Faz login e reduz a publicidade

Opinião Feminina #348 – Trouble in Paradise

há 4 meses Artigos 2

Sete anos depois de Santino Marella – para êxtase da plateia presente – ter sobrevivido até ao fim da Elimination Chamber e enfrentado o campeão da altura, Daniel Bryan, foi a vez de Kofi Kingston levar os fãs a sonhar com um desfecho improvável. Os fãs adoram surpresas. Adoram poder dizer que estavam presentes num momento especial ou que mais tarde será relembrado.  Como se isso não bastasse, Santino Marella e Kofi Kingston são figuras acarinhadas pelos fãs e respeitadas pelo seu consistente trabalho e dedicação. Nem todos podem ser campeões do mundo, nem todos vão lutar no combate principal da WrestleMania, mas isso não significa que não mereçam todos respeito pelo papel que desempenham. Afinal de contas, é preciso ter figuras cómicas, é preciso ter campeões de equipas, é preciso ter figuras secundárias.

E, como figura secundária, Kofi Kingston tem construído uma carreira de renome. Kingston começou a aparecer na programação da WWE há onze anos e, durante esse tempo, tem somado vários reinados com o título de Estados Unidos, título Intercontinental e os títulos de equipas, com vários parceiros diferentes. Fora todos os títulos que já venceu, Kingston tornou-se também num elemento especial da tradição do Royal Rumble, com as acrobacias que faz todos os anos para evitar ser eliminado.

Apesar de tudo, penso que foi graças ao trabalho que tem feito como membro dos New Day que Kingston finalmente conseguiu respeito e reconhecimento. E não é por acaso, afinal é o trabalho que tem feito como membro dos New Day que distingue a sua carreira. Antes dos New Day, Kingston era apenas mais um soldado, entre muitos, que trocava vitórias e derrotas à vez, conquistando e perdendo títulos como se fossem feijões e somando reinados que nunca ninguém irá recordar. Antes dos New Day, Kingston tinha uma carreira digna de Hall of Fame se olhássemos apenas para os números e não analisássemos a qualidade, significado e peso de cada reinado e título. Todavia, os New Day vieram a mudar isso e a dar um propósito e uma nova perspetiva à carreira de Kingston. Não acredito que este tivesse o mesmo carinho e apoio dos fãs se esta mesma situação tivesse acontecido antes deste fazer parte dos New Day.

Ao longo das últimas semanas, Kingston tem conquistado o coração e a atenção dos fãs com as suas performances contra Daniel Bryan e os outros candidatos ao título. Aliás, o seu primeiro combate por um título principal irá acontecer no Fastlane, contra Daniel Bryan, com muitos fãs já a defenderem que Kingston deveria derrotar Daniel Bryan e tornar-se campeão a caminho da WrestleMania. É um grande salto num curto espaço de tempo, mas serve para mostrar a rapidez e a intensidade com que o novo apoio por Kingston surgiu.

A questão aqui é simples: deverá a WWE dar o título principal a Kofi Kingston?

Não há nada que impeça a WWE do fazer. Todos os seus títulos têm pouca ou nenhuma credibilidade, devido à forma como são apresentados todas as semanas. Portanto, dar o título principal a Kofi Kingston não iria prejudicar a credibilidade do título mais do que o título Universal já sofreu por ter passado tantos meses de férias nos últimos anos. A verdade é que a WWE não consegue proteger os títulos a longo prazo e manter uma certa credibilidade, acabando sempre por fraquejar.

Os fãs estão, claramente, do lado de Kingston, em parte motivados por Xavier Woods e Big E que, em várias entrevistas, já deixaram bem claro que um dos objetivos do grupo é ajudar Kingston a vencer um dos títulos principais. Além disso, com Kingston e Bryan ao barulho, iremos de certeza ver um excelente combate. Aliás, os últimos minutos do combate de Elimination Chamber, onde Kingston e Bryan lutaram pelo título da WWE foram o ponto alto do evento em si. A energia dos dois aliada à vontade dos fãs de ver Kingston triunfar criou um dos momentos mais dramáticos dos últimos tempos.

Portanto, se o público está a favor, se o título não sairá prejudicado e se os combates serão garantidamente excelentes, porque não fazê-lo? Porque não tornar Kingston campeão?

Admito que tenho algum receio disto ter acontecido tão perto da WrestleMania. É certo que, nas últimas semanas, os fãs têm apoiado Kingston em massa, mas será isto suficiente para vender e justificar um combate na WrestleMania pelo título? Até ao momento, ainda não se sabe quem Bryan irá enfrentar no grande evento. Correm vários rumores que poderá ser Kevin Owens, assim que regressar de lesão, mas também se diz que nada está ainda decidido. Se a WWE escolher deixar Kingston de parte do combate pelo título na WrestleMania, será que os fãs irão aceitar essa decisão?

Isto foi tudo tão inesperado e, ao mesmo tempo, tão intenso que é normal que a WWE tenha dúvidas sobre que caminho seguir. Não acredito que uma derrota no Fastlane, ainda por cima se Rowan estiver autorizado a permanecer no canto de Daniel Bryan, signifique o fim do sonho de Kingston. Penso que a WWE ainda não se decidiu no que vai fazer na WrestleMania com o título principal do SmackDown. No entanto, na ausência de boas ideias, a alternativa apresentada pela popularidade de Kingston parece a bóia de salvação ideal. Pessoalmente, seria a decisão que eu tomava.

Preferia, claro, que o combate não tivesse surgido porque Kingston continua, repetidamente, a derrotar o campeão em televisão. Aliás, é um dos hábitos que a WWE tem que menos sentido faz e que mais prejudica a credibilidade do título e campeão. Se um lutador consegue derrotar o campeão, então essa pessoa deveria ser o novo campeão. Derrotar o campeão para merecer uma oportunidade para o voltar a enfrentar não faz sentido nenhum e apenas continua a ser feito porque, de certa forma, já é um hábito.

E, na WrestleMania, perante uma audiência jubilante, daria o título principal a Kofi Kingston para celebração do grupo. Porque são este tipo de momentos, este tipo de vitórias, que perduram na memória dos fãs. É certo que Kingston não é um Eddie Guerrero, um Chris Benoit ou até um Daniel Bryan, mas é a esperança suscitada por momentos como estes que criam novos fãs e que os mantém. Toda a gente quer ver o impossível acontecer, toda a gente quer ver o herói por quem nunca ninguém deu nada triunfar.

Nas redes sociais, Xavier Woods aludiu à ideia do grupo vencer os títulos de equipas e o título principal da WWE na WrestleMania, de forma a que todos os membros tivessem títulos nas cinturas. E, pensando bem, não seria esse um bom momento para ver e recordar? Os New Day já criaram um currículo forte o suficiente para serem recordados no futuro e até garantirem um lugar no Hall of Fame (não é muito difícil do fazer), mas um momento deste género iria cimentar de vez a importância e relevância do grupo nesta fase da WWE. Um momento deste género seria um enorme reconhecimento pelo trabalho fantástico que têm feito desde o dia em que se juntaram e transformaram uma ideia ridícula, antiquada e deslocada da realidade num dos melhores grupos que a WWE já viu nas últimas décadas.

Irá também dar um pretexto ao grupo para tomar uma atitude mais séria e, tendo em conta todo o trabalho que já tiveram e tudo o que está em jogo, não tenho quaisquer dúvidas que os fãs os apoiariam incondicionalmente. Além disso, o trio e a sua alegria contagiante é a perfeita antítese para o novo Daniel Bryan.

Se era isto que a WWE tinha planeado para o combate pelo título do SmackDown na WrestleMania? Provavelmente não, mas a WrestleMania – como a própria companhia está farta de dizer – é feita de momentos. E esta situação – inesperada, mas ao mesmo tempo justa – tem o potencial de criar um momento especial na WrestleMania. Um momento de reconhecimento, congratulação e esperança.  São esses momentos que fazem os fãs sonhar.

Não acredito que Kofi vença no Fastlane e não sei se irá conseguir chegar ao combate pelo título na WrestleMania, mas acho que deveria. E isto vem de alguém que nunca deu muito por Kofi Kingston. Obrigada a todos e até daqui a duas semanas!

2 Comentários

  1. Maicom há 4 meses

    Ótimo post. Kofi é meu lutador preferido

  2. Nickson há 4 meses

    Faz tempo que venho dizendo que Kofi era um cara que merecia ser WWE Champion, no Elimination Chamber seria o momento perfeito pra isso, mas Kofi continua com um apoio absurdo dos fãs, então vamos ver como a WWE vai trabalhar isso. Ótimo artigo por sinal.

Comentar