Pensamentos #124 – Wrestling em Portugal

Sejam muito bem-vindos a uma edição “especial” do Pensamentos, aquela crónica que duvido muito que vos vá alegrar o dia ou enriquecer culturalmente, mas como já estão aqui a ler isto e como tal não devem ter mais nada para fazer, agora olha, fiquem aqui. O primeiro a fechar o separador é feio. Estão avisados.

O assunto que me traz aqui hoje e que me levou a interromper a minha reforma dourada em São Paulo (sim, estava descansado a ver o treino no meu Corinthians quando isto surgiu) está bem explicito no título da crónica: Wrestling em Portugal ou mais especificamente, o Wrestling Português. No momento em que os meus amigos e amigas estão a ler isto, está a decorrer em Portugal uma verdadeira explosão de shows de Wrestling das atuais empresas portuguesas da modalidade em Portugal.

wp

O Wrestling Portugal irá realizar (ou já realizou, dependendo quando lerem isto) mais um show, desta vez a Batalha Épica, o Centro de Treinos de Wrestling irá realizar o Burn in Hell no dia 25 de Março, a World Stars of Wrestling irá fazer o seu regresso depois de uma ausência bastante prolongada no dia 1 de Maio, a Maximo Luftman Wrestling anunciou que também irá realizar um show brevemente e a APW também irá realizar o seu regresso no dia 26 de Março. Se eu me esqueci de algum evento ou de alguma empresa, podem deixar nos comentários ao mesmo tempo que me insultam.

Resumindo, parece que 2017 será um ano muito jeitoso para quem é fã de Wrestling e para quem gosta de acompanhar o que de melhor se faz em termos da modalidade no nosso país. Porque como já foi dito tantas e tantas vezes, Wrestling não é só WWE. Existe muitas coisas boas fora da maior empresa mundial, coisas fantásticas para quem é fã e gosta de experimentar novo conteúdo. E se assim é, nada melhor do que, dependendo obviamente da disponibilidade, ir assistir aos shows de Wrestling que as empresas do nosso país proporcionam e vão continuar a proporcionar.

ctw

E agora vocês perguntam “Ricardo, então quer dizer que em Portugal o Wrestling está a voltar a ter a febre que teve antes?”. Calma camaradas, muita calma. É verdade que as empresas portuguesas estão a trabalhar muito bem e têm todo o mérito pelo que estão a fazer neste momento. Estão a fazer shows, estão a levar gente aos shows, estão a divulgar a modalidade, estão a fazer um excelente trabalho. E nota-se claramente que desde o ano passado que muitos fãs de “sofá”, onde eu me incluía, estão a sair de casa para irem ver shows de Wrestling. Eu posso falar da minha experiencia porque já assisti de perto a dois shows do WP e nota-se claramente que está-se a criar algo muito bonito no Centro Shotokai. Shows muito bons em termos de qualidade de Wrestling, com excelentes lutadores e uma comunidade de fãs verdadeiramente apaixonada pelo que está a ver e que proporcionam um autentico espetáculo fora do espetáculo.

E agora vocês perguntam novamente “Ricardo, então quer dizer que está tudo bem com o Wrestling em Portugal, certo?”. Errado. Infelizmente não está. E não está porque ainda existe uma enorme falta de cooperação entre algumas empresas portuguesas. O claro isolamento de alguns lutadores face à “concorrência”, que nem sequer devia existir num meio tão limitado e já de si tão reduzido, faz com que ainda existam divergências entre não só lutadores como também fãs de empresas diferentes. E isto é bastante triste porque tal como já disse, somos uma comunidade tão pequena e temos tanto em comum, que não deveria existir esta “crispação” entre lutadores e fãs. Mas, infelizmente, o mundo não é tão cor de rosa como se pensa e ainda existem muitas barreiras a separar-nos.

E isto irrita-me profundamente porque eu sou sincero, só assisti a dois shows do WP, nunca tive a oportunidade de o fazer com outras empresas, mas ao contrário de alguns “pseudo-entendidos”, eu não falo mal do que se faz noutros sítios sem saber o que realmente fazem. Claro que posso dizer que talvez não me identifique tanto com o produto apresentado pelo CTW como me identifico com o produto apresentado pelo WP, mas talvez seja porque nunca assisti a um show do CTW. E fico chateado (ok, fico fodido mesmo) com pessoas que acham que têm autoridade e moral para falar mal deste ou daquele sem terem pisado um ringue de Wrestling e só porque conhecem todos os termos de “insider”, já se consideram experts na matéria. “Eu sei o que é kayfabe, sei o que são bookers e sei o que é um Heel e um Face, por isso vou fazer um vídeo a dizer mal de tudo porque sou um entendido disto, muahahahaha”. Não, não és, gajo que faz vídeos destes. Não és mesmo. Nota-se muito que estou a falar de alguém em específico? Se calhar não.

punk

O que quero dizer com tudo isto é que seria muito vantajoso para toda a gente, e principalmente para o Wrestling português, que todas as empresas portuguesas se conseguissem entender em prol da modalidade. E que a concorrência entre essas empresas fosse algo saudável e que se fizessem parcerias. Toda a gente ganhava com isso porque se víssemos, por exemplo, alguém do WP num show do CTW e o contrário também, os fãs do WP ficavam a conhecer o CTW e os fãs do CTW ficavam a conhecer o WP. Tão simples como isto. Sem guerras, sem bocas, simplesmente concorrência saudável e parcerias que iriam beneficiar todas as empresas.

Eu sei, eu sei que provavelmente este texto não passou de uma perda de tempo e que entrará a 100 e sairá a 1000 dos ouvidos de alguns (não todos), mas não custa tentar. Não custa tentar passar uma mensagem, uma mensagem sem conhecimento do que se passa “atrás da cortina”, mas que se lixe, ao menos tento. Porque o Wrestling em Portugal já teve o seu boom, já teve uma fase de alguns anos pós-boom em que praticamente desapareceu do mapa em Portugal e neste momento estamos a assistir a um novo renascimento da modalidade em Portugal. E isso é muito bom para todos nós fãs. E o melhor agradecimento que podemos dar é sair do sofá, sair do computador, juntar um grupo de amigos, juntar um grupo de fãs, ficar a conhecer pessoas que só conhecemos pela Internet e irmos aos shows, irmos divertir-nos ao mesmo tempo que apoiamos o que de melhor se faz no nosso país. Eu fiz isso e posso garantir-vos com muita sinceridade que não me arrependi. De maneira nenhuma.

Vá, agora podem insultar-me e chamar-me mark e essas coisas todas.

Deixo aqui os links para os próximos shows e Facebooks das empresas para mais informações:

– WP Batalha Épica
– CTW Burn in Hell
– WSW World Tour
– APW Wrestling
– MLW – Maximo Luftman Wrestling

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Pensamentos”.

3 Comentários

  1. Anónimo - há 8 meses

    “só porque conhecem todos os termos de “insider”, já se consideram experts na matéria. “Eu sei o que é kayfabe, sei o que são bookers e sei o que é um Heel e um Face, por isso vou fazer um vídeo a dizer mal de tudo porque sou um entendido disto, muahahahaha”. Não, não és, gajo que faz vídeos destes. ”

    Chiça… Esta foi a todo o vapor até Aveiro!

  2. Dead Wyatt - há 8 meses

    Estive a ler com atenção e não, não te vou insultar! Concordo basicamente com tudo o que disseste. Perde-se demasiado tempo com coisas de nada, coisinhas de merda e guerrinhas sem sentido. Imagina haver uma storyline a envolver duas promotoras, duas companhias em Portugal apostarem nisso e fazerem um show, ou um conjunto de eventos em parceria. Só dava a conhecer ainda mais a modalidade, mas parece que cada um gosta de ficar fechado no seu espaço, mas isso é com eles.
    Em relação às companhias em Portugal, posso dizer que já vi quase todas as que estão no activo e sei qual o producto com que me identifico mais, mas como fã, isso n me impede de ver outros, porque como fã de wrestling, gosto e quero é ver wrestling!
    Quanto aos “Marks”, falar sabem eles, ou pensam…as vezes!

Comentar

Editar avatar »