Cult of Justice #3 – A realidade (in)definida para a WM

Antes de avançar com a crónica de hoje, de salientar que fiquei bastante agradado com o feedback recebido na semana passada em relação ao tema si. Espero continuar ao mesmo nível e não desiludir quem lê e quem se revê nas minhas crónicas de opinião.

Pois bem caríssimos leitores, estamos a sensivelmente quatro semanas do grande evento do mundo do Wrestling. A Wrestlemania. E hoje começa aqui, no Cult of justice, a análise á mesma. Entramos finalmente na Estrada principal para a Wrestlemania. A partir daqui os temas serão centrados com o foque na Wrestlemania, e com as possíveis consequências e análises aos acontecimentos que se vão passando nos eventos semanais da WWE, para promover o seu maior palco.
Sendo assim, nesta semana decidi abordar algo que me preocupa bastante (e acredito que a muitos de vós também), que são os futuros indefinidos de grande parte dos talentos da WWE para a Wrestlemania. E aqui apenas excluo os seus grandes intervenientes.

Os participantes dos combates pelos títulos principais, e os dois combates que envolvem CM Punk, The Undertaker, Triple H e Brock Lesnar, se em bem que este ultimo, ainda não foi oficialmente marcado. Irei procurar, dentro desta temática, debater a importância do titulo USA e do titulo intercontinental no panorama atual da WWE e qual a importância dos mesmos para a Wrestlemania. Vamos lá então, tentar, esmiuçar o que se vai passando com a “classe média-alta” da WWE.

Randy Orton, Sheamus, Mark Henry, The Miz, The Shield, Antonio Cesaro, Ryback, Wade Barrett, Dolph Ziggler, Kane, Daniel Bryan. O que estes lutadores têm em comum? Absolutamente nada. Á exceção de ainda não terem nada marcado para a Wrestlemania.

Ora bem como sabemos, a Wrestlemania é o maior palco de todos. Todos, incluindo os “low carders”, querem fazer parte deste espetáculo. Não interessa como, nem qual a função que irão ter. Toda a gente quer ter uma oportunidade de brilhar na Wrestlemania. Porém isto é possível de acontecer? Todas as estrelas da companhia podem candidatar-se a aparecer no maior evento de todos? A resposta a estas questões são seguramente contraditórias, mas vamos ao meu ponto de vista.

No que diz respeito á primeira pergunta que formulei, obvio que a resposta é negativa. É impossível que a WWE consiga incorporar todos os seus elementos no card principal da Wrestlemania, e apesar de esta apresentar uma duração de quatro horas, será completamente refutável tal ideia (a não ser que disfarcem toda a gente de mãmã Clay e assim juntem-se ao Brodus. Lembram-se?).

Mas o que de facto tem-se vindo a verificar nesta Wrestlemania é um caso extremamente gritante. Posso confessar-vos que até agora e com muito respeito aos seus intervenientes já confirmados, não tenho grande interesse em assistir ao evento, á exceção do combate entre Punk e Undertaker.

Ao contrário do que se sucedia o ano passado, em que até tinha bastante curiosidade em assistir é mesma, uma vez que me deixei fascinar, em demasia diga-se, com o “once in a life time” juntando a tudo isto, um Hell in a Cell entre Undertaker e Triple H, um Best in the World vs Best in the World e ainda um combate entre Sheamus e Daniel Bryan que prometia ser bastante interessante.

Prometia, exatamente. Um verbo conjugado num passado algo longinco, na qual revela uma certa desilusão pelo resultado final. Aliás a palavra “prometer” apresenta-se, no meu ponto de vista, como a palavra que melhor define a Wrestlemania deste ano. Estarei eu a entrar em contradição com o que afirmei em cima? Não, pois tal como diz o povo, “gato escaldado de água fria tem medo”. Passarei a expor a minha explicação.

A Wrestlemania do ano passado não passou de uma mera ilusão de ótica. Tinha tudo para ser a melhor de todos os tempos e penso que não chegou, sequer ao top das melhores cinco. Tirando o combate entre Undertaker e Triple H, tudo o resto foi supérfluo e não foi suficientemente digno de uma Wrestlemania. É certo que CM Punk e Jericho nos proporcionaram um excelente espetáculo, mas até aqui, penso que o combate entre eles no Extreme Rules foi melhor que o da Wrestlemania, e esse sim merecedor de ser main event da mesma.

O que dizer do combate Sheamus e Daniel Brayan? Uma coisa é certa, esse combate demorou menos tempo do que vocês, caríssimos leitores, a chegar a este ponto da crónica. Para já não falar do combate entre Rock e Cena, que até foi bom, mas longe de ser o melhor combate da história. O maior? Talvez sim, mas sobre isso já me pronunciei na crónica da semana passada.

E então o que temos até agora para a Wrestlemania deste ano? Ora bem, teremos outra vez um Rock vs John Cena, mas desta vez pelo titulo da WWE. Pelo titulo mundial iremos ver Jack Swagger vs Alberto del Rio. E depois temos o combate que todos nós queremos ver, entre Punk e Undertaker, e outro que, muito sinceramente, não me aquece nem me arrefece, entre Triple H e Brock Lesnar. E que mais? Quais serão as restantes histórias que irão culminar na Wrestlemania?
Pois, parece que a WWE decidiu fazer a Wrestlemania deste ano apenas em volta destas quatro rivalidades. Se não vejamos.

Aplicando agora o caso dos títulos USA e Intercontinental. Estes não são suficientemente prestigiados para terem uma história decente que culmine na Wrestlemania? Estes não serão importantes na WWE atual que justifique uma defesa dos mesmos, no maior palco de sempre?

Infelizmente a resposta aqui não é assim tão simples. Aqui eu apresento duas visões distintas. Por um a lado, na minha conceção, todos os títulos sem exceção devem ser defendidos no maior evento do ano. Se isto não acontecer, tende a desvalorizar os mesmos e a mostrar que estes não são importantes o suficiente. Mas por outro, se isto não acontece, é por culpa própria da WWE. Em que as decisões desta, torna os mesmos ruinosos no que diz respeito ao seu prestígio.
Assim e do meu ponto de vista, estes, nesta altura na WWE, infelizmente, não apresentam estatuto suficiente para serem defendidos na Wrestlemania. Começando pelo titulo Intercontinental, este encontra-se completamente perdido em Wade Barrett. Não sei o que se passa com o mesmo nos bastidores, mas o que é certo, é que a aposta neste está a ser irrisória. Mais parece um castigo para Barrett. Ou então, sabendo que ele estaria em Hollywood, deram-lhe o titulo, para mais uma vez tentarem promover a WWE.

No que diz respeito ao título dos USA, é certo que António Cesaro tem vindo a fazer um trabalho impressionante e tem valorizado muito o mesmo. Mas, quando este o conquistou, o prestígio do título estava tão enterrado que ainda mal se dá por ele. Por muito que feche os olhos e pense um pouco neste titulo, ainda me consigo lembrar daquele reinado ridículo de Santino Marella. Talvez o pior reinado de sempre de um título da WWE.

E acreditem que me custa muito dizer isto e já foi tempo em que o titulo intercontinental, era defendido por The Rock, Triple H, Cris Jericho entre muito outros. Acreditem que sinto falta, do Shelton Benjamim, com este título. E até de Cody Rhodes, que á bem pouco tempo, ainda era campeão intercontinental. E o mesmo posso dizer de Benoit, MVP na qual esteve envolvido numa feud com Matt Hardy, Dolph Ziggler e mesmo The Miz com o titulo USA.

Nestes tempos sim, não sendo preciso recuar muitos anos, estes títulos eram prestigiados, onde faziam passar algo para nós o grande público, e não se apresentavam como sendo um simples acessório como hoje em dia se encontram na WWE.
Se fossem tomadas boas decisões, estes dois títulos iriam ter o destaque que merecem, e não andarem perdidos a serem defendidos em pré-shows. Aliás acredito que um deles irá ser defendido na Wrestlemania, neste mesmo espaço. O que a meu ver é inadmissível.

Não que no passado, estes títulos fossem mais importantes que os do main event, e também não se encontravam num espaço onde não existiam erros. Mas a simples vontade, de apostar nestes, faziam com que nós, nos sentíssemos empolgados com o que víamos. E hoje em dia o que vemos são duas coisas.

Ou os detentores destes títulos ganham a “big Jobbers” ou então, em combates mais equivalentes são constantemente derrotados por outras estrelas mais releventes. 90% dos casos, acontece a segunda opção. Como é possível valorizar um titulo assim? Como é que uma estrela consegue sair valorizada se se tomam constantemente erros infantis desta natureza?

Ao contrário do que a WWE vai pensando nos dias de hoje, compete a uma superstar elevar o prestígio do título e o contrário não é passível de acontecer. Se houvesse algum tipo de aposta nestes, eles podiam ter boas histórias e assim todos saíamos a ganhar. Nós, que vemos o produto, as estrelas que lutam pelos títulos, e a própria WWE, que ficaria com mais reconhecimento, e com talentos mais próximos do main event.

Estes títulos devem ser exatamente aquilo que estão programados para ser. O grande passo final para um futuro reinado de main event. Devem ser transportados, por jovens estrelas, com ambição de sucesso. Devem ser sentidos, como, a grande oportunidade a agarrar, por estes talentos. E hoje em dia, isto é pura miragem.

Cody Rhodes não merecia o main event depois do seu reinado de intercontinental Champion? Claro que merecia, e então Wade Barret e António Cesaro, na qual muita gente considera dois futuros main eventers (incluindo eu) acham que depois disto vão passar diretamente para os titulos principais?

Obvio que não, pois os títulos de mid-card, não estão numa posição que tal seja permitido. Quanto muito poderá significar, se serão merecedores, de uma mala Money in the bank num futuro próximo. Mas até nisto, já não me acredito, que seja benéfico para qualquer lutador.

Olhando agora, ao que se passa com Dolph Ziggler atualmente, muito sinceramente, até preferia que ele tivesse perdido a mala no TLC, para John Cena. E poderei ser criticado por isto que disse, mas a verdade é se a mala fosse para Cena, esta não seria tão desvalorizada como está ser com Dolph Ziggler. E aqui Ziggler, não tem qualquer tipo de responsabilidade, mas sim a WWE, que faz dele completo gato-sapato de outras estrelas. Como por exemplo, perdendo sucessivamente pra Del Rio. Como é que alguém pode ser levado a serio assim?

São este tipo de decisões, que me fazem perder o interesse pelo que se passa na Wrestlemania. Deixem os miúdos brilhar! Já não fico empolgado quando estes lutadores, ganham algo relevante, que não seja um dos titulos principais. Pois a WWE está sempre pronta a desvalorizar aquilo que é suposto valorizar uma estrela. E aqui o mais grave é mesmo isso, desvalorizar algo que em condições normais, seria para valorizar alguém. Como fica a credibilidade da mala Money in the bank, depois disto? E se bem se lembram, a outra foi usada inutilmente por John Cena. Ajudando assim á festa da desvalorização.

A WWE se valorizasse estes títulos e restantes regalias iria fazer uma Wrestlemania muito mais interessante e digna, pois estes, transportam consigo grandes legados de reinados cheios de carisma e que muitas vezes, conseguiam superar certos reinados de main event que ocorrem nos dias de hoje.

Não era bom, vermos estes títulos serem defendidos na Wrestlemania? Até a mala Money in the bank, no estado em que está, não deveria a WWE, aproveitar esta oportunidade para realizar a defesa da mala por Ziggler na Wrestlemania? Eu diria que sim, até para dar mais ímpeto a Ziggler, isto se o objetivo é este. Mas como as coisas estão, já nem sei se faria sentido, pois já é costume por parte da WWE dar algo com uma mão, para no dia seguinte tirar com a outra.

Outro caso que me tem incomodado bastante, tem o nome de Randy Orton. Gostaria de aqui abrir um parêntesis, para falar sobre esta superstar em particular. Este é um caso gritante de como um main eventer pode passar, de uma estrela imprescindível, para uma estrela que apesar de ainda ser um grande main eventer, não tem um lugar de destaque numa Wrestlemania, desde o vigésimo quinto aniversário da mesma. E aqui encontra-se o ponto chave na carreira deste.
Naquele ano de 2009, Orton tinha-se afirmado, de vez, como main eventer de topo da WWE. E ele necessitava de vencer aquele combate contra Triple H na Wrestlemania pelo titulo da WWE.

Pois, não tenho duvidas que se ganhasse, a carreira dele não tinha tido tantas oscilações como tem tido até os dias de hoje. E sinceramente, não percebo como não ganhou. Ele foi exímio em todos os aspetos nessa feud, ultrapassando triple H em todo o ponto de análise ao combate. Mas no fim, perdeu. Não tenho duvidas que este seria o grande momento de Orton na WWE. Aquele que podia definir uma carreira. Algo que hoje, esse momento, ainda considero a sua feud com Undertaker em 2005, na qual eu gostaria que estes dois combatessem outra vez na Wrestlemania 30.

É estranho a WWE brincar tanto com Orton como anda a fazer. É puro demais evidente que isto tudo não passa de um grande castigo a este, por ter violado uma das regras vitais da companhia, no que diz respeito ao consumo de substancias.

Esta punição tem-se acentuado durante os últimos tempos, em que ele tem ficado pelos “quases”. Quase que ganhava a elimination chamber e ia para o main event da Wrestlemania. Na ultima Raw, quase que ganhava o combate, para lutar com Undertaker na Wrestlemania. Para além do mais, que também me recordo, de uma derrota limpa (!) recentemente com Wade Barrett.

Para além disto tudo, a sua participação na Rumble foi muito fraca. E por fim, encontra-se nesta indefinição toda para a Wrestlemania, estando a WWE a desprezar Randy, para o evento. Onde na minha opinião, ele irá estar presente, mas não me admirava nada que perdesse o combate em questão.

Até aqui, tudo correto e muito sinceramente, quem viola uma regra destas, merece ser castigado. E não me parece que umas simples férias de 60 dias resolvam o problema. Mas não foi neste tempo que a WWE estagnou Orton, mas sim quando esta decidiu pelo seu face turn.

A sua personagem de víbora funciona muito melhor como heel. Ele todo, mesmo sendo face atualmente, é um heel por natureza. Desde a sua música de entrada, até á maneira de andar do mesmo, passando pelos seus movimentos durante um combate. A WWE quis experimentar Orton como face e aqui não culpo a WWE.

Na minha opinião, a passagem para heel estará perto, mas desengane-se quem pensa que o velho Orton irá voltar. Ele marcou uma era como face e vai ter sempre alguém que lhe vai apoiar, tal como acontece com CM Punk. Algo que no passado não acontecia tanto, tendo sido para mim o melhor heel dos últimos tempos na WWE, a par de CM Punk. Quase com toda a certeza, não irá criar um heat tão grande como fez até 2009 sensivelmente.

Seguramente, nada será igual áquilo que foi, mas compete á WWE fazer com que os verdadeiros fãs de Wrestling consigam voltar a olhar para Orton com uns olhos de certeza sobre o mesmo. Pois acredito que para os mais desatentos, odiar Orton, não será uma tarefa difícil. Aliás, ele mesmo sendo face, até que consegue fazer isso, com algumas das suas atitudes. Muito sinceramente, para mim, Orton como aquele que passou até 2009, nunca mais voltará a existir, e é isso que me deixa pena.

Pois bem caríssimos leitores, podemos ver que a WWE neste momento encontra-se centrada em quatro grandes histórias, deixando muitas das estrelas de parte, fazendo com que elas ainda hoje, e a apenas um mês do maior palco de todos, ainda não tenham um futuro definido para a Wrestlemania.

Assim, hoje decidi abordar, os casos dos campeões USA e Intercontinental, juntamente com Randy Orton e um pouco de Dolph Ziggler, pois me parece uma lacuna gritante, a ausência histórias em que estes possam fazer parte para a Wrestlemania. Mas também de uma coisa tenho a certeza. Nomes como John Cena, The Rock e até mesmo Brock Lesnar, vendem muito mais e melhor o evento do que as superstar acima descritas. Agora é uma questão de pensar (…)

Por hoje é tudo, apelo a que deixem os vossos comentários ao texto e ao tema. Para a semana voltarei com um novo assunto para a Wrestlemania. Boa Raw a todos e boa semana :)

R.I.P William Moody “Paul Bearer” :(

Sobre o Autor

9 Comentários

  1. "The Game" - há 4 anos

    muito bom discurso

  2. MR Perfection André Santos - há 4 anos

    Bom Artigo e tocaste nos pontos mais importantes para esta wrestlemania.

    De salientar para o ano há wrestlemania 30 e é aí que a WWE quer arrebentar penso eu.
    Mas falando no teu artigo, vou destacar o que disseste em relação aos titulos I.C e USA porque o resto em relação ao futuro das superstars não podias estar mais correcto.
    Especialmente o I.C devia e é obrigação da WWE dar mais destaque, pertence ao triple crown e também foi este titulo que teve as maiores supesrtars como campeão, para além de ser um Original Belt da WWF.

    Concordo contigo que o cinto está perdido com Barret, mas quem devia ter o cinto…Kofi,Miz…RTruth..bem seria como se costuma dizer vira o disco e toca o mesmo.

    Para mim era Y2J quem deveria ter o cinto…para que?para chegar ao seu 10 reinado(se estiver enganado pf corrige-me) e tinha uma feud com um Zigler.

    Já o USA belt ultimamente é um cinto com mais destaque pq temos que ser justos…cesaro está a dar um bom campeão.

    Mas dos dois sem duvida o I.C devia ser defendido na wrestlemania!

    Bom Artigo!

    • Luis Laranjeira - há 4 anos

      Obrigado :)

      Concordo com o que referiste em relação ao titulo intercontinental.E sim gostaria que Y2J, deveria lutar por este na WM. Até porque este se encontra como sendo o espelho deste mesmo titulo

      Já para Cesaro, ele de facto tem vindo a ser impressionante. Mas penso que este estagnou. Desde a sua feud com The Miz.

      Deixo a questão no ar. Sendo ele um campeão dominante europeu, não seria bom ele trazer de volta o titulo europeu e reformar, por uns tempos, o titulo USA ?

      Pelo menos é o que eu gostava que acontecesse. Em que Cesaro, podia sair ainda mais valorizado, e dar uma maior fôlego ao seu reinado :)

  3. don_ricardo_corleone - há 4 anos

    A WWE concentra-se apenas no main event já de há anos, e não é qualquer main event, é o WWE Championship e um ou outra rivalidade, porque mesmo o World Heavyweight Championship tem sido muito mal tratado. E o aumento do RAW para as 3 horas, foi apenas para dar tempo de antena ao main event. Os titulos de mid card acabam por sofrer dessa concentração nas estrelas principais, bem como, todo a WWE, é por essa razão que para esta Wrestlemania tiveram de chamar o The Rock, o Brock Lesnar, o Triple H e o Undertaker, porque a WWE esquece o mid card, concentra-se no main event, e não sabe o que fazer com quem perde o titulo Intercontinental, ficando perdido ou sendo um jober. Basta olhar os últimos campeões Intercontinentais: Ezekiel Jackson, Cody Rhodes, Wade Barrett, Dolph Ziggler, Drew McIntyre, Santino Marella, Kofi Kingston, Shelton Benjamin, por exemplo. Todos estes foram campeões Intercontinentais e acabaram perdidos depois perder o titulo, e outros até com ele. No caso do US Championship o problema é o mesmo. Mas para mim, o maior caso de incompetência a este nivel, foi a troca do Women’s Championship pelo Divas Championship. No caso do Money In The Bank, depois do sucesso dos primeiros, a WWE teve mais olhos que barriga e decidiu fazer dois combates por ano, o que não conseguia gerir. E agora chegou ao ponto de que nem rivalidades interessantes para um wrestler consegue. E na minha opinião, o problema tenderá a agravar-se. Pode ser que alguém na WWE abra os olhos quanto á importância do mid-card e dos seus titulos.

    • The Viper - há 4 anos

      O caso de Drew McIntyre talvez seja o mais preocupante. Ele credibilizou o IC muito bem durante o seu reinado. Perdeu-o para o Kofi de uma maneira um pouco estúpida. Depois fez em 2011 uma Rumble fraquíssima e a participação na EC pelo WHC é de rir. A partir daí perdeu perdeu e perdeu até a um ponto em que a única solução para ele foi, imaginem-se, estar nos 3MB. Não era esta a aposta do Mcmahon para o futuro em 2009 e 2010? Mcmahon deu o face turn e Mcintyre perdeu-se. Esta superstar ou depressa muda a sua gimnick e volta a ser um heel credível, ou então bem que pode ser despedido, já que este Mcintyre não faz falta á WWE. Triste, bem triste.

      • Luis Laranjeira - há 4 anos

        O Drew McIntyre, é simplesmente um dos casos de má gestão, mais gritantes da WWE. Como é que alguem poderá pensar em ver o Drew com uma personagem mais agressiva, se a credibilidade dele está completamente arruinada ?

        Um pouco á imagem do que acontece com Jack Swagger. Salvando-se as devidas diferenças, obviamente :)

    • Luis Laranjeira - há 4 anos

      Concordo com tudo com o que referiste.

      A má gestão da WWE, apresenta-se como sendo o principal problema. Se esta não para os talentos mais jovens, então o futuro ver-se-á negro. E não é por falta de talento. MAs pode ser por falta de credibilidade dos mesmos. A WWE, não se pode esquecer de que as estrelas de hoje serão as lendas de amanha :)

  4. Diogo Oliveira - há 4 anos

    Gostei bastante. Em relação ao Orton omo hell disseste tudo

    • Luis Laranjeira - há 4 anos

      Muito Obrigado :)

      Orton em heel vai ser muito bom, mas resta a WWE saber utiliza-lo da melhor maneira.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador