Na passada segunda-feira surgiram novos detalhes sobre os incidentes que aconteceram na Arábia Saudita depois do Crown Jewel do ano passado, com dois ex-empregados da WWE a fazerem descrições do incidente que aconteceu no país, como parte de um processo judicial do qual a WWE é alvo.

O processo judicial já foi colocado há alguns meses por um grupo de accionistas e é relativo a uma suspeita de fraude com inflação do valor e venda de ações da WWE, e outro sobre os negócios da empresa com o governo saudita. Os dois juntaram-se e alegam que a WWE deu falsos testemunhos e escondeu factos importantes.

Entretanto o escritório de advogados que representa a WWE, Jerry McDevitt at K&L Gates, emitiu um comunicado à Forbes em que desmente estas recentes alegações dos dois ex-empregados da empresa, ao mesmo tempo que tenta pôr fim ao processo judicial do qual a empresa é alvo.

O comunicado diz o seguinte:

Essas falsas alegações foram originalmente feitas em dois processos feitos por dois escritórios de advogados diferentes. Depois do tribunal ter nomeado um terceiro escritório de advogados para liderar o processo, a WWE forneceu aos três escritórios factos detalhados e específicos das pessoas com conhecimento real da situação, incluindo a alegação falsa sobre o avião.

Os dois primeiros escritórios de advogados desistiram dos seus processos para evitar moções de sanção, mas o terceiro escritório optou por ignorar os factos específicos que haviam sido fornecidos e, em vez disso, citou um ex-lutador descontente, sem conhecimento dos factos.

A WWE está a preparar a sua resposta ao processo e a trabalhar no sentido que este seja concluído.

Esta é uma situação que deverá continuar para os tribunais e da qual muito em breve deveremos ter mais novidades.


O que achas de toda esta situação?

3 Comentários

  1. Bem, isto “vai dar panos para mangas”… No entanto, a WWE só será “derrotada” neste processo caso os autores tenham provas inequívocas que suportem a sua causa.

  2. Esta aqui uma grande caldeirada mas acho que a WWE se consegue safar a menos que a-hajam provas irrefutaveis

  3. Anónimo1 ano

    Continuo achar que isto não vai dar em nada. Mas vamos lá ver onde vai dar.