos fazer à pequena escala. Para ter isso, os fãs já têm numa empresa maior onde as luzes são mais bonitas. Proponho que se pense fora da caixa na forma de apresentar histórias ou de apresentar o próprio wrestling. Pensar em histórias mais simples, mais aproximadas da realidade, que sejam fáceis de perceber. Por outro lado, porque não apresentar um produto mais sério nos combates, com um ar mais desportivo e competitivo? Por outro lado, não utilizar constantemente as mesmas coisas: interferências constantes nos combates, ataques aleatórios no backstage, stables que se estreiam a atacar tudo e todos, etc., tudo coisas que já vimos milhares de vezes, e que a WWE parece ainda não ter percebido que perderam o interesse.

Achas que num futuro próximo e devido à falta de qualidade da WWE, a AEW pode ameaçar verdadeiramente a posição da WWE como empresa dominante? (PedroKo)

Depende. Depende da AEW. Depende da WWE. E depende das circunstâncias. Há um ano ninguém diria que a AEW podia ser competição para a WWE, e a verdade que é que hoje a AEW cresceu, talvez não tanto como o esperado, mas cresceu ao ponto de estar mais próxima da WWE, também beneficiando de esta ter ficado para trás. Ou seja, a AEW apresentou um produto refrescante e agradável, ma que ainda não foi suficiente para cativar fãs fora dos fãs mais hardcore e competir realmente com a WWE, mas a WWE fez tão pouco para tal não acontecer, que desceu quase ao ponto da AEW. Por isso, é uma resposta difícil e difícil é antever a situação. Penso que vários fatores têm de se conjugar. Primeiro, a AEW tem de ser capaz de alargar a sua base de fãs, procurando um produto mais fácil de assistir, com wrestling mais tradicional, evitando que os fãs mais casuais sejam levados a perder o interesse quando virem spotfests constantemente ou lutadores como o Marko Stunt ou o Joey Janella na sua TV.

Segundo, a WWE não poderá voltar aos números que fazia há uns 4/5 anos nas audiências, não pode crescer. Terceiro, há vários fatores que se têm que alinhar. A pandemia continuar a baixar a capacidade de a WWE ter um produto mais brilhante, que acredito que tem tornado os programas da WWE ainda mais penosos para os fãs e, quando a pandemia acabar, continuar a cometer os meus erros de sempre, porque assim que os fãs foram obrigados a viver sem algo, ou tu lhes dás algo que valha a pena fazê-los voltar, ou ficas sem eles. Por fim, a única coisa que faltará será a AEW ter a mesma exposição que a WWE em campanhas de solidariedade, presenças em programas de TV, etc. Agora uma guerra de audiências como tivemos nos anos 90? Já o disse várias vezes e volto a dizer, penso que é impossível nos dias de hoje.

A WWE devia de apostar em mais lutadores que estão na NXT para o main-roster ? Como Finn Bálor, Kyle O’Reilly, Pete Dunne, etc. (Duke)

Para o imediato? Não vejo utilidade. A não ser que o objetivo seja matar de vez o NXT ou ter uma sobrelotação do main-roster, não penso que isso seja uma opção viável. Vejamos, o NXT está a atravessar os piores tempos da brand desde que a conhecemos como a marca que era a melhor da WWE nos últimos 5 anos, não tendo, simultaneamente, uma grande capacidade ou possibilidade de fazer muitas contratações neste momento, por isso tirar-lhe as maiores estrelas que ainda fazem os fãs verem o que de interessante a brand anda a fazer, seria condenar o NXT ao fracasso por uns dois anos, até que outros lutadores conseguissem, não só ocupar o lugar das estrelas que subiram ao main-roster, como voltar a prender o interesse dos fãs que entretanto deixaram de acompanhar os programas semanas. Relembro que o NXT ainda quer ganhar algumas audiências à AEW, e não tem margem para falhar ou fazer coisas novas, embora também seja isso que esteja a matar o produto.

Por outro lado, esses lutadores fazem assim tanta falta ao main-roster? O RAW e o SmackDown não têm lá uns 30 lutadores capazes de receber um push a qualquer momento por mérito e talento próprio, ou porque nunca foram utilizados como mereciam, ou porque desistiram deles sabe-se lá porquê? Caras novas são bem-vindas, mas só se houver um plano de estabilização na marca e consolidação enquanto cara conhecida de futuro. Subir um lutador ao main-roster para apostar nele no primeiro mês e depois deixa-lo no canto da irrelevância parece-me, não só desajustado e errado, como até algo incompreensível.

De uma perspetiva pessoal, que promotoras que acompanhas recomendarias para ver (GOAT of Wrestling “The DemoGod”)

Aqui há uns tempos, penso eu que a meio do ano passado, eu fiz uma pequena lista das promotoras/brands que eu gosto mais no pro-wrestling atual. Faziam parte desse top a: DDT, NOAH, Stardom, NXT e, no topo, a NJPW. Contudo, hoje, faria várias atualizações a esta lista. Continuaria a recomendar, sem dúvida, a NJPW, a Stardom e a DDT que são as promotoras que eu mais acompanho neste momento, porque são as que mais me dizem enquanto gosto pessoal. A NJPW tem o melhor wrestling da década, a Stardom o melhor wrestling feminino da atualidade e a DDT tem um estilo muito próprio, que junta comédia da que eu gosto, muito vezes bizarra e fora de si com wrestling do bom e do melhor nos seus main-events. Por isso, recomendaria, em primeiro lugar estas três.

Retiraria o NXT desta lista, mas de longe. Neste momento já prefiro a AEW ao NXT, algo que não aconteceu durante muito tempo. O NXT equipara-se agora à WWE, e faz parte da promotora da qual mais me afastei e não pretendo aproximar tão depressa. Quanto à NOAH, é um produto difícil de acompanhar, porque para o fã mais comum só importará ver os title matches ou os singles matches mais importantes que no último ano foram absolutamente excelentes, mas o seu undercard não é o mais cativante. Não obstante, recomendaria. Acrescentaria ainda a AJPW, que não tem tido um produto tão interessante em 2020/21 como teve em 2019, mas que ainda tem rasgos de génio de vários lutadores talentosos que merecem ser apreciados e, ao contrário da NOAH, tem um undercard bem mais cativante e, muitas vezes, bem mais divertido. Acompanho outras promotoras japoneses, mas em muitas vezes sei perfeitamente que é um gosto pessoal e que dificilmente o fã mais casual iria gostar. Penso que estas 5 opções respondem à tua pergunta.

Consideras que, no conjunto da obra, falando de impacto, popularidade, conquistas, relevância e história, já estamos em condições de considerar John Cena o maior da história? (Hulkster)

É uma pergunta cuja resposta dependia da análise de várias variantes. O John Cena foi a maior estrela da sua geração, foi o lutador que mais eventos vendeu, mais merchandise, mais momentos icónicos, mais promoveu a sua empresa, a WWE, fora dela, mais fez a WWE crescer, ou melhor, mais fez por manter a WWE no topo por mais tempo possível, por isso o John Cena estará certamente na conversa. Agora, é uma questão que dependerá sempre da comparação com outras estrelas, do passado e do presente. Vejamos duas figuras a história da WWE para começar: Hulk Hogan e Stone Cold Steve Austin. Ninguém foi maior na WWE, nem ninguém fez a WWE maior do que Hulk Hogan. Se o Cena podia ser melhor do que ele quanto ao talento, por exemplo? Sim, mas os números estão do lado do Hulk Hogan. Por outro lado, considero Stone Cold melhor lutador, melhor wrestler que o Cena, por isso perderia nesse aspeto.

Eu sou um enorme fã do John Cena, mas tenho alguma dificuldade em colocá-lo nesse patamar. E porque não falar de nomes da NWA como o Ric Flair? E da AJPW como o Mitsuhar Misawa? E da NJPW como o Hiroshi Tanahashi? Há demasiada história, há demasiados nomes, demasiados números e combates para considerar, mas o que eu não tenho dúvidas é que o Cena está ao lado desses nomes. O tempo há de fazer ainda mais justiça à sua carreira e ao mérito que teve em vários dos seus combates, ao seu talento no ringue e fora dele, à sua capacidade para falar ao microfone, coisa que penso que a história ainda não fez totalmente.

Qual o Dream match que você mais quer ver no futuro? Pode até ser entre lutadores de empresas diferentes. Qual o Dream match que não aconteceu, que você gostaria de ter visto? E, por último, qual seria o teu Dream match entre um wrestler de antes dos anos 2000, contra um de depois dos anos 2000? (13 cm)

Perguntas bastante pessoais, mas que são um exercício divertido. O Dream match que eu mais gostaria de ver no futuro? Mesmo que quase impossível? Bem, escolheria um de forma muito óbvia e muito fácil, John Cena vs. Hiroshi Tanahashi, numa verdadeira batalha entre os Aces, quer da WWE, quer da NJPW, e gostaria que fosse em campo neutro, mas igualmente conhecedor da capacidade e qualidade dos dois, do seu nome e do que fizeram pelo wrestling. Um sítio perfeito seria, por exemplo, no Reino Unido.

Relativamente ao Dream match que não aconteceu, mas gostaria de tivesse acontecido, estou inclinado para o que, a meu ver, seria o melhor combate de wrestling propriamente dito possível. Estou-me a referir a Bret Hart vs. Kurt Angle. O Kurt Angle sempre foi um lutador enorme do ponto de vista técnico, mas coadjuvado por um dos lutadores que mais e melhor soube pensar esta modalidade como o Bret Hart? Bem, teria sido qualquer coisa do outro mundo. O estilo de wrestling mais tradicional do Bret Hart vs. o estilo mais chegado ao wrestling americano amador e às MMA, bem, que combinação!

Por fim, um Dream match entre um lutador dos anos 90 e um lutador dos anos 2000, vou arriscar e dizer Jumbo Tsuruta vs. Yuji Nagata. O primeiro não é bem um lutador dos anos 90, já vem de trás e já tinha feito uma história enorme no wrestling antes dos anos 90, se bem que se superou ainda mais nos últimos anos de carreira. Escolho este combate porque são dois preferidos dos meus, são dois lutadores mais do que adorados pelo público, são dois lutadores que representam a sua fed, e o estilo subjacente, o King’s Road da AJPW do Jumbo e o Strong Style da NJPW do Yuji Nagata. Seria, sem dúvida, um par enorme para dançar o tango.

O que achas sobre a figura de autoridade (GM) nos shows? Pensas que faz falta? (Vitor Oliveira)

Pessoalmente, acho que é uma figura que está morta enquanto personagem principal ou sequer imprescindível de um show de wrestling. Contudo, percebo que seja útil haver alguém com o perfil do William Regal e, mais recentemente, do Adam Pierce, vindo na linha do primeiro os casos do Johnny Saint no NXT UK, do Scott D’Amore no Impact e do Tony Khan na AEW, este último ainda muito apagado. Neste estilo, acho que a figura de autoridade tem um bom propósito, e é útil. Pelo contrário, a figura do GM, do Comissário ou do CEO enquanto patrão abusivo, enquanto personagem com que toda a gente se importa e que está no meio das histórias mais importantes está mais do que ultrapassada, é uma velha fórmula do passado gasta e usada que pelos vistos esta a WWE percebeu que já não fazia sentido manter.

Quais são, para ti, os requisitos necessários para ser um bom wrestler? A nível de tudo: mic skills, in-ring skills, etc., e quais os exemplos mais paradigmáticos de cada categoria? (Bruna Melfe)

Esta pergunta daria aso a um artigo inteiro, mas apelarei à minha capacidade de síntese. Diria que essa questão depende do sítio no qual tu sejas lutador ou lutadora. No Japão ter-se-á sempre mais atenção ao trabalho. No México contará sobretudo a capacidade para chocar que fará a diferença. Mas cingindo-me aos EUA, diria que é talvez o único sítio no mundo que dá grande importância a todas essas categorias que falas, e, muitas das vezes, até tende a privilegiar o trabalho extra ringue, ao nível das promos ou do carisma em deterioramento do trabalho no ringue. Por exemplo, o Cesaro é alguém que é absolutamente fantástico quanto à qualidade dos seus combates, mas isso no estilo da WWE é muito pouco, se não mesmo praticamente nulo. Ninguém irá apostar num lutador como uma das suas grandes estrelas se esse lutador não tiver o à vontade necessário ao microfone, não articular fases facilmente e se for não for capaz de evoluir no seu discurso, motivado por sentimentos como raiva, ódio ou motivação, para promos caricatas, bizarras, mas, muitas vezes, lendárias. Quem para mim é o exemplo mais paradigmático de ser capaz de fazer promos deste género é o Ric Flair ou mesmo o Dusty Rhodes. Por outro lado, não basta saberes articulares frases, tens de fazer com que os fãs tenham interesse no que estás a dizer e queiram ouvir o que tens para dizer. E é aí que entra o carisma, cuja estrela mais capaz nesse aspeto, a meu ver, foi o The Rock. As promos dele eram absolutamente eletrónicas, mas ele não dizia nada com elas, apenas falava imenso. Com qualquer outro lutador, seriam apenas frases feitas englobadas num discurso, mas com o The Rock, com a sua energia, aquelas frases feitas passaram a ser catch phrases que os fãs passaram a conhecer e a adorar, e tudo porque o lutador que as fazia acreditava naquilo que estava a dizer, e não sentimos nunca que lhe disseram para dizer aquilo.

Como consegues perceber, não haverá uma receita perfeita para fazer de alguém um bom wrestler, mas diria que há coordenadas que podes tentar encontrar: ser exímio no ringue, ter um estilo cativante e, apenas quando for caso disso, espetacular, e, essencialmente, ser capaz de contar uma boa história com as interações com o oponente e com as expressões faciais e corporais; ser capaz de falar em qualquer situação, através de um discurso coerente com a rivalidade que esteja a atravessar, com tons diversificados; ter um carisma acima do normal, parecer larther lhan life, parecer intocável. E porque não olhar para outros aspetos igualmente necessários? Desde logo, conseguir trabalhar para a câmara? O bom e velho Rick Rude fazia tão bem isso, se reparares todos os moves que ele fazia exibiam o seu corpo e faziam-no parecer espetacular para quem via em casa. Por fim, saber quem tu és. Tu não interpretas a tua personagem, tu tens de ser a tua personagem, tens de saber proteger a tua credibilidade, legitimidade e ser ambicioso, nunca achar que já atingiste o topo. Pessoalmente, acho errado lutadores colocarem fotos com adversários nas redes sociais depois de um combate azedo entre os dois, acho mal saírem fora da personagem em público. O MJF, hoje em dia, é alguém que se sabe comportar neste departamento e o maior exemplo que, mesmo em 2021 com o kayfabe morto, podes respeitar a tua personagem, e que isso ainda traz benefícios para a forma como as pessoas te vêm.

Por fim, considero igualmente importante não só o look do lutador, mas sobretudo a forma como ele se carrega a si e à sua imagem. Não acho que todos devam ser Batistas, mas faz-me confusão ver um look como o do Joey Janella ou do Baron Corbin. Acho que no corpo tem de se sentir alguma coisa, caso contrário, o lutador em questão parece um pedaço de absolutamente nada, porque não salta à vista, pessoas assim encontram-se aos montes. Um bom lutador tem de ser especial. Mas mais importante, como disse, é a forma como o lutador se carrega. Adoro a forma como o Nick Aldis atualmente adota uma postura de campeão sempre que se apresenta em público de forma a promover o mais possível o seu título e a sua empresa. Mas não só os músculos e os fatos fazem os lutadores. Por exemplo, o Samoa Joe é alguém que sempre teve um corpo diferente do wrestler tradicional, mas a sua gimmick e a intimidação que ele colocava nos seus atos e palavras faziam o resto, o Kevin Owens também apareceu como alguém com um físico diferente, mas nele ainda consegues vislumbrar uma estrela, porque ele se conhece e joga com isso.

Hoje ficamos por aqui.

Até para a semana e obrigado pela leitura.

9 Comentários

  1. 13 cm4 semanas

    Foi divertido ver a suas respostas, você apresenta um bom conteúdo nos seus artigos, continue assim.

  2. Muito bom!
    Aprecio muito os teus artigos, fiquei fã deles através do fantasy booking.

    Já tinha saudades do “Perguntas e Respostas” ahahah
    Quando conheci o site pela primeira vez existia semanalmente um artigo para fazerem perguntas e eu comentava sempre, não me recordo bem mas na altura quem respondia acho que era o Basílio, Luís Salvador e um Hugo qualquer coisa (se não me engano xd) que era algo polémico ahaha

    Gostava que continuasses a trazer este artigo sempre que possível, na minha opinião é algo muito interessante e chamativo.

    • 13 cm4 semanas

      Aqui já teve uma era de ouro dos artigos, foi na época em que o Wrestling.pt, se juntou com o Universe, e tinha artigos basicamente todo dia, os membros da equipe e os escritores, ficavam revezando no quadro de pergunta e respostas, e em quadro de recomendar uma match por semana.

    • Facebook Profile photo

      Obrigado! Eu quando conheci o site também gostava muito da rubrica do Perguntas e Respostas, aliás, foi lá que me inspirei para fazer artigos do género. O wrestling.pt tem uma boa história, espaços de escrita muito interessantes e teve sempre autores muito capazes, como era o Daniel, o José Sousa, a Salgado, entre muitos outros.

  3. PedrKo4 semanas

    Obrigado pela resposta á minha pergunta.
    Acho que este formato perguntas/respostas podia voltar aqui ao wrestling.pt, fica sugestão.

  4. Sandrojr4 semanas

    Obrigado por colocar a minha pergunta e respondê-la, rumo aos 100 artigos, ótimo artigo.