Como é costume após um artigo sobre a WWE, vou fazer exatamente o mesmo tema para a lista, mas desta vez será sobre a sua rival de Jacksonville, a AEW.

Recapitulando no meu último artigo falei de 5 coisas que quero ver na WWE e identifiquei alguns pontos de melhoria para este novo ano. Para a AEW farei o mesmo e sendo honesto tal como na empresa de Vince McMahon, não foi muito difícil identificar pontos de melhoria para a companhia de Tony Khan, até porque não há empresas de Wrestling perfeitas.

Vou falar de 5 coisas que gostaria de ver na AEW e, claro como se trata de um artigo de opinião, pode estar longe da vossa ideologia e ponto de vista sobre a promotora, porém vou tentar expor e analisar cada ponto da melhor forma.

Portanto sem mais demoras vou dar início a esta lista das 5 coisas que quero ver na AEW em 2022. Aqui vamos nós!

11 Comentários

  1. Ronaldo4 meses

    Sei lá, mas sou contra as 5 mudanças citadas kkk

  2. El Cuebro4 meses

    São bons pontos os citados, mas acho que alguns não deverão acontecer, como por exemplo a brand split, até porque a vantagem do Dynamite sobre o Rampage é bem grande e não sei se colocariam uma hora a mais no show de sexta, também menos contratações acho difícil com tanta gente boa e talentos interessantes disponíveis, acho que a AEW vai ter que dar um jeito de dar espaço para os nomes envolvidos, acho que a parte de liberações pode sim ocorrer, nomes como Janela, Brian Cage, etc, ou então envolvê-los em alguma outra empresa dentro da parceria para terem mais espaço, pois são talentos bons demais, a parte do humor acho que aos poucos já está acabando, mas a parte das stables acho difícil também, mantiveram a Dark Order mais tempo unida, não sei se esperando o Windham, acho que a Inner Circle e a Pinnacle poderiam acabar também, porque já não tem aparecido tão unidos assim esses tempos, agora temos a House of Black, acho que logo poderemos ter alguma stable da ROH também, só temos que aguardar para ver o que vem!

  3. top dolla4 meses

    Quero ver mais comédia excessiva esse ano.

  4. Jooj4 meses

    Eu gosto das facções porque de uma certa maneira lutadores que tem menos destaque de uma certa forma acaba aparecendo, mas tem o lado negativo de menos construção individual o q as vezes torna confuso e até sem graça. Só vejo uma Brand split se reforçar mais o rampage e quem sabe um segundo título mundial, acredito que não por agora.

  5. Vitor Oliveira4 meses

    100% de acordo, mto bom

  6. Concordo com quase tudo.

  7. Gean4 meses

    Gostei, principalmente da número 1
    A separação de brands poderia melhorar a utilização do roster, além do que a empresa precisa de mais um título mundial, do contrário irá dar reinados curtos pelo aew world title no futuro

  8. DD284 meses

    Discordo de praticamente tudo…

    – A titulo pessoal adoro a comédia atual da AEW.
    – Despedir nunca é uma solução, especialmente quando a empresa não proíbe ninguém de aparecer noutras indies.
    – As factions sao importantes porque trazem outro elemento à história e a AEW já provou que não depende exclusivamente delas, ex: Hangman Page.
    – Brand split? Quando o dynamite ainda não é consistente no 1M? Tiro no pé… Mais rapidamente era apologista de uma 3a hora, para dar mais tempo a mais pessoas, do que um brand split.

    Concordo que o TK tem de ter calma nas contratações. Contrata excelentes lutadores, mas há pouco espaço nos shows. Concordo que o roster tem de diminuir, isto é, há lutadores cujos contratos não devem ser renovados (diferente de despedir).

  9. JOAOPEDROOOOOOO4 meses

    É uma opinião e como tal, tem de ser respeitada, mas não concordo com nenhuma delas.

    A AEW, neste momento, eu gosto de comparar com a WWE de 99/00. Tem o melhor show de wrestling e tem um plantel extenso o suficiente para aparecerem várias personagens e nunca ser maçador. Claro que os main events, nessa altura, andaram ali sempre nos mesmos: Big Show, Rikishi e Kane (como up mid tier), Kurt Angle, Jericho e Benoit a evoluir para main events e HHH, Taker e The Rock como já consagrados (o Austin estava lesionado). Mas deu muito jeito ter várias facções. Lembro-me, por exemplo, que o Kurt Angle juntou-se ao Edge & Christian por nenhuma razão e o quão bem isso resultou.
    T&A com a Trish Stratos como manager deu muito jeito para iniciar uma das melhores rivalidades de sempre (Trish vs Lita). Al Snow juntou-se ao Steve Blackman sem razão aparente. O segurança do Big Boss Man, de repente, alia-se ao ao Steve Richards também sem razão.
    O Rikishi estreia-se para salvar os 2 Cool e junta-se a equipa e a dançar e não fez sentido, mas resultou bem.

    A comédia sempre resultou muito bem no wrestling e havia grandes coisas a partir daí (veja-se o The Rock a gozar com o Big Show, o Foley a recordar os momentos do The Rock, a cena do HHH e da Trish que foram apanhados pela Stephanie, as dicas entre e Steph e o Angle…)

    Por fim, apesar de terem tudo isto, não separaram logo as brands. Aliás, isso acontece só mais tarde quando entra aquela avalanche de lutadores da WCW e já não havia concorrência. Neste momento, é preciso meter “a carne toda no assador” em todos os programas.

    Uma coisa que quero ver na AEW em 2022, já agora, é passarem um programa para segunda-feira, à mesma hora do Raw.

  10. ??4 meses

    Concordo.

  11. Eu gosto é de uma boa comédia por isso pode ficar, quanto ao resto eu penso que têm de parar com as contratações!