O Impact Wrestling realizou este domingo, dia 27 de Agosto, mais um dos seus pay-per-views, o Emergence, a partir do Rebel Entertainment Complex em Toronto, no Canadá.

No main event, Trinity defendeu o Knockout’s World Championship com sucesso contra Deonna Purrazzo, obrigando a rival a desistir com um Starstruck modificado, após ter aplicado um Code Red.

Noutro destaque, Steve Maclin fez o seu regresso para atacar PCO e Josh Alexander na rampa. Este último também ficou desentendido com Alex Shelley, acabando Moose por garantir a vitória num Eight-Man Tag Team Match.

O IWGP World Heavyweight Champion SANADA esteve em ação neste Emergence, num Non-Title Match contra Jake Something. Esta foi a primeira vitória individual do japonês no Impact Wrestling desde 2014.

Na divisão de equipas, os The Rascalz (Trey Miguel & Zachary Wentz) derrotaram os SUBCULTURE (Mark Andrews & Flash Morgan Webster) e tornaram-se os novos Impact World Tag Team Champions.

No feminino, as MK Ultra (Killer Kelly & Masha Slamovich) continuam Knockout’s World Tag Team Champions após derrotarem Gisele Shaw & Savannah Evans, Death Dollz (Courtney Rush & Jessicka) e Jody Threat & KiLynn King.

Já o Digital Media Champion Kenny King derrotou Johnny Swinger. Depois do combate, o campeão e Sheldon Dean atacaram o rival até que árbitros e Tommy Dreamer apareceram, mas este último também foi atacado.

Por fim, mencionar ainda: uma vitória de Eric Young num No Disqualification Match contra Deaner; e uma vitória de Eddie Edwards sobre Frankie Kazarian num Back to School Match, na escola de Killer Kowalski.

Resultados

– Mike Bailey venceu Alan Angels (Countdown)
– JOYA (Joe Hendry & Yuya Uemura) venceram The Good Hands (Jason Hotch & John Skyler) (Countdown)
– Eric Young venceu Deaner (No Disqualification Match)
– Knockout’s World Tag Team Champions MK Ultra (Killer Kelly & Masha Slamovich) venceram Gisele Shaw & Savannah Evans, Death Dollz (Courtney Rush & Jessicka) e Jody Threat & KiLynn King
– Digital Media Champion Kenny King venceu Johnny Swinger
– The Rascalz (Trey Miguel & Zachary Wentz) venceram Impact World Tag Team Champions SUBCULTURE (Mark Andrews & Flash Morgan Webster)
– Eddie Edwards venceu Frankie Kazarian (Back to School Match)
– IWGP World Heavyweight Champion SANADA venceu Jake Something (Non-Title Match)
– Bully Ray, Moose, Brian Myers & X Division Champion Lio Rush venceram Josh Alexander & Time Machine (Impact World Champion Alex Shelley, Chris Sabin & KUSHIDA)
– Knockout’s World Champion Trinity venceu Deonna Purrazzo

Vídeos

Watch Wrestling


O que achaste deste Impact Wrestling Emergence?

2 Comentários

  1. El Cuebro6 meses

    Um show bem sólido num todo, muitos combates acontecendo, até diferente de outros formatos de PPV do Impact, mas destaques para a vitória dos Rascalz num grande combate pelos títulos de duplas, também uma boa vitória do Eric Young, as MK Ultra muito bem também, Kenny King se mantendo bem, essa luta entre o Eddie e o Frankie numa grande luta, talvez a melhor do show, Sanada bem demais, num combate até desnecessário eu diria, no mais pura confusão na luta de quartetos, inclusive marcando a volta do Steve Maclin e um ótimo pin do Moose e novamente um main event feminino no show do Impact e de forma muito justa, numa boa vitória da Trinity, mas confesso que ela conquistou o título meio cedo demais, acho que poderiam ter feito um pouco mais na rivalidade com a Deonna, mas ainda foi um bom combate!

  2. Gostei:
    – Deaner vs Eric Young. O combate foi violento como se seria de esperar mas nada me preparou para o final. Eric Young pegou em Kon e Deaner AO MESMO TEMPO! E deixou os 2 cair numa prancha com arame farpado, antes de entregar um piledriver a Deaner no próprio arame farpado. Uma conclusão muito boa num ótimo combate.
    – Shaw & Evans vs Death Dollz vs King & Threat vs MK Ultra (c). Jody Threat substitui Taylor Wilde após esta última ser atacada nos bastidores. O combate conta bem a história de King e Threat não conseguirem trabalhar em conjunto. A Killer Kelly é dominada durante uma grande porção do combate por todas as outras 3, o combate cai em caos e as campeãs aproveitam para reter no que foi um bom combate. O finisher das MK Ultra é dos melhores que vi em algum tempo.
    – The Rascalz vs Subculture (c). Bem, isto foi lindo de se ver. Um excelente tag match com sequências incríveis. Quando vi os Good Hands e os ABC, revirei os olhos, mas depois tivemos o spot excelente a envolver a Dani Luna. O combate teve um sentimento de imprevisibilidade e acabamos por ter novos campeões. Merecido para os Rascalz. Recomendo a assistirem a este combate, muito bom!
    – Jake Something vs SANADA. Um combate que correspondeu com as minhas expectativas: fantástico. Estes dois combinaram muito bem com o campeão a trabalhar muito bem o Something. A forma como o Something transformou a hurricanrana do SANADA numa powerbomb foi dos counters mais únicos que já vi. Something está preparado para o World Title.
    – Myers, Moose, Rush & Ray vs Time Machine & Alexander. O combate é muito bom, tem ação muito sólida e fluída entre todos estes 8. E depois chegamos aos momentos finais. O PCO aparece. Porque não, neh? O Steve Maclin regressa e reacende a sua feud com o Josh Alexander. E, para terminar, o Shelley vê que o Alexander é claramente empurrado contra ele mas decide abandonar a sua equipa. Um final que diminui a qualidade de um ótimo combate.
    – Deonna Purrazzo vs Trinity (c). Um fantástico main event para terminar o show. Estas 2 deram tudo para fazer isto funcionar e de que forma. Sacaram logo das grandes manobras, das quais se destaca o piledriver da Purrazzo fora do ring. A Trinity deu um bom sell ao braço e conseguiu reter o título pela dor.

    Não Gostei:
    – Johnny Swinger vs Kenny King (c). O combate tem alguma comédia mas, em termos de ação, nada demais.

    Overall: 7.5/10. Um bom PPV do Impact, em geral. Quase todos os combates funcionaram e são de destaque, com exceção para a fatal 4-way e o medíocre Swinger vs King. Também tivemos um combate cinemático entre Edwards e Kazarian que não achei particularmente grande coisa (mas se calhar sou eu que quando penso em combates cinemáticos lembro-me de wrestling sem fãs e fico deprimido). Uma coisa que também traz a pontuação um bocado abaixo são as luzes neste show. Houve certas alturas em que tive dificuldades em ver o que se estava a passar. Se só tiverem tempo para ver 1 combate deste show vejam Subculture vs Rascalz. Facilmente o melhor combate deste PPV.