10 – Bret Hart vs Stone Cold Steve Austin, Submission match, Wrestlemania 13

Talvez não seja aquele banho de sangue em que já não se reconhecem caras, mas estamos a abrir a contagem. É claro que a coisa vai ficar bem mais feia daqui para a frente, à medida, que isto avança. E até achei que era um bom combate introdutório. O encontro deveras sangrento entre Stone Cold e Bret Hart na Wrestlemania que se realizou e celebrou em 1997.

Também por ter sido tão significativa e pelo seu tremendo impacto. O combate por acaso até era de submissão logo não era nenhuma estipulação hardcore que os colocava às pauladas nos queixos uns aos outros. Seria um combate bem mais científico, por assim dizer, um demonstrar de técnica, especialmente de Bret Hart que, nesse ambiente, está em casa. Mas a coisa pôs-se feia e já havia bastante sangue a verter sobre o rosto de Stone Cold Steve Austin, a coisa tornou-se bem mais violenta que aquilo que se esperava daquele combate e o ringue já se começava a tingir com a tinta natural proveniente da testa de Austin.

Foi muito significativo pelo momento final. Preso no Sharpshooter, o Texas Rattlesnake, a pingar sangue, recusa-se a desistir e claro que Bret se recusa a largar. Austin acaba por desmaiar com a perda de sangue e com a dor da manobra. Um final histórico marcante por várias razões: a violência do momento foi um dos principais pontapés-de-saída para a Attitude Era que, na altura, era um embrião já a desenvolver-se. A dureza de Stone Cold iniciou-lhe a imensa e imparável popularidade, enquanto a atitude agressiva de Bret, tanto durante como após o combate, tornou-o um vilão. Não eram os seus papéis iniciais, dando-se uma histórica e rara “double turn.” Isso enquanto Austin dormia uma sesta no próprio sangue.

15 Comentários

  1. Jaumzinho2 semanas

    Às vezes até adiciona mais interesse aos combates

  2. MC2 semanas

    “…estavam prontos para armar o barraco dentro do barraco de aço. E que belo barraco encarnado saiu dali. Ambos sangraram em abundância. Undertaker, lesionado numa mão, tomou partido do gesso para abrir a cabeça de Lesnar, o primeiro a encharcar a zona.

    Undertaker foi à bruta, com a ajuda dos degraus de aço e num instante já esguichava mais que Lesnar. Todo o tempo foi porrada velha para ter a certeza que as feridas ficavam abertas…”

    Nem sei bem porquê, mas o que eu me ri com isto em plena noite silenciosa. A boa disposição bem patente em cada Top Ten, até em assuntos destes faz dele um artig que até dá gosto ler. Raramente comento mas acompanho sempre. Parabéns!

    Quanto a adicionar alguma entrada, parece-me ser da mesma geração que o autor e como não sou pessoa de ir ver combates do passado, não creio ser a pessoa mais indicada para falar de outras entradas, mas fiquei um pouco surpreso por não ver o Flair mais vezes aqui. Se calhar seria demasiado óbvio!

  3. Eu partilho da opinião do MC, acho que nunca comentei nenhum Top Ten mas acompanho sempre e adoro, continua que tás top!

  4. É uma pena não haver conteúdo deste hoje em dia… o sangue era sempre um boost para a emoção dos combates, tornava tudo mais real, não sei se era por também ser puto nessa altura mas parecia que tudo era improvável qualquer um podia ganhar dada a violência dos combates, acho que faz muita falta hoje em dia embora ache que muita gente não iria reagir bem aos poucos iam comendo e calando, o que é certo é que é perigoso sim mas John Cena está vivo, Mick Foley está vivo, Taker está vivo, HHH está vivo, HBK está vivo, Ric Flair está vivo… quer dizer.. ninguém morreu, muito pelo contrário, sobreviveram e tornaram-se grandes estrelas grandes lendas fazem parte de uma época que o pessoal recorda com emoção, hoje em dia temos crianças a crescer a ver Wrestling e a dizer olha amanhã há PPV vai haver estes 3 combates no combate 1 ganha x no 2 ganha x e no 3 ganha x… é muito previsível e pouco emocionante, há até alguns bons combates mas aos poucos torna-se mais do mesmo bons flips para aqui bons flips para ali mas não há metade da emoção e daquele sentimento de desconforto que existia com esta violência com estas imagens gráficas algo que eu considero algo bastante positivo, hoje em dia que temos muito mais cuidados médicos deixou de haver estas coisas xD Basta ver a diferença entre o HIAC da 1º década de 2000 e o HIAC de 2019… The Fiend vai para uma maca por causa de uma marretada numa caixa que estava em cima de um escote que estava em cima de uma cadeira… quer dizer…. só falta meter uma almofada entre a cabeça e o resto para minimizar o impacto xD isto tira o entusiasmo e o desconforto a preocupação etc de ver a maca a chegar etc.

    Resta-me dizer que está aqui um bom artigo… excelente trabalho.

    • Brock Lesnar vs Zach Gowen SD 2003
      Um combate curto mas que também acabou por ficar marcado pelo episódio sangrento, ainda por cima o facto do Lesnar destruir de cara alegre um lutador com um físico aparentemente “frágil” um rapaz magro ainda por cima com uma perna amputada e bem em frente à familia do Zach em plena cidade natal do Zach tornou o combate ainda mais agressivo, especial e polémico mesmo sendo um combate curto de show semanal.

    • Algoritmo2 semanas

      Tens conteúdo desse na AEW. Só que a tua cegueira à WWE não te permite ver isso.

    • Fizeram um combate no Full Gear uau.. parabéns flor

  5. vince2 semanas

    Obrigado pela nostalgia tremenda que este artigo suscitou em mim 😀

    • Algoritmo2 semanas

      Vê AEW e a nostalgia desaparece logo

    • vince2 semanas

      Nostalgia não é uma coisa má para ser substituida , principalmente neste ponto em que a aew nada tem haver com estes tempos da wwe

    • Algoritmo2 semanas

      AEW só pode ser comparada à Attitude Era. A diferença é que a AEW é muito mais realista!

    • Deixa-me rir Algoritmo… Sim, o que o Mark Stunt, Rhio etc têm mais é “realismo”.

  6. Rocky Marciano2 semanas

    Bons momentos sangrentos mesmo, as lutas do Triple H eram brutais, um que eu colocaria seria Edge vs Mick Foley no Wrestlemania 22, que é um das minhas favoritas

  7. JOAO PEDROOOOO2 semanas

    Não digo que deva haver sempre, mas é claro que estes combates também fazem falta. Acima de tudo, hoje parece que nos vendem uma serie da Netflix quando a pessoa está à espera de ver um combate de box (quero deixar a diferença para o UFC, que isso seria mais hardcore), com uma história que faça sentido por trás e não só porque sim ou porque há um título em jogo. É isso que deve ser o wrestling, que parece que está a acabar.