Navega no Wrestling PT sem pop-ups

Reality Check #12 – Women’s Revolution

Boas pessoal, o meu nome é Luís Correia e sejam bem-vindos a mais uma edição do Reality Check aqui no Wrestling.PT.

Esta semana irei falar sobre a Women’s Division, tanto do Smackdown como do Raw que recentemente sofreram uma revolução com a impetuosa chegada de 6 atletas que ao que parece pretendem mudar o rumo da divisão para o futuro.

No passado dia 19 de Novembro tivemos o Survivor Series e nele pudemos disfrutar de um combate entre a Smackdown Women’s Champion Charlotte Flair e a Raw Women’s Championship Alexa Bliss. As expectativas para este combate eram elevadas dada a inegável qualidade de Charlotte e a capacidade de Alexa de conseguir um bom combate sempre que tem uma adversária de topo como é o caso da atual Smackdown Women’s Champion.

A meu ver o combate cumpriu todas as expectativas pois pudemos observar que Charlotte é sem dúvida alguma uma das melhores atletas femininas que já pisou um ringue da WWE e foi possível comprovar também o facto que constatei de Alexa conseguir quase sempre ter um combate de bom qualidade quando enfrenta uma lutadora com uma qualidade bem acima da média, se bem que continua a demonstrar algumas dificuldades na forma como executa algumas manobras e a maneira como vender os golpes que sofre.

Quanto ao resultado do combate este foi ao encontro do que eu esperava pois com a recente conquista do Smackdown Women’s Championship por parte de Charlotte, esta teria de sair vencedora para continuar o seu momentum na WWE. Uma derrota por parte de Alexa Bliss que em nada a afetou visto que desde mudou para o Raw no Supertar Shake-Up foi quase sempre a Raw Women’s Champion e tem o seu nome mais que afirmado na brand vermelha e a sua predominância em relação ao restante Roster parece que não vai ficar por aqui.

No Raw estamos sem dúvida alguma recheados de grandes talentos, diria até mais que no Smackdown, mas da brand azul falarei um pouco mais para a frente. A recente chegada de Asuka acrescentou ainda mais qualidade ao roster da brand vermelha e traz esperanças para que a divisão feminina possa voltar aquilo que era num passado recente, diria pela altura da rivalidade entre Charlotte e Sasha Banks em que a divisão estava num patamar em que nunca esteve anteriormente e será muito difícil de voltar a igualar.

Além de Asuka temos talentos como Sasha Banks, Bayley, Nia Jax e claro a atual Raw Women’s Champion Alexa Bliss que como já referi anteriormente tem melhorado a cada semana que passa, se bem que a um ritmo ainda um pouco lento a meu ver. Quanto a Sasha Banks e Bayley estas precisam, no meu ponto de vista, de entrar em uma rivalidade um com a outra à semelhança do que aconteceu nos seus tempos no NXT, um heel turn de Sasha era sem dúvida a melhor coisa que lhe poderia acontecer e o tempo para tal se suceder está-se a esgotar.

Quanto a Nia Jax, ainda não consigo aceitar o facto de após quase um ano e meio desde que chegou ao Main Roster esta ainda não ter conquistado o Raw Women’s Championship ou sequer ter tido uma oportunidade pelo título num Single’s Match, visto que apenas lutou pelo cinturão na Wrestlemania 33 numa Fatal 4-Way e mais recentemente na Fatal 5-Way que se sucedeu no No Mercy deste ano. Outros nomes como Dana Brooke, Mickie James e Alicia Fox não me parecem ter a capacidade neste momento para entrar na rota do título feminino e serem a cara a divisão, apesar da inegável qualidade no ringue de cada uma.

Falando agora do Smackdown, a “Land of Opportunity”, esta não se encontra num patamar tão elevado em comparação com o Raw no que toca à divisão feminina, mas sem dúvida alguma que o potencial que se encontra nesta é muito e se for aproveitado poderemos ver grandes coisas num futuro um pouco mais distante. O facto da brand azul ter nomes mais experientes como Tamina e Natalya ajudam e muito para que esta mantenha a sua qualidade semana após semana e o facto de ter Charlotte, que a meu ver é o melhor talento feminino atualmente na WWE, também contribui para essa qualidade se manter.

Não podemos descartar também o facto de termos ainda na brand das Terças-Feiras a Miss Money in the Bank Carmella, um fator que pode ajudar bastante a divisão em termos de storylines num futuro próximo, pois o seu cash-in deve-se encontrar muito próximo e pode acontecer ainda este ano, quem sabe no Clash of Champions do próximo mês. Carmella pode não ser das melhores do roster em termos de qualidade no ringue, mas a sua personagem é muito boa e penso que daria uma boa Women’s Champion e o facto de ser Charlotte, uma face, a ter o título torna ainda mais possível o cenário de um cash-in nas próximas semanas.

No que toca às outras mulheres presentes na divisão não consigo ver Tamina a conquistar o Smackdown Women’s Championship no futuro nem a ter um papel de mais destaque pois em termos de personagem não me parece ser das melhores e a sua qualidade no ringue é no máximo boa, o mesmo se aplica a Lana que a meu ver deve continuar como manager de Tamina. Já Becky Lynch, Natalya e Naomi podem muito bem a voltar a conquistar o título nos próximos meses e tentarem ter um reinado de melhor qualidade em comparação aos que tiveram num passado recente.

Contudo, esta semana foi-nos possível ver tudo a mudar completamente na divisão feminina, tanto para o lado do Raw como para o lado do Smackdown, isto tudo após o Survivor Series que é um dos 4 principais PPV’s da WWE. Assistimos na passada Segunda-Feira ao tão aguardado regresso de Paige que é uma das melhores personagens a passar pela empresa na última meia dúzia de anos e que tem agora a oportunidade de fazer as coisas da forma correta e avançar para um reinado pelo Women’s Championship.

Mas esta não veio sozinha e trouxe Mandy Rose e Sonya Deville do NXT que aquando da sua estadia na brand de desenvolvimento da WWE mostraram potencial e merecerem a oportunidade de uma subida ao Main Roster tal como se sucedeu. Apesar disso, a meu ver, será Paige que entrará na rota do Women’s Title e Mandy e Sonya irão permanecer na sua sombra de forma a conseguirem arranjar o seu espaço no roster e a enfrentarem nomes “menores” como Alicia Fox ou Dana Brooke.

Mas esta “revolução” não se ficou pelo Raw e então no Smackdown da passada Terça-Feira foi a vez de Ruby Riot, Sarah Logan e Liv Morgan a marcarem a sua chegada à “Land of Opportunity” e a mostrarem que o NXT tem mais força do que aquilo que muito pensam e qualidade vinda da brand não falta. Tal como referi no caso das 3 atletas que aparecem no passado Raw, no Smackdown também creio que será, pelo menos por agora, apenas Ruby Riot a ter um papel de maior destaque e a avançar para  a tentativa de entrar na rota do Smackdown Women’s Championship.

Disto isto, todas estas chegadas ao Main Roster acrescentaram sem dúvida algo à divisão feminina pelo que nos foi possível observar e se a WWE conseguir tirar o melhor partido disso, poderemos ver coisas muito boas a acontecer num futuro próximo em ambas as brands.

E tu,

  • Qual é a tua opinião sobre o estado atual da divisão feminina do Main Roster?
  • Acreditas que as mais recentes chegadas vão acrescentar algo de positivo à divisão?
  • Quais serão as próximas candidatas aos Women’s Championship do Raw e do Smackdown?

Até para a semana. Fiquem bem!

5 Comentários

  1. juninho - há 2 semanas

    Otima materia o fato e que wwe viu a necessidade de mudanças urgentes, primeiro as que estavam no topo estavam com sua imagens desgastadas, algumas não estavam tendo a mesma reação de antes ou seja a divisão estava completamente perdida não e atoa que sempre estavam tendo os mesmo combates , e outra coisa vince sabe que o NXT tem muitas wrestlers de qualidade que estavam perdidas no roster da divisão do território desenvolvimento as trouxe pro main roster falando da paige o seu retorno era um dos mais aguardados do ultimos tempos e o enorme pop que recebeu diz isso agora falando de algumas que estam no roster seria uma boa hora de retirar algumas da tv por um tempo como o caso da sasha banks por exemplo sua imagem já esta muito desgastada talvez uma angle de lesão e pronto e retira ela por um tempo da tv e depois ela volta como heel ravalizando com a bayley ou entrando e um dos grupos que surgiram , no caso da bayley mostra que ainda esta muito verde em ringue talvez seje melhor ela ficar um tempo no permarcer center para treinar mais um pouco as habilidades ou eu diria ate leva-la de volta ao nxt .

  2. BRUNOju. - há 2 semanas

    Obrigado por abordar a divisão feminina no seu espaço. Enfim, respondendo ás perguntas… antes da vinda dessas seis novas lutadoras, a divisão do RAW estava até bem, acho que vinham fazendo um trabalho bem agradável, ao contrário do SmackDown, que por conta talvez do tempo reduzido, acho que acabam ficando desfavorecidos. Agora, meu palpite para o que segue na divisão feminina é:

    Paige, Sonya e Mandy continuarão unidas, e nas próximas semanas lutarão em combates de times e etc. Meu palpite, igualmente com o seu é de que teremos Paige vs Alexa Bliss… no lado azul, eu gostaria de ver cada uma dessas novas mulheres, procurando o seu próprio caminho, até para diferenciar um pouco de um show para o outro. Eu colocaria, Sarah Logan como primeira desafiante de Charlotte Flair, e mais para frente, Ruby Riot… ah, eu gostaria muito de ver a Sarah e Becky enfrentando-se e imagina só também, se elas fizerem uma dupla, de preferência como FACE. Ia ser foda.

  3. Danilo - há 2 semanas

    Achei muito top a subida dessas divas tava precisando disso mesmo e a chegada da Paige vai acrescentar demais a qualidade do Raw.

  4. Luís. Só queria alertar-te para o facto de a Nia Jax ter lutado sim pelo título num combate individual. Claro que a WWe não foi “burra” ao ponto de fazer a baixinha vencer a Nia, e como não queriam retirar-lhe o título obviamente que fizeram a Alexa escapar com o título de uma maneira que não prejudicasse nenhuma das duas.

    Aqui tens o link.
    https://www.youtube.com/watch?v=TG1BOTuYWEk&t=67s

Comentar

Editar avatar »