A Anthem Sports & Entertainment transmitiu este sábado, dia 12 de Junho, a partir dos Skyway Studios em Nashville, Tennessee, mais um especial do Impact Wrestling, o Against All Odds.

O Impact Wrestling Against All Odds foi transmitido na FITE TV. Subscreve aqui!

Resultados

– Sami Callihan & Tommy Dreamer venceram The Good Brothers (Doc Gallows & Karl Anderson) (Street Fight)
– Joe Doering venceu Satoshi Kojima
– Ace Austin vs Chris Bey vs Rohit Raju vs Petey Williams vs Trey Miguel (X-Division Nº1 Contender’s Fatal 5-Way Match) (No Contest)
– W. Morrissey venceu Rich Swann
– Tenille Dashwood venceu Jordynne Grace
– Knockout’s Tag Team Champions Fire ‘N Flava (Kiera Hogan & Tasha Steelz) venceram Susan & Kimber Lee
– Impact World Tag Team Champions Violent By Design (Rhino & Deaner) venceram Decay (Crazzy Steve & Black Taurus)
– Knockout’s Champion Deonna Purrazzo venceu Rosemary
AEW & Impact World Champion Kenny Omega venceu Moose

Vídeos

Watch Wrestling

Report

– Sami Callihan & Tommy Dreamer venceram The Good Brothers (Doc Gallows & Karl Anderson) (Street Fight): Este Against All Odds começou logo com uma Street Fight, na qual Sami Callihan & Tommy Dreamer começaram por levar a melhor e a recorrer a várias armas. Ainda assim e aumentando a agressividade, os Good Brothers conseguiram controlar o combate por mais tempo e até ficaram perto da vitória com um Magic Killer que fez a lenda da ECW atravessar uma mesa.

No entanto, Sami Callihan estava determinado a sair vencedor deste combate e conseguiu a vitória depois de atingir Karl Anderson com um taco de baseball.

– Joe Doering venceu Satoshi Kojima: Estes dois reviveram aqui uma rivalidade antiga e Joe Doering começou por tentar abrandar o ritmo do adversário japonês, só que Satoshi Kojima veio cheio de vontade e teve uns bons primeiros minutos. Só que o maior tamanho e força do membro dos Violent By Design acabou por fazer a diferença. No final, Joe Doering aplicou uma tremenda Powerbomb para a vitória.

No backstage, os três membros dos Decay mostrar-se confiantes de que vão sair cheios de ouro deste Against All Odds.

– Ace Austin vs Chris Bey vs Rohit Raju vs Petey Williams vs Trey Miguel (X-Division Nº1 Contender’s Fatal 5-Way Match) (No Contest): Num combate com vários lutadores e que vai determinar o próximo adversário de Josh Alexander na luta pelo X-Division Championship tivemos, como não poderia deixar de ser, ação rápida do início ao fim. Todos os lutadores tiveram momentos incríveis e oportunidades de vitória, mas o combate terminou em no contest após a interferência de Madman Fulton, que tentou ajudar Ace Austin a vencer.

– W. Morrissey venceu Rich Swann: O antigo campeão mundial do Impact Wrestling tentou acelerar o ritmo do combate desde o início, mas o grandalhão de W. Morrissey não deixou isso acontecer com facilidade e acabou por controlar Rich Swann por vários minutos. Este foi resistindo como pôde e até ficou perto da vitória com golpes como o 450 Splash. Quando se preparava para o Phoenix Slash, W. Morrissey apanhou Rich Swann no ar e aplicou um F5, seguido de três Powerbombs que lhe deram a vitória.

No backstage, Gia Miller entrevistou a Knockout’s Champion Deonna Purrazzo, Kimber Lee e Susan rumo aos title matches em que estão envolvidas. A campeã afirmou que quer que a dupla prove que merece estar a seu lado, conquistando os títulos.

– Tenille Dashwood venceu Jordynne Grace: No primeiro combate feminino da noite começámos por vencer Jordynne Grace a dominar Tenille Dashwood, mas Kaleb with a K acabou por ser determinante e ajudou a sua parceira a dar a volta ao combate. Já no final, Jordynne Grace conseguiu equilibrar e ficar perto da vitória com um Sleeper Hold, mas mais uma vez Kaleb with a K ajudou Tenille Dashwood distraindo o árbitro. Rachael Ellering despachou Kaleb with a K, mas isso distraiu Jordynne Grace. Quem aproveitou foi Tenille Dashwood, para vencer com um roll up.

Depois do combate, Jordynne Grace mostrou-se muito frustrada com Rachael Ellering e descarregou a sua raiva com um Grace Driver em Kaleb with a K.

No backstage, Jake Something disse a Sam Beale para fazer o oposto daquilo que Brian Myers lhe diz para fazer e nesse momento este ensinou-lhe mais uma lição.

– Knockout’s Tag Team Champions Fire ‘N Flava (Kiera Hogan & Tasha Steelz) venceram Susan & Kimber Lee: A seguir tivemos outro combate feminino, desta vez com os Knockout’s Tag Team Championships em jogo. Kimber Lee fingiu uma lesão nos primeiros minutos, permitindo a Susan controlar Tasha Steelz. A dupla foi assim controlando a campeã por alguns minutos, até que Tasha Steelz conseguiu fazer o tag à sua parceira Kiera Hogan, que entrou com todo o gás. Depois de algumas false finishes para cada uma das equipas, as Fire ‘N Flava conseguiram a vitória com um Swinging Neckbreaker seguido de um Frog Splash em Susan.

– Impact World Tag Team Champions Violent By Design (Rhino & Deaner) venceram Decay (Crazzy Steve & Black Taurus): Ainda dentro dos títulos de Tag Team, mas agora os masculinos, tivemos um combate em que os Decay poderiam conquistar os seus primeiros títulos da noite e até começaram melhor. O combate foi bastante dividido entre as duas equipas e no final as oportunidades de vitória foram surgindo quer para os campeões, quer para os candidatos aos títulos. Só que no final Eric Young distraiu o árbitro e os Violent By Design (Rhino & Deaner) aproveitaram para conquistar a vitória com o Deaner DDT.

Depois tivemos a transmissão de mais um video package/promo de Steve Maclin.

– Knockout’s Champion Deonna Purrazzo venceu Rosemary: No grande combate feminino da noite começámos por ver Rosemary a deixar a campeã Deonna Purrazzo em maus lençóis, com golpes no ringue e um Suplex na rampa. Só que a campeã deu a volta ao combate depois de usar um poste do ringue para atacar o braço da candidata ao título, tendo em vista o Fugiwara Armbar. Depois de várias submissões e algumas quase vitórias por pin, Deonna Purrazzo arrecadou a vitória com o Costa Nostra Piledriver, retendo o Knockout’s Championship.

Para o main event da noite viajámos então até ao Daily’s Place em Jacksonville, Flórida, a casa da AEW, sendo que Tony Schiavone, Don Callis e Scott D’Amore foram os comentadores do Impact World Championship Match.

– AEW & Impact World Champion Kenny Omega venceu Moose: O combate começou bastante dividido entre estes dois grandes lutadores, sendo que Moose tentou recorrer à sua maior força, mas Kenny Omega respondeu com alguma velocidade e um incrível Terminator Dive para fora do ringue.

Kenny Omega conseguiu assim controlar por breves momentos, mas ao falhar um Moonsault acabou por sofrer um de Moose. Já fora do ringue, Moose foi a voar contra várias cadeiras, permitindo ao “Belt Collector” começar a dominar.

O Impact World Champion fez do ombro de Moose o seu alvo preferencial, mas o lutador do Impact World não se deixou vencer facilmente. Depois de alguns minutos de domínio com um V-Trigger pelo meio e até uma avaliação por parte do árbitro a Moose, este equilibrou o combate e até ficou muito perto da vitória com um impressionante Spanish Fly!

Moose preparou-se depois para o Lights Out Spear, mas Kenny Omega usou o árbitro como um escudo. Enquanto o árbitro estava no chão apareceram os AEW World Tag Team Champions The Young Bucks, que atacaram Moose com uma série de Superkicks. Kenny Omega capitalizou com o One-Winged Angel, obtendo a vitória e retendo o título.

Depois do combate, as luzes apagaram-se e Sami Callihan apareceu em ringue, atacando os Young Bucks com o seu taco de baseball. Nisto Don Callis abandonou a mesa de comentadores, pegou no microfone e lembrou que ainda é patrão de Sami Callihan. Este não quis saber e foi buscar uma cadeira debaixo do ringue, o que levou Don Callis a despedi-lo. O Against All Odds terminou com Scott D’Amore furioso com Don Callis.

Logo a seguir foi promovido o Slammiversary do próximo dia 17 de Julho, um evento que poderá contar com uma série de regressos e estreias no Impact Wrestling.


O que achaste deste Impact Wrestling Against All Odds?

4 Comentários

  1. No geral, foi um evento satisfatório. Gostei da maior parte dos combates, principalmente Sami Callihan & Tommy Dreamer vs The Good Brothers numa Street Fight, Joe Doering vs Satoshi Kojima e o main event. Destaco também mais uma ótima promo por parte de Maclin, que parece estar “com a corda toda”.

  2. TakerVanderVaart232 meses

    Bom PPV do Impact. Tenho vindo a acompanhar o Impact nos últimos 5/6 meses e acho que tem vindo a melhorar. Muito curioso para ver o que nos espera no Slammiversary. Da maneira como acabou o Main Event, será que Moose vai querer desforra? Como será a situação do Sami Callihan que supostamente o Don Callis “despediu”?
    Gostei também do combate pelo Nr 1 Contender ao X Division Championship, menos o final do mesmo. o combate do Doering x Kojima.
    Será que teremos a Billie Kay e Peyton Royce (nomes de WWE) a aparecer no Slammiversary para depois desafiarem as Fire ‘N Flava?
    Acho sem dúvida que teremos uns meses bem interessantes do Impact pela frente

  3. El Cuebro2 meses

    Eu gostei muito do show em muitos aspectos, teve combates sólidos, que elevaram muita gente, vejo boas perspectivas para o futuro do Impact, aliás em julho muita coisa boa vir a acontecer, não gostei muito do resultado do main event, acho que podemos ter visto o último ato do Moose na empresa, uma pena, pois ele seria um ótimo World Champ, acho uma pena o que Impact não fez ao Moose, quem sabe o Sami o vingue por lá e vença o Omega no Slammy, aliás se os Good Brothers não o ajudaram vieram os Bucks, grande coisa terem mudado o local do main event se ainda havia ajuda disponível, no mais bons combates, alguns resultados previsíveis como o Cass e a Deonna vencendo, outros nem tanto como o Doering vencendo o Kojima e também a não conclusão da luta pelo Nº1 contender ao X-Title! No mais, bem vindos à Road to Slammiversary!!

  4. Gostei:
    – Good Brothers vs Sami Callihan & Tommy Dreamer. Foi uma street fight normal, com um ritmo algo confuso de vez em quando devido à química entre ambas as equipas. Sami Callihan carregou o combate, a meu ver, e gostei do fim.
    – Joe Doering vs Satoshi Kojima num combate duro. Joe Doering finalmente a mostrar o seu talento. Ambos mostraram do que são capazes e ninguém saiu daqui mal.
    – Fatal 5-Way para enfrentar Josh Alexander pelo X Division Title. Os 5 tiveram um combate com um bom ritmo. Petey Williams esteve em grande destaque neste combate, a meu ver. O Canadian Destroyer dele continua a ser uma beleza. Quando o combate começou verdadeiramente a arrancar, Sawyer Fulton arruinou.
    – W. Morrissey vs Rich Swann. Pensei que ia ser um típico squash, mas ainda bem que não porque o combate beneficiou imenso disso. Não foi da qualidade de outros combates de Gigante vs Pequenote, mas ainda foi bom.
    – Violent By Design vs Decay. Um combate bom. Black Taurus com as suas exibições habituais o que é sempre bom de se ver.
    – Kenny Omega vs MOOSE. Após ouvir os problemas com lesões de Omega, este combate ganhou alguma importância. Omega esteve lento e MOOSE carregou o combate, o que não devia ter acontecido. Mas ainda assim, o combate foi muito bom, mas o superkick dos Bucks arruinou.
    – Após o combate, Sami Callihan limpa os Bucks e Omega. Callihan ia usar a cadeira, mas Don Callis despede-o, apesar de ser o Vice-Presidente Executivo… Mesmo assim, uma forma interessante de terminar o show.

    Não Gostei:
    – Jordynne Grace vs Tenille Dashwood. Isto o combate a que a Tenille Dashwood já nos habituou, o que é bom. Mas o combate não devia ter sido em PPV, era combate de TV. Foi algo inútil.
    – Grace e Rachel Ellering começam a discutir após o combate. Isto leva a que Grace ataque Dashwood e Kaleb. Meh.
    – Fire N’Flava vs Susan & Kimber Lee num combate decente. Esta nova gimmick da Susan não funciona, precisamos da Su Yung ou Susie de volta.
    – Rosemary vs Deonna Purrazzo. Combate previsível e rápido.

    Overall: 7/10. Um show sólido. Teve combates divertidos a caminho do Slammiversary. No entanto, as câmaras foram horríveis aqui e isso magoou o evento. Espero que reparem isto a tempo do grande PPV. Mas é um show decente que vale a pena ver.