O nosso YouTube está de volta. Subscreve!
Frank casino

O lendário “Stone Cold” Steve Austin, em entrevista ao podcast Pardon My Take, falou sobre vários temas, tanto sobre a sua carreira, como da atualidade da WWE. Numa das questões, o “Texas Rattlesnake” apontou o que é na sua opinião um dos principais problemas da empresa na atualidade.

Não querendo criticar os lutadores e o produto atual, mas sinto que há falta de espontaneidade na WWE. Durante a Attitude Era estava sempre a acontecer algo de diferente, tanto em ringue, como no backstage ou num segmento feito fora da arena. Era sempre algo diferente. Agora falta aquele sentido de urgência, porque já não há aquele medo de perder telespectadores para a concorrência.

Nos últimos tempos já vimos Braun Strowman a virar carros ou a destruir o set, mas na minha opinião é preciso mais momentos desses, porque são esses momentos fora do comum que agarram os fãs.

Também perguntaram a “Stone Cold” Steve Austin qual era a sua relação com Vince McMahon e como é que os dois trabalhavam durante o auge da sua carreira, e a lenda explicou que tinha bastante liberdade criativa.

Sempre nos demos bem, salvo raras excepções. O engraçado era que quando eu estava no topo e ligava-lhe, nem o primeiro bip de chamada tocava até ao fim e o Vince atendia logo. Agora falo com o voicemail e no final, se tiver sorte, ele liga-me algumas horas depois, mas isso faz parte da nossa vida e da nossa indústria.

Quando trabalhávamos juntos, às vezes discordávamos o que poderia acontecer, mas a verdade é que sempre trabalhámos para fazermos o melhor programa possível. Nunca me vou esquecer uma vez, em Cleveland, disseram-me que iria lutar contra uma pessoa que eu sempre disse que nunca lutaria, e as palavras que eu disse naquela sala não foram nada agradáveis. Também houve a situação com Brock Lesnar onde simplesmente fui embora, porque não achava que deveria lutar contra ele naquela noite, mas em grande parte trabalhávamos bem.

Tudo porque eu tinha muito controlo sobre o que acontecia com a minha personagem e normalmente a equipa criativa dava-me grande ideias para eu depois as concretizar nos programas, mas a verdade é que quando eu não gostava da ideia, eu dizia que não gostava e não fazia.

Eu trabalhei bastante e muitas vezes em reuniões criativas, era o primeiro a chegar e o último a sair dessas reuniões. Eu trabalhei bastante para poder dizer ao Vince quando não gostava das ideias que ele me propunha.


Pensas que os lutadores da atualidade beneficiariam em ter a mesma liberdade criativa que lutadores como “Stone Cold” Steve Austin tiveram?

14 Comentários

  1. Hugo2 meses

    EU CONCORDO A 500% COM TUDO O QUE O STEVE AUSTIN DISSE.E NÃO É PRECISO DIZER MAIS PORQUE O STONE COLD JÁ O DISSE.

  2. Brito2 meses

    Acho que o maior problema dos lutafores de hoje é que eles focam demais nas lutas e pouco no desenvolvimento de personagens.

    • Dina2 meses

      Verdade. Agora é Só flip and kick.

    • Showstealer2 meses

      Nem mais, Brito. Como diriam os The Revival: “no flips, just fists” xD

  3. Y2Jean2 meses

    Tá ai o panorama atual da wwe. Bem resumido

  4. H.H.H2 meses

    Está tudo dito.

  5. Foto de perfil do Facebook

    O maior problema é ser um conteúdo para a família!!!!! Não se pode meter algo a gozar com gays, as mulheres serem demasiado sexistas, gajos machistas, gozar com raças, países (que não os E.U.A) ou assim porque é xenofobismo, etc.
    Desculpem a expressão, mas metam é o ‘fobismo no anús!
    A sociedade está demasiado virada para o criticável. Tudo é criticável e todos têm opinião. Os próprios lutadores envolverem-se com os fans, entrevistas ou fotos nas redes sociais como faces sendo heels…tudo isso tira espectáculo!
    Alguém acha que alguns daqui não teriam lugar de destaque na attiude era? Já o escrevi aqui e repito: há menos talento main event, mas há muito mais e melhor talento no mid-card e no jobber-card. O feminino então dá 10-0. No entanto, não resulta. E porque não resulta? Porque a WWE está demasiadamente preocupada em ser politicamente correcta!

    • Censor02 meses

      Olha, encontrei o gajo que acha que racismo e descriminação = humor e entretenimento.

    • Rocky Marciano2 meses

      então de acordo com você, quanto mais preconceito, melhor, ainda bem que a WWE não ouve totalmente os ´´fãs´´ senão estaríamos voltando pro anos 80 e 90.

    • Surf2 meses

      Vocês são demasiados sensiveis, desculpem-me meu deus, daí esta geração ser como é.. concordo a 1000 com o João Pedro e mais nada.

    • Foto de perfil do Facebook

      Censor0, não amigo, não acho que seja igual. Se interpretasses o que leste, entenderias que o que escrevi não é que sejam iguais ou sequer que têm de ser utilizados. No entanto, o “politicamente correcto”, num espectáculo onde o que se pretende ver é as emoções ao rubro, pessoas exaltadas e ansiosas por se defrontarem, etc. E o que temos assistido nos últimos anos? “Ah, eu estou chateado contigo, mas não te vou insultar” e quando alguém diz “bitch”? “OMG! HE/SHE SAID THE WORD” “OH HE/SHE SLAP IN TO THE FACE!!!” como se isso não fosse normal quando duas pessoas estão a discutir. Poupem-me! Houve coisas engraçadas e outras menos engraçadas, algumas criticaveis e outras aplaudidas, mas se calhar as aplaudidas hoje não conseguiam sequer serem escritas no papel, quanto mais reproduzidas. Podia dar aqui ene exemplos como a personagem The Godfather do Charles Wright ou mesmo em feuds como a do Eddie Guerrero contra o Rey Mysterio quando o 1º levantou duvidas sobre a paternidade do filho do Rey e alegando que era seu filho. Tudo gera polémica e a polémica gera dinheiro. Aliás, aconselho a leres um livro intitulado “Controversy creates cash” do Eric Bishoff (deves saber quem é) e se calhar ficavas a perceber que não sou só eu que tenho esta opinião 🙂

      Rocky Marciano eu acho que menos preconceito melhor. Porque isso permite dinamizar o que é dito e feito. A WWE pode não ouvir os fans, mas será que outras promotoras não ouvem? O que foi o Lucha Underground? O que é o NWA senão um espectaculo a imitar os anos 80? O que disse a AEW antes dos seus shows semanais? Foi algo como “querer dar o verdadeiro wrestling aos verdadeiros fans”, ou pelo menos era esta a ideia. Não consegui encontrar números dos últimos 20 anos, mas garanto-te que a WWE conseguiu perder cerca de 9 milhões em aduiências televisivas (claro que há outros factores aqui que influenciam como a possibilidade de se ver shows gravados, etc). Como não sei se é possível partilhar sites aqui, fui buscar estes resultados ao site credível da Forbes, pelo que te basta pesquisar no mesmo para encontrares estes dados:
      WWE Raw Average Viewership—Last Five Years
      Year Average Viewership
      2014 4.143 million
      2015 3.705 million
      2016 3.19 million
      2017 3.018 million
      2018 2.823 million

      E tem em atenção que estamos a falar em PG Era em ambos os momentos. Ou seja, podemos tirar daqui algumas ilações, sem outros dados que a sustentem, no mínimo que cada vez mais as pessoas estão fartas de ver o mesmo produto PG sempre. Ouvir um “palavrão”, uma asneira, ver uma estalada, um “low-blow”, etc, é super raro e já se vibra com isso, quando devia de ser normal quando duas pessoas estão numa rivalidade. Como era na Attitude Era, nos melhores anos da WWE e precisamente nos anos 90.

      Surf, agradeço.

    • Foto de perfil do Facebook

      Luis Salvador, a título do que escrevi (e têm aparecido alguns artigos no site), acho que se devia promover uma publicação para uma discussão saudável nisto mesmo questionando os utilizadores do site a comentarem se a Attitude Era devia voltar e o que ela implicava nos dias de hoje, bem como tudo o que envolvia e tudo o que era feito se hoje era “politicamente correcto”.
      Não sei se te lembras (se calhar não), entrei em contacto contigo para fazer um artigo sobre isso mesmo, mas depois o meu tempo tornou-se pouco e nunca cheguei a enviar-te nada. Gostava bastante que o fizesses, fica à tua consideração.

  6. El Cuebro2 meses

    Concordo e muito com o Stone Cold, seria bom se a WWE desse uma olhada nisso!

  7. Anónimo2 meses

    Concordo com o que o Steve Austin falou. Se a WWE desse mais alguma liberdade aos lutadores podia ser melhor.