Faz login e reduz a publicidade

More Than Words #55 – Rumo Ao Main-Event

há 2 meses Artigos 2

Quando se fala em superstars over com o público neste momento, qual é o primeiro nome que vem à cabeça? Todos temos opiniões diferentes, mas acho que a maioria responde Becky Lynch. A irlandesa a partir da segunda metade de 2018 viu a já sua grande popularidade, chegar a outros patamares, a patamares que deixaram a WWE sem outra opção, se não reconhecer finalmente o seu talento e colocá-la numa posição de destaque. No espaço de meses, Becky Lynch conseguiu organicamente tornar-se numa das mais populares estrelas da WWE e tudo o que lhe bastou foi uma ligeira mudança de atitude, de guerreira destemida, para guerreira destemida e confiante, largou a procura de simpatia, pela fome de ganhar títulos e isso deu resultados. Tornou-se mais uma vez campeã, entrou em segmentos com nomes como Edge, John Cena e Vince McMahon, ganhou um Royal Rumble e neste momento está a caminho da WrestleMania para enfrentar Ronda Rousey na WrestleMania, acho que são provas suficientes para perceber que a WWE está mais que investida em Becky.

Mas sendo verdade que a WWE está mais que investida em Becky, também é verdade que a sua adversária da WrestleMania tem ainda um papel mais fulcral para a companhia. Quem atrai mais audiências é Ronda Rousey, quem gera mais lucro é Ronda Rousey, quem dá mais visibilidade à companhia é Ronda Rousey, não há dúvidas que Rousey é a estrela mais protegida da companhia (ainda não perdeu nenhum combate) e de que sem ela, provavelmente a divisão feminina não estava a ter o destaque que tem, é um bocado duro de ouvir, mas não deixa de ser verdade, Rousey é o motivo pelo qual as mulheres podem muito bem ser o main event da WrestleMania e é isto que na minha ótica faz com que a sua rivalidade com Becky Lynch, seja a storyline mais interessante da companhia neste momento.

É bom saber que passado um ano, a Ronda não se esqueceu da sua primeira gimmick.

Aquilo que Becky está a tentar provar a toda gente, é que não precisa de ningúem para se tornar uma estrela, que com o seu próprio esforço e trabalho conseguiu chegar ao patamar onde chegou e que por isso vai fazer parte do Main Event da WrestleMania. Nisto, aparece Ronda Rousey, a mulher que já chegou à WWE com um estatuto quase mais elevado que a própria companhia e que com alguma razão, proclama ser o motivo pelo qual Becky está a ter esse destaque, que tudo aquilo que Becky fez merece todo o mérito, mas que não é o suficiente para atingir o Main Event, que para isso precisa da visibilidade e prestígio que Rousey oferece.

Resumidamente isto era apenas o único motivo em que precisava de consistir a storyline entre Becky e Ronda, mas a verdade é que nas últimas duas semanas, a storyline entrou noutro rumo, as duas personagens evoluíram e ganharam outros contornos que provavelmente irão mudar o curso da storyline. Desde que Becky se tornou no The Man, que a sua gimmick tem girado à volta da confiança que tem em si própria e no espaço de duas semanas viu essa confiança a ser abalada por uma lesão. Por causa de uma lesão, Becky foi obrigada pela WWE a procurar assistência médica e os motivos pelos quais ela mostra-se resiliente a fazê-lo podem ser vários, mas acho que o que a WWE está a tentar fazer passar, é que Becky está a mostrar sinais de insegurança, que pela primeira vez em muito tempo tem medo de algo, perder novamente a oportunidade de se afirmar como maior estrela da companhia. Portanto, neste momento temos uma Becky algo vulnerável e o argumento de que o The Man não passava de uma caricatura começa a perder o efeito, visto que não há nada mais humano que o medo de fracassar.

Caso a WWE desista de fazer Becky vs Ronda, há sempre um Plano B, não é Triple H?

Mas como disse, ambas as personagens sofreram alterações nas última duas semanas, Becky não foi a única. Desde que Rousey chegou à WWE, esta ainda não perdeu e tem sido sempre o centro das atenções da divisão feminina e ninguém lhe tem conseguido roubar o protagonismo, isto até agora. Assim que Becky pôs os pés no RAW, Rousey experienciou algo que nunca tinha experienciado, alguém roubou-lhe de forma totalmente direta e evidente, todo o protagonismo, mais concretamente aquilo que ela mais valoriza, o apoio dos fãs. Os mesmos fãs que sempre deliravam sempre que ela entrava em ringue, estão agora contra ela e isso faz Rousey atrapalhar-se ao microfone, perder a sua compustura e ficar completamente fora de si, o que traz à tona um lado mais egoísta e agressivo da sua personalidade e isso nota-se assim que toca a sua música. Acabaram-se os sorrisos e a atitude descontraída, agora temos uma Rousey completamente obstinada em mostrar que não precisa do público para ser uma estrela.

Portanto, podemos concluir que neste momento temos duas adversárias que se encontram mais ou menos em pé de igualdade. Ambas, de maneiras diferentes, mostram vulnerabilidades, mostram fraquezas e se não fosse a lesão de Becky, diria mesmo que estavam em pé igualdade e a meu ver isto traz toda uma outra dinâmica a uma storyline que já era excelente. Para além disso, estamos cada vez mais próximos de uma dinâmica exterior à dicotomia face/heel, em que Becky é uma espécie de anti-heroína, que não faz o que faz por ser o correto, mas por ser o que ela quer e que representa os fãs pois é a escolhida por eles e em que Ronda é uma espécie de anti-vilã, que não usa táticas ilícitas, mas que ao tentar “acabar” com a heroína e ao ser a escolhida pela companhia, acaba por estar a fazer o “mal” na ótica dos fãs.

Esta foto sem contexto torna-se algo polémica, duas mulheres em ringue e uma data de homens com cartazes a dizer “O Homem”.

Posto isto, a WWE têm aqui uma história que começou muito bem, que está a ficar ainda melhor e que tem a possibilidade de ficar para a história da companhia e no entanto fala-se na inclusão da Charlotte neste combate. Não me levem a mal, eu gosto bastante da Charlotte, mas não acho que ela vá acresentar alguma coisa a esta storyline. Se faz sentido que ela seja incluída? Sim, até faz sentido, mas não acrescenta nada. Ronda e Becky são as figuras proeminentes da divisão feminina neste momento, são elas que colam as pessoas ao ecrã e foi apenas com elas as duas que a storyline começou.

Charlotte entrou em cena, porque Becky foi forçada a sair dela, não porque estava nos planos. E agora, porque não querem ver Charlotte num patamar inferior a Becky, querem metê-la à força toda numa rivalidade que não é dela. Ronda Rousey vs Becky Lynch na WrestleMania 35 é o main-event que todos os fãs querem ver, não precisa de mais ninguém, a narrativa não pede a inclusão de mais uma personagem e no entanto, como o orgulho de Vince já foi ferido uma data de vezes, é mesmo isso que provavelmente vão fazer, ignorar o que multidões querem e adicionar Charlotte ao combate. Seja como for, Becky e Ronda continuarão a sua rivalidade, que se tudo correr bem, culminará no Main Event desta WrestleMania, com ou sem Charlotte.

Acabo este artigo com uma imagem que ilustra aquilo que a WWE está a fazer com Charlotte neste momento, metê-la ao pé da Becky à força toda.

Obrigado a todos os que leram este artigo, uma boa semana a todos e estarei aqui para a semana com mais um More Than Words.

2 Comentários

  1. vitor há 2 meses

    bom artigo!
    e é interessante ler isso depois do ocorrido no raw, em que a becky foi retirada do combate pra dar vez pra charlotte. é engraçado tbm que em um mês atrás a wwe tava fazendo promos dizendo que iria ouvir a voz dos fãs e não sei mais o que… bem, depois reclamam do baixo nível de audiência.

    • Obrigado! Eu ainda tenho que esperança que seja só uma forma de desenvolver a storyline e que o combate final será apenas Ronda vs Becky.

Comentar