Faz login e reduz a publicidade

More Than Words #64 – Estabilidade é aborrecido?

há 1 mês Artigos 12

“Já estou farto da Becky Lynch, gostava mais dela antes de ser o The Man”, “O reinado do Kofi já cansa um bocado, ele precisa de se tornar sério para ser campeão”, “O Seth Rollins como face já enjoa, era muito melhor como heel”. Estes são comentários que tenho lido online em diversas plataformas de Wrestling e não censuro as pessoas que o fazem, pelo menos algumas, pois outras dizem-no por dizer, porque se sentiriam mal se não exprimissem o seu desagrado por alguma coisa. No entanto eu percebo que algumas pessoas se fartem dos atuais campeões, principalmente porque a maior parte foi “vítima” de um final feliz. Becky, Rollins, Kofi, todos eles culminaram as suas narrativas com momentos de felicidade e de celebração e os três devem estar extasiados por serem campeões neste momento, o único problema e concordando agora em parte com o Sami Zayn, somos nós que assistimos.

Muitos dos fãs que assistiram a estas três histórias, assim como a todas as outras que envolviam a possibilidade de culminar com a vitória de alguém que  “escolheram”, mais concretamente, underdogs, mal podiam esperar para que o seu favorito ganhasse, para que aquele wrestler tivesse o título que nunca teve e merece, para que concretizasse o seu sonho e tivesse um momento ao concretizá-lo. Todos ou quase todos nós, sentimos a alegria de ser fãs de Wrestling quando o Bryan ganhou na WrestleMania 30, quando Kofi ganhou este ano, foram momentos de felicidade. Mas então e o depois? O que é que vem a seguir destes momentos? Isto é o que nós nunca pensamos antes destes momentos acontecerem, mas quando os underdogs ganham deixam de ser underdogs, as adversidades passaram, já não há obstáculos e a luta contra tudo e contra todos deixa de existir e os personagens têm de se reinventar. É isto que está acontecer a Becky, a Rollins e a Kofi, não é nada de novo, as suas personagens estão a ser reinventadas e quando não estão a lutar contra obstáculos, tudo o que façam a seguir é considerado monótono em comparação, mas vamos analisar os três casos em questão.

Primeiro olhemos para o The Man, Becky Lynch, que é o caso mais polémico e mais falado. Desde que se tornou o The Man, que Becky tem sido alvo de críticas, quer seja pelo seu ar despreocupado com tudo, pela maneira como fala, como se veste, enfim, já foi alvo de crítica por tudo e mais alguma coisa. Eu percebo algumas das críticas, se calhar a maneira como fala, os seus maneirismos são algo exagerados e caricaturados, mas quando dizem que a Becky se estragou a partir do momento em que encorpou a gimmick atual, deixo de concordar. O que na verdade querem dizer é que a Becky se estragou a partir do momento em que lhe começaram a dar vitórias, em que começaram a reconhecer o seu valor.

Quando Becky Lynch era a underdog que não ganhava nada, os fãs apoiavam-na, queriam que ela ganhasse alguma coisa pois sabiam que ela merecia. A partir do momento em que a WWE lhe deu tudo e mais alguma coisa, deixou de haver motivos para a apoiar, como a WWE já lhe dá apoio mais que suficiente, muitos fãs consideram que já não vale a pena e daí nasce o desinteresse e o sentimento de nostalgia pelo que ela era dantes, é como um casal de uma série de televisiva.Torcemos para que eles sejam um casal e quando eles de facto ficam juntos, o que vem a seguir, a estabilidade que se segue, é aborrecida. Isto é normal de acontecer, assim como também é normal apontarmos defeitos para cobrir esse desinteresse que não queremos admitir, mas culpar uma gimmick que é um sucesso, quer queiramos, quer não, não acho que seja o correto.

É exatamente isso que se passa com Kofi Kingston. Com a diferença de que este é completamente novo no topo e portanto há outros argumentos para o deitar abaixo enquanto campeão. Por esse motivo chamam-lhe midcarder e dizem que tem de alterar a gimmick para ser um campeão legítimo. No entanto a situação de Kofi é algo diferente da de Becky. Enquanto que a Becky foi tomada por muitos, desde cedo, como futura campeã e futura estrela, Kofi não o foi. Este push de Kofi foi inesperado e surgiu completamente do nada, no calor do momento. E como foi no calor do momento, quando a situação resfria, muitos ponderam se a decisão foi a correta e enquanto ponderam a qualidade da decisão, vão se desinteressando, pois o momento já passou. Kofi chegou aonde ninguém pensava que chegaria, chegou ao topo da WWE e agora já não tem de escalar mais nada, chegou ao cume e a adrenalina de estar no cume não é de longe, nem de perto, tão duradoura como a adrenalina de escalar a montanha. Como essa adrenalina já passou, como a KofiMania já aconteceu, a euforia passou e deu lugar à calma e estabilidade e isso provoca o aborrecimento.  Mas como Kofi é alguém novo no topo, ainda persiste a sensação de que houve uma mudança, ainda nos é estranho ver Kofi com aquele título nos ombros e talvez por isso ele seja, dos três campeões (Rollins, Becky e Kofi) aquele que menos críticas recebe.

Por último, olhemos para o campeão universal Seth Rollins. Ele é o campeão que todos queríamos ou pelo menos alguém que certamente é melhor que o campeão anterior, mas a verdade é que ninguém pode negar que Seth merece ser campeão universal, ele é sem dúvida um top guy e alguém perfeitamente capaz de carregar uma brand às costas, todavia nunca o fez como herói. Da primeira vez que Rollins chegou ao topo era um vilão e como tal haviam heróis, como por exemplo Ambrose, que queríamos ver derrotá-lo, havia mudanças que queríamos ver. Mas agora como herói, Rollins era a mudança que queríamos ver, a mudança que precisávamos depois da estabilidade de Lesnar. E como já temos o que queríamos ver, como está tudo bem, visto que finalmente temos um campeão presente e um desafiante a altura, num dream match que já há muito que queríamos, torna-se aborrecido, não há drama, é aborrecido e por isso sentimos a necessidade de criá-lo. E como é que criamos esse drama? Dizemos que estamos fartos do campeão ou que o seu reinado está a ser desinteressante e que devia virar heel para se tornar interessante.

No fundo aquilo que muitos fãs querem e eu incluo-me nesse lote, é mudança, é ação. Quando tudo está de acordo com o que nós queremos, quando os campeões merecem de facto ser campeões e quando já não têm obstáculos para vencer, mostramos o nossa impaciência ao dizer que estamos fartos de A ou de B, porque o que eles estão a fazer neste momento não é tão interessante como o que estavam a fazer antes. Como há outros wrestlers que estão na mesma posição onde Kofi, Becky e Rollins estavam há uns meses atrás, à espera de uma oportunidade para capitalizarem, aqueles que já a capitalizaram tornam-se “aborrecidos” pois tiveram o final feliz que mereceram. O problema com finais felizes é esse, o que vem a seguir é estabilidade e como a WWE nunca para, muitos fãs não conseguem passar sem ver mudanças constantes e por isso vão buscar todos os defeitos que encontram no booking da WWE, para cobrir o facto de não querem admitir que o desinteresse é culpa deles e não da empresa.

Obrigado a todos os que leram este artigo, como devem ter reparado desta vez não legendei as imagens, optei por não o fazer desta vez pois acho que a comédia não se adequava a este texto e irei fazer o mesmo quando falar de outros temas em que veja que não se encaixa muito bem, mas não se preocupem que não é nada permanente, eu vou continuar a legendar as imagens sempre que achar que funciona. Mais uma vez obrigado por lerem e vemo-nos para a semana com mais um More Than Words.

12 Comentários

  1. Concordo com tudo, porque tenho a mesma opinião.

  2. Showstealer há 1 mês

    Excelente texto, a explicação da situação atual em torno dos campeões foi muito boa! O problema a meu ver são mesmo os fãs (alguns), porque eu pessoalmente acho que se deve deixar os 3 lutadores em questão como campeões durante um tempo razoável (eles merecem pelo que batalharam e se sacrificaram até ao momento de culminação na Mania) e só depois então fazer um balanço e eventualmente retirar um ou outro título caso as coisas não estejam a correr bem.

    • Muito obrigado! É verdade, acho que é preciso dar tempo para os deixar estabelecerem-se enquanto campeões, porque de certa forma a gimmick enquanto campeões acaba por ser diferente da gimmick como desafiantes e perseguidores do título.

  3. PedrKo há 1 mês

    Gostei do artigo, dá para ver o outro lado e não apenas o dos fãs.

    Quanto aos campeões, tanto o Rollins como a Becky “tinham” de ganhar, os campeões iam embora e a Charlotte já teve muitos momentos, se tivesse mais este seria como um eucalipto que seca tudo à sua volta.
    O Kofi poderia não ter ganho, mas na recta final era talvez o mais apoiado pelo público e o facto de ser o primeiro negro wwe champion também deve ter pesado na decisão.

    Neste momento temos um Rollins vs AJ Styles, sinceramente não sei o que querem melhor.
    No caso da Becky e do Kofi já entendo o descontentamento, mas nenhum dos dois tem culpa da wwe não ter criado ninguém credível para adversário.

    Podiam trazer a Shayna Baszler com as amigas do NXT, para a Becky servir de saco de pancada e ter outra montanha para escalar.
    Podiam ter levado o Drew, o Corbin e o Lashley para a Smackdown para rivalizar com o Kofi/New Day.

    Não creio que a culpa seja dos actuais campeões mas do booking preguiçoso e feito em cima do joelho (shake up) que a wwe tem tido já há alguns anos.

    • Sem dúvida, estou de acordo, a Shayna Baszler seria uma adversária que eu também gostaria bastante de ver enfrentar a Becky, acho que seria uma rivalidade bastante interessante.

      O Corbin e o Lashley concordo, mas acho que o Drew tem que estar separado deles, na minha opinião está num patamar acima dos outros dois e ainda há muita coisa que ele não fez no RAW, como por exemplo utar pelo título universal.

      Eu pessoalmente não tenho visto nada de errado com os atuais campeões ou pelos nada alarmante, no entanto reconheço que as feuds podiam estar a ser melhor construídas.

  4. Foto de perfil do Facebook

    Mais um grande artigo Vasco!
    Sobre os 3 casos:
    Becky: ela como “the man” veio mudar a opinião que tinha sobre ela, mas não é este “the man” que vemos agora, que parece que lhe falta “sal”, mas sim o “THE MAN” que ia arrebentar tudo e todos pela alturas do hell turn no summerslam. por isso vamos ver o que da…
    Kofi: única coisa é a postura, um WWE champion que manda panquecas para o publico e anda aos saltinhos e isso, mas isso já não é de “hoje” e acho que ambos sabemos que o reinado do Kofi é uma questão de dia ate acabar, por isso, não vale a pena uma mudança!
    Rollins: o Seth como começas o teu artigo , é muito melhor heel que face, sem duvida, mas é como face neste momento que ta no topo , como estava como heel em 2015, no seu primeiro reinado como WWE champion. aprendeu a ser um bom face como é, ele neste momento é a cara da WWE. e dos melhores do mundo!

    • Eu continuo a gostar bastante da Becky. Acho que sim, que ela “arrefeceu” um bocado desde a altura do seu heel turn, mas ainda gosto da gimmick e está mais popular que nunca. Mas percebo perfeitamente quem não goste, pois esta de facto não é a sua melhor fase.

      Concordo quando dizes que o reinado do Kofi tem os dias contados e que mais tarde ou mais cedo, possivelmente a segunda, irá perder o título. Quanto à postura, o Kofi podia realmente atenuar um bocado essa gimmick, que no fundo é a gimmick dos New Day, mas se calhar isso também tiraria a sua essência enquanto lutador, digo eu.

      Quanto ao Rollins, concordo com praticamente tudo o que disseste, não sei se ele é melhor como heel ou como face, mas o que é certo é que é um atleta excelente, dos melhores do mundo e é como referiste a cara da WWE neste momento.

  5. vitor há 1 mês

    texto muito bom! sério, mt bom.
    acho que os “fãs” NUNCA vão estar satisfeitos com nada, a vdd é essa. sempre vão encontrar algo pra reclamar, então eu simplesmente ignoro a maioria desses “fãs” e continuo apoiando os 3 em questão. go becky, go kofi e go seth!!!

    • Obrigado! Eu até percebo que muitos fãs se sintam insatisfeitos, mas muitas das vezes culpam as gimmicks, o booking e tudo e mais alguma coisa, quando na verdade a personagem simplesmente chegou a um ponto em que estagnou e tem de se reinventar e isso leva algum tempo e naturalmente que durante esse tempo esses lutadores, maioritariamente os underdogs, tornam-se mais monótonos, não significa que já não devam ser campeões.

  6. Anônimo há 1 mês

    mas em termo de atrair audiências, eles não estão se saindo mundo bem, pois as audiências tanto do raw. quanto do smackdown, continuam em queda livre.

  7. O que eu acho extremamente aborrecido é a forma como a WWE estraga as suas histórias e, acima de tudo, estraga os seus lutadores, como é o caso do Kevin Owens, que está num loop de pessimos bookings e maus resultados, o que é imperdoável porque estamos a falar do melhor heel da actualidade da WWE e um wrestler muito talentoso.

Comentar