Foi anunciado na semana passada que Primo Colón foi suspenso por 30 dias pela WWE por ter violado a Wellness Policy da empresa, que é a sua política de saúde e bem-estar. Estes casos são normalmente associados ao consumo de drogas entre outra substâncias proibidas na WWE.

Entretanto o lutador porto-riquenho já veio negar ter violado qualquer teste anti-droga da WWE, dizendo que não chegou sequer a ser submetido a um teste. Primo esclareceu numa entrevista à Primera Hora que não viajou para os Estados Unidos para ser submetido a um teste anti-droga e que a sua suspensão apanhou-o de surpresa.

Eu não estava na estrada com a WWE, eu não estava agendado para nenhum evento num futuro próximo. Eu estava em Porto Rico quando eles me ligaram de repente, não para me usarem, mas para viajar até lá e fazer um teste anti-droga. Eu estava pronto para o fazer, mas eu disse-lhes que estava em Porto Rico e estava disposto a ir a um laboratório [em Porto Rico] da sua escolha para fazer o teste sem qualquer problema. Apenas não queria pagar uma viagem apenas para fazer um teste anti-droga.

A partir daí não recebi mais qualquer resposta sobre o assunto, e pensei que eles me fossem ligar quando encontrassem um local [em Porto Rico] para eu fazer o teste. Dois meses depois recebi uma carta a dizer que estava suspenso, porque de acordo com eles, eu recusei-me a fazer o teste anti-droga. Isso não está certo. Eles entenderam que eu estava fora do país e que não estava disponível.

Eu não quero que eles digam que eu acusei positivo num teste anti-droga, porque isso seria falso e incorreto. Eles normalmente fazem testes em eventos, pois têm alguém para recolher a urina dos lutadores, empregados e árbitros para fazer um avaliação todos os meses. Eu não acusei positivo em nada. Eu estava em Porto Rico. Tenho que clarificar isto porque a minha reputação é mais importante do que qualquer cheque.

Tenho contrato com eles até Outubro de 2020. Eles têm a facilidade de me ligar e usarem-me caso queiram. Se não me quiserem usar, têm de me pagar na mesma. Eles estão a usar lutadores novos e é assim que a indústria funciona. É basicamente como sentar no banco e não jogar.

Lembramos que Primo ainda tem contrato com a WWE, apesar de já lá não combater desde o passado mês de Fevereiro. O lutador tem autorização da empresa para estar em Porto Rico a ajudar a empresa do seu pai, a WWC (World Wrestling Council).


O que achas desta suspensão da WWE a Primo mesmo sem este ter feito um teste anti-drogas?

2 Comentários

  1. Showstealer2 anos

    Creio que tenha sido injusta esta suspensão, deviam ter dado hipótese a Primo de se submeter a esse teste num local perto de onde estava aquando da notificação.

  2. Anónimo2 anos

    Foi uma suspensão injusta, deviam ter feito as coisas de outra maneira.