Nos últimos meses temos assistido a uma profunda restruturação na WWE, sobretudo na forma como a empresa olha para o talento que recruta e já possui, e o que pretende que seja o Performance Center e o NXT para o futuro.

Esta quinta-feira e em comunicado no seu site, a WWE anunciou o lançamento do NIL: Next In Line, um programa de apoio e recrutamento que pretende através de parcerias estreitar a ligação entre a empresa e atletas universitários, com o objectivo que estes últimos iniciem as suas carreiras na WWE.

Estas parcerias permitirão a atletas como Gable Steveson, que conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio e já foi contratado pela WWE, usufruir do Performance Center e de muitos outros recursos que a WWE dispõe para treino e desenvolvimento de imagem, marca pessoal, produção, escrita, entre outros.

Este programa de recrutamento da WWE só é possível porque a NCAA (National Collegiate Athletic Association) permite desde o dia 1 de Julho de 2021 que atletas universitários monetizem o seu nome, imagem e likeness, e com isso a WWE quer aproveitar para contratar e formar as suas futuras Superstars.

Já por diversas vezes foi reportado que a WWE pretende reduzir a contratação de atletas do circuito independente e investir na contratação de lutadores amadores ou atletas de outras modalidades, para treiná-los e moldá-los ao estilo de Wrestling da empresa, pelo que este é mais um passo nesse sentido.

No comunicado, Triple H, o vice-presidente da WWE para Global Talent Strategy and Development, refere:

O programa WWE NIL tem o potencial de ser transformador para o nosso negócio. Ao criar parcerias com atletas de elite em todos os níveis e numa ampla variedade de desportos universitários, expandiremos dramaticamente o nosso grupo de talentos e criaremos um sistema que prepara os competidores da NCAA para a WWE assim que suas carreiras universitárias cheguem ao fim.

Esta foi a publicação da WWE a anunciar o novo NIL: Next In Line:


Achas que a WWE poderá encontrar nas universidades as suas futuras grandes Superstars?

4 Comentários

  1. joao (diferenciado)10 meses

    muito boa noticia. há muito que sou apologista deste tipo de programas. é bom para a WWE porque descobre malta nova com potencial e é bom para os atletas porque recebem dinheiro que dantes não recebiam, são-lhes abertas as portas ao mundo do Wrestling / Sports Entertainment e divulgam a sua marca pessoal. win-win.

  2. Rei de lisboa10 meses

    Para isso serve o performance center e o nxt, não o antigo mas este lixo de nxt 2.0, mas a wwe é que sabe, e a wwe contrata o gable stevenson, que foi acusado de um crime muito grave em 2019, e só foi absolvido por uma lacuna da lei de um dos estados do eua, nada contra, mas com este perfil e o passado n sei se o contrataria.

  3. El Cuebro10 meses

    Hoje em dia com o novo NXT esse programa faz sentido, mas já poderia estar acontecendo há um certo tempo e com qualquer atleta, seja universitário ou não, ou ainda lutando em uma indy desconhecida por aí, para mim erraram na fórmula do NXT, nós sempre vimos novas contratações irem para a marca amarela quando deveriam estar fazendo parte de Raw e SD talvez, enquanto o NXT seria sim uma marca para criar talentos do zero ou quase, vamos ver como será o NIL daqui para frente!

  4. A cena é que encontram jovens e despedem depois..