Batista faz críticas ao processo criativo da WWE

há 2 meses 1

Batista, que se retirou na última WrestleMania, durante uma aparição no podcast de Chris Jericho falou do processo criativo da WWE nesta sua última passagem pela companhia. O “The Animal” mostrou, mais uma vez, não ter papas na língua e deixou várias críticas à WWE.

O agora ator de Hollywood começou por afirmar que apesar de tudo, esta passagem pela WWE não foi tão má como a de 2014, onde a companhia nem sequer sabia o que fazer com ele. Na sua opinião, ele achou que iria voltar demasiado cedo, pois a WWE queria que ele fosse a todos os Raw, o que recusou, pois ele não iria lutar e só iria fazer promos e isso acabaria por cansar o público.

Sobre como foi o seu regresso, Batista explicou que a WWE queria que ele estivesse junto a todas as outras pessoas e depois ele e Triple H, no final, terem uma discussão que iria abrir a sua história. Ele também recusou fazer isso e foi aí que, em conjunto, todos chegaram à ideia de ele atacar Ric Flair no backstage.

Sobre as suas promos, Batista diz que foi um problema. A WWE queria que ele fizesse promos em todos os Monday Night Raw e, depois de ele se recusar a isso, acabou por concordar em fazer uma publicação no seu Instagram e a entrevista “via satélite” com Michael Cole, que apesar de ele não ter sido grande fã da ideia, admite que não correu mal.

Batista também admitiu que a promo onde ele disse a Triple H para ele lhe beijar o cu foi ideia de Vince McMahon, promo essa que ele gostou. Depois do combate na WrestleMania 35, Batista diz que apesar de não ter sido algo muito emotivo, ele falou com Vince McMahon e o dono da WWE estava muito contente por ele estar ali e por ter lutado no grande evento.


Qual a tua opinião sobre estas críticas de Batista a WWE?

1 Comentário

  1. Showstealer há 2 meses

    São críticas com fundamento por parte do Batista, uma vez que a WWE não conseguirá melhorar o seu produto enquanto continuar a colocar este tipo de restrições aos lutadores que são quem tem a habilidade de mover multidões.

Comentar