More Than Words #81 – Push Monstruoso

1 semana 5

Antes de começar este artigo queria começar por pedir desculpa pelas minhas duas semanas de ausência. Queria ter feito a análise ao Survivor Series no início desta semana, mas infelizmente não consegui arranjar tempo para ver o PPV e só consegui vê-lo dias mais tarde. No entanto, já estou a par de tudo o que aconteceu esta semana, inclusive dos episódios do RAW e Smackdown desta semana, e portanto acho que já estou em condições de escrever um artigo. Ora neste artigo vou falar-vos do tema, ou melhor, da pessoa que na minha opinião tem estado em alta nos último meses, Bray Wyatt/The Fiend.

Eu já escrevi um artigo sobre Wyatt e a sua atual personagem há uns meses atrás, numa fase ainda muito embrionária da personagem e as palavras que usei para descrevê-lo e ao seu segmento da Firefly Fun House foram “uma das coisas mais interessantes e assustadoras a que já assisti. 7 meses depois (sim custa a acreditar que já foi há 7 meses) a minha opinião continua igual. Ou seja, passados sete meses o personagem de Wyatt, ao contrário de muitos outros, não me cansou e creio que à maior parte das pessoas, a avaliar pelos pelos comentários que tenho visto, também não. E porquê? O que é que diferencia Wyatt dos restantes?

Para quem está a ler isto e anda no ginásio: Desafio-vos a chegarem lá , meterem este vídeo em tela cheia e com o volume no máximo e copiarem estes movimentos. Se começarem a ver risos, obtenham acesso ao quadro elétrico do ginásio e o resto já sabem…mandible claw a tudo o que se mexer.

Aquilo que na minha opinião diferencia Wyatt dos restantes é a capacidade de inovação que a sua personagem atual possui. Todas as semanas Wyatt consegue trazer algo diferente para a programação exaustiva e saturada. Estão a ver aquelas séries que mesmo a pós a primeira temporada continuam a entregar episódios em que só vos apetece continuar a ver e ver até ao final da temporada, é isso que o Wyatt está a conseguir fazer neste momento. Claro que nem todas semanas conseguem ser sempre espetaculares e inovadoras, há sempre uma semana ou outra em que não é possível realizar a Firefly Fun House e assistimos apenas ao “típico ataque do The Fiend”, mas mesmo assim é impossível negar a capacidade de inovação desta personagem.

Esta capacidade de inovação faz com que Wyatt sobressaia em relação aos restantes membros do main roster da WWE e isto acontece porque ele é o único que neste momento o faz. Wyatt é o único que consegue inovar no  atual formato formulaico da WWE, todos os outros wrestlers, quer sofram um face ou heel turn, conseguem ser definidos como um personagem tipo. Roman Reigns é o babyface fixe, Rollins neste momento é o Heel que acha que está a fazer o bem, Kevin Owens é o babyface que rejeita a autoridade, a maioria das personagens conseguem ser etiquetadas, enquanto que Wyatt é algo que não dá para definir. Com isto não estou estou a dizer que conseguir categorizar uma personagem seja mau, existem inúmeras grandes personagens na história do wrestling que conseguimos sem grande esforço agrupar numa categoria, mas a questão é que Wyatt não conseguimos e por esse motivo ele destaca-se.

No entanto, nem tudo tem sido positivo nesta nova fase de Bray Wyatt, se é verdade que este tem tido um ano formidável, há aspetos que precisam de ser melhorados, que não são culpa dele, mas sim da gestão dele por parte da WWE. Até agora não nos podemos queixar muito, a WWE tem feito um trabalho praticamente irrepreensível com Wyatt e é óbvio que a companhia quer apostar nele, caso contrário este não era o campeão principal da WWE neste momento. Mas ainda assim, há aspetos que devem mudar se a companhia quiser  manter o “momentum” todo que ele tem neste momento. Uma dessas coisas é a quantidade de aparições que o The Fiend faz. Na minha opinião o The Fiend deveria ser uma atração especial, que devia aparecer de forma esporádica, não digo tão esporadicamente como o Demon Bálor, mas o seu número de aparições deveria ser limitado.

Pode-se dizer que o The Fiend é o Wyatt quando perde a cabeça, literalmente…

Digo isto porque o The Fiend é um alter-ego, isto é, Wyatt tem uma dupla personalidade, mas teoricamente. pelo menos é aquilo que eu penso, o Wyatt que aparece nos episódios da Firefly Fun House é a sua faceta normal(se é que possa chamar tal coisa) enquanto que o The Fiend é a sua outra personalidade que aparece apenas nos momentos de maior agressividade e stress. Ora se existe uma dupla personalidade, o expectável seria uma delas aparecer com mais regularidade que a outra, mas a realidade é que as duas tem o mesmo tempo de antena, o que me dá a entender que existe um equilíbrio que supostamente não deveria existir. Por aquilo que consigo compreender desta personagem complexa, Wyatt é uma pessoa desequilibrada e por esse motivo a sua personalidade (The Fiend) tem algum “controlo” sobre a sua personalidade regular, porém aquilo aquilo que a WWE está a fazer passar não é isso. Ambas as personalidades estão a aparecer o mesmo número de vezes e isso não devia acontecer, existe claramente uma dinâmica nesta storyline de que há alguém que tem o controlo, ou Wyatt tem capacidade de decidir quando o The Fiend aparece ou vice-versa , ou seja um deve aparecer mais vezes que outro e não é isso que tem acontecido.

Outro dos aspetos menos positivos que quero mencionar é a questão dos seus combates. Eu acho que é louvável a WWE estar a tentar proteger ao máximo o The Fiend, dando-lhe uma aura de invenciblidade que mais ninguém tem neste momento, mas não será possível fazê-lo sem descredibilizar os finishers dos outros. O facto do Wyatt vender um curb stomp ou uma running knee como se de um crossbody se tratasse, faz-me alguma confusão. É possível legitimar algúem sem descrediblizar os outros, basta olhar para o exemplo de Brock Lesnar. Nos seus combates Lesnar não descredibliza de forma nenhuma os finishers de outros e não é por isso que sai desvalorizado. É certo que Wyatt ainda não tem o estatuto de Lesnar, mas isso não é desculpa para fazerem o que fazem com os finshers dos outros. Acho que isto é um aspeto que a WWE tem de ter em atenção pois se não o fizer corre o risco de não ter ninguém credível para enfrentar Wyatt, pois este é imune a todos os finishers.

Isto de fazer kickout a tudo é muito giro, mas depois quero ver a quantidade de incidentes nas escolas.Os putos começam todos a espetar o crânio no chão uns aos outros e depois dizem: – Ah, pelo que eu vi na televisão aquilo não magoa, ele levantou-se logo.

Em suma, a forma como a WWE tem gerido a personagem de Bray Wyatt tem sido exemplar, a WWE seria uma maravilha se todos os outros personagens fossem geridos da mesma forma.É certo que existem alguns aspetos a melhorar como aqueles que acabei de referir, mas no geral a WWE tem sido irrepreensível na forma como o tem bookado. Mas a meu ver, não foi o booking que colocou Wyatt no patamar em que está, é certo que ajudou, como é óbvio, mas aquilo que realmente levou ao triunfo de Bray Wyatt foi a sua personagem. Se Wyatt tivesse mantido a mesma personagem e não se tivesse reiventado, por melhor que o booking  fosse, acho que o sucesso não seria o mesmo. Esta nova versão de Wyatt é algo que se enquadra perfeitamente nos padrões da sociedade atual, não é ao acaso que o Joker teve tanto sucesso.

Sim, eu estou a comparar Wyatt com a versão do Joker de Joaquin Phoenix. Ambos são pessoas que sofrem de transtornos de personalidade e que por esse motivo se tornam perigosas e isso vende porque é real, é um problema cada vez mais comum. É certo que Wyatt não é o único doido varrido que tivemos na WWE e muito provavelmente não será o último, mas ele é talvez o único, pelo menos em termos recentes, cuja loucura é alvo de reflexão e não de riso e quando isso acontece é porque algo está ser bem executado.

Obrigado a todos os que leram este artigo, por esta semana é tudo e em princípio voltarei para a semana com mais um More Than Words.

5 Comentários

  1. Jonas1 semana

    Meu único ponto de reclamação é a precoce entrada na rota do título e sair bem sucedido na mesma em tão pouco tempo. Esse novo personagem é algo que vejo em diversas rivalidades, mas nenhuma que envolva cinturão

    • Obrigado pelo comentário. Eu sinceramente não acho que a sua entrada na rota do título tenha sido precoce, é verdade que foi um processo bastante rápido, mas quando se tem o hype que ele tinha na altura acho que era capitalizar.

      Em relação ao facto do seu personagem não precisar de título, até concordo, não acho que ele precise dele, tal como Undertaker ou Kane não precisvam, mas é importante para dar alguma legitimidade e diferenciar do outro Wyatt que não ganhava nada.

  2. Showstealer1 semana

    Excelente artigo! Adorei a analogia com o filme Joker, realmente dá para notar algumas semelhanças nas respetivas personagens.

  3. Algoritmo1 semana

    O hype dele caiu muito depois do falhanço que foi o HITC 2019. Ántes disso, era algo fenomenal. Nem mesmo terem-lhe dado o título conseguiu resolver aquela borrada toda.

    Uma empresa com a dimensão da WWE não podia ter cometido um erro de “amador” e a fatura paga-se muito cara!

Comentar