O Cantinho do Ferreira #2 – Jim Cornette, bates forte cá dentro!

Foto de perfil do Facebook há 2 meses Artigos 10

Hello! Sejam bem-vindos e bem-vindas a mais um capítulo de “O Cantinho do Ferreira”. Antes de avançar para o tema, do qual o título já reflete tudo, gostaria de reservar um bocadinho para agradecer a todos e a todas que leram e que comentaram o primeiro artigo publicado. Muito obrigado!

Ora bem… por onde é que vou começar… há tanto para dizer sobre esta “peça rara”, que está no mundo do wrestling há muitos anos. É claro que para os mais distraídos, este nome é desconhecido. Ou então não se lembram dele. É normal. Permitam-me que o apresente.

James Mark Cornette, nasceu no dia 17 de setembro de 1961 (57 anos) e vive em Louisville, Kentucky. O seu nome no mundo do pro wrestling é conhecido como Jim Cornette. Este homem já fez praticamente de tudo um pouco. Já fez parte de equipas criativas de várias companhias, já fez parte do comité de Booking, é comentador, tem um podcast intitulado The Jim Cornette Experience, este homem nunca parou.

Já passou pela Continental Wrestling Association (CWA), Mid-South Wrestling (MSW), Jim Crockett Promotions (JCP), World Championship Wrestling (WCW), World Wrestling Federation (WWF) / WWE, entre 1991 e 1995 foi o dono da Smoky Mountain Wrestling (SMW), Ring of Honor (ROH), Total Nonstop Action Wrestling (TNA), National Wrestling Alliance (NWA), What Culture Pro Wrestling (WCPW), e trabalha atualmente na Major League Wrestling (MLW). Isto tudo desde 1982… nossa senhora!

Não esquecendo que foi manager dos Midnight Express, Owen Hart, Jeff Jarret, Al Snow, Mark Henry, entre outros. É importante salientar, também, que recebeu vários prémios da Pro Wrestling Illustrated, Wrestling Observer Newsletter, e por aí adiante. É melhor assim, senão não saímos daqui.

Como podem ver, este rapaz já fez muita coisa pelo mundo do pro wrestling. No entanto, não nos podemos esquecer de quem ele é. Eu dei-lhe um nickname, “The F Bomb Master”. Porquê? Eu já explico.

Nós estamos perante um homem que, de certa forma, na minha opinião, sempre teve uma maneira de se expressar muito agressiva, mas bastante honesta. O que ele tem a dizer, diz na cara da pessoa, em que altura for. É possível que tenha problema em gerir a sua raiva. Especialmente quando presencia algo que detesta.

Quem segue o seu podcast, e até mesmo quem já viu algumas das suas entrevistas, onde ele fala sobre a sua experiência no ramo e experiências pessoais, acaba sempre por ouvir uma “F Bomb”.

Imaginem esta situação. Ele em 40 palavras que diz, 23 são “F Bombs”. Muitas pessoas não gostam dele derivado ao seu palavreado e postura. Não gostam dele, pois não vai na cantiga do politicamente correto. Ele continua a ser um membro do mundo do pro wrestling da velha guarda. E é aí onde está toda a beleza da sua existência.

Ele nunca deixou de ser quem é, só porque os tempos mudaram, ou porque as pessoas estão mais sensíveis sobre certos assuntos. Ele diz sempre o que pensa à sua maneira. Mas, também acho que existe algo mais. Penso que o Jim Cornette, no fundo, é um homem sofrido.

Ao longo dos anos, ele presenciou muitos acontecimentos que o magoaram, que feriram o mundo do pro wrestling. Acontecimentos como o mítico “Montreal Screwjob”, do qual ele fez parte alegadamente, a morte do Owen Hart, e o mais importante, que merece uma especial atenção, a sua picardia e ódio de morte que tem pelo Vince Russo.

Jim Cornette e Vince Russo detestam-se, embora o Russo disfarça que não. Cornette culpa Russo de acontecimentos negativos no mundo do pro wrestling, sendo um deles a queda da WCW. Jim afirma que Vince Russo não entende rigorosamente nada sobre wrestling. No entanto, é lhe dada sempre uma chance. Cada vez que Cornette e Russo têm que trabalhar juntos, Jim acaba, alegadamente, sempre por ser apunhalado pelas costas. O último caso foi durante a sua passagem pela TNA.

Jim Cornette alega, também, que o Vince Russo, não só está a destruir as promoções por onde passa, mas também a matar as carreiras dos wrestlers que lhe passam pelas mãos. Muito do seu sofrimento e rancor provém deste ódio e repudio que ele sente pelo Russo. Tanto é que Jim, já disse várias vezes, que espera viver mais tempo que o Russo, para poder ver ele a morrer e para lhe urinar na campa. Vejam bem até onde vai o ódio do rapaz.

Independentemente de todo o ódio, de todo o sofrimento, de todas as “F Bombs”, de toda a sua forma de honestidade, de toda a contorvésia, Jim Cornette é um gajo do caraças. Se deixarmos o passado para trás, e vermos o presente, vocês vão ver o quão caricato e único Cornette consegue ser. É um “must have” nas nossas vidas enquanto fãs de pro wrestling.

Dou-vos um conselho. Vejam, ouçam e mantenham as vossas mentes abertas. Vocês irão ver que não se vão dececionar. Abram os vossos corações para o “The F Bomb Master”. Quer gostem dele ou não, quer tenha feito algo errado ou não no mundo do pro wrestling, Jim Cornette é uma fatia, repleta de história, deste universo do qual amamos e que merece o nosso respeito.

10 Comentários

  1. O Jim na minha opinião é,e vai continuar a ser uma lenda no Wrestling. Já vi muitos vídeos dele a ser entrevistado, entre outros e gostei porque para mim é um bocado engraçado ouvi lo falar. E já agora, gostei do artigo, espero que continues por muito tempo a escrever.

    • Foto de perfil do Facebook

      Muito obrigado! Eu também espero continuar a escrever durante muito tempo. Nunca se sabe o dia de amanhã não é?

      É como eu digo, independentemente de tudo, ele é uma peça rara do caraças. Eu farto-me de rir com ele. Aqueles ataques de raiva que ele tem são qualquer coisa. É uma lenda com muita história para contar.

  2. Por acaso não concordo com tudo.
    O Jim Cornette é um gajo que sabe imenso sobre wrestling, que tem uma experiência fenomenal, mas no entanto, parece que ficou preso no tempo, e esta evolução que tem acontecido nos últimos anos no wrestling a nível mundial está a “fintar” o Cornette.
    Aliás, baste ver o ódio irracional que ele tem ao Kenny Omega, e aos Young Bucks.
    No entanto, os rants dele são bastante engraçados

    • Foto de perfil do Facebook

      Antes demais, muito obrigado por leres e comentares!

      Sabes que mais? Concordo contigo. Acho que ele não está a conseguir acompanhar os tempos, a evolução. Mas ele tem um podcast onde fala disso mesmo. Mas também sou sincero, é esse lado Old School que lhe dá um certo brilho, tal como refiro no artigo.

      Os rants dele são incríveis. O que me farto de rir com ele.

  3. cena vs rock há 2 meses

    Sim concordo o jim ficou parado no tempo…o wrestling esta a crescer cada vez mais e há mais fãs em todo o lado…hoje em dia o wrestling está melhor do que nnc!

    os lutadores são cada vez mais carismáticos e as storylines sao cada vez melhores e mais entusiasmantes e as empresas de hoje até apenas com 1 show são “populares”!
    para além disso falou mal do sonny kiss que é um dos melhores lutadores de sempre, representa na minha opniao tudo aquilo que o wrestling deve ser!

    • Foto de perfil do Facebook

      Muito obrigado pelo comentário!

      Sim, realmente ele ficou parado no que diz respeito à maneira como o mundo do pro wrestling se desenvolve. Ele está muito preso à forma Old School. Deveria de ter a mente mais aberta, mas é como ele é. Há que respeitar.

      No que diz respeito à maneira como ele fala sobre algumas pessoas, ele às vezes manda umas bocas, mas depois o pessoal responde e ele fica logo em modo rage. Começa logo a atacar. Então se eles lhe falarem da mesma forma como ele lhes fala… torna-se logo um alvo. A melhor plataforma para ver isso é nos podcasts dele.

      É como eu digo, é uma peça rara este rapaz.

  4. Boas Pedro! Parabéns pelo artigo, sou um grande fã do jim e o meu comentário anterior foi pura ironia de alguém que concorda com o estilo “old school”… Acho que os sonny Kiss desta vida é a última coisa que precisamos!

    • Foto de perfil do Facebook

      Boas! Muito obrigado!

      Muitos de nós tem essa costela do “old school” ainda dentro de nós.

      Eu pelo que sei o Jim e o Sonny tiveram uma picardia bem acesa. É o estilo dele não é? Mas sabemos que ele às vezes também abusa um bocado. No entanto, um gajo ri-se muito com as coisas que ele diz. O Jim é um “one of a kind”.

  5. jeriko88 há 2 meses

    Boas , Ótimo artigo , para ser sincero não tenho uma opinião formada sobre o Jim , acredito que o wrestling tem lugar para todos, e entendo muito bem ele ser alguém que defende os seus valores e o gosto pelo old school. Eu próprio tenho saudades de ver gigantes a gladiarem se , não só gigantes como o Nash mas saudades dos tempos em que se contava uma historia onde não eram preciso dar 50 piruetas no ar ou passar pessoal por mesas (sem ser combates hardcore ou empresas do género) , o género evoluiu mas também é tudo muito a mesma coisa . As vezes vejo pessoal a colocar combates no Olimpo da qualidade quando não houve nenhuma historia por trás .

    • Foto de perfil do Facebook

      Boas! Muito obrigado!

      Eu compreendo. Hoje em dia existe mais do mesmo. Mas sim, o wrestling tem vindo a evoluir com o tempo. quando tens um homem, estilo Old School, a falar sobre os dias de hoje… tens bons momentos, não só de história, como de uma barregada de riso. É um must este rapaz. Recomendo a veres entrevistas e a ouvir o podcast dele. Vais divertir-te bastante.

Comentar