A WWE transmitiu esta segunda-feira mais uma edição do Raw na USA Network, a partir da Scotiabank Arena em Toronto, Canadá, rumo ao Clash at the Castle do dia 3 de Setembro.

Resultados

– Dakota Kai & IYO SKY venceram Asuka & Alexa Bliss (Semi-Final do WWE Women’s Tag Team Championship Tournament)
– Finn Bálor venceu Dolph Ziggler
– Kevin Owens venceu Chad Gable
– Bayley venceu Aliyah
– The Miz & Ciampa venceram WWE United States Champion Bobby Lashley & AJ Styles (por desqualificação)
– Edge venceu Damian Priest

Report

O Raw abriu com uma brawl entre Seth Rollins e Riddle com os dois a começarem à pancada nos bastidores, tendo também lutado pelo meio do público, mas os dois acabaram por ser separados por vários oficiais da WWE.

Já no ringue, tivemos Trish Stratus a dizer que cada vez que está em ringue se sente em casa e quando parecia que ia falar sobre o futuro, Bayley, IYO SKY e Dakota Kai interromperam a Hall of Famer.

O grupo começou por dizer como é fã de Trish Stratus e quando esta começou a dizer que estava no Raw para apoiar Edge, o grupo de Bayley começou a insultar a canadiana, até que a Raw Women’s Champion Bianca Belair veio ao ringue.

A “EST da WWE” e a Hall of Famer estavam prontas para a luta e quando que Bayley mandou-as fazer as contas, foi então que Alexa Bliss e Asuka vieram o ringue, e assim seguimos para o primeiro combate da noite.

– Dakota Kai & IYO SKY venceram Asuka & Alexa Bliss (Semi-Final do WWE Women’s Tag Team Championship Tournament): Asuka & Alexa Bliss dominaram os minutos iniciais deste opener, sendo que até foram começando logo a ter hipóteses para vencer.

Com o passar do tempo, a dupla de Dakota Kai & IYO SKY começaram a dominar Alexa Bliss, mas esta nunca se deu por vencida e quando fez o tag a Asuka esta quase deu a vitória à sua equipa

Nos minutos finais, as duas equipas foram ficando cada vez mais perto de vencer e quando parecia que Asuka ia vencer com o Asuka Lock em Dakota Kai, esta fez um blind tag a IYO SKY que com um pin rápido conquistou a vitória neste opener.

Nos bastidores, Dolph Ziggler estava a falar da sua derrota contra Theory e que só queria ajudar o jovem, mas foi interrompido por Finn Bálor que explicou que há veteranos que só fingem querer ajudar os mais novos para continuarem relevantes. O “Show-Off” gozou com Finn Bálor por os dois serem da mesma idade, tendo-lhe dado um soco antes de seguir para o ringue.

– Finn Bálor venceu Dolph Ziggler: O combate começou de forma técnica e foi Dolph Ziggler que entrou melhor, isto até Finn Bálor o atirar com a cabeça ao canto. O irlandês dominou durante alguns minutos, mas o “Show-Off” foi começando a equilibrar o ímpeto e com isso quase venceu depois de um Zig Zag. Nos minutos finais, as quase vitórias foram continuando a surgir, tendo Rhea Ripley atacado Dolph Ziggler nas costas do árbitro, o que abriu espaço para que o “Príncipe” acertasse o 1916 e o Coup de Grace que lhe deu a vitória.

No backstage, Aliyah estava a ser entrevistada, mas foi interrompida por Bayley que começou a insultar a lutadora do SmackDown. Foi então que Trish Stratus apareceu e provocou Bayley, tendo Aliyah desafiado a ex-campeã para um combate.

No ringue, tivemos a Alpha Academy, que pela voz de Chad Gable lançou um desafio aberto a qualquer lutador que o queira enfrentar e foi então que tocou a música de Kevin Owens.

– Kevin Owens venceu Chad Gable: Kevin Owens entrou de forma agressiva e dominou durante os primeiros minutos deste embate até ao momento em que os dois começaram a lutar no apron, Chad Gable conseguiu virar o ímpeto com um German Suplex na parte mais dura do ringue.

O líder da Alpha Academy dominou então durante vários minutos, mas o “Prizefighter” foi começando a equilibrar as contas e com isso o cansaço foi sendo cada vez mais evidente de parte a parte. As false finishes foram aparecendo com o passar dos minutos minutos e final, Chad Gable falhou um Moonsault o que abriu espaço para que Kevin Owens acertasse a sua Pop Up Powerbomb e vencesse este embate.

Assim que o combate terminou, Otis atacou Kevin Owens, mas este não se deixou ficar, tendo acertado um Stunner em Otis antes de aplicar mais uma Powerbomb em Chad Gable.

Nos bastidores, os Judgment Day insultaram os Mysterios e Edge, tendo Finn Bálor afirmado que Rey Mysterio está no seu bolso, já Damian Priest afirmou que iria fazer Edge retirar-se de vez.

– Bayley venceu Aliyah: Bayley dominou Aliyah desde cedo e até parecia que iria vencer sem problemas, mas a canadiana foi dando luta e até quase conseguiu vencer de forma surpreendente.

No final, Bayley virou o combate definitivamente a seu favor e aplicou o Rose Plant para a vitória.

– The Miz & Ciampa venceram WWE United States Champion Bobby Lashley & AJ Styles (por desqualificação): Bobby Lashley & AJ Styles entraram com tudo e dominaram os seus rivais sem problemas durante vários minutos.

No entanto, a dupla de The Miz & Ciampa conseguiram isolar o “Phenomenal One” durante vários minutos, mas este nunca se deu por vencido e quando teve uma abertura fez o tag a Bobby Lashley que usou a sua força para virar o combate do avesso. As quase vitórias foram começando a aparecer, e foi então que o caos se instalou, pois alguém do público tentou atacar AJ Styles, mas foi parado pelos seguranças da WWE. A mesma sorte não teve The Miz que foi raptado por Dexter Lumis, o que fez com que o combate terminasse em desqualificação.

Mesmo com o combate terminado, Ciampa atacou Bobby Lashley, mas essa ideia correu-lhe mal, pois levou um Phenomenal Forearm de AJ Styles e um Spear do “All Mighty”.

De forma inesperada, tivemos o inesperado regresso de Johnny Gargano à WWE, o que levou a uma grande ovação dos fãs

Já com o regressado lutador em ringue este afirmou que nestes nove meses de ausência pensou se algum dia queria voltar ao ringues, mas quando era miúdo tinha o sonho de vencer o WWE Championship e lutar na WrestleMania e que seria um mau pai se não mostrasse ao seu filho que teria de lutar pelos seus sonhos, mas acabou por ser interrompido por Theory.

O “Mr. Money In The Bank” já no ringue explicou que tudo o que “Johnny Wrestling” queria fazer ele já fez e que agora ele é que deveria ser o mentor de Johnny Gargano. O jovem continuou a provocar o seu antigo mentor, tendo então pedido-lhe o high five típico dos The Way, mas acabou por levar um Superkick de Johnny Gargano.

– Edge venceu Damian Priest: O main event começou a um ritmo lento, o que beneficiou Edge que controlou durante alguns minutos, tanto dentro como fora do ringue.

A força de Damian Priest foi começando a aparecer, mas o domínio do Hall of Famer só terminou quando o “Archer of Infamy” acertou o Razor’s Edge na mesa de comentadores e com isso o lutador dos Judgment Day a controlar durante vários minutos.

O “Rated R Superstar” foi começando a equilibrar as contas e com isso as quase vitórias foram surgindo com cada vez maior frequência, e quando Edge se preparava para aplicar o Sharpshooter, acabou por ir contra o árbitro deste main event. Foi então que Damian Priest tentou usar duas cadeiras para lesionar o seu antigo mentor, mas acabou a sofrer um Crossface, porém até foi o “Archer of Infamy” a quase vencer.

No final, de forma inesperada tivemos Edge a acertar um Canadian Destroyer antes de aplicar o seu Spear que lhe deu a vitória.

Quando o Hall of Famer se preparava para se vingar de Damian Priest e acertar um Conchairto, Rhea Ripley acertou-lhe um low blow, tendo Finn Bálor acertado o seu Coup de Grace. Quando parecia que os Judgment Day iam continuar o seu ataque, Beth Phoenix tirou a cadeira das mãos do irlandês e não deixou que o ataque ao seu marido continuasse.


O que achaste deste WWE Raw?

31 Comentários

  1. Brenuu1 mês

    Eu nunca fui de acompanhar a TRish mas achei ela meio lenta falando. Não faliu nada com nada

    Resultado obvio e perfeito das semifinais do torneio mas achei a luta ruim. Lenta e com varios Botches, tamanha a qualidade das lutadoras. Gostaria d saber a opinião de voces

    Nao estou aqui pra falar mal pq acho a IYO e a DAKOTA absurdas e a qualidade da Alexa e da Asuka nem precisa comentar mas to achando bem ruim

  2. Minun1 mês

    GARGANO RETURN!!!
    eu não acreditei até ver com meus olhos.

  3. Neno1 mês

    GARGANOOOOOOOOOOOO
    EU TO MALUCOOOOOOOOOOO

  4. Neno1 mês

    Raw Absurdooo
    Tiveram alguns botches? Sim, totalmenge normal
    Mas a qualidade das lutas, o retorno oficial do Dexter Lumis, a volta do Gargano, o Crowd animadissimo, a bayley lutando, tantas coisas que eu nem sei o que dizer
    Que prazer poder ter visto esse Raw
    Qualidade Incrível
    Você não vai ler isso mas MUITO OBRIGADO TRIPLE H

  5. Jonatan Magno1 mês

    Ok, a hora é agora, metam o DIY juntos pra acabar com o reinado dos Usos! Book it HHH!!!

  6. Foi um bom Raw!

  7. Alexa Bliss1 mês

    Não sei não, mas parece que o grupo da Bayley vai dominar a divisão feminina, ou seja Iyo e Dakota vencem o título tag, e Bayley derrota Bianca.

  8. WWE1 mês

    bom show

  9. MC1 mês

    Sem ofensa a ninguém que sei que alguns podem não gostar destas palavras, mas *ds, o Gargano regressa e o pop para não dizer nulo, é quase nulo.

    Por aqui se vê que de facto o NXT (e claro as indies) só chama a atenção de uma minoria de espetadores mais atentos a wrestling (como nós) e não ao público convencional que vai ver um espetáculo de wrestling para se divertir e ver os seus superstars favoritos como um Edge ou Rollins, pratas da casa.

    Já o Kross quando regressou teve pouco ou nenhum pop…

    É um pouco triste ver esta gente ter pouco pop, mereciam mais para o seu nome e talento, MAS, podem claro inverter esta situação e tornarem-se também eles prata da casa. Só depende deles, e do booking, claro.

    • Wresling é WWE e nada mais1 mês

      Nao vejo NXT de todo quando o Gargano fez a sua entrada fiquei na duvida quem era xD

    • joao (diferenciado)1 mês

      porque foram regressos surpresa de malta estreante. vais dizer que não ouviste os berros de “johnny wrestling”?

    • MC1 mês

      João, mesmo diferenciado tu. Claro que ouvi. E os ‘baby wrestling’ em referência à criança, ouviste? Mas refiro-me mesmo ao pop inicial. Aparece o smiley no titantron e a reação da crowd foi quase nula. Aparece uns malucos na câmera com as mãos na cabeça e tal, mas o barulho que se fez foi nenhum. Um pop monstro ali e tinha sido um dos momentos do ano facilmente. E o Gargano merecia isso.

      Malta estreante? O Gargano já esteve no main roster por um breve período. Mas, quem saberia isto, só mesmo os mais atentos ou que seguem mais afincadamente. Precisamente, o ponto do meu comentário inicial.

      E novamente, em reforço do ponto principal do meu comentário original: A ausência do pop só reforça, novamente, que poucos prestam atenção às indies e ao NXT (e é na boa e normal. Existe tanto wrestling que é normal não se acompanhar tudo, vês o que queres, há vida pra lá de ver uns tipos às turras). Os chants não me dizem nada. Meia dúzia de gajos desatam a gritar JOHNNY WRESTLING e de repente aquilo alastra-se e a arena toda está a cantá-lo porque, AGAIN, o pessoal das arenas pelo menos na WWE tende a ser mais casual e está ali para se divertir. Quantas e quantas vezes até durante combates, meia dúzia de depravados desata a cantar uma coisa random e a arena toda está a gritar o mesmo 2 segundos depois. No caso, os mais atentos chamaram por Johnny Wrestling e aquilo alastrou-se.

    • Facebook Profile photo
      Fábio Peres1 mês

      Jericho foi sábio em dizer que sentiríamos a falta de Vince uns seis meses depois de sua aposentadoria – não os fanáticos por “wrestling”, não os que passaram a odiá-lo por seu passivo nojento, mas aqueles que sabem que luta livre não é feita só de “indies” e movimentos pirotécnicos.

      Se Kross e Gargano forem um fracasso o que aqueles que se consideram fãs do legítimo “wrestling” vão fazer? Xingar o público?

    • Facebook Profile photo

      Mas isso é como a estreia de muita estrela atual antigamente. Por exemplo, o Rollins já tinha uma fama antes de entrar, o Owens, o Sami, o Mox, o Damian Priest, o Ciampa, o Theory. Com exceção de alguns todos estes nomes estiver em grandes empresas dos US mas tinham muita pouca gente a dar pop porque não via essas empresas. E agora são o que são.

      Esta é a apresentação do Gargano à WWE em si, é normal que nem toda a gente o conheça.

  10. Pergunta sincera: este combate do Balor vs DZ consegue tornar o Balor mais forte sem enfraquecer o DZ? O facto do Balor aguentar o finisher e signatures não enfraquece o adversário? É possível terem saído os dois mais fortes deste combate?

    • Facebook Profile photo
      Fábio Peres1 mês

      DZ está fazendo o que faz com brilhantismo: levantar os outros.

  11. Nem acredito que estou a escrever isto… mas é verdade, mais um bom RAW!
    12/13 anos depois voltamos a ter shows com qualidade e sem as palhaçadas acriançadas que ninguém achava piada.
    Ergam mas é uma estátua do Triple H para ontem!!!

  12. Facebook Profile photo

    Parece que ate a wwe deixou de ser para mim. Nao tou para ver x lutas sem heat entre os envolvidos de 10+ minutos todas as semanas 2 vezes por semana, fora os ppvs. Vou me ficar pelos premium live events e pelos resumos daqui. Mas há muita gente aqui que gosta, fico feliz por esses, aproveitem. Nao sei é se o resto do pessoal vai gostar a longo prazo, veremos daqui a alguns meses.

  13. Blissful1 mês

    Achei um show mto bom. Porém, um detalhe que me chamou atenção foi: É a primeira vez que a Alexa aparece sem a boneca em meses, não? Talvez tenha sido coincidência, mas foi logo após essa última entrevista em que ela disse não gostar da sua personagem atual. Ou talvez ela só tenha esquecido a boneca no backstage mesmo.

  14. Irracional1 mês

    Crowd morta no retorno do Gargano.

  15. Balhote1 mês

    Para mim tal vez tenha sido o RAW mais fraco da era Triple H. O combate do torneio feminino foi péssimo na minha opinião com muitos botches e ainda por cima o combate foi longo demais. Depois tivemos mais 15 minutos entre Balor e Ziggler sem razão nenhuma. Preferia mil vezes que tivessem feito um segmento dos JD em vez deste combate à toa. Gable vs Owens foi bom mas foi só para encher tempo e dar ao Owens o pop da sua hometown. Gostei mais uma vez de tudo o que envolveu o Lumis, acho que a sua personagem está a ser muito bem introduzida no MR. Depois o regresso do Gargano foi um bocado à toa também mas ainda bem que foi surpresa e a escolha de primeira feud com o Theory faz todo o sentido. Por último tivemos um bom main event. Resumindo, acho que foi um bocado desinteressante o episódio e espero que o go home show da próxima semana seja melhor.

  16. Anónimo1 mês

    Dou destaque para o ótimo main event entre o Edge vs Damian Priest e o regresso do Gargano.

  17. Que bom ver o Gargano de volta, todas as semanas coisas novas e boas!

  18. Gostei:
    – Começámos com porrada imediata entre Riddle e Seth Rollins. Uma ótima forma de começar o show, com uma luta intensa entre 2 rivais. Aumenta o heat da feud, aumenta o meu entusiasmo para o seu combate no Clash at the Castle.
    – Segmento com Trish, Bayley, Dakota, IYO, Bianca, Alexa e Asuka. Valeu a pena ver a Trish de volta e a dar tease a uma possível futura batalha entre ela e a Bayley. O segmento podia ter sido melhor, bem como as promos, mas não foi nada mau. Segue-se SKY & Kai vs Asuka & Bliss. Misturaram muito bem um ritmo acelerado com intensidade. Achei que Kai & SKY iam sempre vencer, mas Bliss e Asuka fizeram um bom trabalho em tentar convencer que o contrário ia acontecer. Melhor combate do torneio até agora, de longe.
    – Dolph Ziggler vs Finn Balor. Um ótimo combate, que deixa o Ziggler forte apesar da derrota. A near-fall após o Zig Zag foi mágica. A forma como o Ziggler ficou à espera que a Rhea lhe batesse podia ter sido menos óbvia, mas pronto.
    – Chad Gable vs Kevin Owens. Isto foi um combate absolutamente brutal. Adorei tudo o que aconteceu aqui. Dá uma boa vitória ao KO e mostra à malta o quão bom é o Chad Gable. Vejam este combate!
    – Miz & Ciampa vs Lashley & Styles. Uma boa tag match, que cumpriu o seu objetivo. As 4 pessoas em ring foram nos entretendo até chegar ao final onde o Dexter Lumis rapta o Miz que, na minha opinião, é um bom adversário para a 1ª feud do Lumis no main roster.
    – É assim que os regressos devem ser feitos: sem anunciar previamente, sem ninguém dar spoiler no Twitter 5 dias antes; é assim. De surpresa. Johnny Gargano está de volta!!! E gosto imenso que a sua 1ª feud seja com o Theory, devido ao seu passado nos The Way no NXT.
    – Edge vs Damian Priest. A história era bem simples: o herói a lutar na sua cidade natal. E estes 2 não complicaram e fizeram um combate absolutamente brutal. Apesar da derrota, Priest sai forte e o Edge lutou como se ainda tivesse 25 anos (raios, ele fez um Canadian Destroyer!). O confronto pós-combate entre a Beth Phoenix e a Rhea Ripley também é coisa de sonhos! Vejam este combate!

    Não Gostei:
    – Aliyah vs Bayley. Se tinha saudades de ver a Bayley a lutar? Óbvio. Mas a Aliyah esteve aquém do nível da Bayley. Preferia que tivesse sido uma squash.

    Overall: 8/10. Um episódio muito bom. O único ponto menos bom foi Aliyah vs Bayley, todo o resto foi sólido. Destaco a porrada entre Riddle e Rollins, a meia final do torneio feminino, Ziggler vs Balor e o regresso do Johnny Gargano. Gable vs Owens e Edge vs Priest são combates que valem imenso a pena ver.