Tony Khan tem por hábito participar no podcast Busted Open Radio e a sua aparição na presente semana contou com uma questão por parte de Bully Ray a respeito das regras dos combates de Tag Team da AEW que o presidente da promotora acabou por desvalorizar, em particular no que toca a ref bumps.

Eu não faço ref bumps geralmente, como regra. Os que nós fizemos na AEW em menos de dois anos podem ser contados pelos dedos de uma mão, com certeza menos de cinco. E como não faço muitos ref bumps quando há double teams e quando os combates passam a englobar lucha, o que acontece bastante visto que faço imensos combates de trios ou de tag team com luchadores, haverá aspetos de lucha.

Isso vai acabar por acontecer porque não vou tirar o árbitro de cena do nada só para poder fazer alguns spots de lucha engraçados [sem que o árbitro consiga controlar quem é legal], portanto não vejo isso como um problema e sei que não tenho reparado ou pensado nisso enquanto tal.

Já sobre o facto de não ser respeitada a tradicional contagem até 10 que se verifica quando algum lutador está fora do ringue, Tony Khan frisou que não gosta de impor essa regra.

Normalmente não creio que a primeira coisa que as pessoas pensem quando estamos a ver um entusiasmante combate dos Young Bucks seja impingir uma contagem até 10, apesar de certamente ser algo a ter em consideração.

No combate entre Young Bucks e Eddie Kingston & Jon Moxley não ouvi ninguém a queixar-se da contagem até 10, bem como nos combates entre Young Bucks e Lucha Brothers. Acho que não é nisso que as pessoas estão a matutar quando assistem a um combate.

Esta política mais “relaxada” da AEW quanto às regras aplicadas nos combates de equipas já foi criticada internamente no passado, visto que os FTR são grandes apologistas do tag team wrestling enraizado no século passado.


O que achas destas declarações de Tony Khan? Concordas com a política mais “relaxada” da AEW quanto às regras aplicadas nos combates de equipas?

5 Comentários

  1. aewfan4 semanas

    Eu gosto muito da maneira como o Tony Khan vê o wrestling e como comenta os aspetos positivos e negativos da propria empresa. Adoro ver cada entrevista que faz. Uma lufada de ar fresco.

  2. Danhausen4 semanas

    Nem todas as empresas precisam de ter as regras exatamente iguais. Por exemplo, na WWE os árbitros começam logo a contagem quando os lutadores saem no ringue, na AEW eu olha para o combate como a regra ser “dá-se um tempo aos lutadores para estarem fora de ringue e depois começa-se a contagem” também para nao ser tudo à balda. A AEW tem ótimos wrestlers e fora do ringue há imensos spots que podem ser feitos. E seria um desperdício não serem feitos só pelo supostamente cumprimento à risca das regras de um tradicional combate de wrestling. No último dynamite tivemos aquele salto espetacular do Guevara para cima do MJF fora do ringue. Os dois lutadores estiveram brutais neste spot. Se fosse cumprida imediatamente a contagem dos 10 teria sido impossível fazer este spot. Quando assim é não me importo que esqueçam as regras por um bocado. Admito que a AEW as vezes é um pouco incoerênte nas regras dos combates. Há combates que aplicam determinadas regras e se for preciso no combate à seguir já não cumprem. Mas não é algo que me preocupe minimamente até porque não são assim tão desleixados

  3. Concordo,até porque torna os combates mais livres e agradáveis de ver

  4. Facebook Profile photo

    Concordo! Desde que não se afastem muito do ringue não vejo o porque de dar contagem, se começarem-se a afastar aí já tem de haver na minha opinião. Gosto bastante de como o Tony Khan vê as regras do wrestling.

  5. Outra coisa que acho interessante na AEW é os árbitros não declarar DQ em qualquer coisa, lembro-me por exemplo de uma situação do Arn Anderson e o QT Marshall em que o depois do Arn responder a uma provocação, é expulso em vez de o combate acabar em DQ.