O Royal Rumble é um dos maiores eventos anuais da WWE e é quase sempre certo que esta consegue esgotar a arena onde o realiza, mas a pandemia da COVID-19 com a contagiante variante Ómicron cria hoje alguma incerteza.

Segundo a St. Louis FOX, a WWE está à procura de pessoas que possam ser pagas para assistir ao vivo ao Royal Rumble, que se realiza no dia 29 de Janeiro no The Dome at America’s Center em St. Louis, Missouri.

A WWE parece querer garantir que ocupará eventuais lugares vazios que possam surgir nas bancadas da arena, sobretudo nas primeiras filas e captadas pelas câmaras, quer seja por os bilhetes não terem sido vendidos ou por os seus compradores não terem ido assistir ao evento por algum motivo.

Segundo o WrestleTix, a WWE já vendeu mais de 26 mil bilhetes de um total de quase 30 mil, pelo que tendo em conta os milhares de norte-americanos que estão em isolamento, a última hipótese parece ser a mais provável.


Achas que a WWE faz bem em tentar garantir que o Royal Rumble não terá lugares vazios?

7 Comentários

  1. Zickelous2 semanas

    É só fazer eventos de qualidade que não sobra nada

    • joao (diferenciado)2 semanas

      o problema é a malta que compra bilhetes e depois fica em isolamento… sabes ler??

  2. El Cuebro2 semanas

    Para mim não é uma boa ideia lotar o estádio em St. Louis considerando a pandemia nos USA agora e como a WWE vem sofrendo com nomes que pegaram a covid, é bom garantir a proteção e segurança de todos os envolvidos no evento, no mais que o Rumble ainda possa ser um grande evento como tem sido nos últimos anos, para mim é o melhor evento da empresa, até a frente da Mania! Se querem ocupar lugares poderiam apelar para os torcedores de papelão como aconteceu no SuperBowl!

  3. Ronaldo2 semanas

    Pq ao invez de pagar alguém pra assistir não abaixam os preços pra comprarem mais ingressos?

    • joao (diferenciado)2 semanas

      o problema é a malta que compra bilhetes e depois fica em isolamento… sabes ler?

    • Ronaldo2 semanas

      Caramba Joao, vc é diferenciado mesmo

  4. É sempre que se tenha a casa cheia!