Frank casino

O novo conceito do Raw Underground é algo que tem dado bastante que falar desde a sua estreia e também tem dividido as opiniões, não só entre os fãs como também entre várias personalidades do mundo do Wrestling.

Recentemente, em conversa num Q&A do Wrestling Observer, Lance Storm falou sobre o Raw Underground e fez alguns elogios e críticas a esta nova ideia implementada pela WWE e liderada por Shane McMahon.

Ninguém levantou o aspecto que eu acho que é o problema. Eles criaram um ambiente muito bom. Ao dizer isto falou em combates mais violentos, mais rápidos e repentinos, grandes arremessos, quedas, ground and pound e deixando adversários KO, parece emocionante.

Para mim, o problema é que arrancaste com o que eu consideraria um verdadeiro nocaute da UFC, onde ocorreram 4 lutas em menos de 2 minutos. Isso é menos de 30 segundos por luta. Se isso acabar, eles estarão em sérios problemas, porque a rapidez e a violência de um nocaute de 30 segundos no primeiro round é ótimo, mas tens um show de 3 horas para preencher.

Se o Dolph Ziggler fizer um grande takedown e estrangular o adversário, tu dizes que o Dolph Ziggler ficou muito bem visto. Sim, ele ficou, mas se ele tiver que fazer uma um combate de wrestling no Raw na próxima semana e durar 12 minutos, acho que há um receio de “o que aconteceu com o badass Dolph Ziggler que vence um adversário em 30 segundos?”.

Já esta segunda-feira, ainda antes da segunda edição do Raw Underground, na qual vimos o lutador brasileiro Arturo Ruas a ter um grande destaque, Madusa, também conhecida como Alundra Blayze, recorreu ao Twitter para criticar o facto da WWE usar mulheres como strippers no segmento.

A apresentadora do AEW Women’s Tag Team Cup Tournament: The Deadly Draw recuperou parte do Raw Underground da semana passada para fazer essa crítica, destacando o facto da WWE por um lado usar strippers e por outro querer vender a ideia da women’s evolution e da igualdade entre homens e mulheres. Sarcasticamente, Alundra Blayse também perguntou quando é que teremos homens em fato de banho e a dançar a abrir o Raw Underground.

Já Lance Storm também voltou a falar do assunto, dizendo que ficará satisfeito caso o Raw Underground venha a ter também a participação de mulheres a lutar, algo que acabou por acontecer com Shayna Baszler. Ainda assim, o ex-produtor da WWE também sublinhou a falta de igualdade na questão da dança.

Quem também aproveitou todo este alarido à volta do Raw Underground foi Ken Shamrock, que atualmente está ligado ao Impact Wrestling. A lenda sugeriu que caso a WWE ou Shane McMahon precisem de alguém para ajudar os socos a “parecerem reais”, ele está disponível e têm o seu número, pelo que basta ligar-lhe.


Concordas com estas críticas apontadas por Lance Storm, Madusa e Ken Shamrock?

9 Comentários

  1. bottom1 mês

    Realmente é ridículo colocarem strippers no produto em pleno 2020 pós womens revolution.

    • Surf1 mês

      Só vi um womens revolution para 4 sujeitas da empresa, mais nada

    • bottom1 mês

      Recomendo um programa novo e pouco conhecido chamada ”NXT”, dizem que possui um roster feminino excelente e com um titulo super valorizado, também falam que tem tudo para ser uma terceira brand da WWE, fica a dica.

  2. Anonimo1 mês

    Queremos ou não a Attitude Era?

  3. Não concordo com a primeira crítica já que os que vão lá lutar do MR ganham aos jobbers dos jobbers do NXT.
    A questão das strippers dá para evitar, elas não são essenciais para o RAW underground ser bom.

  4. Facebook Profile photo

    Mas qual é o mal de haver só strippers femininas? Não é julgar a diferença de sexo, mas sim mostra o que 90 por cento do pessoal quer ver, que é uma boa cona a esfregar no varão.
    Straight uppppp!

  5. Anónimo1 mês

    Enfim, ia haver sempre algum tipo de criticas.

  6. Hellawake1 mês

    Até parece que isto é Disney agora… Não há mulheres stripper na realidade ou que?

  7. JOAOPEDROOOOO1 mês

    E qual é o mal? O Raw Underground quer agradar a um tipo de público que se pretende lembrar de como era o wrestling há 20 anos. E muito bem! Afinal, era esse mesmo público que dava audiências de 10 milhões e não de 1 milhão e meio como é agora!

    Queremos as pillow fights, bikini contests, Val Venis e tudo mais. Ainda estou para perceber porque é que não pode existir as Divas e as Womens. Aliás, divididas ficavam muito melhor e agradava-se a todos