More Than Words #68 – Mudança de Conteúdo

há 2 meses 11

Correm rumores de que a WWE está a pensar em abandonar a PG Era e apresentar um produto menos virado para as crianças, com o objetivo de recuperar o público adolescente que foi perdendo ao longo dos últimos anos. A meu ver esta mudança é muito bem-vinda, não tanto por ser o abandono da PG Era, mas mais por ser uma mudança e se algo que a WWE é precisa é disso, mudança.

Não sei se isto vai mesmo em frente ou se é apenas mais um rumor, mas a verdade é que já pudemos observar alguma mudança ao longo desta semana.Tudo começou com o anúncio de que Paul Heyman e Eric Bischoff iriam passar a ser diretores executivos de ambas as brands, Raw e Smackdown, respetivamente e a partir daí vimos esta semana tanto no Raw, como no SmackDown, segmentos um bocado mais “adultos” que o normal.

Na brand vermelha vimos Bobby Lashley e Braun Strowman destruírem uma parte da stage e Karl Anderson a dizer que apostava a sua mulher e no Smackdown vimos Kofi Kingston a mostrar o “dedo do meio” a Samoa Joe. Sim, eu sei, não são estes segmentos que provam que irá haver de facto uma mudança e de que a PG Era vai efetivamente acabar, mas a verdade é que podem muito bem ser sinais de alguma coisa vai mudar. O problema é que – sem querer ser muito pessimista – a mudança nem sempre é para melhor.

Muitos têm sido os críticos da PG Era ao longo dos anos, muitos têm sido aqueles que culpam a falta de sangue, a falta de mulheres em bikini, a falta de conteúdo mais “adulto” pela queda de audiêcias da WWE e pelo facto de esta já não ser tão mainstream como era nos tempos da Attitude Era. Não nego que não possa haver alguma verdade nestas críticas, afinal de contas tudo o que é mainstream é maioritariamente consumido pelos adolescentes, que de acordo com os rumores é o público que a WWE quer recuperar, por isso a PG Era pode ser em parte “culpada” pela perda do público adolescente.

O que eu não concordo, é que se culpe um produto ligeiramente mais infantil pelo decréscimo da qualidade. Não é o facto de o produto ser mais ou menos infantil que influencia a sua qualidade, podemos ter poças de sangue em todos os combates e mulheres em bikini a cada 10 minutos e mesmo assim assistirmos a shows de pouca qualidade.  Cada vez mais o que interessa aos fãs, é o booking, são as histórias que eles contam e a forma como contam.

Isto é sempre bonito de ser ver, para quem não ajuda a montar a stage é claro.

Com isto não estou a dizer que não quero que a WWE apresente um conteúdo mais adulto, não me importo de ver mais momentos como o que está na imagem acima, é algo que não acontece todos os dias e são momentos assim que ficam na memória dos fãs, mas não é só de momentos que vive o wrestling, vive acima de tudo de histórias, que são contadas dentro e fora do ringue e o que acontece neste momento e que já foi dito milhares de vezes por toda a gente, é que muitas dessas histórias não são contadas de forma coerente ou até interessante.

E o que é falta a estas storylines para serem interessantes? Não é sangue, não é cadeiradas desprotegidas, nem palavrões, falta liberdade. As histórias que vemos todas as semanas são criadas e controladas por uma equipa criativa e parece que essa equipa é a unica que pode ter criatividade, pois os wrestlers são muito limitados nesse aspeto. No que toca ao wrestling em si, os wrestlers sempre têm alguma criatividade, que mesmo assim já é consideravelmente limitada se compararmos os shows semanais com alguns live-events, mas o mais preocupante é a falta de liberdade nas promos, no desenvolvimento das storylines.

Muito poucos são os que têm liberdade para contar a história que pretendem ou dizer aquilo que querem para tornar a storyline mais genuína, mais autêntica e isso tem-se vindo a refletir claramente na PG Era, daí as grandes críticas feitas a esta.

Na Attitude Era, apesar de não ter tido o prazer de acompanhar, sei que existia liberdade, sei que wrestlers como o The Rock e o Stone Cold tinham sucesso porque eram genuínos no que faziam e no que diziam e essa autenticidade só pode passada para o público se houver liberdade. E sim, pode-se argumentar que o Rock e o Austin tinham mais talento ao microfone do que a maior parte dos wrestlers neste momento, mas a verdade é que não se pode comparar a liberdade que eles tinham na altura com a liberdade que os wrestlers de agora têm.

Queria ter visto o The Rock a crescer durante a PG Era. Com a sua principal catchphrase iria acabar a fazer segmentos de culinária.

O grande problema prende-se essencialmente com a liberdade que dão aos wrestlers para serem genuínos. Tal como não gosto de assistir a um filme em que os atores não me conseguem passar nenhuma emoção real e que os diálogos sejam pouco credíveis e muito artificiais, também não gosto de ver um episódio do RAW ou do Smackdown e sentir que aquilo que o wrestlers estão a transmitir, seja ao público ou a outros wrestlers, não pareça genuíno.

Este é um dos principais problemas que a PG Era trouxe à WWE, poucas são as promos que não são pejadas de catchphrases e de frases e expressões que ninguém diria na realidade. E todo esse irrealismo causado pelo excessivo controlo que a equipa criativa exerce sobre as promos, leva a que a classificação do produto, o facto de este ser PG, seja responsabilizado por todos os males, o que por sua vez leva ao desejo de voltar a uma era onde tudo era mais livre e espontâneo.

Segmentos como este é o que nós precisamos, eu acredito piamente que o Truth dorme agarrado ao título.

Em suma, o que eu quero dizer com tudo isto é que não acho que a PG Era seja o motivo do grande desinteresse que se tem sentido nos últimos anos em relação à WWE. O problema é que o facto de ser PG está associado à falta de liberdade que dão aos wrestlers e não precisa de estar. PG deve ser sinónimo de um ambiente controlado e não um ambiente onde se oprime a criatividade, deve ser sinónimo de poucos palavrões e gestos obscenos e não de pouco entretenimento. O problema é a falta de liberdade e a pouca autenticidade e não acredito que o regresso do sangue e das mulheres despidas seja a solução para acabar com qualquer um destes problemas.

No entanto, não querendo esse regresso à Attitude Era, não significa que não seja a favor de um conteúdo mais adulto, desde que esse conteúdo mude alguma coisa e dê mais liberdade para que os wrestlers se possam exprimir como humanos que são, então essa mudança é mais que bem vinda, mas pelo menos que mudem alguma coisa, pois não é com repetitividade e histórias que pareçam claramente artificiais que vão recuperar o público adolescente.

Não percebo porque é que a WWE tem dificuldade em cativar os jovens, o Shane é claramente um influencer, olhem bem para aquelas jordans.

Obrigado a todos os que leram este artigo, espero que tenham gostado e volto para a semana com mais um More Than Words.

11 Comentários

  1. Nicholas há 2 meses

    Kkkk. Engraçado vc destacar as Jordans do Shane. Mas enquanto a tudo isso que você escreveu é tudo verdade, essa mudança vai vindo aos poucos.

  2. Wwe is rollins há 2 meses

    Aos poucos a wwe vai entrar nos eixos como eu comecei a ver attitude era é o remedio as criancinhas se quiserem ver palhacada vao ao circo ou ao cinema

    • Wwe is rollins há 2 meses

      Eu quero é ver ação.. porrada da velha sangue cadeiradas humilhacoes pyro concursos de bikinis

    • Eu pessoalmente não concordo contigo e não vejo a necessidade de voltar a esses aspetos da Atitude Era, mas cada um tem o seu ponto de vista.

  3. Anonimo há 2 meses

    bom artigo e compreendo o ponto de vista mas discordo. se vi wrestling um dia foi graças a AE é esse genero de produto que me chama a atençao e se voltar certamente que vou acompanhar

    • Obrigado e também percebo o teu ponto de vista. Eu não comecei a ver wrestling durante a Atitude Era e talvez se começasse a minha opinião pudesse ser semelhante à tua, mas mesmo assim acho que não é preciso regressar a essa era para haver conteúdo de qualidade na WWE, acho que isso depende mais do storytelling que deve ser menos restrito do que é neste momento.

  4. Volta Pyro há 2 meses

    Isso que a WWE precisa! Conteúdo mais adulto, a pyro que faz muita falta, mais espaço, a wwe reduziu tudo! Saudade das intros dos shows e fogos. Acredito que ela irá melhorar após o início do Vince ao XFL.

    • Também acho que a Pyro faz alguma falta, sem dúvida, quanto ao espaço já não sou bem da mesma opinião, acho que as arenas na WWE tem um espaço adequado, mas uma mudança na apresentação seria, a meu ver, benéfico.

  5. Showstealer há 2 meses

    Excelente artigo de opinião, estou de acordo com a tua perspetiva. De facto o principal problema é mesmo a fraca construção de storylines e tal deve-se, como muito bem frisaste, à falta dee liberdade dos wrestlers em simultâneo com o excessivo controlo dos writers.

Comentar