Faz login e reduz a publicidade

Visão Brasileira #366 – ALL IN, do sonho à realidade

Pessoal, bem-vindo a mais um Visão Brasileira, aqui no Wrestling PT. Peço imensas desculpas por minha ausência na semana passada, mas por questões particulares, acabei não realizando o artigo. Neste último sábado (1), tivemos a realização do grande evento de wrestling independente, o ALL IN, em Chicago, Illinois, um evento que parecia um sonho, mas que e tornou uma belíssima noite de wrestling e se tornou realidade.

O ALL IN foi organizado por Cody e pelos Young Bucks, que são Nick Jackson e Matt Jackson, e estes nos apresentaram um evento, com grandes combates e com alguns dos melhores lutadores do circuito independente que existem por todo o planeta. Lembrando que o evento surgiu, quando em maio de 2017, um fã perguntou ao jornalista Wrestling Observer Newsletter, Dave Meltzer no Twitter, se a Ring of Honor (ROH) conseguiria vender mais de 10.000 bilhetes para um show e este respondeu que não tão cedo.

Cody Rhodes interpretou isso como um desafio e respondeu “Eu aceito essa aposta, Dave”. Com o passar dos meses, vimos esta ideia de um evento da ROH se tornar um evento a ser promovido por Cody e The Young Bucks e que aos poucos foi sendo idealizado e teve como seus primeiros nomes anunciados, o ator Stephen Amell e Kenny Omega. Quando os ingressos foram colocados à venda, esgotaram-se em 30 minutos, mostrando que sim é possível reunir 10.000 mil pessoas, para um evento de Wrestling independente.

O dia 1 de setembro chegou e antes do evento em si, tivemos a Hora Zero, que como primeiro combate tivemos SoCal Uncensored (Frankie Kazarian & Scorpio Sky) a enfretar The Briscoes (Jay Briscoe & Mark Briscoe). Os vencedores foram a SoCal Uncensored, após Kazarian, reverter um Doomsday Device em um Powerslam.

Na continuidade, tivemos uma Battle Royal, com diversos supertars, para definir o desafiante ao ROH World Championship. Participaram do combate, Colt Cabana, Bully Ray, Brian Cage, Moose, Trent Barreta, Chuck Taylor, Rocky Romero, Jimmy Jacobs, Billy Gunn, Tommy Dreamer, Austin Gunn, Chico El Luchador, Punishment Martinez, Cheeseburger, Ethan Page, Hurricane Shane Helms, Marko Stunt, Jordynne Grace. Quem tivemos tendo como vencedor foi Chico El Luchador, que na verdade era Flip Gordon, ao eliminar por último, Bully Ray.

Na abertura do ALL IN, tivemos, primeiro aquele momento bem WWE, com a execução do hino estadunidense, o que para mim é bem desnecessário, mas fazer o que. O primeiro combate da noite foi entre Matt Cross e Maxwell Jacob Friedman. Cross saiu vencedor após aplicar um Shooting Star Press.

Em um dos combates em que estava mais curioso para assistir, vimos Christopher Daniels a vencer Stephen Amell. Estava curioso para ver a performance de Amell em um combate e ele me surpreendeu positivamente, o voo dele sobre a mesa, fora do ringue, para tentar atacar Daniels, foi surpreendente. Outro grande atrativo do combate, foi termos Jerry Lynn como árbitro, que chegou a colocar os dois lutadores, de volta ao ringue, para este não ficasse parado. Daniels venceu após aplicar um Best Moonsault Ever.

No combate feminino da noite, tivemos uma grande Four Way Match entre Tessa Blanchard, Britt Baker, Chelsea Green e Madison Rayne, o que valorizou muito a presença de um combate da divisão feminina neste evento. O combate acabou vencido por Tessa Blanchard, após ela aplicar um Hammerlock DDT em Chelsea Green. Depois vimos as quatro participantes a comemorar a grande performance delas.

Um dos grandes momentos da noite era o combate pelo NWA World Heavyweight Championship, onde o campeão Nick Aldis, enfrentaria Cody Rhodes. Lembrando que Rhodes, buscava vencer o cinturão, par se igualar a seu pai Dusty Rhodes. Tivemos um grande momento, com Diamond Dallas Page a vir ao ringue e aplicar um Diamond Cutter em Daivari. Ao final do combate, Aldis tentou aplicar um sunset flip e Rhodes aproveitou-se para segurá-lo e fazer o pin e assim conquistar um título que o seu pai, já havia conquistado há algumas décadas atrás. Dusty havia conquistado o cinturão pela primeira vez em 1979, vencendo-o por mais duas vezes, em 1981 e 1986.

Como o evento era em Chicago, não poderia faltar uma Chicago Street Fight e esta ocorreu e foi entre Adam Page e Joey Janela que veio acompanhado de Penelope Ford e eles nos proporcionaram um combate espetacular em que Ford chegou a atacar Page e também nos mostrou um festival de mesas quebradas. Ao final, Adam Page aplicou em Janela um Rite of Pssage do alto de uma escada, caindo sobre uma mesa e assim saiu vencedor. Depois tivemos o retorno de Joey Ryan, que atacou Page, mas aqui não irei me ater a descrever tal momento.

Em outro grande combate da noite, o ROH World Champion Jay Lethal, que entrou como Randy Savage, enfrentou Flip Gordon e não fomos decepcionados neste confronto. Lethal saiu como vencedor, após aplicar um Lethal Injection e assim reteve eu cinturão. Após o combate, Bully Ray atacou os dois. Quem surgiu para atacar Bully, foi Colt Cabana, que depois com a ajuda de Flip e Lethal, aplicaram um Triple Powerbomb em Bully sobre uma mesa.

O IWGP Heavyweight Champion Kenny Omega e Penta El Zero, também nos proporcionaram um grande combate. Ao final, após um One Winged Angel, Omega reteve o cinturão. Depois as luzes se apagaram e tivemos a presença de Chris Jericho. Ele apareceu mascarado de Penta El Zero M, e atacou o IWGP Heavyweight Champion, aplicando dois Codebreakers. Lembrando que a rivalidade entre eles irá ter continuidade, com combates no Chris Jericho Cruise, em outubro e também em Janeiro de 2019, no Wrestle Kingdom da NJPW.

Kazuchika Okada e Marty Scurll também realizaram um grande combate, em que tivemos como árbitro, a lenda Tiger Hattori, que a mais de 30 anos trabalha como árbitro, com destaque na NJPW. Eles deram um espetáculo e o combate só foi decidido, após Okada aplicar em sequência, três Rainmakers, para conseguir a vitória sobre Scurll, gostei muito de ver Okada a vencer.

No Main Event, tivemos uma Six Man Tag Team Match em que a The Golden Elite com os Young Bucks & Kota Ibushi enfrentaram Bandido, Rey Fenix & Rey Mysterio. Um combate cheio de ação, mas que terminou com a vitória da Golden Elite, após os Young Bucks aplicarem um Meltzer Driver em Bandido. Terminando assim este grande evento de wrestling, que em uma noite, conseguiu trazer momento que ficarão lembrados para sempre, pois um sonho tornou-se realidade.

Parabéns aos idealizadores do ALL IN, foi uma noite espetacular de wrestling e tomara que consigamos ter por mais vezes, a reunião de tantos bons nomes do wrestling independente e mostrar que existe sim, vida sem a WWE, que parece que anda muito descansada, por não ter uma companhia rival, para ameaçá-la. Sei que se este tipo de evento, viesse a se tornar regular, cairia no marasmo da WWE, mas então que eles venham a ocorrer de forma esporádica, mas quando ocorrerem, nos orgulhem e vermos, por um noite, um grande show.

Tivemos uma noite de wrestling, com um nível soberbo, gratas surpresas, com um público que nos agraciou, mostrando estar gostando do evento e com performances de superstars estupendas, como a de Kazuchika Okada, de Cody Rhodes, que nos contou uma belíssima história em seu combate e de todos os outros, que não vou ficar aqui, me alongando em elogiá-los e quem puder, que assista inúmeras vezes ao evento, que não irá se arrepender.

Para encerrar deixo uma serie de perguntas para interagirmos.

– O que vocês acharam do ALL IN?

– Qual o momento mais marcante deste grande evento? Por quais motivos?

– Vocês gostariam de uma nova edição deste evento? Com que regularidade, você gostaria que isso ocorresse?

– Esta grande iniciativa, pode causar alguma preocupação a WWE e assim provocá-la a melhorar seu produto?

– Qual o combate que mais te agradou? Por quais motivos?

– Quais deste talentos, gostarias de ver um dia na WWE, ou é melhor que se mantenham no circuito independente?

2 Comentários

  1. ANDRÉ há 2 meses

    muito bom artigo Mario, mas como ainda não vi muito do ALL IN vou ficar te devendo as respostas das perguntas sobre o evento

    Esta grande iniciativa, pode causar alguma preocupação a WWE e assim provocá-la a melhorar seu produto?
    Resp: Sim; O NXT é uma grande prova que a WWE começa a se preocupar com o que um verdadeiro fã de wrestling quer

    – Quais deste talentos, gostarias de ver um dia na WWE, ou é melhor que se mantenham no circuito independente?
    Resp: Kazuchika Okada, Kenny Omega, Tessa Blanchard, o proprio Cody Rhodes da maneira que está

    • Muito Obrigado André.

      O ALL IN, foi um belo evento de se ver. Espero que a WWE consiga nos apresentar algo bem emocionante, já no Hell in a Cell, quem sabe como um recado aos seus concorrentes.

      Omega, Okada, Blanchard e Rhodes, realmente são grandes nomes que gostaria de ver na WWE, mas para mim o grande problema é que, se viessem para a WWE, não teriam o mesmo destaque.

Comentar