Why? #8 – Porque é que os Títulos e Reinados não estão a funcionar?

Bem-vindo à oitava edição do “Why?”, o meu nome é Nuno Paço e hoje vou analisar a situação atual dos reinados e títulos da WWE. Quero com isto dizer que vou explicar porque é que alguns reinados não têm funcionado e analisar a lógica das oportunidades dadas aos wrestlers da companhia no que diz respeito à luta pelos títulos.

Para além disto, vou ainda tecer um comentário acerca do aspeto de alguns títulos atuais da WWE.

Sem mais tempo a perder: “Porque é que os títulos e reinados não estão a funcionar?”

Em 19 de julho de 2016, a WWE decidiu implementar mais uma vez a brand split, ou seja, metade do roster ficou restrito ao Raw e a outra metade ao Smackdown Live. Esta opção foi, no meu ver, uma excelente oportunidade de agitar e melhorar o produto que estava em decadência. Ora, as regras ditam que para além dos Superstars ficarem restritos a uma brand, os títulos também ficam.

Em 2016, o Raw ficou com o Universal Championship, United States Championship, Raw Tag Team Championships, Raw Women’s Championship e Cruiserweight Championship. O Smackdown Live, por sua vez, ficou com o WWE Championship, Intercontinental Championship, Smackdown Tag Team Championships e Smackdown Women’s Championship.

Nas últimas edições de ambas as brands vimos que devido à troca de Kevin Owens para o Smackdown Live e de Dean Ambrose para o Raw, os seus respetivos títulos também trocaram.

Ora, entre o dia 19 de julho de 2016 e o dia de hoje assistimos a quase 30 alterações de campeões! Sim ouviram bem, quase 30!

Isto significa que num espaço de 8 meses os títulos têm andando de um lado para o outro como se não fossem nada!

O maior reinado desde a brand extension foi o de Kevin Owens que depois de vários meses terminou em segundos num combate contra Goldberg no Fastlane.

Em 8 meses assistimos a 5 WWE Champions diferentes! E nem vou falar da situação do Raw Women’s Championship…

Agora percebo porque é que tantos nomes importantes da blue brand foram parar ao Raw esta segunda. No Smackdown Live praticamente toda a gente que tinha possibilidade de se tornar World Champion tornou-se, ou seja, no futuro os feuds iriam repetir-se e tudo acabaria por se tornar desinteressante.

Tudo isto leva-me a pensar que se a rivalidade entre John Cena e Edge fosse nos dias de hoje eles tinham ganho e perdido o título umas 10 vezes cada um numa única run.

Chamem-me old school no que diz respeito à duração dos reinados, mas na minha opinião os títulos precisam de reinados mais longos e sólidos, nomeadamente os denominados World Championships, isto é, o WWE Championship e o Universal Championship.

No que diz respeito aos próprios reinados, no caso dos heels, devem ser tratados de forma diferente. Eu entendo que os heels sejam batoteiros mas têm de deixar de ser tão covardes, nomeadamente ao nível do Main Event.

Qualquer WWE Champion ou Universal Champion tem que ser visto como uma força a temer, independentemente de ser heel ou face.

Posto isto, queria também partilhar convosco outra situação que me desconforta, isto é, a razão pela qual eu acho que não existe lógica por detrás do booking da WWE.

Quer dizer, os atletas tornam-se World Champions e depois de perderem os títulos, tornam-se Mid-card Champions?!

A sensação que fica é que os Mid-card Championships, como o Intercontinental Championship e o United States Championship servem para as experiências falhadas do Main Event quando a lógica não deveria ser essa.

Dean Ambrose e Roman Reigns logo depois de serem Campeões Mundiais passaram a ser Mid-card Champions o que me faz pensar que estes títulos vivem do sucesso de quem já esteve no topo e não do sucesso de quem está a crescer e a evoluir.

Os Mid-card Championships da WWE são títulos com prestígio que deveriam servir para ajudar atletas que ainda não tivessem tido oportunidades no Main Event a provarem o seu valor.

Por exemplo, a WWE podia ter experimentado entregar o United States Championship a Braun Strowman em vez de Roman Reigns no Raw!

No Smackdown, talvez tivesse feito mais sentido se Bray Wyatt tivesse ganho o Intercontinental Championship por um longo período de tempo em vez de ter o WWE Championship durante apenas umas semanas.

Por outro lado, se não houvesse tantos campeões mundiais poderia ser que os feuds quer do Intercontinental Championship, quer do United States Championship fossem mas interessantes.

Finalmente, queria também dizer-vos que acho que alguns designs dos títulos da WWE atuais simplesmente não convencem! E dizer que não convence é dizer que não tem credibilidade.

O prémio de maior aberração vais para os Raw e Smackdown Tag Team Championships, quer dizer, o que é aquilo?!

Para além de serem demasiado grandes, não são propriamente a coisa mais bonita que eu já vi!

O próprio Stone Cold Steve Austin disse que pareciam e passo a citar: “Two gigantic copper pennies”.

Tenho que dizer que para mim também é fácil não gostar destes títulos porque eu adorava o design dos anteriores WWE Tag Team Championships e World Tag Team Championships.

Agora é impossível não mencionar o Universal Championship e também o Raw e Smackdown Women’s Championship apenas pela falta de originalidade. Quando os títulos são todos iguais e só muda as cores tudo fica mais desinteressante.

Para além dos títulos perderem muito da sua individualidade, nenhum de nós fica curioso em saber como é que ficaria um determinado título num determinado wrestler porque se ele já ganhou o título mundial numa brand, o que lhe espera na outra brand é só uma ligeira alteração de cores.

Chego ao final deste artigo e concluo que quem cresce a ver títulos como o World Heavyweight Championship fica mal habituado!

Um obrigado a todos os leitores. Aguardo ansiosamente para ler as vossas opiniões, sugestões de títulos para futuros artigos do “Why?” e responder a perguntas que tenham. Resto de uma boa semana para todos!

Sobre o Autor

26 Comentários

  1. Já só acompanho os resultados dos shows (digo isto em quase todos os comentários) e é raríssimo ler artigos mas hoje apeteceu-me e aproveitei só para comentar e dizer que concordo plenamente com este artigo.
    Os títulos e os reinados da WWE num modo geral estão uma palhaçada e aproveito para referir que o meu titulo favorito sempre foi o World Heavyweight Championship, diferente de todos os outros. Já lá vão os tempos em que um heel tinha um titulo e o defendia de forma honesta e tinha um bom reinado..

  2. feed me more - há 6 meses

    titulo feminino do smackdown poderia ser igual ao antigo women’s title so que com o couro branco ficaria bem mais bonito seria diferente do raw.

  3. Concordo contigo. Principalmente na parte do bray waytt e da situação atual dos titulos mid-carder

  4. Cleirton Araújo - há 6 meses

    O designer do Universal Championship é decadente ,sinceramente gostava mais do World Heavyweight Championship .

  5. Anónimo - há 6 meses

    Grande artigo

  6. É bom ver que não sou o único a pensar assim. Excelente artigo, continua assim!

  7. TiagoM - há 6 meses

    Comecei a ver wrestling já há algum tempo. A primeira memória que tenho é do Triple H World Heavyweight Champion na feud com o Batista para a Mania 21. E aprendi aí, também com JBL na Smackdown como deveria ser um campeão Heel. Por isso concordo totalmente contigo, no sentido em que ambos os campeões eram temidos, quanto mais não fosse pela agressividade e pelos estrategemas que usavam para ganhar. Como dizes um campeão mundial que seja vendido simplesmente como batoteiro não é credível. No caso a figura do Triple H e do JBL deram credibilidade ao primeiro grande push quer do Batista quer do Cena. Os titulos mudarem sempre de mãos é simplesmente ridiculo, não faz sentido e não credibiliza ninguem, nem quem perde nem quem ganha apesar de, o caso do titulo feminino da RAW ser até, na minha opinião, o pior exemplo, porque apesar de ter sido ridiculo pelo menos teve sempre fortíssimas candidatas e bons combates, o mesmo não se pode dizer de mais nenhum titulo. Quanto aos titulos, disseste tudo, copiar os titulos e mudar a cor é tudo o que não se deve fazer, não entendo como é que esperam que resulte. Excelente artigo 😀

  8. Iago Marcondes - há 6 meses

    A WWE é estranha, eles não conseguem acertar nem na aparência dos títulos. O WWE Champion devia ser aquele que o Brock Lesnar usava de 2002 a 2004, o Universal Champion é rídiculo e não devia existir, o World Heavyweight Championship é muito mais bonito e histórico.

    • Nuno Paço - há 6 meses

      Para mim o World Heavyweight Championship e o WWE Championship que o The Rock estreou em 2013 foram os títulos com melhor aparência da história da WWE.

      • Tricolor Gaúcho - há 6 meses

        Eu já discordo, para mim o WWE Championship de 2005 a 2013 foi o mais bonito, com cores de ouro, dando mais credibilidade ao belt. Quanto ao Universal Championship, acho que não é aquela maravilha, mas é questão de tempo até nos acostumarmos e o título ter aquela credibilidade. A WWE começou uma nova era, e os design dos novos cinturões combina muito com essa mudança. Como disse, é questão de tempo até nos acostumarmos. Pra mim os títulos femininos serem diferenciados pelas cores das brands é algo legal. Só tem um título que não poderia mudar, que é o WWE Championship, pois aí tem muita história que não da pra ser apagada.

  9. Iago Marcondes - há 6 meses

    Concordo com o que vc disse sobre os Campeões Heels, a WWE não dá credibilidade nenhuma a seus vilões. É só olhar pro reinado do Owens, ele foi um incompetente durante o reinado inteiro.

  10. Tricolor Gaúcho - há 6 meses

    Quanto aos heels, acho que aqueles heels fujões são até legais, mas só quando acontece uma vez ou outra, pois se o cara é um covarde a todo momento como foi com o Seth Rollins em todo o seu reinado, realmente enjoa. Acho também que o cara vai ser heel fujão dependendo da aparência também, se for um wrestler mais leve e menos forte, faz sentido, agora quando é um cara mais forte como o Strowman, aí fica muito ruim.

  11. Awesome One - há 6 meses

    so nao concordo relativamente aos titulos de midcard serem apenas para talento ainda nao consolidade. Podem e devem ser destinados a esse genero de talentos mas nao só. Acho que passagens para o midcard de main-eventers que ficaram sem espaço tambem podem por vezes receber tais distinçoes. Por outras palavras nem 8 nem 80!

    em relação a reinados e curtos muito sinceramente acho que tambem devem ser alternados. Algumas vezes reinados longos e solidos outras reinados mais curtos. E que a serem sempre longos a imprevisibilidade do produto tambem morria!

  12. Luan - há 6 meses

    Concordo com muita coisa que diz. Não entendo como a WWE trata o hell sempre como covarde. Parece sempre a mesma formula com pessoas diferentes. Quando Hell vira Face vira a pessoa mais corajosa do mundo, palhaçada né

  13. Vitor Oliveira - há 6 meses

    Muito boa edição, infelizmente tenho que concorda em tudo que você falou

  14. Tobias - há 6 meses

    Ah, sobre a questão dos designers do títulos, acho mó daora, exceto os dos tag team e sobre te chamarem de old school por querer um reinado longo e sólido, para com isso você está absolutamente certo, não tem sentido nenhum ficar esse troca troca de títulos, dar pra falar que o Bray foi campeão do WWE Championship? Não, pq o reinado dele foi uma merda, ao meu ver simplesmente deram o título a ele só pra ninguém poder dizer que não reconheceram o talento dele. Então sim, nos tempos atuais também precisa de um longo reinado.

  15. CAW - há 6 meses

    Penso que o problema é que existem títulos a mais, não existe necessidade de haver 2 dois títulos femininos, nem 2 títulos de tag team.

Comentar

Editar avatar »