Frank casino

Como todos sabemos, a pandemia do coronavírus virou o mundo do avesso, com a indústria do Wrestling a ter sido uma das poucas indústrias que mesmo tendo sido afectada, pôde continuar a sua atividade, apesar dos eventos não poderem ter público.

No entanto, durante algumas semanas houve bastante incerteza se o Wrestling teria de ser parado tal como aconteceu com quase todas as outras atividades do mundo do desporto e da arte.

Agora, em entrevista ao podcast de Wade Keller, o ex-writer da WWE, Chris DeJoseph falou das várias ideias que foram pensadas caso não se pudesse fazer combates de Wrestling.

Nós tivemos uma altura em que não sabíamos se os lutadores poderiam lutar uns contra os outros. Então foi-nos pedido uma lista de ideias fora do comum, para que pudessem estar preparados para o caso de os combates serem proibidos.

Desde a programas de culinária, a lutas nos escritórios, até a possibilidade dos lutadores só aparecerem por Zoom, foi tudo pensado e ponderado, pois não sabíamos o que poderia acontecer.

Chris DeJoseph, que foi despedido da WWE em Maio deste ano, revelou também que a empresa sempre quis ter público presente nos eventos, nem que fosse de forma virtual, algo que vai ter a partir do próximo SmackDown, com o ThunderDome.

Sempre houve bastante discussão sobre termos fãs “virtuais” nos programas televisivos. Ao início a FOX ia fazer isso no SmackDown, mas depois de ter experimentado na NASCAR não gostaram do resultado final e então essa ideia foi abandonada.

Foi sempre algo que na WWE queriam ter, mas ao mesmo tempo tinham medo de o fazer, porque nem sempre a reação dos fãs é o que se quer e depois como se começou a gravar os eventos com antecedência, essa ideia foi abandonada, mas ter fãs “virtuais” foi algo logo pensado nas primeiras semanas.

A verdade é que basicamente estávamos a atirar ideias “contra a parede” para ver se alguma colava. Até chegou a haver conversas para termos fãs como os dos videojogos, porque a verdade é que ninguém sabia o que poderia fazer ou o que iria funcionar, porque estamos a falar de um novo mundo basicamente.

Nós víamos como outros programas ou desportos estavam a lidar com a situação e tentávamos pensar como poderíamos fazer isso na WWE.

Eu cheguei a sugerir ter várias lendas por semana, só para fazerem algumas promos e assim acrescentar algo de diferente todas as semanas, porque a verdade é que não sabíamos sequer se havia hipótese de haver combates e tínhamos de pensar como iríamos fazer se isso acontecesse.


O que pensas que poderia ter acontecido, caso a WWE tivesse sido proibida de ter combates de Wrestling?

6 Comentários

  1. Eu adoro Wrestling, e como qualquer coisa que gostamos quando não podemos ver ficamos tristes, mas a verdade é que não acabaria o mundo se não houvesse combates de Wrestling, ainda hoje me rio daquela ” o Wrestling é essencial”. Conseguiram levar a deles adiante mas arriscaram bastante a saúde de todos e como é óbvio Wrestling sem público não é Wrestling e estes meses têm sido os piores para assistir, aliás isso reflete se nas audiências

    • Surf2 meses

      Consigo ver wrestling sem público ao menos e muitos outros devem conseguir também, o público é so um bônus

    • Só um bónus? Então claramente não temos a mesma visão sobre o pro Wrestling, na minha opinião e acho que da maioria como as audiências mostram concordam que o público é a alma do negócio

    • Os combates sem público ficam sem emoção, e para nós que vemos às 2/3 da manhã às vezes quase que se adormece. Acho a crowd fundamental e ter aqueles: one, two, ohhh 😂 e aqueles cânticos que às vezes dão boosts a muitos combates.

  2. Se bem me recordo antes do recolhimento obrigatório nos EUA, a WWE tinha gravado até ao RAW pós Wrestlemania, e como era após um ppv não ia haver muito problema em parar já que podiam dizer que era o fim daquelas histórias, isto olhando só para o lado das feuds. Financeiramente a WWE ia ter mesmo de demitir aqueles lutadores que chegou a demitir e talvez muitos mais.

  3. Anónimo1 mês

    Se não pudessem fazer combates, óbvio que isso ia afetar a WWE sem dúvida. Fosse a WWE ou outras empresas, se tivessem proibidas se realizar os shows normalmente, todas iam sofrer com isso, umas mais que outras, mas iam sofrer.