O nosso YouTube está de volta. Subscreve!
Frank casino

A WWE realizou este domingo mais um especial da brand amarela, no Moda Center, o NXT TakeOver: Portland, no estado do Oregon. Este foi o primeiro grande evento do NXT de 2020.

O NXT TakeOver: Portland foi transmitido na WWE Network. Subscreve aqui, o primeiro mês é grátis!

Resultados

– NXT North American Champion Keith Lee venceu Dominik Dijakovic
– Dakota Kai venceu Tegan Nox (Street Fight)
– Finn Bálor venceu Johnny Gargano
– NXT Women’s Champion Rhea Ripley venceu Bianca Belair
– BroserWeights (Matt Riddle & Pete Dunne) venceram NXT Tag Team Champions The Undisputed ERA (Kyle O’Reilly & Bobby Fish)
– NXT Champion Adam Cole venceu Tommaso Ciampa

Report

O NXT TakeOver: Portland abriu com a atuação em direto da cantora Poppy, que cantou a música oficial deste NXT TakeOver: Portland, a “Anything Like Me”.

NXT North American Champion Keith Lee venceu Dominik Djiakovic. No primeiro combate deste NXT TakeOver: Portland, os dois gigantes, desde os primeiros minutos atiraram-se um ao outro com tudo o que tinham e foram vários os contra-ataques que viraram o ímpeto do combate. Com Keith Lee junto às mesas de comentadores, Dominik Dijakovic fez um Springboard incrível para fora do ringue, onde acertou no campeão e quase se lesionou ao mesmo tempo, porque não é normal que lutadores desta estatura façam este tipo de golpes.

Como seria de esperar, os minutos finais tiveram várias false finishes e reversals incríveis, mas foi Keith Lee com o seu Big Bang Catastrophe que venceu o combate e assim reteve o seu NXT North American Championship. Depois do combate, Keith Lee abraçou Dominik Dijakovic e pediu aplausos do público também para este.

Dakota Kai venceu Tegan Nox (Street Fight). A primeira Street Fight feminina do NXT começou ainda as duas lutadoras não estavam em ringue, com Dakota Kai a atacar Tegan Nox durante a sua entrada e com as duas a deixarem toda a sua raiva vir ao de cima pelo meio do público, em direção ao ringue.

O combate acabou por ser dominado por Dakota Kai, mas nos minutos finais Tegan Nox ganhou ímpeto, e depois de um Shining Wizard, quis lesionar Dakota Kai com uma mesa, retribuindo o que a sua ex-melhor amiga lhe tinha feito. Só que tivemos a surpresa de Raquel Gonzalez, que interferiu e atirou Tegan Nox da 3ª corda contra a mesa, o que permitiu que Dakota Kai fizesse o pin e vencesse o combate.

Raquel González aliou-se depois a Dakota Kai, levantando-lhe o braço em sinal de vitória, apesar do ar surpreendido da neozelandesa em ter uma nova “aliada”.

Finn Bálor venceu Johnny Gargano. Os dois lutadores sabiam que este combate iria ser duro e começaram devagar e de forma calculista, com duas estratégias distintas: Johnny Gargano atacou o braço esquerdo de Finn Bálor, enquanto o “Príncipe do NXT” teve como alvo a perna esquerda de “Johnny Wrestling”. No entanto, os dois lutadores estavam demasiado equilibrados para haver um domínio claro deste combate.

Infelizmente este combate tinha de acabar e os últimos minutos foram frenéticos, com Johnny Gargano quase a fazer Finn Bálor desistir, mas o “Príncipe” não estava pronto a desistir e mostrou porque ele levou o NXT para um novo patamar. Depois de um Coup de Grace seguido do seu 1916, venceu o combate e mostrou que para além do passado do NXT ele é também o presente da brand amarela da WWE.

NXT Women’s Champion Rhea Ripley venceu Bianca Belair. Duas das lutadoras mais fortes da divisão feminina da WWE enfrentaram-se num confronto pouco habitual para ambas, pois tanto Rhea Ripley como Bianca Belair estão habituadas a ter a vantagem de força, mas neste caso havia um grande equilíbrio. Ainda assim, foi Bianca Belair que conseguiu grande parte do domínio do combate, apesar de nunca ter estado perto da vitória. Os minutos finais foram bastante equilibrados, mas um Riptide de Rhea Ripley deu-lhe a vitória.

Porém, a noite da NXT Women’s Champion Rhea Ripley iria acabar da pior maneira, pois Charlotte Flair atacou “The Nightmare” pelas costas, tendo anunciado depois que aceitava o seu desafio e que as duas iriam lutar pelo NXT Women’s Championship na WrestleMania 36. A “Queen” continuou o ataque, tendo atacado novamente Rhea Ripley e também Bianca Belair fora do ringue.

Broserweights (Pete Dunne & Matt Riddle) venceram NXT Tag Team Champions The Undisputed ERA (Kyle O’Reilly & Bobby Fish). Mais um combate que começou ainda antes do árbitro dar ordem para que isso acontecesse, os quatro lutadores queriam acabar o combate o mais rápido possível. Porém, o ritmo baixou quando os Undisputed ERA começaram o domínio do combate, atacando a perna esquerda de Pete Dunne.

O domínio durou vários minutos, até que Matt Riddle entrou em ringue e “limpou a casa”, dominando a Undisputed ERA. No entanto, o combate ainda estava bem longe de terminar e ambas as equipas quase fizeram a outra dupla desistir, mas não seria aí que o combate acabaria.

Quando parecia que a inexperiência dos BroserWeights enquanto equipa iria ser um factor decisivo, foi precisamente o contrário, com Pete Dunne e Matt Riddle a conseguirem virar o combate do avesso, com rápida ofensiva em conjunto. Depois de uma combinação de pontapés, venceram o combate e tornaram-se os novos NXT Tag Team Champions.

NXT Champion Adam Cole venceu Tommaso Ciampa. O main event começou num ritmo baixo que foi imposto por Tommaso Ciampa, focando quase todo a sua ofensiva em headlocks. Porém, o primeiro grande momento de viragem de domínio seria quando Adam Cole aplicou um Wheelbarrow German Suplex em Tommaso Ciampa contra a mesa de comentadores. A partir daí, toda a ofensiva do NXT Champion foi focada no pescoço do “Psycho Killer”.

No entanto, Tommaso Ciampa não veio a Portland para perder e lutou com tudo o que tinha e conseguiu equilibrar o combate de forma espetacular, com vários golpes incríveis, como uma Powerbomb na mesa de comentadores e um Air Raid Crash da segunda corda.

Os últimos cerca de 10 minutos de combate são quase impossíveis de descrever, tal foi o número de false finishes que existiram. Perto do final, já os outros membros da Undisputed ERA estavam perto do ringue. Apesar de não terem tido efeito prático para o combate, visto que Tommaso Ciampa conseguiu livrar-se deles e continuava a sobreviver a tudo o que Adam Cole lhe aplicava.

Porém, a grande surpresa aconteceu com o árbitro já deitado no chão, e foi quando Johnny Gargano chegou perto do ringue e parecia que vinha ajudar Tommaso Ciampa, mas a realidade foi bem diferente… O “Johnny Wrestling” pegou no título do NXT e atacou Tommaso Ciampa com o mesmo, o que permitiu a Adam Cole fazer o pin e assim reter o seu NXT Championship, em mais um combate de excelente qualidade.

 

O que achaste deste WWE NXT TakeOver: Portland?

23 Comentários

  1. Este Dijakovic minha nossa, sempre a inovar.

  2. Johnny Wrestling, Let’s go Finn, este público está animado.

  3. É oficial: Charlotte vs Rhea na WM

  4. 🎵 Riddle is gonna smoke you🎵 este público sempre a cantarolar.

  5. Johnny Gargano seu….😡😡😡

  6. jefferson silva2 meses

    excelente evento como sempre

  7. Lucaspunk2 meses

    meu deus quanta reviravolta teve entre Ciampa e Adam cole, até me surpreendi c o Gargano chegando e ajudando o Adam, muito boa msm, 5 estrelas fácil

  8. BRRM2 meses

    Acaba por se tornar algo repetitivo falar sobre a qualidade dos Takeovers mas a verdade é que o NXT simplesmente não falha na hora de produzir um evento deste calibre.

    Lee vs Dijakovic – combate mesmo muito bom cheio de spots que me deixaram boquiaberto. Definitivamente uma ótima forma de encerrar a rivalidade entre estes dois (pelo menos por agora).

    Kai vs Nox – a interferência no final não foi feita de forma muito eficaz imo mas, de resto, o combate estava decorreu com o nível de storytelling e agressividade que a storyline pedia

    Bálor vs Gargano – um belo wrestling match que será facilmente apreciado tanto por quem gosta do estilo de wrestling atual (com um estilo mais frenético) como pelos fãs do wrestling mais clássico e metódico.

    Ripley vs Belair – combate bastante agradável entre duas das wrestlers femininas com um futuro mais promissor. Ainda não sei bem o que pensar sobre Rhea vs Charlotte mas tenho esperança que possa sair algo de muito bom daqui.

    Broserweights vs Undisputed Era – combate com ritmo de cortar a respiração. Os novos campeões formam uma dupla deveras interessante e gostava de vê-los a ter um reinado com uma boa duração antes da inevitável separação que deverá levar a uma grande rivalidade entre os dois.

    Cole vs Ciampa – pode-se dizer que o final foi um tanto overbooked mas, de qualquer maneira, foi um excelente combate em que não faltou intensidade, storytelling, fluidez e emoção.

  9. Sasha sit on my face2 meses

    DAMN IT Raquel Gonzalez, tu tinhas uma única tarefa e conseguiste botchar 😅

  10. Brito2 meses

    Acho que os main event dos Takeover sofrem do mesmo problemas que as lutas do Triple H, no começo você pensa o quão legal a luta esta, mas sempre chegar um momento que se sente que a luta está demasiado longa.

    • Flávio Jr2 meses

      Quando você aprecia uma coisa, n de importa com o tempo que vai levar, somente aprecia…

    • Brito2 meses

      É difícil apreciar algo repetitivo.

    • Leleco1 mês

      Eu consigo apreciar de boa, sem dificuldade nenhuma, se para você é longo, para mim é pura emoção.

      Fight forever!

  11. John2 meses

    Um dos melhores TakeOvers dos ultimos anos from start to finish. Belissima montra do talento fabuloso da NXT neste momento

  12. Muito bom NXT TakeOver: Portland! Já seria de esperar dada a alta reputação que o NXT criou em termos de qualidade dos seus eventos especiais, mas este é capaz de ter sido dos melhores dos últimos 12 meses no cômputo geral.
    O opener foi do c******, o segundo combate também foi surpreendentemente bom até àquela parte final um bocado estranha (botch da mesa e desconhecimento da crowd em relação a Raquel Gonzalez), Finn Bálor vs Johnny Gargano foi top e ainda acho que podiam ter dado mais, o combate pelo título feminino achei que foi o mais fraquito mas mesmo assim teve alguns momentos bacanos, o tag team title match foi brutal (aquela dupla dos BroserWeights é fantástica, arrepiou quando ganharam e toda a gente gritou de alegria) e o main event então foi match of the night e talvez um dos melhores de 2020 (teve tudo: contra-ataques, interferências, false finishes, bumps de árbitros e traição inesperada no final).

  13. Rui Oliveira2 meses

    Mais um TakeOver simplesmente incrível !!

  14. El Cuebro2 meses

    TakeOver e NXT, duas coisas que empolgam muito e não foi diferente ontem, parabéns!!

  15. pedrooo2 meses

    Nao queria nada a Charlotte no NXT

  16. TakerVanderVaart231 mês

    Que grande show que o NXT deu ontem! Fantástico mesmo

  17. Anónimo1 mês

    Sem dúvida alguma foi um excelente Takeover com combates cheios de grande qualidade!

  18. lone wolf1 mês

    Nxt sempre em alta!
    Isto sim dá gosto de ver.
    Intensidade sempre no máximo

  19. Kick_Ass1 mês

    Takeover muito bom!!
    O unico ponto negativo foi a estreia da Raquel Gonzalez que não teve nenhum impacto…