Canto New Japan #78 – Antevisão: Wrestle Kingdom 13

Foto de perfil do Facebook há 8 meses Podcasts 3

Chegou aquela altura do ano finalmente e com ela, um muito especial episódio do podcast com direito a convidado especial!

Neste episódio tens toda a antevisão (exaustiva, acredita!) ao Wrestle Kingdom 13, bem como o lançamento da votação para os Prémios CNJ de 2018!

Podes votar aqui: https://miguelgonalves.typeform.com/to/N4j4go

Categorias em votação:

  • Combate do Ano
  • Wrestler do Ano
  • Melhor Evento
  • Revelação
  • Desilusão
  • Melhor Momento

As votações estarão abertas durante quase duas semanas, dado que o podcast só voltará depois do Wrestle Kingdom e do New Years Dash, pelo que haverá todo o tempo do mundo para votares nos teus favoritos em cada uma das categorias!

É obviamente agradecido o feedback e claro, agradecer ao João Fontes pelo contributo à antevisão!

3 Comentários

  1. Parece que finalmente ganhei coragem para regressar com os meus comentários. Estive praticamente um ano ausente, continuei a acompanhar o NJPW (como não poderia deixar de ser) e também o teu podcast mas infelizmente a interação que tínhamos nos comentários deixou de existir o que acabou por me desmotivar. Decidi voltar, pois mesmo não sabendo se voltará a interação, esta altura do ano deixa me muito ansioso e com toda a vontade de me expressar sobre esta companhia que é um hino ao wrestling e que é a principal responsável por eu ser um viciado nesta “cultura”. Além disso, o teu comentário sobre o Naito não ter vencido no último WK abriu uma ferida quase sarada, que me trouxe uma grande nostalgia em relação às nossas discussões sobre o produto, e que em todos os meus comentários referia a obrigatoriedade da vitória do Naito. Espero que um dia esta ferida cure de vez.

    Dou vos os meus sinceros parabéns, a ti Miguel e também a ti Fontes, pois mesmo tendo sido uma maratona, consegui sobreviver uma vez que vale muito a pena ouvir a vossa opinião, de um especialista na matéria e de alguém como o Fontes que já está num nível muito acima de ser apenas um fã casual.

    Fazendo um comentário sobre algo que infelizmente não pode passar em branco quando se faz uma retrospectiva do ano que passou na New Japan. Falo da Elite e do Jericho, ou seja, dos part-timers que marcaram o booking do produto. Sou um grande fã deste conjunto de wrestlers e há um ano atrás pensar na saída dos mesmos era o fim do mundo para a minha pessoa. Hoje a minha opinião é diferente, pois embora continue a ser fã dos mesmos, sou um grande opositor à utilização de part-timers (algo que foi o principal fator para desmotivar da WWE e procurar outras alternativas). Infelizmente, alguém como o Omega, cuja história e ascensão acompanhei, que é o meu segundo lutador favorito apenas atrás do Naito, aos meus olhos tornou se num part-timer. Já falarei do seu reinado mais à frente, mas devo agora referir que me incomoda bastante esta bipolaridade entre o Omega a solo e o Omega Golden Lover. Muito me entristece ter chegado a um ponto em que a saída do Omega só me deixaria com pena de não poder ver mais os Golden Lovers na New Japan. É óbvio que a NJPW irá sofrer um bocado com a saída deste conjunto de wrestlers, mas atingi um ponto de saturação ao ver que o booking praticamente imaculado da New Japan, foi muito prejudicado pelo calendário destes senhores, a quem não perdoo terem arruinado aquela que poderia ter sido a melhor storyline de sempre, que foi a “Civil War” dos BC, que se encontrava ao nível de um filme da Marvel (outro vício meu) até os membros do BTE terem decidido acabar com esta história no Twitter. Neste momento, uma saída dos mesmos é algo que encaro muito positivamente.

    Em relação ao card do Wrestle Kingdom 13.

    Pre-Show: 6 Man Gauntlet
    Vencedores: Suzuki-Gun após o Chuck Taylor custar o combate aos CHAOS continuando a storyline da WTL.

    1- Kota Ibushi vs Will Ospreay
    Vencedor: Ibushi (embora o meu coração diga Ospreay)

    Este é um combate pelo qual aguardo ansiosamente e talvez aquele pelo qual tenho mais expectativas. Espero um combate brutal no qual me questionarei o tempo todo se ambos são humanos. Achei piada ao comentário do Fontes, ao dizer que sentia que os riscos do Ibushi pareciam muito mais controlados do que os do Ospreay, uma vez que reflete plenamente a minha opinião. Sinto uma tranquilidade muito maior em relação ao Ibushi do que ao Ospreay, pois o Kota faz parecer com que nada afeta o seu pescoço.

    2- Suzuki-Gun vs Roppongi 3K vs LIJ
    Vencedores: Roppongi 3K (embora o meu coração diga LIJ pois sonho com um futuro heel turn do Yoh ao revelar se como a toupeira dos BC)

    Espero um bom combate. É o combate que desejava ver por estes títulos mas lamento que o booking tenho dado a entender que todo um torneio para nada serviu. Estou esperançoso que este seja o combate no qual o Takagi mostra ainda mais o seu potencial infinito.

    3- Zack Sabre Jr vs Tomohiro Ishii
    Vencedor: Zack Sabre Jr

    Outro combate pelo qual estou ansioso que envolve dois lutadores do meu top 5 de lutadores favoritos. Vai ser espetacular pois estes dois wrestlers não sabem ter um mau combate. Deixaram me com imensa vontade de ir ao show do CTW pois seria um sonho poder ver o Sabre Jr ao vivo, mas como sou do Porto é me muitíssimo difícil ter essa possibilidade.

    4- Guerrillas of Destiny vs LIJ vs Young Bucks
    Vencedores: Guerrillas of Destiny

    Infelizmente os part-timers vieram trazer o sentimento de que todo um torneio não teve significado. Estou interessado neste combate mas os fatores externos desmotivaram me um bocado.

    5- Cody vs Juice Robinson
    Vencedor: Juice Robinson

    Mais uma vez completamente lamentável o booking deste combate, novamente a causa sendo o envolvimento de um part-timer. Espero mesmo que o Juice ganhe e tenha finalmente um reinado que o solidifique como um futuro main eventer.

    6- KUSHIDA vs Taiji Ishimori
    Vencedor: Taiji Ishimori

    Bom booking, aguardo ansiosamente este combate pois tem tudo para ser espetacular. Embora queira uma vitória do Bone Soldier espero que os rumores da saída do Time Splitter não sejam verdadeiros.

    7- Kazuchika Okada vs Jay White
    Vencedor: Jay White

    Concordo plenamente com o Fontes e acho mesmo que esta é uma grande candidata a rivalidade do ano (apenas a par da Ciampa vs Gargano). Estou muito ansioso e aposto e torço por uma vitória do Switchblade uma vez que acho que poderá ser o momento decisivo para este se afirmar. Já se afirmou como personagem, tem agora a oportunidade perfeita para se afirmar como wrestler. Creio que beneficiará muito mais o White com a vitória do que o Okada, pois no meu entender, uma derrota neste combate serviria como o “despertar” definitivo do Rainmaker, sendo o ponto decisivo para este voltar a ser o que era.

    8- Chris Jericho vs Tetsuya Naito
    Vencedor: Tetsuya Naito

    Talvez será o único caso em que eu consigo aceitar os benefícios de ter um part-timer como campeão, pois foi o único caso em que o booking não saiu muito prejudicado, tendo até sido criada uma rivalidade interessante que durou um ano inteiro, sendo a única parte negativa os meses sem qualquer tipo de desenvolvimento. Espero uma vitória do Naito, para se relançar rumo à conquista do IWGP Heavyweight Championship (não sei se serei capaz de aguentar muito mais tempo sem ver esse momento acontecer novamente).

    9- Kenny Omega vs Hiroshi Tanahashi
    Vencedor: Kenny Omega (embora o coração diga Tanahashi)

    Mais uma vez um calendário part-timer inadmissível pela parte do principal campeão de uma companhia tão respeitável faz com que me encontre a torcer contra um wrestler que após o Dominion eu considerava um semi-Deus, apoiando assim um wrestler que até há bem pouco tempo eu “apenas” respeitava, não tendo qualquer conexão emocional. O reinado do Omega foi uma desilusão, sendo o comentário do Fontes, no qual dizia que às vezes tinha dificuldade lembrar se das defesas do Omega, perfeitamente adequado. Este combate (ignorando as possíveis situações contratuais) fascina me imenso pois é muito mais que um combate de wrestling. São dois ideais que colidem, é o fim de uma era, a Heisei Era, ou seja, o simbolismo que terá para o vencedor deste combate é inimaginável, ver qual o ideal que triunfará no fim literal de uma era. Sou apoiante do ideal do Omega dentro do ringue, mas o ideal do Tanahashi fora do ringue e a maneira como este encara o seu papel, estando presente em todos os shows, faz com que este seja o meu campeão e tenha todo o meu apoio.

    Por fim, devo dizer que estou muitíssimo ansioso por ver este show, devendo dizer que estes dois dias, Wrestle Kingdom e New Years Dash, sejam talvez a minha altura favorita do ano.

    Peço desculpa pelo meu enormíssimo comentário, mas a nostalgia de comentar aqui e das nossas interações, a juntar à altura do ano fez com que deixasse fluir todos os meus pensamentos.

    Os mais sinceros cumprimentos,
    Jorge

    • Obrigado por te teres dado ao trabalho de escrever isto tudo. tive muito gosto em lê-lo!

    • Foto de perfil do Facebook

      Jorge, primeiro que tudo obrigado pelo regresso aos comentários (e que comentário!)!

      O Fontes dificilmente é “fã casual”, aliás, com a saída de cena da Elite, acho que vão-se expor muitos fãs casuais que se dizem fãs acérrimos do produto.

      A história da Guerra Civil do BC foi uma vergonha pela maneira como acabou e a Elite no seu conjunto e o Jericho foram condicionantes muitas vezes pela negativa para a NJPW.

      Ao ver todos (ou praticamente todos) de saída, posso dizer já com certezas após ver o WK e o New Year Dash que sinceramente, sinto que posso voltar a ter mais “a minha NJPW” de volta. Foi tão bipolar como o Omega teve uma ascensão tão fantástica que deixou os fãs a salivar de vontade de o verem a chegar ao titulo e depois o reinado foi uma verdadeira desilusão. Não fez jus a nada do que o levou ao título.

      Com todas a sinceridade, eu gosto imenso do Omega como pro wrestler mas acho que a falta de reacção que ele vinha a ter já há um tempo (tirando quando em equipa com o Ibushi), reflecte bem o quanto ele caiu. O booking não foi bom mas ele também simplesmente não aparecia.

      É engraçado ainda de como nada disto é entendido por muita gente, porque simplesmente gostam de se dizer fãs de NJPW mas na verdade só olham para o produto quando a Elite está implicada.

      E depois toda esta confusão no booking (já nem falo do reinado do Cody sequer) contrasta IMENSO com o regresso ao topo do Tanahashi (que maravilha) e o foguetão nas costas do Jay White que em 1 ano passou de “piada” ou de “verdinho” ao homem mais odiado na empresa a desempenhar o seu papel na perfeição, a ganhar e a ter impacto quando tinha de ter, com uma atenção e cuidado no booking que são boa parte de onde ele está hoje.

      Relativamente à tua antevisão, vou confrontar no próximo episódio com a análise que vou fazer e tentar incluir algumas coisas 🙂

      Fica à vontade, eu adoro testamentos!

Comentar