A semana tem sido bastante agitada dentro da WWE, com Stephanie McMahon a renunciar à presidência da empresa e com Vince McMahon a retomar o cargo de presidente executivo da mesma.

Mais tarde, foi ainda notícia que a WWE ia ser vendida a um fundo de investimento público da Arábia Saudita, algo que foi negado horas depois.

Já no último Wrestling Observer Radio, Dave Meltzer revelou que falou com várias pessoas na WWE, que lhe explicaram que a empresa ainda não está vendida.

O jornalista explicou que o fundo de investimento público da Arábia Saudita quer comprar a WWE, mas não são os únicos, e que a empresa está a trabalhar com a JP Morgan para que a venda aconteça ainda em 2023.

Foi também explicado que se a WWE quiser voltar a ser privada, o país saudita é o grande candidato à compra, mas existem várias empresas públicas, inclusive a Endeavour (dona da UFC), que também está interessada.

Dave Meltzer terminou por dizer que ainda é cedo para o negócio estar finalizado, mas que existem indicações que o fundo de investimento público da Arábia Saudita possa mesmo acabar por comprar a WWE.

Outro sinal que aponta nessa direção pode ser encontrado no site da JP Morgan, onde esta afirma ser a única empresa norte-americana que tem duas licenças operacionais na Arábia Saudita.


Acreditas que iremos ver a WWE nas mão do fundo de investimento público da Arábia Saudita antes do final de 2023?

17 Comentários

  1. johny2 semanas

    Mansoor próximo campeão mundial 🤣🤣

  2. Facebook Profile photo
    Pedro2 semanas

    Infelizmente 😕 quase todos os werestlers da wwe vão para a AEW

  3. Tito Miguel2 semanas

    Gente me tira uma dúvida, se a Arábia Saudita comprar a WWE vamos ter ainda as programações normais como:Raw, SmackDown e o NXT

    • CoffinMeme2 semanas

      vamos la ver, se nao mudam o nome aos programas tb nao me admira nada.

    • filipe2 semanas

      Penso que não. Vão querer manter as coisas. Eles querem é ganhar dinheiro. A wwe dá dinheiro por isso mudar nomes de shows ja com muitos anos (raw e smackdown) seria um retrocesso.

  4. Facebook Profile photo
    Pedro2 semanas

    Será assim tão mau ?

    • Facebook Profile photo
      Fábio Peres2 semanas

      Acho que os sauditas vão pagar muito bem (e dar muita liberdade) para evitar uma debandada geral da companhia. Foi graças à WWE que se fez a primeira luta entre mulheres naquele país, sem falar no Evolution, que aconteceu, indiretamente, graças ao primeiro Crown Jewel.

      Árabe pode ter seus defeitos, mas não quer queimar dinheiro.

  5. Facebook Profile photo

    Antes estar na mão de um asiático ou árabe no caso,do que estar na mão de uma ocidental cheia de pautas e degenerações pra incluir no produto,já existem muitos clubes de futebol e empresas de entretenimento nas mãos dos árabes e nada mudou pra pior,isso dai é choro e xilique de ”socialista de iphone” que acha ser mais dono de uma empresa do que o dono ou empregador,que venda e melhore até o nível apresentado,se depender de empresa ocidental como Dysney já era,o ocidente esta podre e morto.

    • AEW sux2 semanas

      Concordo. Estão a fazer uma tempestade num copo de água. Se o homem quer vender a empresa está no direito dele. A empresa é dele por isso pode fazer o que quiser. E como disseste (e bem) os árabes andam a investir nos clubes de futebol e até ver nenhum mudou para pior ou falou por isso há que ter calma porque a nós isto não afeta nada. No fim são eles que ganham o dinheiro

    • BigMando2 semanas

      Tmb concordo que as pessoas podem estar a fazer uma tempestade num copo de água. Olhem o exemplo do Newcastle, este ano o Newcastle está a lutar por lugares de Champions, e ainda não investiram assim tanto dinheiro em contratações.

  6. El Cuebro2 semanas

    Temos que esperar para ver o que irá acontecer, pode ser bom pelo lado monetário, mas por outros lados a WWE pode enfrentar algo bem ruim pela frente!

  7. Alexandre2 semanas

    Isso mesmo sr. McMahon tem que vender para os Árabes mesmo, kkkkkkkkkkkk

  8. Carlosilva2 semanas

    Não entendo nada de negócios, nada mesmo, zero. Daí estar muito confuso com toda a reação dos fãs e com todas as notícias que tem sido reportadas pelos maiores jornalistas do mundo wrestling, especialmente em relação à moral do backstage e à especulação em relação a possíveis saídas na WWE.

    Se a WWE for, de facto, comprada pelo fundo de investimento árabe, o quê que isso poderá trazer de tão mau? Será que vai mudar assim tanto? Se um fundo está a investir, o objetivo não será gerar lucro? Fazer o melhor possível pelo negócio? A WWE neste aspeto está muito bem, será que eles vão querer mudar assim tanta coisa?

    A mim o que me parece é que as pessoas estão a confundir as coisas. Há fundos a investir ou a comprar, por exemplo, clubes de futebol. O Newcastle foi o exemplo mais recente. E se as coisas mudaram desde então? Sim, mas para melhor. Não só melhorou financeiramente, como desportivamente. E não têm nenhum jogador árabe para marketing, nem obrigam a equipa feminina a jogar de burca. O Newcastle meteu pessoas que entendem de futebol, a tratar da gestão futebolística. Tal como o Man City tem o Guardiola ou o Txiki. Secalhar o fundo árabe também mete pessoas que entendem de wrestling, a tratar do wrestling.

    • Leo2 semanas

      Estás confuso porque nem os próprios jornalistas do wrestling percebem e andam a inventar. Estas notícias só veem expor a falta de credibilidade dos ditos cujos. Se os saudistas tivessem comprado a WWE como alguns anunciaram, teria sido uma compra ilegal. Nenhuma venda pode ser feita sem que seja comunicada e aprovada pela SEC, FTC, acionistas, etc. Além disso, as negociações são feitas pela administração sob forte NDA, porque qualquer fuga de informação pode mexer com o mercado bolsista. Duvido muito que Meltzer tenha fontes a esse nível, daí estar a dizer o óbvio. Normalmente quem consegue alguma coisa são os tipos da WSJ, Bloomberg e afins. Eles têm-se mantido em silêncio porque já se sabe que a WWE está à venda e por agora não há mais nada de relevante a acrescentar.

      No que toca às reações, o pessoal acha que se for uma empresa portuguesa a comprar significa que o Elias passa a cantar fado? É claro que as coisas não vão mudar. O Mansoor não vai ser campeão mundial só porque é de lá. Os árabes podem ser muita coisa, mas burros não são. Penso que vai haver uma maior aposta na internacionalização (mais eventos fora dos EUA) e algum experimentalismo por causa da injeção financeira, mas de resto será business as usual como acontece no futebol europeu. Pessoalmente não gostaria de ver os saudistas no poleiro por questões humanitárias, mas acho completamente exagerado dizerem que com eles seria o fim do wrestling.

    • Carlosilva2 semanas

      Excelente, Leo.

      Era o Elias a cantar o fado, o Otis a comer caldo verde e o Sheamus a distribuir porrada no roster feminino quando o Benfica perdesse, lol!

    • Leo2 semanas

      Bayley com bigode, Kross vestido de careto de podence, Roman chefe da tribo brasileira a perguntar pelo ouro, Marco Paulo a abrir a Wrestlemania sem micro, José Castelo Branco no main event pelo título feminino…

  9. Anónimo2 semanas

    Espero que não, se implicar demasiadas mudanças. Até porque se isso acontecer, já circula notícias que tem lutadores que podem vir a sair. Também há os acordos televisivos, será que a Fox e USA estariam interessados em renovar os contratos com a WWE se a empresa for dos Sauditas? Mas é esperar e ver o que acontece.