Frank casino

Os The Revival, agora conhecidos como Fear The Revolt, foram os convidados de Chris Jericho na edição desta semana do seu podcast, o Talk Is Jericho. Em conversa com uma das principais caras da All Elite Wrestling, a dupla não teve problemas em contar “toda a verdade”.

Cash Wheeler, como é agora conhecido Dash Wilder, e Dax Hardwood, como é agora conhecido Scott Dawson, revelaram detalhes sobre os seus últimos meses na WWE: a gimmick de comédia que Vince McMahon tinha para a equipa, os pedidos para sair da empresa, e até os valores dos novos contratos.

A afirmou que a WWE propôs uma renovação de contrato de 1 milhão de dólares anuais e o presidente da WWE ainda prometeu que enviaria a equipa para participar em programas de televisão populares, como o Good Morning America. Uma proposta que não convenceu a equipa.

Os The Revival confirmaram que o primeiro pedido que fizeram para sair da WWE foi em Janeiro de 2019, poucas semanas antes de terem conquistado os Raw Tag Team Championships, mas que não lhes foi concedida a saída. Já em Junho voltaram a conquistar os títulos da brand vermelha, e já em Setembro os do SmackDown.

Scott Dawson confirmou que não lhes interessava propriamente os títulos, mas sim algum controlo criativo, para garantir que os combates em que participavam tinham valor. O lutador não gostou que Braun Strowman e uma criança tivessem ganho os Raw Tag Team Championships na WrestleMania, pois isso retirou valor aos títulos.

Só que o investimento em comédia feito pela WWE, que no final de 2019 viria a acontecer ainda com maior ênfase, fez a dupla perder toda a esperança. As imagens que circularam com as supostas novas gimmicks que a WWE tinha em mente para os The Revival são verdadeiras, e estes só se conseguiram rir delas.

Apesar de tudo isto, havia quem gostasse da equipa. Quando era vivo, Dusty Rhodes era um dos maiores apoiantes dos The Revival e chegou a dizer que Scott Dawson era o melhor lutador da WWE. Já Bret Hart ligou para os The Revival quando soube que a dupla tinha finalmente saído da WWE.

Por fim, a equipa também confirmou que ainda não conheceu os Young Bucks cara a cara, apesar de toda a polémica por causa do “F*ck The Revival”. No entanto, isso pode ser algo que poderá mudar muito em breve, uma vez que a ex-equipa da WWE vem sendo fortemente apontada à All Elite Wrestling.


Já tiveste oportunidade de ouvir o Talk Is Jericho desta semana? O que achaste da conversa com os The Revival?

11 Comentários

  1. É bem verdade, que adianta ter os títulos se não há uma história por trás que lhes dê valor? Vemos isso hoje com as divisões de Tag team, o campeão intercontinental, o campeão dos EUA, todos campeões mas títulos completamente desvalorizados

  2. Bea Ospreay5 meses

    Strowman “enterrando” a divisão (um lutador que nem vinha sendo bem usado a solo) não ajudou em nada a relevancia dos titulos, faz tempo que a WWE não investe na divisão de tag a nivel main eventer, ainda bem que os Bucks não foram pra la, dava pra ver que os Revival queriam era ser bem usados, aquela luta que eles tiveram no NXT na epoca do Suvivor Series foi fantastica, dava pra ver que havia muito amor ao que estavam fazendo, espero que sejam bem usados se forem pra AEW(o mais provavel), e Revival (agora The Revolt) vs Young Bucks pra mim é dream match.

  3. Ouvi umas partes da entrevista e de facto confirma-se o que era especulado: o descontentamento criativo da parte dos antigos The Revival (totalmente compreensível, na minha ótica) em relação à WWE.

    • Bea Ospreay5 meses

      Saudade da epoca que a WWE sabia investir na divisão, e não na repetição que esta hoje, nessa parte eu sou do team AEW (que tem tags até demais).

    • Sem dúvida, Bea Ospreay. Praticamente desde o fim da Ruthless Agression Era (ou antes até) que as tag teams pouco contam para a WWE.
      Também gosto muito mais da divisão de equipas da AEW, esse excesso de excelentes parelhas pode constituir inclusivamente um problema a longo prazo na questão de dar destaque a toda a gente.

    • Bea Ospreay5 meses

      Eis o mal da pandemia, Dynamite vinha se aproximando da marca de 1 milhão, o que ja iria ser um grande passo pra quem sabe no futuro ter um segundo show (Dark eu não levo muito a serio), o que poderia resolver e muito essa questão.

    • João da Cena5 meses

      A AEW não só tem boas duplas como tem bons trios. Adorava que eles fizessem um título de trios! Acho que isso já foi até especulado

    • Jorge, a WWE não investe na divisão tag team desde da metade dos anos 90s, antes da Attitude Era, eles sempre tiveram duplas aleatórias de lutadores singulares vencendo o título e reinados curtíssimos (principalmente na Attitude Era). Hoje olha-se com nostalgia para os anos antigos como se fosse melhores, mas não eram. É verdade que teve alguns curtos período onde a divisão teve algumas boas histórias (exemplo alguns meses de 2000, Sd 2003-2004, run do Kane e Bryan em 2012-2013, reinado do New Day 2015-2017, todo Sd 2017, etc.) mas nunca foi um investimento de longo prazo para eles.
      Alias, nem empresas que levam wrestling super a serio, como a NJPW, investem na divisão tag team. Somente a AEW investi hoje (não sei como está a situação da ROH e Impact ultimamente)

    • Nem mais, Bea Ospreay. Muito bem observado! Exato, João da Cena. Penso que no episódio do Dark que foi realizado no cruzeiro (janeiro deste ano), Kenny Omega disse off the record que haviam planos para se criar um título de trios.
      Tem razão, wesley. De facto a divisão de equipas é geralmente preterida face ao resto, pois a sensação que passa é que as pessoas preferem ver lutas individuais a combates de equipas (talvez pela maior confusão que estes últimos trazem para o fã “casual”). Excelente leitura!

  4. Se forem para a AEW será mais uma excelente tag team. A juntar aos Young Bucks, The Butcher & The Blade, SCU etc… ficaria bem composta a secção de tag team

  5. Anónimo5 meses

    Entendem-se, por mais que se tenha títulos, ter uma storyline que desperte interesse também conta.