A All Elite Wrestling realizou este domingo, dia 5 de Setembro, na Now Arena em Chicago, Illinois, o seu terceiro pay-per-view do ano e um dos maiores da sua história, a 3ª edição do All Out.

O AEW All Out foi transmitido na FITE TV. Subscreve aqui!

A AEW ainda não disponibilizou vídeos do All Out no seu canal de YouTube.

Resultados

– Jurassic Express (Jungle Boy & Luchasaurus) & Best Friends (Orange Cassidy, Chuck Taylor & Wheeler Yuta) venceram Hardy Family Office (Matt Hardy, The Hybrid2 (Angelico & Jack Evans) & Private Party (Isiah Kassidy & Marq Quen)) (Buy In)
– TNT Champion Miro venceu Eddie Kingston
– Jon Moxley venceu Satoshi Kojima
– AEW Women’s World Champion Britt Baker venceu Kris Statlander
– Lucha Bros (Penta El Zero Miedo & Rey Fenix) venceram AEW World Tag Team Champions Young Bucks (Matt & Nick Jackson) (Steel Cage Match)
– Ruby Soho venceu a Women’s Casino Battle Royale
– Chris Jericho venceu MJF
– CM Punk venceu Darby Allin
– Paul Wight venceu QT Marshall
– AEW World Champion Kenny Omega venceu Christian Cage

Vídeos

Watch Wrestling

Report

– Jurassic Express (Jungle Boy & Luchasaurus) & Best Friends (Orange Cassidy, Chuck Taylor & Wheeler Yuta) venceram Hardy Family Office (Matt Hardy, The Hybrid2 (Angelico & Jack Evans) & Private Party (Isiah Kassidy & Marq Quen)) (Buy In): O quinteto dos Jurassic Express e Best Friends dominou a Hardy Family Office durante bastante tempo, sendo que a equipa liderada por Matt Hardy só de tempos a tempos conseguia ter alguma ofensiva.

O combate acabou por ser bastante confuso, com as duas equipas a não quererem saber das regras e com vários lutadores a estar em ringue ao mesmo tempo, e no final Jungle Boy aplicou o seu Snare Trap em Angelico e fez o lutador desistir.

Já depois do combate terminar, tivemos a Hardy Family Office a atacar Orange Cassidy, em especial com The Butcher a regressar aos ringues e a usar toda a sua força. O grupo liderado por Matt Hardy queria cortar o cabelo ao carismático lutador, mas vários lutadores saíram do balneário e vieram em ajuda aos Best Friends.

A seguir foi transmitido um video promocional da estreia do reality show Rhodes to the Top, sobre a vida e família de Cody & Brandi Rhodes, que acontecerá no próximo dia 29 de Setembro no canal TNT.

Ainda no Buy In, tivemos Dan Lambert a insultar a All Elite Wrestling, sendo que o duo de Ethan Page e Scorpio Sky mostrou-se com vontade de lutar e o fundador da American Top Team afirmou que todos estão à espera que ele diga quem eles têm de atacar e hoje pode ser o dia em que isso acontece.

Terminado o Buy In tivemos então o início do All Out em si…

– TNT Champion Miro venceu Eddie Kingston: Eddie Kingston entrou neste combate com um plano bastante óbvio, que era atacar o pescoço de Miro, que tentou fugir ao máximo, sendo que fora do ringue conseguiu virar este opener a seu favor com um grande Slam, sendo que usou os postes do ringue para deixar o adversário por terra.

O domínio do “Redeemer” durou alguns minutos, mas já sabemos que o “Mad King” não se deixa ficar por muito tempo e começou a ter alguma ofensiva, e com um Saito Suplex equilibrou as contas desta contenda. O pescoço do TNT Champion continuou a ser o alvo de Eddie Kingston e por várias vezes quase tivemos um novo campeão, tal como tivemos o búlgaro a quase vencer quando aplicou o seu Game Over.

Eddie Kingston quase venceu com um DDT, mas o árbitro estava distraído com o turnbuckle que estava exposto e já não conseguiu a contagem de 3. No final e sem o árbitro ver, Miro acertou um low blow e depois de dois grandes pontapés venceu este combate e reteve o seu TNT Championship.

– Jon Moxley venceu Satoshi Kojima: Os dois lutadores entraram com tudo e tivemos uma brawl desde o primeiro segundo, e de forma surpreendente até foi o veterano japonês que foi levando a melhor nos primeiros minutos.

O equilíbrio foi a nota de destaque deste embate, mas ainda assim Satoshi Kojima foi dominando o “Death Rider”, apesar deste nunca se ter deixado dominar por completo. Com o passar dos minutos, o cansaço foi começando a aparecer e com isso as quase vitórias também.

No final, o novo GCW World Champion Jon Moxley conseguiu evitar a Lariat de Satoshi Kojima e depois de acertar dois Paradigm Shifts venceu o combate, acabando até por depois mostrar enorme respeito à lenda japonesa.

Assim que o combate terminou tocou a música de Minoru Suzuki e a Now Arena explodiu ao ver o lendário lutador a dirigir-se ao ringue e a ficar cara a cara com Jon Moxley.

Os dois divertiram-se numa brawl que não foi parada por ninguém, sendo que Minoru Suzuki levou a melhor ao ter acertado o seu Gotch-Style Piledriver.

– AEW Women’s World Champion Britt Baker venceu Kris Statlander: A candidata ao título entrou melhor neste combate, sendo que as duas tentaram um início mais técnico, e a campeã teve de fazer um pouco de batota para colocar-se no controlo desta contenda.

Ainda assim, Kris Statlander não se deixou ficar e voltou a virar o ímpeto a seu favor. As duas lutadoras continuaram a dar tudo e quase venceram por várias vezes, sendo que a força da alien residente da AEW foi um problema para Britt Baker e até chegou a parecer que íamos ter nova campeã.

Ainda assim, no final Britt Baker acertou um Pittsburgh Sunrise e virou tudo a seu favor, tendo em seguida aplicado o seu Lock Jaw e assim mantêm-se como a AEW Women’s World Champion.

Nos bastidores, Andrade El Idolo mostrou-se irritado por PAC não estar no All Out, afirmando juntamente com Chavo Guerrero que o “Bastard” só não está aqui porque tem medo. O jovem mexicano prometeu de seguida que vai vencer o seu rival quando os dois se enfrentarem no próximo AEW Rampage.

– Lucha Bros (Penta El Zero Miedo & Rey Fenix) venceram AEW World Tag Team Champions Young Bucks (Matt & Nick Jackson) (Steel Cage Match): Este Steel Cage Match começou num ritmo louco, onde os Lucha Bros começaram por levar a melhor, tendo até usado a jaula como arma, mas os Young Bucks viraram o ímpeto a seu favor.

Depois de um longo domínio, os Lucha Bros voltaram a ter alguma ofensiva e com o passar dos minutos as false finishes foram começando a aparecer, mas os campeões continuaram a ter o ímpeto do seu lado.

Brandon Cutler atirou um saco para dentro da jaula, saco esse que tinha um ténis com pioneses, que foi usado para acertar um Superkick em Penta El Zero Miedo. Assim, os Young Bucks pareciam que iam vencer depois de um BTE Trigger, mas Rey Fenix de forma inesperada salvou o combate.

Do nada, Rey Fenix ganhou energia onde não tinha e virou o combate do avesso, tendo até usado o ténis com pioneses, mas ainda assim o combate não terminou e de forma surpreendente os quatro lutadores foram continuando na luta de forma quase impossível de acreditar.

Rey Fenix decidiu então que era uma boa altura de subir à jaula e acabou a voar para cima dos outros três lutadores, e isso virou o combate a favor dos Lucha Bros. No final, a dupla de luchadores conseguiu mesmo arrecadar a vitória e conquistaram os AEW World Tag Team Championships.

– Ruby Soho venceu Women’s Casino Battle Royale: Hikaru Shida, Skye Blue, Emi Sakura, The Bunny e Abadon foram as cinco primeiras lutadoras a entrar nesta Women’s Casino Battle Royale e foi a jovem Skye Blue a primeira a ser eliminada, sendo que Abadon foi eliminada logo em seguida.

As cinco lutadoras que entraram a seguir foram Anna Jay, Kiera Hogan, Kilynn King, Diamante e Nyla Rose. A confusão foi aumentando e com isso as eliminações também foram a ser cada vez mais frequentes, sendo que foi com surpresa que vimos Nyla Rose a eliminar a ex-campeã Hikaru Shida.

Thunder Rosa, Penelope Ford, Riho, Jamie Hayter e Big Swole foram o terceiro grupo de lutadoras a entrar nesta Women’s Casino Battle Royale. Jamie Hayter deixou a sua marca neste combate, pois do nada eliminou Riho e Big Swole. Já as cinco lutadoras do quatro grupo foram Tay Conti, Red Velvet, Leyla Hirsch, Jade Cargill e Rebel.

A Joker deste combate foi Ruby Soho, que entrou debaixo de uma grande ovação do público no All Out, sendo que tivemos uma grande surpresa quando Nyla Rose eliminou Jade Cargill pelas costas.

Já depois de Tay Conti e Penelope Ford terem sido eliminadas, Ruby Soho e Thunder Rosa perceberam que tinham de fazer equipa para tentar eliminar Nyla Rose, mas ainda assim a “Native Beast” foi levando a melhor, até finalmente ser eliminada por Thunder Rosa.

As duas decidiram dar tudo uma contra a outra e tentar mostrar quem era a mais rija, e a luta levou-nos para o apron e depois de alguns minutos tivemos Ruby Soho com um grande pontapé a conseguir eliminar Thunder Rosa, e assim venceu esta Women’s Casino Battle Royale.

Na entrada para o próximo combate, MJF decidiu brincar com os fãs da AEW e com Chris Jericho…

– Chris Jericho venceu MJF: O combate entre estes rivais começou de forma bastante agressiva, e tanto dentro como fora do ringue, Chris Jericho esteve melhor que MJF. No entanto, com alguma batota à mistura, o jovem virou o combate a seu favor.

MJF fez do braço esquerdo do “Le Champion” o seu alvo preferencial de ataque, tendo dominando durante vários minutos, mas acabou por cometer um erro fora do ringue ao tentar acertar um Asai Moonsault, tendo acabado a levar uma Powerbomb no apron.

O veterano foi equilibrando o embate, mas MJF parecia continuar um passo à frente, apesar de estar claramente incomodado com dores na sua lombar. Wardlow ainda tentou vir interferir, mas Jake Hager não deixou que isso acontecesse. No entanto, esta confusão abriu espaço para que MJF acertasse com o taco de baseball em Chris Jericho, tendo em seguida acertado o Judas Effect e fez o pin, tendo sido feita a contagem de 3.

No entanto, Chris Jericho tinha o pé na corda. Apesar deste embate ter supostamente terminado, um dos árbitros da AEW veio informar Aubrey Edwards do seu erro e depois de termos “ido ao VAR”, o combate recomeçou. Ainda assim, parecia que MJF ia fazer Chris Jericho desistir, mas o veterano aplicou o seu Walls of Jericho e fez o jovem desistir. Assim, “Le Champion” pode continuar a sua carreira na All Elite Wrestling.

Depois da estreia no AEW Rampage de há umas semanas, CM Punk voltou a receber uma ovação estrondosa do seu público de Chicago, rumo ao seu combate de regresso, o primeiro em mais de 7 anos.

– CM Punk venceu Darby Allin: O combate começou de forma lenta e metódica, com os dois lutadores a tentarem mostrar toda a sua técnica, sendo que Darby Allin tentou usar a sua velocidade, mas o “Second City Saint” usou a sua maior força para colocar o combate a um ritmo que lhe interessasse.

Depois de um domínio de vários minutos, Darby Allin conseguiu finalmente usar toda a sua velocidade e virou o combate do avesso, e até parecia estar no controlo, mas CM Punk do nada acertou um GTS, mas o antigo TNT Champion caiu fora do ringue.

Darby Allin foi lutando pela sua sobrevivência e foi então que decidiu que estava na altura de arriscar, e da terceira corda atirou-se para fora do ringue.

Já dentro deste, parecia que íamos ter o Coffin Drop, mas CM Punk desviou-se à última. Depois de vários contra ataques, o “Second City Saint” conseguiu meter o adversário aos ombros e aplicou mais um GTS, e venceu este combate de regresso.

Já depois do combate terminar, Sting veio ao ringue e apertou a mão de CM Punk, mostrando o respeito pelo lutador, sendo que depois de Darby Allin se levantar, os dois adversários cumprimentaram-se e mostraram respeito mútuo.

– Paul Wight venceu QT Marshall: Paul Wight dominou desde cedo e sem problemas, sendo que QT Marshall ainda tentou atacar as pernas do gigante. Depois de arrumar com Aaron Solo e Nick Comoroto, Paul Wight acertou o seu Chokeslam e venceu assim o seu primeiro combate na AEW.

Nos bastidores vimos Jon Moxley a falar do combate que terá contra Minoru Suzuki no AEW Dynamite da próxima quarta-feira e explicou que ele está preparado para acabar com o veterano.

A seguir tivemos Malakai Black, que explicou que quando uma pessoa está zangada comete erros e que Dustin Rhodes pode pensar em tudo o que ele já fez à sua família e amigos, mas que no Dynamite ele vai pagar o preço.

– AEW World Champion Kenny Omega venceu Christian Cage: O Impact World Champion entrou a toda a velocidade neste main event do All Out, mas fora do ringue tivemos Kenny Omega a usar uma mesa para ganhar algum controlo.

O AEW World Champion foi dominando assim o seu rival durante alguns minutos, mas Christian Cage já nos mostrou durante a sua carreira que nunca se dá por vencido e com o passar dos minutos foi começando a criar algum ímpeto e equilibrando este main event.

O cansaço passou a ser um factor neste embate e apesar da maior experiência do “Instant Classic”, Kenny Omega estava melhor nesta fase. No apron, o “The Cleaner” tentou atirar Christian Cage através de uma mesa que estava do ringue, mas o veterano, depois de alguns momentos de luta, aplicou um Spear no AEW World Champion e os dois acabaram por atravessar a mesa.

As false finishes foram aparecendo por parte dos dois lutadores, sendo que quando o “Instant Classic” estava perto de vencer os Good Brothers tentaram ajudar o AEW World Champion, mas ainda assim Christian Cage conseguiu acertar o seu Killswitch e quase surpreendeu todo o mundo.

No final, Christian Cage pensou em acertar o Killswitch da terceira corda, mas foi contra-atacado e Kenny Omega da terceira corda acertou o seu One Winged Angel e reteve o seu AEW World Championship.

Já depois do combate terminar, The Elite juntou-se no ringue para festejar e atacar Christian Cage, sendo que os Jurassic Express tentaram ajudar o seu amigo, mas de nada serviu. Kenny Omega pegou no microfone e disse que qualquer pessoa que o possa vencer está morto ou retirado, e foi então que as luzes se apagaram e tivemos Adam Cole a aparecer. Só que quando parecia que este ia enfrentar Kenny Omega, atacou Jungle Boy e deu um abraço aos The Elite.

Quando parecia que o All Out ia terminar, tivemos Bryan Danielson a fazer a sua estreia na All Elite Wrestling. O “American Dragon” não veio para conversar e partiu rapidamente para ação, e com ajuda dos Jurassic Express limparam a casa, tendo o ataque terminado com um Busaiku Knee.


O que achaste deste AEW All Out?

64 Comentários

  1. JOAOPEDROOOOOOOOOOOOOOOO2 semanas

    Se quiserem ver um dos combates do ano, assistam ao Lucha Brothers vs Young Bucks! Que combate fantástico!

    • Facebook Profile photo
      Rened2 semanas

      Esse me surpreendeu bastante também, com certeza marcou para a história da AEW.

  2. diego soares2 semanas

    caralho primeira vesz que to assistindo um ppv da AEW, que luta essa dos lucha brothers pqp

  3. Hugo Rego2 semanas

    Meus amigos, tivemos aqui o combate do ano… Em tantos anos de wrestling não me lembro de ver um combate de equipas tão bom quanto este!
    Parabéns AEW
    Parabéns Young Bucks
    Parabéns aos novos campeões Lucha Bros!

  4. Guilherme2 semanas

    Uns dos melhores se não for o melhor combate em jaula que eu já vi.

  5. Sérgio2 semanas

    PPV OF THE YEAR!!!!!!!!

  6. Valente2 semanas

    Mas que noite meus senhores.

  7. JOAOPEDROOOOOOOOOOOOOOOO2 semanas

    Um dos melhores PPV de sempre e neste momento a AEW tem tudo para fazer um game change.

    – Adam Cole Bay Bay!
    – Bryan Danielson YES YES!

  8. Italo2 semanas

    foda

  9. Ronaldo2 semanas

    ADAM COLE BAY BAY

  10. Ronaldo2 semanas

    Confessor que foi uma sensação muita estranha ver o Adam Cole longe do NXT. Combate steel cage de duplas… que combate. E pra finalizar um PPV nota 10/10, DANIEL BRYAN!

  11. Wrestling On Top2 semanas

    Após estas duas confirmações a AEW acaba de confirmar que veio para ficar , e ao contrário da WCW não penso esta vá acabar por sucumbir para a WWE , e quem fica a ganhar com isso somos nós fãs do wrestling ter duas grandes companhias a produzir grandes combates que mais poderíamos pedir.
    Sempre Wrestling On Top

  12. Irei publicar a minha análise mais tarde, mas só quero dizer: QUE. P*TA. DE. NOITE!
    Vou ser honesto quando digo, este foi o primeiro PPV que vi em direto da AEW. Todos os outros vi algumas horas mais tarde. Ver este PPV em direto fez-me lembrar o porquê que me apaixonei por isto.
    O combate entre Bucks e Lucha Bros… Cage e Omega… Punk e Allin…
    As estreias de Ruby, Adam e Bryan…

    5 das melhores horas da minha vida.
    Muito obrigado, All Elite Wrestling.

    • Kay Orton2 semanas

      Hoje vc pode ser o mais breve possível na sua análise Soares, o que a All Elite WRESTLING !!!! Apresentou hoje foi algo absolutamente digno de TUDO. Nota 10 pra esse PPV, entregaram tudo que era esperado, foi insano.

  13. Disparado o melhor ppv do ano, Lucha Bros vs Young Bucks pega 5 estrelas fácil, retorno in-ring do Punk foi bom, nem parece que ficou 7 anos sem lutar, e meter Adam Cole e Daniel Bryan pra debutarem no main event foi brutal

  14. Kay Orton2 semanas

    Obviamente muito vão discordar do termo melhor PPV do ano. Mas a WWE não consegue bater um nível de entretenimento e wrestling até o fim do ano. Foi, e até Dezembro eu vou dizer:

    AEW: All Out, foi o melhor PPV de 2021.

    Nota 10

  15. Bruno2 semanas

    Excelente PPV, adorei quase tudo, digam se é de mim ou a público após o combate dos bucks ficou mais murcho? Chicago das melhores cidades e dos públicos mais barulhentos, fiquei com impressão que combate do Omega, estavam pouco barulhentos face ao combate que estava a ser.

  16. Comecei a assistir wrestling, mais precisamente a WWE em 2008, e, devido ao pouco tempo que sobra devido ao trabalho, estudos e família, segui assistindo somente essa companhia, mesmo com a queda da qualidade atual.
    Pois aproveitei o regresso do Punk (sempre um dos meus favoritos) para dar uma chance a AEW, que até então eu teria assistido somente umas lutas mas nunca “engrenado”, e… Meu Deus, quanto tempo eu perdi?! Essa companhia é fabulosa, PPV maravilhoso como não via a muito tempo!

  17. Facebook Profile photo

    Já sei que vou levar hate, mas que venha ele 😂 Nao gostei da tag team match por razoes óbvias, foi meia hora de spotfests com sequencias coreografadas, kickouts a piledrivers e afins, 20 superkicks (nem devo estar a exagerar) e decisoes estupidas como saltar do topo da jaula quando podia simplesmente sair de la e ganhar. Nada surpreendente quando temos young bucks ao barulho, a necessidade destes gajos de obter um cheap pop e doentia. A mesma logica aplica se ao combate feminino, como e possivel uma lutadora daquelas dar kickout a um panama sunrise depois de ter levado com um curb stomp fora do ringue so para depois o combate acabar logo a seguir? O desrespeito que esta malta tem pelo proprio moveset e impressionante. Dito isto, gostei do opening, o miro esta num nivel muito bom, MJF nem preciso de falar, embora esteja 100% contra esta derrota, o combate do punk foi bom tendo em conta o tempo de ausencia, e uma palavra para o christian que depois da lesao que teve continua a ser dos lutadores mais “limpinhos” da industria, tudo o que faz parece natural. Quanto aos debuts, gostei mas pessoalmente nao teria usado os 2 no mesmo show, acho que tirou alguma importancia ao adam cole. Ainda assim foi algo diferente, portanto e de louvar. No geral foi um excelente ppv, mas e uma pena as situacoes como as que referi no inicio, se estas manias das indies acabassem creio que a empresa podia subir a um patamar muito mais alto.

    • Bruno2 semanas

      Este combate de jaula não tinha regras iguais ao que normalmente vemos. Única forma de ganhar era pin ou submissão, sair da jaula não dava vitória.

    • Facebook Profile photo

      Nao sabia disso bruno, mas entao porque e que no inicio os bucks tentaram fugir para cima da jaula e no momento em que o fenix sobe os comentadores perguntam se ele vai sair ou saltar?

    • Bruno2 semanas

      Pelo menos foi o que Justin Roberts disse quando estava a anunciar, única forma de ganhar é por pin ou submissão.

    • Andrade992 semanas

      Você quer usar lógica demais para justificar coisas, um exemplo: Roman ganhou do Cena aplicando 1 spear, enquanto que o Cena fez 3 AA (sendo o último pulando da 3 corda). Fora que alguns moves para algum lutador pode ser uma finish e para outro pode ser um move secundário, então por isso “banalização” e “desvalorização” do move.

    • Andrade992 semanas

      Sobre o debuts, acho que não tinha outro momento melhor pra fazer isso, assim deixará um bom hype para os futuros shows e rivalidades.

    • ae2 semanas

      Concordo Andrade99. Este David Machado tenta encontrar cada logica. De rir mesmo

    • Facebook Profile photo

      Nao vamos comparar o ROMAN REIGNS, que é quem é, a dar kickout ao AA, que e dos finishers menos protegidos da historia, com uns cruserweights a dar multiplos kickouts a PILEDRIVERS e afins. Se nao ves um problema nisto a longo prazo, eu explico te, vamos chegar a um ponto em que para ganhar uma luta vai ser preciso matar literalmente o adversario, porque os finishers parece que so fazem efeito a partir do quinto ou sexto, e quando ja nem piledrivers, repito, PILEDRIVERS, um move que te pode paralisar para o resto da vida, faz efeito, não sei aonde vamos parar. Mas se nao ves problema nisto por mim e tranquilo.

    • Facebook Profile photo

      David Machado não fazia muito sentido o Rey Fenix sair da cage com o Penta no chão, pois ambos os dois da equipa tem de tocar com os dois pés no chão, e com Penta sozinho só ia facilitar os Bucks a ganharem de pin.

  18. Diego2 semanas

    Com esses nomes a aew tá muito melhor q WWE

    • TR2 semanas

      Mt melhor? Passa lá pelo site da WWE para te lembrares do roster

    • Melhor não sei, o roster da WWE também é muito talentoso, pena é serem quase todos tratados como dispensáveis

    • Andrade992 semanas

      TR, do que adianta ter um roster daquele se não usa ? Muito melhor foi exagero do Diego. Mas atualmente algumas divisões da AEW está melhores mesmo que da WWE (exemplo a divisão de tag).

  19. JP2 semanas

    f’n night!!!
    cage match chegou ao ponto que só pensei ganhe quem ganhe neste combate fica quase um pormenor, ficaria satisfeito de uma maneira ou de outra.
    Como já suspeitava o CM Punk tinha alguma ferrugem, e a Darby foi o adversário perfeito para limpa-la e deixando-o a brilhar.
    Christian e o Omega, outro bom combate aquele One Winged Angel da segunda corda foi mesmo para acabar e o Christian vendeu-o como se tivesse sido uma faca no coração
    Debuts:
    A Ruby a ficar emocionada com a recepção, cheguei a suspeitar que não ia conter as lágrimas, foi lindo e merecido. E aquele final, Ruby Soho vs Thunder Rosa, espero vir a tê-lo num combate a medio prazo.
    Sempre tive um pressentimento que o Cole se juntaria a Elite, alias não me espantaria nada que vá atrás do Impact title, ou caso o RoH se juntem ir atrás do titulo deles.
    Brian Danielson, pah… estava a contar com o Final Countdown dos Europe mas pronto, foi brutal na mesma…

  20. João Pedro2 semanas

    O melhor ppv que vi em anos e não estou a gozar. Parei de ver wrestling para me dedicar ao fim dos anos 90 na WWE network com a treta (para não dizer pior) em que estava a WWE, mas ia vendo alguns segmentos e acompanhando as coisas aqui pelo site. Voltei a ver com o CM Punk e ficar acordado até às 5h20 da manhã (como é neste momento) só para ver este ppv é algo que não fazia há muito tempo (e valeu cada segundo). A criança que começou a ver isto com 12 anos regressou e estava mesmo contente de estar a ver (agora com 29). Se isto não é entretenimento, não sei o que é.
    Pode até nem ser nota 10. Pode até ser considerado o pior ppv de sempre, mas para mim, valeu por tudo e só tenho a agradecer à AEW por ter criado este projecto e ter subido o nível. Hoje, olhamos para o roster da AEW e podemos dizer que, no mínimo, está ao nível da WWE e isso custa muito a conseguir (não só em termos financeiros).
    Para eu ficar ainda mais satisfeito, era a AEW passar para segundas-feira e deixar as marcas competirem.

  21. Nathan2 semanas

    Isso foi um baude de agua fria na wwe, o produto em si está muito porco, feuds chatas, lutas fracas, reinados ruins (tirando do Roman) part times segurando título e tirando jovens talentos da picture de titulos, exemplo do Summerslam, wwe não sabe elevar jovens talentos, Finn, Samy, Cesaro jobbers de luxo, Finn nem tanto mas é uma piada o cara estar a mais de 5 anos e não segurar um titulo no main roster (tirando aquele que ele se lesionou), e ainda vão colocar ele pra lutar no Extreme Rules provavelmente com aquela gimmick demon dela que vai acabar em DQ (com interferência do Lesnar), pra não descredibilizar todos os Faces, tipica estrategia porca da WWE que se faz a anos e não save mais que inventar, todo santo combate com DQ ou alguma desculpa pra proteger alguem e no fim isso não leva a nada, não sabem aproveitar os talentos que tem, nunca elevam jovem talentos para o main event, vivem reciclando part times no main event.

  22. joao (diferenciado)2 semanas

    WTF IS GOING ON???????!!!!!!!!! e ainda falta o bray wyatt!!!!! que noite incrivel para amantes deste desporto! arrepiado!

  23. Filipepc2 semanas

    A arrogância paga se caro.
    Eu tenho 41 anos, portanto vejo wrestling a cerca de 30 e poucos.
    Vi momentos fabulosos na WWE. Mas eles como fã desiludem me a cada ano.
    Mais do que o produto fraco, desiludem me porque são apenas mais uma empresa de merda que trata as pessoas como lixo, como tantas outras no mundo em diversas áreas de negócio. Os valores não existem.
    Isto tudo para dizer o quê?
    Se a AEW continuar como desejo a crescer, para ter cada vez mais audiências e fãs, se continuarem a produzir espectáculos destes, então temos um futuro, nós que gostamos de wrestling. O que espero nem é erros de booking, ou eventualmente um ou outro falhanço que isso acontece é eu entendo. O que espero é que o Thony seja mesmo melhor pessoa que o Vince, que trate bem o seu pessoal. Que os apoie, que faça da sua empresa um espaço de família, aberto, dinâmico em que se possa falar, dar ideias, em que os lutadores sejam vistos como parte fulcrar de um projecto e não como faz a WWE em que o projecto seja um cemitério para os seus funcionários. Se a AEW conseguir confirmar essa ideia, muitos lutadores vão querer trocar, porque não faz sentido na vida estares mal, quando podes estar bem. Essa visão do negócio seja wrestling ou qualquer outro é um caminho em que acredito como pessoa, como pai, como fã de wrestling. É um estilo de vida, de pensamento.
    Parabéns a AEW, sou um fã do projecto que estão a fazer viver. Chapeau!

    • Kay Orton2 semanas

      A voz da experiência falando, ótimo texto amigo, concordo com tudo, e se em 2 anos a AEW está mostrando pro que veio fazendo esse barulho, a tendência é a melhoria e vamos trocer pra ver isso acontecendo.

    • Hollywood2 semanas

      Este texto foi tão bom que eu o colaria na minha testa. Sinto que a AEW tem uma relação com o Wrestling muito mais saudável que a WWE atualmente. Foi meu primeiro PPV da AEW e espero assistir muito mais!!!

  24. L26MC2 semanas

    Fds, fds, fds!!!!!! Tenho que começar pelo final!

    Fds! Desculpem o entusiasmo mas foi esta a minha reação. Embora tenha achado o main event decente, foi dos combates que menos quis ver, tudo porque já estava visível que o Omega ia reter e ia ser mais do mesmo, vitória muito bem entregue, só me pergunto o que o Christian andou a fazer tanto tempo parado antes da AEW, o homem está numa ótima forma.

    As grandes surpresas surgiram depois do combate, com a vinda do Adam Cole???!!! Fiquei super empolgado, mas estava à espera de um Bryan, estava na cara que o Adam Cole ia ser aliado do Omega, pela história que existe dos Bullet e por achar que se a AEW não pós o Punk que é o maior nome da empresa, numa rivalidade para vender pelo título, não ia pôr já o Adam Cole, ainda por mais quando este é um ótimo heel. Sempre disse que seria o Punk ou o Bryan a tirarem o título ao Omega, pelo estatuto e popularidade de ambos, embora ainda seja cedo para falar.
    Depois do kick do Cole ao Jungle Boy e quando todos esperavam que terminasse ali (na minha cabeça já só pensava que o Bryan ia aparecer no próximo Dynamite para haver mais surpresas) eis que aparece o homem!! Epah, que momento lindo, lindo, lindo! Talvez já esteja a deitar postas de pescada mas acredito que teremos Adam Cole vs Bryan e Omega vs Page.

    Vou fazer aqui a minha análise aleatória, porque acabei de ver o PPV e este final deixou-me com vontade de ir rever umas quantas vezes o final.

    Combate da noite entrego aos Lucha Bros vs Bucks, combate com bom ritmo e começou a ficar bom desde aquele super kick, com aqueles ténis cheios de ‘picos’, ao Penta. Depois daquele kick out o combate foi só elevando mais o nível até chegar aquele salto do Fenix, para cima dos Bucks, garantindo a eles o seu primeiro reinado da história. (Mais que merecido)

    Miro vs Kingston, bom combate, talvez aquele final vá levar a uma revanche num dos shows semanais, se assim o for, espero que o Miro retenha sem qualquer problema, o título.
    Não sei quanto a vocês, mas começo a achar que em algum momento quando o Miro estiver para perder o título, vai aparecer a Lana para o ajudar a reter.
    Queria só sublinhar, se se confirmar Bryan vs Cole e Omega vs Page, a minha aposta já cairia em ter Bryan a tirar o título ao Miro. (Sim, eu tenho a mania de montar coisas na minha cabeça que podem nem existir ainda indícios para tal acontecer).

    Moxley vs Kojima, achei um pouco fraquinho.

    Jericho vs MJF, combate mais ou menos, o resultado estava na cara, ainda por mais quando nem main event foi.

    Punk vs Allin, combate bom, muito técnico mas pareceu-me um combate para o Punk ganhar confiança e ritmo, porque acabamos por não ver nada de novo. Mesmo assim, gostei bastante.

    Casino Battle Royal, sou um amante deste tipo de combates, é só a minha estipulação favorita. Este foi mais um para encher chouriços, valeu a estreia da Ruby, algo que toda a gente já sabia e estava à espera, embora soubesse, quis confiar na vitória da Jade.
    Grande estreia da Ruby, que possa brilhar e finalmente fazer o seu bom trabalho a solo.

  25. Mas o que raio aconteceu aqui 😱. Uma pena não ter visto isto em direto. Estou ansioso por chegar em casa e ver logo isto.

  26. Fernando Caldas2 semanas

    O PPV foi realmente incrivel, só posso dizer que a estreia do Cole foi totalmente coberta pela estreia do Bryan.

  27. Gostei do combate da dentista e da Kris, a campeã me surpreendeu achei que era pior do que vimos ontem… mas, ainda não tem um nível tão bom de wrestling para segurar um cinturão na minha opinião, porém, é fato que tem popularidade com o público.

    Aquela vez que o Mark Henry criticou a AEW por fazer repetidos golpes nos combates pelo visto não adiantou de nada. O Canadian Destroyer é um move fantástico mesmo, mas repeti-lo em 4 combates seguidos? kkkk.

    Muito feliz de ver a Tay com destaque, eu acho que a divisão feminina tem bons nomes, obviamente estão em processo de evolução. Ruby Soho já chegar e vencer foi ótimo, eu gostei mas que dinâmica horrível dessa Battle Royal, tudo isto para não “copiarem” algo da WWE? Muito desorganizadinho, não gostei muito não…

  28. PPV Do ano, sem dúvida. Que show tremendo do início ao fim
    Excelente promo do Dan Lambert.
    Grande combate entre o Miro e o Eddie.
    Grande combate do Moxley e Nagata, e eu nem conhecia o Suzuki mas só a forma como a Jim Ross reagiu á sua presença dá para perceber que estamos perante um tipo muito louco, excelentes comentários.
    Britt Baker vs Statlander foi muito bom, até me ri á reação do Orange á contagem fora do ringue.
    A Womens Battle Royal também foi muito boa, sinceramente estava a torcer pela Thunder Rosa, mas faz sentido quererem adiar a rivalidade Thunder vs Britt
    Jericho vs MJF foi cheio de emoções, é certo que fizeram de tudo para proteger o MJF mas mesmo assim não gosto nada de o ver perder, preferia que tivessem feito um último Pinnacle vs Inner Circle. Mas ainda bem que vamos poder continuar a disfrutar de um dos melhores de sempre
    Lucha Bros vs Young Bucks, foi inacreditável, desde as entradas ao spot final foi um hino ao wrestling. Não tirei os olhos da TV por um segundo, incrível
    CM Punk vs Darby foi incrível, quem sabe nunca esquece e ninguém sabe tão bem a arte do wrestling quanto o CM Punk. E a performance do Darby foi absurda, o tipo faz-me lembrar o meu ídolo de infância, o Jeff Hardy, faz tudo para entreter o público
    Paul Wight vs QT fez o que tinha a fazer, foi um combate rápido mas entretido. Creio que ainda vamos ver Paul Wight vs Billy Gunn, o que vai ser interessante até para trazer fãs da Attitude Era a ver o produto
    Omega vs Christian foi muito bom, o que disse do Punk aplica-se perfeitamente ao Christian, e aquele spot final foi incrível
    E com os debuts do Adam Cole e Daniel Bryan isto vai ficar ainda mais interessante, esta empresa fez o wrestling interessante outra vez. Muito obrigado Sr. Tony Kahn.

    • JoaoPedrooooooo2 semanas

      “Esta empresa fez o wrestling interessante outra vez”. Concordo em absoluto.

  29. Gostei:
    – Miro vs Eddie Kingston. Um ótimo combate para começar o show. Notou-se logo por este combate que o público ia estar em altas. Miro retém o seu TNT Title.
    – Jon Moxley vs Satoshi Kojima. Ótimo combate com ambos os homens a conseguir destaque suficiente. Kojima, mesmo já numa velha idade, ainda consegue competir com os melhores. Moxley consegue a vitória após um duplo Paradigm Shift.
    – Moxley festejava quando tocou uma música familiar… E lá veio Minoru Suzuki! O público passou-se. Eu passei-me. Isto foi totalmente inesperado e Suzuki entrega a sua Gotch Style Piledriver, marcando um Suzuki vs Moxley no Dynamite. Este segmento foi excelente. Vejam-no!
    – Britt Baker vs Kris Statlander. Apesar de alguns botches (Statlander falha ali no superplex na corda superior mas ainda salva), o combate ainda é bom. Gostei especialmente do Cassidy a berrar com a Statlander para entrar em ring. Baker retém o título.
    – Lucha Bros vs Young Bucks. Facilmente combate do ano. O público esteve aceso o combate inteiro com as manobras espetaculares e o final foi fantástico. Os Lucha Bros vencem num combate tag team perfeito e o pop de quando eles vencem… Belo. Vejam este combate. Por favor. Eu imploro.
    – Casino Battle Royale. O grande destaque é a estreia de Ruby Soho e o combate final entre ela e Thunder Rosa. O resto não tem assim grande coisa a referir. Ruby Soho vence e enfrentará Britt Baker no futuro.
    – Chris Jericho vs MJF. O combate foi bom, mas o fim podia ter sido evitado a meu ver. Simplesmente Aubrey veria Jericho a meter a perna nas cordas em vez de contar até ao 3. Mesmo assim, Jericho vence num bom combate.
    – CM Punk vs Darby Allin. Olham para este combate e nunca diriam que CM Punk esteve 7 anos sem lutar. Um ótimo combate de regresso para o Best in the World, com vitória para o mesmo. Mais um combate recomendado!
    – Kenny Omega vs Christian Cage. Mais um ótimo combate, para variar. Um dos melhores combates em tempos recentes, apesar de o final com as interferências todas não ser o melhor. Omega retém com um One Winged Angel da corda superior!
    – Após o combate, os Elite atacaram Christian Cage e os Jurassic Express, quando estes tentaram salvar. Depois, ADAM COLE BAY BAY!!! E ele vira heel de imediato e junta-se aos Elite. Logo de seguida, BRYAN DANIELSON! Os faces despacham os heels e o show termina. Isto ficará na memória do Wrestling durante vários anos. Vejam isto. Por favor.

    Não Gostei:
    – Paul Wight vs QT Marshall. Uma squash desnecessária de estar no show. Wight vence num combate onde foi altamente protegido por motivos de saúde.

    Overall: 9.5/10. Considerei muito dar o 10, considerei mesmo. Mas Wight vs QT e alguns detalhes forçam o 9.5. Mesmo assim, este show é o show do ano. De longe. É um show que vocês tem que meter na vossa biblioteca e proteger com cuidado. É dos melhores, senão o melhor show da história da AEW. Soho, Suzuki, Danielson, Cole, o regresso do CM Punk. É daqueles shows que entra no patamar da WrestleMania X-7: Shows inesquecíveis!

    • JoaoPedrooooooo2 semanas

      O Paul Wight foi necessário, a meu ver. Os 3 combates mais antecipados (do Punk, o Tag e o do Omega) não podiam ser seguidos. Daí o battle royal e este squash. Não serviu para nada a não ser um premiar duma carreira e de poder também estar presente. Não achei mal.

      As interferências no main event, acredito que seja para passar uma imagem de união, que viria a ficar ainda mais unida com o Adam Cole (baybay).

      Já o referi, mas não me canso de dizer: voltei a sentir a emoção do wrestling que não sentia há vários anos e fiquei boquiaberto com o regresso do Punk e este, foi então, o meu ppv em directo, em largos anos (teria de recuar umas quantas wrestlemanias ou umas quantas royal rumbles para pensar quando é que isso aconteceu).
      Para mim foi um 10 e entra directamente para um dos melhores ppv que eu já vi e acho sinceramente que este ppv vai mudar algo. Aos meus olhos, há uma AEW potencial antes deste show e há uma AEW de créditos firmados após este show e agora sim, acho que pode ser uma “ameaça” à WWE. O roster da AEW é, no mínimo, igual, em termos qualitativos, ao da WWE neste momento. E isso custa muito a fazer (não só em termos financeiros).

    • JP2 semanas

      paul vs QT para mim foi um combate para “limpar o palato” e “acertar relógios” . o combate pelo titulo vir logo a seguir ao combate de Punk contra o Darby ia ter um publico ainda a recuperar; e sabendo do tempo que se tinha para o combate e as estreias, fazer o ultimo combate começar a hora certa.
      foram duas opções que na altura estranhei mas depois percebi, a outra fazer o casino battle royal a seguir ao cage match, deu para o normal inicio calmo e sem grandes momentos de referência, que permitiu o pessoal absorver tudo o que tinha saído do combate anterior antes de se forcar no que estava a acontecer,

  30. Balhote2 semanas

    Grande PPV, dos melhores do ano. Não foi perfeito mas foi muito bom. Quanto às novas adições ao roster, acho que todos vão acrescentar qualidade a um roster que já era muito bom. Resta saber se eles vão conseguir bookar toda a gente como deve ser. Às vezes quantidade a mais não é bom, mas pronto vamos ver como vai ser o futuro da AEW.

  31. Bauer2 semanas

    Que grande PPV!
    Tenho acompanhado a AEW desde o inicio, ao mesmo tempo que vejo a WWE.
    Se conseguia dizer que talentos como o MJF, Omega, Hangman Adam Page, Brian Cage tinham grande potencial na AEW, não dava nada pelos Darby Allins, Orange Cassidys, Lucha Brothers que se tem vindo a desenvolver e ganhando protagonismo bem merecido.
    E este tem sido o grande mérito da AEW. Nestes 2 anos, soube mudar o paradigma, dar oportunidades a jovens talentos, criar stables como a Dark Order, Inner Circle onde era dado tempo de antena a talentos como Sammy Guevara, Santana e Ortiz e ao mesmo tempo que se iam ligando ao talento mais experiente.
    Claro que adições como o Moxley, PAC, Miro, Christian Cage, Andrade El Idolo, Malakai Black vieram trazer um publico da WWE curioso para ver o que fariam na nova promoção e como seriam aproveitados. Mas a AEW nunca descurou aproveitar algum talento indie que nunca tinha sido aproveitado, sendo o caso mais flagrante o de Eddie Kingston.
    Também foi aproventado alguns talentos já em fim de carreira, mas com alcance mediático, como Sting, Matt Hardy, Paul Wight…
    A juntar a este crescimento sustentado da AEW, creio que a WWE voltou a dar um tiro no pé, como já aconteceu em décadas passadas. A quantidade de talento que libertou, ou que não conseguiu segurar (Bray Wyatt, Aleister Black, Buddy Murphy, Braun Strowman, Adam Cole, Daniel Bryan) foi gigantesca num curto espaço de tempo.
    Em simultaneo, apresentaram alguns combates menos conseguidos (a insistência em querer que Goldberg conseguisse apresentar um bom combate de wrestling, a insistência em dar tempo de antena a Eva Marie, etc) e outras storylines menos conseguidas…
    Claro que há aqui um wildcard: CM PUNK!
    A aura criada à volta dele, mesmo após os fracassos na tentativa de sucesso no mma, era o suficiente para criar um HYPE na AEW.
    E assim chegamos ao All Out. Uma montra como poucas haveria, navegando na onda do CM Punk.
    E para quem não conhecia, é impossível não ter gostado:
    . Eddie Kingston a ter um belo combate com o Miro, bem conseguido
    . o cage match entre os Young Bucks e os Lucha Bros, cuja coordenação, timing e habilidade natural torna-o um potencial combate do ano
    . a possível última luta do Jericho (muito bem conseguido esse combate, desde a false entrance criada pelo MJF, passando pela vitória anulada do MJF, culminando na pequena lágrima ao saber que ainda iremos ver mais combates do Y2J e nos abraços com o Inner Circle)
    . o bom combate do Punk e do Allin, que conseguiu ter momentos muito fluidos e boas alterações de momentum
    . o combate final entre Omega e Cage, onde Omega mostrou pq tem o titulo, Cage mostrou que a idade é um nr, e que culminou com o golpe de mestre da AEW:
    Quando publico já gritava YES YES, a aparição é nada mais que Adam Cole, para muitos o novo Shawn Michaels deste século, onde a habilidade natural para lutar e fazer promos o tornam uma das potenciais superstars in the making!
    Não deixa de ser inacreditável que a WWE tenha dado este tiro no pé, especialmente se foi apenas pelo Twitch.
    Por fim, de forma inédita, mais um debut brutal, de Bryan Danielson, para muitos considerado um dos melhores wrestlers do mundo.
    Por isso, para concluir, acho que a AEW soube jogar uma grande cartada, penso ter conseguido aproveitar a tal montra importante e a competição está ON.
    Se por um lado, a WWE continua com talento inacreditável como Reigns, Rollins, Orton, McIntyre, penso que a AEW mostrou estar à altura.
    E a WWE que se cuide, pq se deixa sair um Finn Balor, um Sammy Zayn, um Tommaso Ciampa, já sabemos qual vai ser a nova casa deles e que serão muito bem recebidos!

  32. BRRM2 semanas

    A meu ver, isto foi o melhor PPV da AEW até agora (e um dos que mais me diverti a ver, em geral). Lá houveram uns pormenores que não me agradaram muito e o Casino Battle Royal é sempre um ponto negativo para mim mas posto isso de lado foi um excelente evento cheio de momentos enormes, boas decisões de booking e uma plateia que esteve sempre brutal. Melhor ainda, no que toca ao wrestling em si focaram-se mais no storytelling e menos em fazer bué moves no menor espaço de tempo possível! Noite histórica para o mundo do pro wrestling, sem dúvida.

    Buy-In – foi o combate ideal para aquecer a crowd uma vez que tinha alguns dos wrestlers mais overs do roster. Para além disso, ao contrário do que acontecia nos primeiros buy-in’s, não foi um combate demasiado longo para a sua posição no card, o que é sempre bom.

    Miro vs Kingston – não sei bem o que pensar acerca do impacto que o árbitro teve no final visto que não sou grande fã deste tipo de coisa mas tirando isso foi um bom combate que marcou a maior ameaça ao reinado do Miro até agora.

    Moxley vs Kojima – belo combate, como se adivinhava que ia ser. E no final aparece o Suzuki e eu até arrepios tive, que momento! (e que saudades que eu já tinha de ouvir uma arena inteira a gritar “Kaze Ni Nare” em uníssono!) Mal posso esperar pela rematch entre ele e o Mox (já para não falar que possivelmente ainda vemos ter este último a enfrentar o Tanahashi no futuro…)

    Baker vs Statlander – bom combate em que as envolvidas cumpriram bem aquilo que tinham de fazer (e ainda deu para o Orange Cassidy mostrar algo de novo para a sua personagem no ringside)

    Lucha Bros vs Bucks – tendo em conta o historial das duas equipas já havia uma ideia do que esperar deste combate e, para surpresa de ninguém, não desapontaram. Foi um grande combate com ótimos spots mas também com um bom storytelling. Os Bucks viram-se obrigados a terem uma atitude mais séria do que aquela que têm tido desde o heel turn e quase resultou mas no final voltaram a sucumbir para aqueles que serão talvez os seus maiores rivais (o que, já agora, foi algo que me apanhou de surpresa). Só não gostei do spot final em que o Penta segura os Bucks para o High Crossbody do Fenix do topo da jaula (levando também ele com o impacto do move) e depois se levanta logo de seguida, acho que isto podia ter sido mais bem pensado (e fazer um steel cage match em que não se pode escapar da jaula para ganhar também não faz muito sentido para mim. Se a jaula fosse completamente fechada ainda vá, agora ter uma jaula sem teto e dizer que os wrestlers não podem fugir dela… epá não é lá muito credível imo). Mas pronto, isto acabam por ser só pequenos detalhes insignificantes para a maioria das pessoas portanto fds

    Casino Battle Royal – este foi facilmente o ponto mais baixo do evento na minha opinião. Continuo a não gostar nada do conceito deste combate e a execução também não foi a mais cativante. O debut e vitória da Ruby teve uma reação bastante boa e tal mas para mim que não sou assim grande fã dela (apesar de lhe reconhecer talento) foi um pouco whatever

    Jericho vs MJF – combate bastante agradável. O MJF vendeu bem a dor nas costas depois de ter sofrido um Pop-up Powerbomb no apron (bela referência do Chris ao seu ex-best friend ahahah) e o Jericho também desempenhou muito bem o seu papel de veterano que tem de arranjar uma forma de compensar os efeitos que o tempo teve nas suas capacidades físicas para evitar ser obrigado a retirar-se. Normalmente não gosto muito de Dusty finishes mas por acaso aqui até acho que funcionou bem como uma forma de animar ainda mais o público. (btw adorei a entrada do MJF mas não gostei nada da do Jericho, o guitar riff ao vivo estragou a vibe que normalmente se cria quando se ouve a Judas já que até os fãs se atrapalharam enquanto estavam a cantar)

    Punk vs Darby – adorei. Por muito tempo pensei que nunca mais ia ver o CM Punk a lutar mas felizmente isso não se verificou e a julgar pela performance dele aqui, ainda bem que assim foi pois ele claramente ainda tem muito para oferecer. O combate teve uma atmosfera incrível do início ao fim (como seria de esperar) e o storytelling foi excelente. O Punk já não lutava há mais de 7 anos e estava no ring com um gajo bem mais novo, rápido e imprevisível e portanto manteve as coisas o mais simples possível, em momento algum tentou inventar (até tentou obter uma vitória por count out em vez de cair no potencial erro de ir buscar o Allin para dentro do ring), e no final foi essa estratégia que lhe deu a vitória. História muito bem contada mesmo e o pós combate com o Sting também foi nice

    Wight vs QT – um problema que eu costumo ter sempre relativamente aos PPV’s da AEW é que os combates tendem a ter todos muito tempo e isso faz com que na hora do main event um gajo já esteja cansado. Nesse sentido considero que este combate foi uma lufada de ar fresco: uma lenda da indústria a manter as coisas simples contra um gajo que não perdeu credibilidade nenhuma com a derrota. Fácil, eficaz e deu para descansar uma beca

    Omega vs Christian – isto foi um confronto entre um veterano cheio de garra que procurava o derradeiro clímax para a sua história de retorno aos ringues depois de lesões o terem obrigado a afastar-se durante vários anos frente a um campeão híper confiante (e com as skills para justificar essa confiança) e com vários parceiros que estavam decididos a não deixar que a derrota que lhe custou o Impact World Championship aqui há umas semanas se repetisse. No final o resultado foi o que já se previa mas foi um combate muito bem trabalhado. O debut do Adam Cole (e reunião do mesmo com os seus amigos da Elite) e do Bryan (fiquei completamente parvo quando ele apareceu) foram a cereja no topo do bolo para fechar este evento fantástico. Que altura do caralho para ser fã de wrestling pqp

  33. JokerLeadger2 semanas

    Que PPV, que grande AEW!!
    Show que se vê bem sem passar momentos à frente, com grandes combates e surpresas do início ao fim. Os combates femininos a serem os mais “fracos”, mas mesmo assim conseguiram prender, Considero que a Britt tenha feito aqui o seu 2o melhor combate, para mim, só atrás do unsanctioned contra a Thunder Rosa. De resto todas as estreias bem feitas, todos os combates com um bom “storytelling” e com uma grande energia do publico.
    De destacar o Punk e o Cage, ambos 7 anos ausentes e conseguem entregar um nível de pro-wrestling que muitos que la andam nem chegam perto

    Nota 10/10 no global

  34. Bruno Fec2 semanas

    Bom, a AEW agora tem o que lhe faltava, main eventers, antes tinha Jericho e Omega, agora juntam-se Punk e Bryan, com Adam Cole, Hangman, MJF logo a seguir.
    Fico contente com este crescimento e espero que tanto AEW como WWE estejam em grande para apresentar bons produtos, coisa que na WWE tem sido difícil.

    Só uma nota para fanboys, a WCW também chegou a ter Hogan, Nash, Hall, Goldberg, Bret Hart, Eddie Guerrero, Jericho e etc e também caiu, grandes nomes não fazem nada por si só, esperemos que a AEW continue a crescer.

  35. Facebook Profile photo

    Que grande evento, grandes combates e momentos para a história da empresa. A AEW hoje elevou demasiado a fasquia. Que grande ambiente, se o Wrestling tivesse sempre destas crowds… E a nível de produção a AEW é muito boa.

    Para mim os pontos negativos não afetaram sequer com a qualidade do show:
    – Primeiro, achei que os resultados foram todos previsíveis. Eu pelo menos acertava em todos, e o pessoal que viu o evento comigo deu exatamente as mesmas predicts que eu. As maiores dúvidas estavam no Steel Cage Match e na Battle Royal, onde em vez do Joker podiam dar a vitória à Thunder Rosa(ironicamente a outra finalista). Neste show a AEW decidiu jogar pelo seguro em todos os combates, e tudo bem, não é isto que afeta a qualidade do show, mas gosto sempre de um resultado inesperado.

    -E em segundo, apesar das 3 vitórias se justificarem, e os dois primeiros combates terem sido bons, a verdade é que no papel não fica bem ver que 3 quarentões ex WWE (Jericho, Punk, Show) derrotaram de forma consecutiva 3 nomes que a AEW está construir. Mas atenção, isto é só no papel, o Darby por exemplo saiu do combate ainda mais Over do que o que entrou. O MJF também não me parece que vá perder grande impacto com esta derrota, até porque os fãs já só estão contentes que esta rivalidade tenha finalmente acabado, lol.

    Em termos de qualidade de combate, foram todos muito bons. O combate do QT contra o Big Show foi o mais fraco claro, mas o combate foi exatamente o que tinha de ser.

    O Miro e a Britt Baker são grande campeões, é difícil pensar em alguém que lhes possa tirar os títulos.

    O Moxley está mesmo a viver esta fase da carreira como pode e como quer, fico muito feliz por ele, lutar contra um Kojima e ser confrontado por um Suzuki na mesma noite.

    O combate pelos títulos de tag team até estava a ser bastante interessante, mas fui perdendo um pouco a ‘tusa’ com o combate à medida que foram exagerando na coreografia e começaram a não vender nada. Mas pronto, novos campeões, estes dois já mereceriam, já os acompanho desde a Lucha Underground, não tinha noção do quão Over eles estavam aqui na AEW.

    A Battle Royal foi o mesmo de sempre, bom momento com a Ruby.

    MJF é um Deus do Wrestling. Felizmente a carreira do Jericho ainda não vai acabar, acho que ele ainda tem mais uns aninhos para oferecer. Fico triste pela derrota da melhor personagem no Wrestling hoje em dia, mas vamos ver o que lhe espera.

    Darby Allin é outra máquina, que personagem excelente, aquele skate estava bom era na minha coleção. Como seria de esperar, grande reação ao Punk. O momento tocou-me, foram 7 anos a tentar convencer-me que nunca mais o ia ver nesta posição. Estou muito curioso para saber o que se segue para ele. Está em forma.

    O Main event foi o que tinha de ser. O Segmento final foi muito bem escrito. Toda a gente pensava que o Bryan vinha ajudar o Christian, e afinal era o Adam Cole. Lá está o elemento surpresa que falei no 2° parágrafo. Apesar de saber que o mais certo era o Cole chegar à AEW, montaram muito bem a sua estreia, porque não estava nada à espera que fosse acontecer ontem, especialmente naquele segmento. E isto cortou as expectativas para a debut do Bryan, e no fim lá veio ele. Que grande nome, esta lenda esteve no main event da WrestleMania há meio ano! Agora cabe à AEW continuar a crescer, eu já tenho acompanhado muito mais do produto, e agora com o Bryan vou-me dedicar ainda mais a esta empresa.

    • Punk2 semanas

      Concordo com certos pontos que falaste mas outros não, por exemplo o MJF digo esta com uma boa personagem e esta over com isso mas na minha opiniao nao acho que seja grande o suficiente para ser campeao mas posso estar enganado e se ele o realmente for fazer me mudar de opinião, isso dos 3 ex wwe ganharem tinha de ser jericho nao achava que fosse retirar se ja e a forma que o combate acabou foi so lindo o MJF frustado pq “tinha” ganho, punk era obvio que tinha de ganhar nao iria perder no seu retorno e o show apesar do combate pequeno teve de ser assim com a historia ja se previa essa vitória, mas ele conseguiu levar a team do QT toda ha frente o que faz com que o show ainda tenha potencial para continuar a lutar, de resto acho que fizeste ai 1 grande texto e sim foram todos os combates muito previsíveis mas lindo foi so aquele final com adam cole bay bay e bryan

  36. Fantástico PPV (na minha opinião, de longe o melhor da ainda curta história da empresa e o maior deste ano de 2021 – sim, superior a qualquer um de outras companhias).

    A AEW entregou efetivamente “em toda a linha” na esmagadora maioria dos combates e ainda reservou algumas surpresas de grande relevo neste All Out. Como o grande Jim Ross disse no final, “the game has changed” (“o jogo mudou”).

    Destaques principais vão para:

    – o bom combate no Buy-In com vitória para a equipa babyface como era expectável e o regresso pós-match de The Butcher
    – o aparecimento de Minoru Suzuki após o triunfo de Jon Moxley sobre Satoshi Kojima (mais um reflexo da “Forbidden Door”) para uma brawl com o “Death Rider” que foi ganha pelo lutador japonês
    – muito bom embate entre Britt Baker e Kris Statlander pelo AEW Women’s World Championship (gostei da “homenagem” da campeã ao companheiro Adam Cole com o “Pittsburgh Sunrise”)
    – a entrada espetacular dos Lucha Bros e o respetivo atire antes do excelente e emocionante Steel Cage Match contra os AEW World Tag Team Champions Young Bucks (combate da noite, a meu ver) que viu o reinado destes últimos chegar ao fim (assistir aos novos campeões a chorar e com a família no fim foi bastante tocante)
    – o botch na eliminação de Riho (nunca chegou a ultrapassar a primeira corda e tocar com os pés no chão – passou sim por baixo da terceira corda) e a estreia e vitória de Ruby Soho na Casino Battle Royale (gostei do público já estar a antecipar e a cantar o nome dela quando ainda faltavam uns 20 segundos para ser revelada a “Joker”)
    – o regresso do titantron de “vintage Chris Jericho” (a “Countdown”) que me fez logo recuar à sua estreia na então WWF mas depois fiquei desapontado por ver que era troll de MJF (sempre impecável a gerar heat), o momento arrepiante em que o público canta “Judas” com ao som de uma guitarra, e belo combate entre ambos que ditou a continuidade da carreira de wrestler na AEW para “Le Champion” (foi uma autêntica “montanha russa” de emoções)
    – o skate personalizado de Darby Allin para o combate contra CM Punk, que se apresentou com nova gear (calças) e fez o seu regresso aos ringues e a sua estreia na AEW de forma bem sucedida ao não só sair vitorioso como também (e principalmente, para mim) proporcionar um combate bastante bom para quem não lutava há mais de 7 anos (btw, toda a gente a gritar em uníssono “It’s clooberin’ time” e “You still got it” foi delicioso)
    – o regresso aos ringues e estreia na AEW triunfal de Paul Wight no combate indubitavelmente mais curto e fraquito do All Out
    – o ótimo main event pelo AEW World Championship entre Kenny Omega e Christian Cage (grande finish, com o One Winged Angel da top rope), e aquele cliffhanger final devido às aparições de Adam Cole (que bom ouvir “ADAM COLE BAY BAY”) e reunião com The Elite (basicamente veio como face e virou heel no instante em que dá um Superkick a Jungle Boy) e Bryan Danielson (duas estreias tão marcantes perto uma da outra foi um bocado overkill por parte da AEW mas há a questão do COVID-19 poder atrapalhar o próximo grande show em Nova Iorque, por isso até entendo)

  37. Facebook Profile photo

    Facilmente o melhor PPV do ano até agora que eu tenha visto!

  38. DaniFixe2 semanas

    Grande show! Valeu do princípio ao fim.

  39. Nao tive possibikidade de assistir ainda o showne esta semana nao estou em casa se quer.

    Foi bom? De 0 a 5 estrelas como avaliam?

    Ja vi que ouve estreas super interessantes e que devem ter tido um grande pop

  40. Anónimo2 semanas

    Foi um PPV muito bom. Destaco os combates, Young Bucks vs Lucha Bros, Jericho vs MJF, CM Punk vs Darby Allin e Omega vs Christian, foram bons. Para sete anos parado o Punk saiu-me bem. Destaco também as estreias do Daniel Bryan, Adam Cole e Ruby Soho, grandes contratações. A coisa que menos gostei, foi o combate do Paul Wight vs QT Marshall.

  41. TakerVanderVaart232 semanas

    Não sou de entrar em loucuras ou extremismos, mas este PPV foi mesmo algo de incrível. Fantástico!
    Teve alguns detalhes que poderiam ser diferentes, um ou outro combate não tão bom mas num geral, é daqueles shows mesmo memoráveis.
    Agradeço à AEW, tirando a Wrestlemania (e mesmo assim não sei), já há algum tempo que não me sentia tão entretido e animado a ver um show de wrestling
    Poderia fazer uma review geral, mas o importante é aquilo que a AEW tem feito para trazer a paixão pelo wrestling, tal como eu sentia em criança e na adolescência a acompanhar a WWE entre 2002 e 2010..
    E como já comentei anteriormente, a AEW tem tudo na mão para ir apanhando a WWE no topo do wrestling! Quanto a nós fãs, em vez de guerras como tenho visto (a discutirem o que é melhor ou não), simplesmente aproveitem o momento e vejam wrestling que está bem de momento e “recomenda-se” xD

  42. Arrisco me a dizer que é um dos PPV´s do ano!
    Não há palavras!