Navega no Wrestling PT sem pop-ups

WP Batalha dos 1000 (12/11/2017): Marcos Vitória vence da 2ª posição

Dia 12 de Novembro de 2017, no Centro Shotokai de Queluz, 114 fãs juntaram-se para ver a 2ª edição da Batalha dos 1000 que era, simultaneamente, o 2º episódio da Season 2 do “WP Batalha”.

Para além da Battle Royal em si (que teve 1000 euros em jogo), tiveram lugar 6 combates de classificação – quem vencesse, teria o benefício de entrar na Battle Royal apenas na 2ª metade do combate, com os vencidos a entrarem na 1ª.

Vamos à report completa.

1. Táctica ilegal d’ “O Fantástico” vence “O Veterano”

No combate de abertura, Marcos Vitória teve o maior teste da sua relativamente curta carreira. E, por pouco, não passou.

No início, antes de qualquer troca física, foram patentes as trocas verbais entre os dois lutadores, com David Francisco a provocar várias vezes Marcos Vitória. Até este responder na mesma moeda: “És ‘Fantástico’ a falar, vamos lá ver a lutar”, momento que o público apreciou.

Depois de um confronto extremamente renhido, Marcos Vitória tentou surpreender o antigo Duplo Campeão com várias tentativas rápidas de assentamento, mas foi ele que foi apanhado num School Boy.

O árbitro, focado nos ombros d’ “O Veterano”, não viu que David Francisco estava a puxar as calças de Marcos Vitória para impedir que este se libertasse do School Boy. Resultado: David Francisco regressou ao WP com uma das suas vitórias controversas de assinatura.

2. Bammer e HardFlyer impedidos de criar um Clássico

De um lado, a Referência. Do outro, a grande novidade do WP para a Season 2.

Num dos combates que mais antecipação e curiosidade gerou quando foi anunciado o cartaz, Bruno “Bammer” Brito e HardFlyer não desapontaram.

O combate progrediu desde um começo técnico até um final violento, que viu Bammer acertar um Lariat devastador, que fez HardFlyer dar uma volta no meio do ar.

Enquanto os lutadores se tentavam levantar para impedir o árbitro de contar até 10, Bernardo Barreiros entrou no ringue, olhou para Bammer – com quem a animosidade tem apenas crescido nos últimos espectáculos – e atacou HardFlyer com uma direita.

Pareceu estranho, mas o plano era bastante claro: ao agredir o adversário do seu rival, assegurou que Bammer era desqualificado e obrigado a entrar na Batalha dos 1000 na 1ª metade do combate.

Entre Bammer e HardFlyer, um clássico pode ter ficado por acontecer.

3. João Santos esmaga Duarte Silva

Depois de Luís Mira ter eliminado o amigo mascarado de Duarte Silva – o “Guna” – na Batalha da Vingança, a vida não se adivinhava fácil para o “Meia Dose”.

Sobretudo, quando do outro lado do ringue estava o lutador mais alto do WP, o recém-chegado João Santos, fazendo deste combate um dos que maior disparidade de dimensão entre lutadores teve.

Depois de ver as suas tentativas de homenagear o “Guna” com 1 minuto de silêncio, a sineta acabou por tocar e Duarte Silva tentou enganar João Santos, fugindo para fora do ringue e obrigando Santos a persegui-lo.

Quando voltou ao ringue, travou a entrada do homem grande com stomps, mas de pouco lhe valeram.

Foi apanhado em dois Hip Tosses que o fizeram voar até ao canto oposto. Depois disso, João Santos fez um “thumbs up, thumbs down”, ao estilo do Coliseu romano.

Enviou Duarte Silva às cordas, foi ele próprio às cordas e colidiu com Duarte através de um Pounce que, novamente, fez o “Meia Dose” voar para o outro lado do ringue e bater nas cordas.

1… 2… 3.

4. Luís Mira tenta “ajudar” Duarte Silva

Com Duarte Silva ainda combalido no Pavilhão, Luís Mira fez a sua entrada para o combate seguinte e, ao reparar na presença do seu rival, pediu o microfone.

Tendo a palavra, fez notar o óbvio: sem ajuda, Duarte Silva vai ver a vida a andar para trás.

Por isso, Mira queria ajudar, razão pela qual revelou uma resma de panfletos, em que se apelava a qualquer possível auxílio para encontrar o Guna:

5. Salvador vence Mira; volta a abusar das regras

A nova atitude do Bi-Campeão Nacional Luís Salvador reclama como vítima mais um lutador popular que o estava a levar até ao limite.

Com efeito, Luís Mira teve excelentes momentos no seu confronto com o Campeão e a vitória pareceu estar muito próxima.

Entre isso e o facto de Mira estar sistematicamente a escapar ao Log Off, Salvador pode ter-se sentido pressionado a resolver um combate que, se continuasse dentro das regras, lhe podia escapar.

Depois de uma tentativa frustrada de School Boy em que o Campeão puxou as calças do seu adversário – detectado pelo árbitro – Salvador teve nova oportunidade 1 minuto depois.

Luís Mira fez um Sunset Flip do exterior para o interior do ringue. Sem sucesso a fazer Salvador cair, Mira viu Salvador aplicar o seu peso em cima dele e tentar o seu próprio assentamento.

Assim que o árbitro começou a contar e se focou nos ombros de Mira, Salvador agarrou as cordas para imobilizar ainda mais Mira. O público viu. O árbitro não. E contou os 3.

Entrevistado no final sobre as suas hipóteses de sucesso na Batalha dos 1000, lembrou o seu extenso currículo: o único Bi-Campeão, o homem que derrotou Bruno “Bammer” Brito, venceu a 1ª Batalha dos 1000 e que reformou Bruno “Korvo” Almeida – que assistia na 1ª fila ao evento.

6. Bammer vinga-se, ajuda Zé de Manteigas a vencer Bernardo Barreiros

Bernardo Barreiros pensava que teria acesso fácil à 2ª metade da Batalha dos 1000. Enganou-se.

Assim que Zé de Manteigas chegou ao ringue, convenceu-o a esperar no exterior por uma derrota por contagem, sob a ameaça de braços, mãos e pernas partidas.

A sineta toca, Zé sai. E Bammer aparece. Primeiro, parece que o seu interesse é confrontar Bernardo. Mas depois, o “Homem da Janela” percebeu. Mas percebeu tarde.

Bammer deu uma palmada nas costas de Zé – o equivalente em Manteigas a uma avalanche de tijolos – e Zé caiu no chão cheio de dores.

Apesar da hesitação inicial, o árbitro não teve outra hipótese senão desqualificar Bernardo Barreiros já que, para todos os efeitos, Bammer interferiu a seu favor. E assim, tanto Bammer como Bernardo ficariam na 1ª metade da Batalha dos 1000.

7. Despedida de Korvo interrompida por Ramon Vegas

Antes do intervalo, João “Pégaso” Sena deu a palavra a Bruno “Korvo” Almeida, que quebrava o silêncio depois da derrota amarga na Batalha da Vingança, quando foi derrotado com o Título em jogo.

Depois de estar há quase 20 no wrestling nacional, Bruno Almeida parecia decidido a arrumar as botas, já que começou por pedir ao plantel para vir ao pavilhão, já que o seu discurso era também para eles.

Mas, subitamente, o discurso de retirada de Korvo foi interrompido, quando Ramon Vegas apareceu e lhe disse: “E já vais tarde”. O que se seguiu foi clássico Ramon Vegas.

Insulto atrás de insulto, que João Sena e os árbitros entretanto chamados fizeram tudo para parar, mas sem sucesso. Nomeadamente, acusou Bruno Almeida de ser uma sanguessuga que ficou demasiado tempo num lugar que podia ter ido para outros lutadores.

Depois, a coisa podia ter-se tornado física. Ramon Vegas empurrou Korvo enquanto dizia que achava “um bocado estranho teres demorado 20 anos a perceber que não passas de um piç**.”

Árbitros e lutadores colocaram-se entre os dois homens, evitando o pior. Ramon Vegas acabou por abandonar o pavilhão e Korvo teve direito a uma despedida, ainda que claramente manchada pela interrupção do Luso-Cubano.

8. Ramon Vegas desafia Artur Carvalho e Duarte Jardim

Depois do intervalo – e da entrega de brindes a alguns dos fãs – e com o arranque da Batalha dos 1000 iminente, Ramon Vegas regressou ao pavilhão.

Desta vez, tinha um desafio em mente: depois de o que considerava vários abusos de autoridade, queria lutar contra o árbitro Artur Carvalho, com quem Ramon já teve várias trocas desagradáveis em espectáculos anteriores, incluindo uma que acabou com Artur a empurrar Ramon para o chão.

Artur, que estava junto ao ringue, não podia estar menos à espera. Duarte Jardim, o árbitro sénior, veio ao pavilhão tentar impôr alguma serenidade, porque Artur – que treina na Academia do WP há mais de um ano – estava cada vez mais pronto para saltar para dentro do ringue.

Foi aqui que Ramon subiu a parada. Não, não colocou o seu Título da APW em jogo. Desafiou também Duarte Jardim que, como árbitro sénior deixou, no entender do Luso-Cubano, que Artur não fosse castigado pelas suas trocas com Ramon.

9. Ramon Vegas vence os árbitros; Duarte Jardim deixa Artur “pendurado”

Por insistência de Ramon e Artur, o combate acabou por ser marcado, algo que Duarte Jardim claramente não queria.

O combate “handicap” 1-contra-2 acabou por não incluir Duarte Jardim. Primeiro, porque Ramon Vegas fez um bom trabalho em cortar o ringue e negar a Artur qualquer passagem de testemunho. Depois, porque quando Artur finalmente pode fazer o “tag”, Duarte Jardim mostrou o quanto não queria estar naquele combate: em vez de permitir a passagem de testemunho, saltou para o exterior do ringue e abandonou o recinto.

Artur, surpreendido com a atitude de Duarte Jardim, ficou à mercê de Ramon Vegas, que conseguiu a vitória depois da sua versão do Rock Bottom.

Ficou uma boa impressão de Artur Carvalho dentro do ringue, já que conseguiu ser bastante ofensivo contra Ramon Vegas.

Depois do combate, Afonso Malheiro fez notar que, como todos os combates são de “classificação” para a Batalha dos 1000, Artur Carvalho e Duarte Jardim tinham acabado de ganhar o direito de participar.

Eles estariam na 1ª metade do combate e Ramon na 2ª.

10. Marcos Vitória vence a Batalha dos 1000 da 2ª posição

Marcos Vitória está 1000 euros mais rico. Igualou o recorde de eliminações (que já era seu) com um total de 4. E venceu a 2ª edição da Batalha dos 1000. A partir do número 2, ou seja, do início do combate.

Assim, Queluz foi palco de uma Batalha dos 1000 com um final que pareceu ter surpreendido a maioria dos 114 fãs de wrestling que estavam no Centro Shotokai.

“O Veterano” desafiou imediatamente o Campeão para um combate pelo Título em Janeiro, no próximo espectáculo do WP, ainda sem nome ou dia revelado.

Inicialmente, Salvador recusou, mas acabou por ser dissuadido por provocações de Marcos Vitória e dos fãs.

Mas, antes do desfecho do combate, muita coisa aconteceu.

O número 1 foi Duarte Silva, que parece ter o karma atrás de si. Apesar de ter atacado o número 2Marcos Vitória, enquanto este entrava no ringue, foi rapidamente contornado e eliminado. Sozinho, o sucesso escapa a Duarte Silva.

O número 3 foi Bernardo Barreiros, que conseguiu parar o ímpeto inicial d’ “O Veterano”. No entanto, foi sol de pouca dura, porque o número 4 foi Bruno “Bammer” Brito, o que fez Bernardo sair do ringue e os dois homens – que sabotaram o combate de classificação do outro – começaram a sua rixa fora do ringue.

No regresso ao ringue, Bammer e Bernardo continuaram a atacar-se, com Marcos Vitória a envolver-se, sobretudo em auxílio de Bammer.

O número 5 entrou com uma música familiar. Inclusivé, podia dizer-se que “vinha aí a dor”. Zé de Manteigas, com calções de MMA, um fato de músculos e um gorro da UFC. Não é preciso ser um perito para perceber que “O Conquistador”, Brock de Manteigas, tinha chegado.

Tentou fazer German Suplexes aos 3 presentes no ringue, conseguindo apenas que ele próprio embatesse no tapete, ficando KO.

Isto foi aproveitado pelo número 6, Duarte Jardim. Receoso de entrar no ringue e enfrentar Bammer, Marcos ou Bernardo, aproveitou o facto de os dois primeiros terem colocado Bernardo num duplo Ankle Lock e entrou no ringue.

Tinha descoberto o seu alvo seguro e indefeso. Pegou em Brock de Manteigas e eliminou-o sem cerimónia. Infelizmente, Bammer e Marcos assistiram ao feito e concordaram no que fazer a seguir: dar as “boas-vindas” a Duarte Jardim.

Seguiu-se um festival de Knife-Edge Chops e European Uppercuts.

O número 7 foi Luís Mira, que se juntou à festa, depois de derrubar várias vezes Bernardo Barreiros.

O número 8 estava particularmente interessado em “receber” Duarte Jardim: Artur Carvalho, que tirou Bernardo Barreiros do seu caminho e tirou satisfações a Duarte Jardim, sob a forma de mais Chops.

O número 9 foi um perito em Battle Royal. OK, talvez não. Mas era parecido: HB-Zé. Shawn de Manteigas, que depois da sua entrada de assinatura, tentou a sua combinação emblemática em Bernardo Barreiros, com o Flying Forearm, seguido de um nip-up (apenas possível com a ajuda de Bammer).

No entanto, quando tentou o Sweet Chin Music, lesionou o pé no queixo de Bernardo, que prontamente o eliminou.

O número 10 foi João Santos que, tal como tinha acontecido na Batalha da Vingança, varreu o ringue e eliminou Duarte Jardim com um Scissors Kick. Tudo lhe corria de feição até encontrar Bammer no meio do ringue.

Depois de um troca acesa de strikes, Santos atacou Bammer com uma Clothesline, a que Bammer respondeu com a sua, derrubando João Santos. Assim que caiu no chão, foi atacado pelos vários lutadores que tinha deixado no chão e foi eliminado.

Seguiu-se o Campeão Luís Salvador a número 11, que rapidamente encontrou, atacou e tentou eliminar Luís Mira.

O número 12 foi HardFlyer, que varreu todos os lutadores presentes no ringue com o seu high-flying extremamente eficaz, que apenas foi parado por um Flapjack RKO de Salvador.

O número 13 foi “O Fantástico” David Francisco, que não teve qualquer pressa a entrar.

Entretanto, no ringue, Bammer pegava em Mira num Suplex, que deixou Mira do lado de fora do tapete. Conseguiu afastar Bammer, mas foi surpreendido por um Double Axe Handle de Artur Carvalho, que o eliminou.

Enquanto Artur e Mira mostravam o seu desportivismo com um aperto de mão, David Francisco aproveitou a distracção de Artur para o eliminar.

O número 14 foi glorioso. Literalmente. Bobby Roode de Manteigas. Com um robe verde, colocou-se num pedestal à entrada, enquanto os fãs cantavam a famosa música.

Chegando ao ringue, a festa que se fazia fora do ringue acabou, porque David Francisco o atacou com um Superkick e eliminou-o pouco depois.

O número 15 e último foi Ramon Vegas. Confiante, graças ao número que lhe saiu e à presença do seu aliado David Francisco no ringue, entrou calmamente no ringue e focou-se em Marcos Vitória.

O que o Luso-Cubano não sabia é que Bruno “Korvo” Almeida tinha regressado ao pavihão. Ele entrou no ringue e atacou Ramon Vegas com várias direitas, um Clothesline e um Falcon Arrow, antes de o atirar para fora do ringue e dizer-lhe a sua frase de assinatura: “Bem-vindo ao meu show”.

Sem mais lutadores para entrar, permaneciam no ringue Marcos Vitória, Bammer, Bernardo Barreiros, David Francisco, HardFlyer e o Campeão Luís Salvador.

A próxima eliminação foi a de HardFlyer, a quem Salvador deu um doloroso golpe baixo. Pedindo ajuda ao “Fantástico”, ambos eliminaram HardFlyer, para desagrado do público.

De seguida, Bammer eliminou Bernardo Barreiros depois de um Back Body Drop para o lado exterior do tapete e um Forearm. A Referência tinha encontrado o seu momento na Battle Royal e atacou rapidamente Salvador e David com German Suplexes.

Apenas um ataque continuado de 2-contra-1 foi suficiente para parar Bammer. Salvador e David colocaram-no do lado de fora do ringue, mas não conseguiram a eliminação. Porém, Bernardo Barreiros, ainda presente depois de ter sido eliminado, puxou Bammer do tapete para o chão, causando a sua eliminação.

Isto deixou Marcos Vitória à mercê de Salvador e David Francisco, que estabeleceram a sua aliança à frente de Marcos Vitória com um aperto de mão. E pareciam ter tudo controlado, apesar das várias tentativas de Marcos em isolar um deles, para tentar uma eliminação.

No entanto, depois de quase 30 minutos de Battle Royal, Marcos teve uma oportunidade, quando se desviou de um Superkick do “Fantástico”, que embateu em Salvador.

A confusão estava lançada, mas o “Veterano” continuou esclarecido. Atingiu David Francisco com um Superkick e eliminou-o com uma Clothesline.

Segundos depois, Salvador parecia pronto para dar a golpada final, aguardando por Marcos nas suas costas. Agarrou-o pelo pescoço e levou para as cordas, manobra que Marcos inverteu no último momento possível, com este resultado:

Marcos Vitória eliminou o Campeão do WP Luís Salvador, segundos depois de ter eliminado “O Fantástico” David Francisco, dando origem a uma explosão de alegria do público.

Igualou o seu recorde de eliminações, foi o homem que mais tempo esteve em ringue, e prepara-se para ter uma oportunidade pelo Título do WP.

E tu? O que achaste da Batalha dos 1000?

Enviar notícia para o Wrestling PT

2 Comentários

  1. Rafa Wrestling YT - há 1 semana

    Foi um excelente show! Em Janeiro talvez possa estar presente ( Agradeçam ao pessoal do Smarkdown que me deram um “empurrãozinho” )
    Parabéns a WP por este EXCELENTE e BRUTAL espetáculo!

  2. isto é porque a batalha estava marcada para UMA VITORIA!… MARCOS VITORIA !

Comentar

Editar avatar »