Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Cutting Edge #18 – The End of an Era

Esta foi uma das melhores semanas para mim enquanto fã de Wrestling. Três noites seguidas a ver eventos da WWE até de madrugada, sem me arrepender por um segundo que fosse. NXT Takeover a corresponder às (altas) expectativas, um bom SummerSlam e uma das melhores Raw’s do ano.

Houve, ainda assim, alguns aspectos que deixaram muitos fãs insatisfeitos, nomeadamente no que toca à Divisão Feminina. No SummerSlam, tivemos o esperado combate de eliminação entre as três equipas que vêm lutando há meses na Raw e na SmackDown de forma aleatória, numa suposta revolução que teve início num segmento com Stephanie McMahon.

Foi este, desde logo, o primeiro problema: a presença de Stephanie McMahon foi, tal como os combates que temos visto ao longo de todas estas semanas, completamente aleatória. Como não podia deixar de ser, a filha do dono da WWE tinha que marcar presença num momento que os fãs ansiavam por ver, mas sem a sua presença.

Qual é o sentido de ter Stephanie a anunciar as lutadoras chegadas do NXT? Até ali, ela NUNCA tinha estado envolvida em qualquer segmento relacionado com as “Divas”. Qual é o sentido de ter Stephanie a formar equipas só porque sim?! O que é que Sasha Banks tinha em comum com Naomi ou Tamina para formarem uma equipa?

Não faria mais sentido as Bellas (juntamente com Alicia Fox) estarem a pavonear-se e a dizerem que ninguém as consegue parar, sendo depois interrompidas por Paige, Charlotte, Becky Lynch, Naomi e Tamina? Depois havia uma rixa entre as oito e, aí sim, quando toda a gente pensava que mais ninguém ia aparecer, tocava a música de Sasha Banks e esta juntava-se às outras lutadoras no ringue, acontecendo de seguida o que aconteceu na realidade – a melhor parte do segmento, ou mesmo a única que valeu a pena.

Começou então com o pé esquerdo aquilo que nunca mais se viria a endireitar. A partir desse dia, todas as semanas foram marcadas por combates aleatórios, sem nada em jogo. O mais grave, a meu ver, é a ausência de referências ao Título de Divas.

Pelos vistos, nenhuma lutadora quer ser campeã. Nenhuma delas tem essa ambição.

Não há problema em querer que Nikki Bella bata o recorde de AJ Lee, mas não é preciso estar meses sem defender o seu título. Este tornou-se num simples acessório da campeã e serve apenas para os comentadores relembrarem que Nikki está quase a atingir um novo recorde.

Outro pormenor (ou pormaior) que me tem irritado bastante é a forma como Charlotte tem sido apresentada. De dez em dez segundos, lembram-nos que é filha de Ric Flair. A própria Charlotte usa a expressão “Woo” assim que pega num microfone, como se viu na última Raw, onde também fez uma referência imediata aos Four Horsemen (tem piada a forma como promovem este grupo como o melhor da História da WWE quando este fez parte da WCW e da NWA), grupo no qual o seu pai brilhou.

Não está em causa a qualidade de Charlotte. No NXT provou o seu valor e mostrou o que pode acrescentar à Divisão Feminina do plantel principal. O meu problema prende-se com a constante associação à figura de Ric Flair, inclusive na sua música de entrada e no seu finisher!

Este é um erro que a WWE comete constantemente. Umas vezes tem sucesso (Randy Orton, The Rock e outros), noutras nem tanto (Curtis Axel), já para não falar de um caso em que ainda resta saber qual será o futuro da estrela em questão (Roman Reigns).

Quanto a Charlotte, é possível que deem a volta a esta situação e se apercebam de que isto mais rapidamente a vai prejudicar do que ajudar. Como já disse, é uma lutadora que já mostrou ter um enorme valor e não merece ser prejudicada pela WWE.

A ex-Campeão Feminina do NXT tem sido tão protegida e retratada como “a filha de Ric Flair” que cheguei ao ponto de ficar em choque por não ter sido ela a obter o pin vitorioso no SummerSlam, tal era a minha certeza de que isso ia acontecer.

Infelizmente, parece-me que o facto de ter sido Becky Lynch a obter a vitória não desviará Charlotte do seu destino natural: ser a próxima Campeã de Divas. Até agora, não fez nenhuma referência ao título de Nikki Bella, mas a WWE não deu qualquer sinal de que será outra lutadora a destronar a campeã atual.

Eu faria as coisas de maneira diferente: por mim, na próxima Raw tínhamos uma Triple Threat entre Paige, Charlotte e Becky Lynch, com esta última a vencer e a ganhar a oportunidade de defrontar Nikki Bella no Night of Champions, onde ganharia o Título de Divas.

De seguida, as suas parceiras podiam virar-lhe as costas, uma dizendo que está lá há muito mais tempo que Becky e que merecia mais uma oportunidade (Paige), a outra dizendo que nasceu para isto e tem o Wrestling no seu sangue – aqui sim, faz sentido usar o facto de ser filha de Ric Flair para se auto-promover. Não fica bem a uma babyface fazê-lo, mas no caso de uma vilã é muito mais natural que tal aconteça.

Quanto à equipa de Sasha Banks, Naomi e Tamina nem sei o que pensar. Nunca tiveram química e pareceu sempre tudo demasiado forçado (tal como Alicia Fox na Team Bella). Apenas a agora ex-Campeã Feminina do NXT dava algum brilho ao trio e mostrava ter carisma. Gostaria de ver um desentendimento e uma história pequena que servisse como justificação para a separação das três. Com tantas horas semanais, não será difícil conciliar duas histórias distintas nesta divisão.

Mas não só deste combate entre as três equipas foi feita esta semana em termos de Wrestling Feminino. Felizmente, existe algo chamado NXT, onde a Divisão Feminina é tratada com pés e cabeça, chegando ao ponto de ser uma das atrações principais do território de desenvolvimento.

Como já referi anteriormente neste espaço, não sou um espectador assíduo do NXT. Porém, no sábado à tarde fiz uma maratona de vários episódios, de modo a ter conhecimento do que ia acontecer no Takeover.

A história que mais me cativou no caminho até ao especial em Nova Iorque foi, precisamente, a de Bayley.

Foi há dois anos (embora pareça que foi ontem) que vi Bayley pela primeira vez, num segmento de bastidores que contou com AJ Lee. O que eu senti de imediato foi isto: “esta miúda vai ser a melhor personagem feminina da WWE se não estragarem tudo”. E assim foi.

Agora, dois anos depois, não só Bayley consolidou a sua adorável personagem como teve uma evolução tremenda em ringue.

Não sei se o combate com Sasha Banks foi o melhor combate feminino de sempre, porque não os vi a todos. Mas foi o melhor que já vi. Melhor do que qualquer Lita vs Trish, Trish vs Mickie James ou Victoria vs Trish. Melhor do que qualquer combate que eu tenha visto na TNA (onde, como se sabe, a Divisão Feminina é tratada de forma decente).

O storytelling, a psicologia do combate, a forma como Sasha Banks se concentrou no braço lesionado de Bayley… Se a perfeição existisse, este combate – aliado ao vídeo antes do mesmo, que é de arrepiar qualquer um e, pessoalmente, me deixou com uma enorme vontade de que o combate começasse – teria que a ilustrar num dicionário.

Antes deste embate, tinha a certeza de que Bayley ia ganhar. Estas duas senhoras conseguiram, porém, que eu mudasse de ideias a meio do combate, tal foi a forma espetacular como este foi construído. Quando a ex-campeão prendeu o “Bank Statement” em Bayley e lhe pontapeou o braço ao mesmo tempo de forma a que esta não chegasse às cordas, puxando-a depois para o meio do ringue com o mesmo intuito, pensei que Bayley ia desistir ali. Mas não.

Logo de seguida, Bayley inverteu a manobra e aplicou um “Bank Statement” em Sasha Banks. E aí, meus amigos, saltei como há muito não o fazia. A forma como o combate acabou foi apenas a confirmação. Foi, de certeza, o melhor combate feminino que vi até hoje.

Apoio Bayley como não me lembro de apoiar mais nenhuma lutadora. Nem sequer Paige (até aqui, a minha favorita). Desde aquele segmento de bastidores com AJ Lee, em Agosto de 2013, em que conquistou um pouco de mim, até Agosto de 2015, em que conquistou o que faltava, Bayley tornou-se na minha lutadora favorita, mesmo não a vendo todas as semanas.

As lágrimas que chorou juntamente com as suas companheiras/rivais destes últimos dois anos foram as mesmas que chorei quando a vi vencer. Mesmo sendo uma pessoa emocional, não é assim com tanta felicidade que choro com acontecimentos de Wrestling.

E é por tudo isto que tenho receio do que acontecerá quando Bayley subir ao plantel principal. Tem uma personagem tão especial, tão única, que a sua apresentação terá que ser gerida ao pormenor e da forma mais perfeita possível. Dirão os que ainda não a conhecem que se trata de uma personagem muito infantil, e que de certeza que é por estarmos na PG Era que esta existe, mas cabe à WWE afastar essas ideias das cabeças dos fãs.

Faz-me lembrar a personagem de Eugene no que toca à forma como conquista o coração das pessoas e à inocência que a caracteriza, assim como a dificuldade que tem em irritar-se seriamente com o que lhe dizem/fazem, fazendo-o apenas quando a puxam até ao limite.

Depois de sair do NXT, gostaria de ver uma história semelhante a acontecer no plantel principal, com todas as “Divas” a duvidarem de Bayley e esta a acabar por provar a todas que é tão boa como elas. Gostaria também – mas isto é impossível de acontecer – que fosse Bayley a calar Stephanie McMahon de uma vez por todas, fazendo-a pagar por tudo.

Bayley não merece – como não merece nenhuma das outras – receber cânticos como os que se ouviram na última Raw. A WWE tem que revolucionar a divisão a sério e não apenas fazer disto um slogan.

Não tenho dúvidas de que esta é a melhor geração de lutadoras femininas que já passou pela WWE. Bayley é a heroína perfeita, Sasha Banks a vilã perfeita, embora ambas possam inverter os papéis – aliás, é muito complicado que Bayley fique muito tempo como heroína, caso contrário a WWE acabará por estragar tudo. Mas enquanto durar e fizer sentido, Bayley tem que ser a grande heroína da Divisão Feminina.

Paige, Charlotte e Becky Lynch também fazem parte de um futuro que, a menos que a WWE consiga o impensável e estrague tudo o que elas vêm conquistando, se augura auspicioso.

Depois do fim de uma Era no NXT, é urgente o início de outra no plantel principal. Combates como o do último sábado têm que fazer parte do dia-a-dia da WWE. Ninguém desaprende quando sai do NXT para a Raw. É tudo uma questão de apresentação e dedicação por parte de quem manda; as lutadoras fazem o resto. Estará a WWE disposta a cumprir a tão proclamada “Revolução”?

Sobre o Autor

- Autor do espaço "Cutting Edge".

50 Comentários

  1. MicaelDuarte - há 1 ano

    Excelente artigo.

  2. Reigns one versus all - há 1 ano

    Excelente artigo,Daniel.

    Eu acho que desde que esta revolução a WWE,infelizmente,tem-se dedicado mais a falar do a fazer essa mesma revolução.
    O que eu tenho visto é a WWE a dar mais tempo aos combates as divas,mas andam a dar vitorias de forma aleatoria a todas as equipas,de forma as equipas tarem equilibradas,em vez de haver uma equipa dominante,já para não falar no esquecimento do titulo das divas.

    Em relação ao que as 4 wrestlers femininas fizeram no NXT,fizeram com que a divisao feminina fosse uma das atracções do NXT com os seus combates espetaculares.

    Em resumo,como dizes e bem,é o fim de uma era NXT e a ver se no main roster é o inicio de uma nova era na divisão.

  3. Dolph Ziggler - há 1 ano

    Excelente artigo, Daniel. Aquele momento inicial da “Divas Revolution” foi muito bom, mas era óbvio que o facto da Steph apresentado as equipas daquela forma seria um problema. Foi ela que formou os grupos, não as lutadores em questão que tinham motivações para tal. Logo aí foi um erro.

    Depois é como disseste, combates repetidos, sem nada em jogo e ninguém se importa com o título máximo ali na divisão. Ou seja, estão a lutar umas com as outras por absolutamente nada. A team PCB ganhou no Summerslam, que significou isso? Nada, pois a Nikki disse que: “wins, losses, who cares?”, o que é das coisas mais ridículas que já ouvi e que quase me tirou interesse naquela história toda. E logo a seguir, ganham o combate. Vamos andar nisto até haver separações entre os grupos e esta história vai ser para nada.

    Depois, é como disseste, isto é mais um slogan do que outra coisa. A WWE não promoveu como uma revolução o que aconteceu no NXT. Deixaram acontecer com naturalidade. Não forçaram as coisas. Agora falam na Divas Revolution a toda a santa hora e esperam que o fã pape isso só porque eles dizem que é uma revolução. O curioso do que se passou no Raw é que era exactamente o mesmo público que estava ao rubro para o combate feminino no TakeOver. Dá que pensar.

    As histórias no NXT tinham pés e cabeça. As personagens eram bem definidas, tinham motivações e davam razões ao fã para se investir emocionalmente. No main-roster não temos nada disso, até agora. Eu fico à espera que os grupos se separem e a Nikki perca o título. Vou continuar sem confiança no que toca à WWE em fazer o melhor uso das personagens, mas certamente que não é pior que isto.

    Para acabar, a Bayley é dinheiro. Vai ser mesmo o John Cena da divisão feminina, no que toca a vender merchandise. É um babyface puro e tem tudo para realmente elevar a divisão feminina a outro patamar. Se a WWE vai estragar tudo quando esta saltar para o main-roster? Certamente.. xD

    Vá, excelente artigo, já me alonguei de mais!

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      Completamente de acordo.

      Sobre a Bayley, até me dói a alma só de ler a hipótese de estragarem tudo. A rapariga é absolutamente fantástica. Ao menos olha, se a estragarem no main-roster, já pudemos ver este trajeto de dois anos e o último Takeover em direto. Isso já ninguém nos tira.

  4. Sam - há 1 ano

    Muito bom artigo danielLP21.
    Essa divas revolution é algo que começou promissor, mesmo com a adição da Stephanie, e depois foi se degradando até quase não restar mais esperanças. Acho que está nessa situação pois a WWE e seus comandantes maiores nunca se interessaram realmente nessa divas revolution, e seus patrocinadores perderam o fôlego e o empenho minimamente necessário em proteger esse estado confuso, catastrófico e enlouquecedor chamada divisão feminina da WWE, principalmente agora com essa “revolução” a marcha sem sentido ou rumo.
    Incoerência é a palavra de ordem quando se fala das mulheres na WWE; a WWE nunca as viu como reais fontes de dinheiro e minimamente necessária de um pequeno investimento. Tudo que nos foi apresentado foi de forma apressada e sem sentido, apenas porque sim, não houve motivos e os raros que davam eram insuficientes para construir uma storytelling aceitável, tinha como o fazer mas foram pelo caminho que já se acostumaram. Incoerência é a palavra de ordem, não há faces ou heel, mudam seus papéis a cada semana. Minhas esperanças eram altas, agora nem tanto.
    Tudo foi feito muito rápido e sem um plano duradouro, se voltasse ao estado anterior pareceria que nada havia mudado.
    Charlotte tem muita culpa nisso, pois ainda que a WWE mande ela também quis e gosta de usar os maneirismos do pai; como heel funcionaria melhor do que agora, a excepção dos WOO, não há gimmick, personalidade nada que diga quem ela, além de(infelizmente) uma cópia do pai versão mulher. Funcionou com outros porque desenvolveram gimmick e criaram sua própria história.
    Paige é apresentada como a louca, psicopata. Ela funcionaria melhor como vilã, onde seria melhor aproveitada e desenvolvida.
    Becky Lynch é agressiva com golpes agressivos. Não há personalidade, gimmick que a distancia.
    Sasha Banks melhor heel feminina atualmente.
    Bellas detestáveis, se não fossem por seus maridos(sem querer parecer machista, mas é a verdade)nem estariam lá, seriam no máximo jobbers principalmente a Brie, a Nikki tem algum potencial como heel, mas nada que estaja sendo aproveitado ao máximo agora.
    Tamina? Quem? Mudei de canal; essa mulher só está ai enquanto a Nia Jax(prima do Rock) não sobe.
    Naomi é melhor heel, porém não há nada de interessante nela. Não quis se aliar a Paige contra as Bellas, e depois na mesma storytelling quer combater as Bellas.
    Melhor rivalidade feminina no main roster é Summer Rae vs Lana, e é algo que se repete da mesma forma a semanas.
    A WWE não está a conseguir aproveitar o potencial que tem nas mãos.
    O título é outro problema, deveria ser o objetivo máximo dos Team BAD e PCB, mas não Nikki vai continuar campeã e só se interessaram quando ela bater o recorde da AJ, nada diz que ela Nikki vai perder o título até o NOC quiçá só no PPV seguinte.
    No main roster não tem um plantel feminino como no NXT, mas tem o suficiente pra dar alguma coisa, onde estão as outras divas? Não são aproveitadas, lutam raramente, ganham sem fazer nada, melhor que isso só se aparecessem no main event da Wrestlemania se gabando de seus feitos supremos e inatingíveis. Essa monopolização na revolução mostra que não há algo realmente genuíno e verdadeiro nisso, nem empenho ou nada, é apenas um remendo da WWE contra as críticas que recebe. As descartadas nem vão pro NXT voltar a treinar e melhorar, nem fazem nada, desperdício de dinheiro.
    É rir pra não chorar.
    Esperava que a WWE nos desse uma bofetada de imensa qualidade nos próximos meses(rsrsrsrs), calando nossas críticas(rsrs), mas o presente mostra um futuro igual ao que vemos hoje, quiçá até pior. Resta confiar nos patrocinadores e esperar que eles tenham força pra reverter a situação, algo improvável no momento.

    • danielLP21 - há 1 ano

      Muito obrigado pelo comentário.

      Realmente, há ali tanta mulher sem fazer nada que o ideal seria enviá-las para o NXT. Rosa Mendes e Cameron podiam muito bem seguir o exemplo da Eva Marie, que, independentemente dos seus objetivos ou de gostar mais ou menos de Wrestling, está a treinar, e isso ninguém lhe pode tirar.

      Concordo com a análise feita a cada uma.

  5. you cant see me - há 1 ano

    Bom trabalho

  6. Carlosilva - há 1 ano

    Excelente Daniel!

    Descreveste perfeitamente o meu pensamento sobre a “Revolution” nos primeiros parágrafos.Ter mos combates aleatórios em Raws e SmackDowns enquanto o título nao passa de um objecto nao dá intensidade nem interesse nenhum em acompanhar a história,apesar de alguns dos combates valerem a pena.Mas penso que com o tempo isto vai mudar e vamos comecar a ter grandes histórias,com bastante intensidade,e claro,com o título em jogo.

    Quanto ah Bayley,adoro a personagem dela,e para mim o combate com a Sasha bateu tudo!Foi um momento lindo!!Eu acredito que ela fique no NXT durante mais algum tempo,afinal com as subidas das outras 3,o NXT perdeu muito talento na divisao feminina.Quando ela subir,tal como tu disseste,acho que vai ter um booking de underdog,com todas as outras divas a duvidarem dela,a ter um inicio onde nao consegue vencer quase ninguém,e depois com o tempo vai mostrando uma atitude mais “agressiva” e vai conseguindo somar algumas vitórias,até chegar mesmo ao título.

  7. 434 Days - há 1 ano

    Excelente artigo Daniel. Estou quase sem palavras

    Antes de mais, eu gostei muito do segmento que deu inicio à suposta revolução mas apesar disto concordo com a parte de a Stephanie ter intervido, pois foi completamente desnecessário, mas já se sabe que a menina do papá tem que ter tudo o que quer. De seguida foram feitas as equipas e eu até entendo que quisessem fazer uma cena de determinar quem é a melhor equipa, mas o facto é que isto não interessa a ninguém quando o maioria já ta farta de ver a Nikki com o título e a maneira que foram feito combates aleatórios não ajudou. Em alguns casos na WWE há segmentos a mais, mas eu acho que a divisão das divas devia contar com mais disso, não querendo dizer que façam aquela figura ridícula que fizeram no MizTV. Enfim espero mesmo que isto melhore, apesar de ter menos fé agora do que antes. Quanto á parte do NXT, a história da Bayley é daquelas que se fazem em filmes clássicos como o Rocky por exemplo. O combate foi fenomenal com a BOSS também a arrasar (que wrestler feminina do caraças) e a Bayley excelente também. O final foi muito emocional e tal como tu também verti lágrimas, especialmente quando a Sasha juntou-se às quatro no ringue. Tomara que a WWE me fizesse sentir assim mais vezes.

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      Ui, quando a Sasha se junta às outras três é de arrepiar… Foi um momento extraordinário, a seguir a um combate fabuloso

  8. BRRM - há 1 ano

    Excelente artigo.

    Confesso que a principio adorei a forma como começou a revolução, talvez porque era muito raro haver um segmento decente na divisão feminina e por causa da estreia das divas do NXT que me deixou eufórico, mas a minha opinião mudou com o tempo. As razões para isso foram, para além de alguns pormenores no segmento como as expressões faciais e a “hiperatividade” da Fox, foram o facto de a Steph receber crédito por ter começado uma revolução quando nunca se tinha preocupado com as mulheres até a Ronda começar a ter sucesso e o modo aleatório como as equipas foram formadas (acho que a maneira como tu disseste seria muito melhor). Esta última coisa fez-me um bocado comichão no inicio (principalmente porque a Sasha foi colocada numa equipa em que as integrantes estão claramente abaixo do nível dela) mas, como disse, estava tão eufórico que nem pensei muito.

    Outra coisa que mudou foi o modo como eu vejo o booking desta storyline, há algum tempo achava que este estava a roçar a perfeição pois elas estavam a ser tratadas como lutadoras e não como modelos e porque a Sasha estava a ter um booking, também ele, quase perfeito (eu admito que por vezes o meu julgamento das storylines é influenciado pela maneira como os meus preferidos são tratados e sendo a Boss a minha preferida…), mas quando comecei a prestar mais atenção ao NXT percebi que faltava uma coisa à revolução: uma história decente e cativante. A rivalidade Sasha/Bayley tinha uma boa história e bons segmentos, por outro lado a história no main roster é sempre a mesma coisa, todas as semanas, eles basicamente põem integrantes de cada a equipa a lutarem umas contra as outras só porque sim. Para além disso nota-se também uma falta de química nas equipas, não só nas B.A.D. como disseste mas também nas PCB: não sei se estou a imaginar coisas mas a relação Paige/Charlotte… não me convence, elas parecem não gostar uma da outra (sinceramente não me surpreendia se fosse verdade, elas as duas parecem ter um ego enorme, ou então sou eu que estou mais uma vez a ver coisas onde elas não existem). Enfim, o importante é que tudo isto torna as coisas muito menos interessantes e na segunda-feira o público de Brooklyn fez questão de o mostrar.

    Quanto à Bayley, já disse algumas vezes que ela ainda não me conquistou totalmente, mas quem sabe, talvez com o tempo eu comece a gostar da personagem (porque a qualidade dela no ring já me convenceu há muito tempo).

    De resto, concordo com tudo o que disseste sobre a situação o título, sobre a Charlotte e as frases “Não sei se o combate com Sasha Banks foi o melhor combate feminino de sempre, porque não os vi a todos. Mas foi o melhor que já vi.” descrevem perfeitamente o que eu sinto eu relação ao combate do Takeover que foi mesmo fenomenal tal como o que aconteceu no final.

    • RybackChampion2015 - há 1 ano

      Ainda bem que tocou nesse assunto. Alguém poderia me dizer se a Alicia Fox tem alguma anomalia? tenho reparado que ela parece ser bipolar, não sei….

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      A Paige e a Charlotte não gostam uma da outra na vida real. Pelo menos há um ano atrás não gostavam. A Paige até veio dizer que a Charlotte ainda não estava pronta para o main-roster, entre outras coisas menos simpáticas. Também noto essa falta de química.

  9. ZigglerRollins - há 1 ano

    Excelente artigo! Concordo contigo em todos os aspectos.

  10. RFBM - há 1 ano

    Óptimo artigo. Concordo contudo o que dizes e acho que a Charlotte tem mais potencial como heel tal como a Paige e na minha opinião, a Becky tem tudo para ser uma excelente face.

    Na Team BAD, também penso que se haviam de se separar, ainda não percebi quem é a líder (Naomi ou Sasha), mas se tal acontecer, a Sasha deve continuar como heel, eu adoro tudo o que ela faz e tenho quase a certeza que quando a sua carreira acabar provavelmente será a minha WRESTLER preferida.

    Desde que a Nikki atacou a Brie no SummerSlam do ano passado que estas têm passado de heels a faces como quem muda de camisa e apesar de admirar a Nikki pela sua melhoria ao longo do último ano, acho que a título das Divas já deveria ter mudado de campeã. Nunca percebi porque juntaram a Alicia à Team Bella, acho que (como referes), não têm química nenhuma.

    • RybackChampion2015 - há 1 ano

      Para dar um pequeno destaque a Alicia.

      • RFBM - há 1 ano

        Eu até gosto da Alicia, mas acho que o momento em que lhe querem dar destaque é completamente descontextualizado.

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      O facto de a Brie e a Nikki terem voltado a ser amigas foi, por si só, suficientemente ridículo. Tudo o resto é relativo quando comparado com essa situação.

      Quanto à Sasha, é incrível. Ela, a Paige e a Bayley formam o meu Top 3 atualmente, com larga distância para as outras.

  11. BRUNOju - há 1 ano

    Excelente artigo Daniel. Acho que seu posicionamento acerca dessa revolução e suas integrantes foi bom e sensato.

    Quando tivemos aquele segmento com as Divas do NXT, infelizmente eu estava no Ônibus começando a viajar, porém felizmente pegava internet e eu vi pelo Instagram e pude acompanhar o segmento. Confesso que fiquei louco dentro daquele lugar, queria chegar logo em casa. No outro dia a primeira coisa que fiz foi ver o segmento que eu deixei gravado na TV, e vibrei mais uma vez. Tudo parecia perfeito!

    Com o passar das semanas eu fui notando que aquilo não passava de uma storyline qualquer. Não era uma mudança que estava ocorrendo, as únicas coisas que mudaram foram o tempo e a forma como elas estão sendo tratadas. É evidente que agora elas são realmente mulheres.

    Como sempre a WWE gosta de exagerar, e está fazendo isso com a Charlotte. Não é necessário ficar fazendo os trejeitos do pai, deixem que o público faça quando ela apareça ou quando entre no ringue.

    Pra mim, na próxima RAW teríamos uma fatal 4-way entre as contenders (que se seguirmos a lógica) Paige, Becky Lynch, Charlotte e Sasha Banks. Com a Becky ganhando de alguma forma surpresa, como ganhou sua oportunidade pelo título contra Sasha Banks no NXT TakeOver: Unstoppable. No Night Of Champions teríamos Becky x Nikki, com a primeira ganhando e ao fim na comemoração… Heel turn da Paige e Charlotte. Só não sei o que fará Sasha Banks nesse tempo. Poderiam colocá-la em uma rivalidade com a Natalya.

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      Acho que em vez de uma Fatal 4-Way devíamos ter um Triple Threat entre as três vencedores do combate no SummerSlam. Afinal de contas, a Sasha Banks ainda não provou que merece uma oportunidade pelo título (no main roster, evidentemente).

      A Sasha podia passar o próximo mês numa feud com a Naomi.

    • BRUNOju - há 1 ano

      Daniel, a Sasha venceu a Nikki. O.o

      • danielLP21 - há 1 ano

        Como a Nikki disse, que importa isso? :P

        Seja como for, a ideia que nos deram é que a Team PCB é que saiu por cima.

  12. Mr. Money In The Bank - há 1 ano

    Excelente artigo, Daniel. Concordo contigo em absolutamente tudo.

    Assim como a maioria, fiquei empolgado com aquele segmento no RAW, estavam até tendo um booking interessante, mas como sempre, depois fizeram asneiras, com os inúmeros combates sem nada em jogo.

    Por mim, também seria a Becky a tirar o título da Nikki. Espero que por ter sido a primeira a fazer o pin da vitória no SummerSlam, tenha sido algum sinal disso.

    Isso da Charlotte imitar o pai esta me cansando, repetem isso o tempo inteiro. Ela precisa sair do “colo” do pai e ser ela mesma.

    Esse reinado da Nikki só esta servindo mesmo para bater o recorde da AJ, porque não tem nada de especial. Passou vários PPV’s sem defende-lo e quando defendeu, foram quase sempre contra as mesmas oponentes.

    Não sou lá muito fã da Bayley, não consigo gostar da gimmick dela, mas confesso que a mesma terá um grande futuro, à não ser que estraguem tudo como é habitual quando sobem pro main-roster.

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      Não há mal nenhum em querer que o recorde seja batido. Simplesmente podiam fazê-lo com defesas do título, sujas de preferências, para definir as Bellas claramente como heels e as outras como babyfaces injustiçadas.

      Percebo porque é que não és fã da Bayley, não é uma personagem que agrade a toda a gente, porque as pessoas a veem como infantil. Mas para mim é a melhor personagem feminina atualmente, talvez em igualdade com a Sasha Banks, a vilã sem escrúpulos (pelo menos no NXT, veremos se agora a deixam mostrar isso no main roster).

      • Mr. Money In The Bank - há 1 ano

        Sim, concordo. Tenho receio de que estraguem a personagem da Sasha, que é uma vilã sensacional. Tive pena quando estragaram a gimmick de “Anti-Diva” da Paige quando a mesma subiu para o main-roster, infelizmente.

  13. João Paulo - há 1 ano

    Mas um excelente artigo, concordo em que tudo o que disse, sobre a Revolução da Divas

  14. Dan Lannister - há 1 ano

    Ótimo artigo!
    Dissestes tudo o que penso, e sim, também adoro a Bayley

  15. SCSA - há 1 ano

    O talento em ringue das divas do NXT em relação as do roster principal chega a ser assustador. Ainda é muito cedo para se afirmar que será a melhor geração de sempre mas com um booking adequado e com oportunidades acredito que a divisão feminina estara no bom caminho. Concordo relativamente à Charlotte acho que está a sofrer de um mau booking no momento que podera acabar por prejudica-la o que espero que nao aconteça. Não acho que Becky deve ser a proxima campeã pois de todas é de longe a menos preparada para isso.

    • danielLP21 - há 1 ano

      A Paige também esteve no NXT, assim como a Emma, que nunca teve oportunidade de mostrar o que vale e acabou por voltar ao território de desenvolvimento. Se os combates do main-roster não forem tão desejados e construídos, não vale de nada elas serem muito boas em ringue (claro que é sempre melhor ter a qualidade que têm do que a qualidade de uma Brie ou de uma Cameron).

    • Sheep Mask - há 1 ano

      “Ainda é muito cedo para se afirmar que será a melhor geração de sempre”
      Basta assistir ao NXT de um ano atrás até hoje para se ter certeza absoluta que essa É a melhor geração de sempre.

  16. Tibraco - há 1 ano

    Não tenho grande coisa a acrescentar ao que disseste. O segmento de que falaste da Bayley também me fez ficar seu fã. Achei-a profundamente adorável, daquelas faces que dá vontade de apoiar.

    Acho que a Steph devia ter ficado fora da “Revolução”, sem dúvida, mas também não acho assim TÃOOO grave. O grande erro, na minha opinião, é mesmo a falta de uma história de fundo

    Por fim, dizer que ao fim de 18 artigos se nota uma clara evolução da tua parte. Além de analisares as situações, apontas caminhos para o futuro e isso é, indiscutivelmente, uma mais-valia. Umas vezes concordamos, outras não, mas isso faz parte e é salutar. Estás de parabéns ;)

    • MicaelDuarte - há 1 ano

      Sasha Banks é melhor! Sasha Banks é melhor! Muahahahah! :P

      • Tibraco - há 1 ano

        São as duas muito diferentes. Eu também prefiro a Sasha, embora não esteja, por culpa alheia, a fazer grande coisa no main roster.

      • MicaelDuarte - há 1 ano

        Estava a meter-me contigo xD

        Talvez, mas acredito que isso vá mudar assim que a história das equipas for por água abaixo.

    • danielLP21 - há 1 ano

      E é tudo natural, nada forçado. Fiquei fã daquela personagem desde o início.

      Não seria tão grave se fosse um ato isolado. O problema é que ela aparece SEMPRE quando não devia. Até nos segmentos do Seth Rollins podia aparecer apenas o Triple H, que foi quem o “escolheu”. Mas o apelido dela é McMahon e terá que aparecer sempre, seja em que circunstância for.

      Aliás, até no Takeover apareceu. Desde quando é que a Stephanie está relacionada com o NXT e com a sua Divisão Feminina?

      Obrigado. É para isso que aqui estou: evoluir. Até acho que este foi dos meus melhores artigos. Umas vezes corre melhor, outras pior, mas tentarei continuar a evoluir.

  17. CenaLunaticFringe - há 1 ano

    Um dos teus melhores artigos, parabéns!

  18. Anónimo - há 1 ano

    Parabéns Daniel, um dos teus melhores artigos, senão mesmo o melhor. Não sou um comentador assíduo, mas não consegui ficar indiferente a este artigo. Artigo muito interessante e inteligente! Mais uma vez parabéns!

    • danielLP21 - há 1 ano

      Muito obrigado.

      • Rodrigo do Bem - há 1 ano

        Este sou eu, não coloquei o nome.

      • Rodrigo do Bem - há 1 ano

        Bem, está difícil acabar um comentário… Passei por este artigo para o reler, e de facto está fantástico. Muito bom trabalho, como já disse não sou um comentador assíduo, mas sempre que posso leio os artigos e este espaço é sem dúvida, muito interessante e tens uma visão e capacidade e interpretação muito inteligente. “Keep it up!”

  19. WWEdge - há 1 ano

    Muitos parabéns pelo excelente trabalho. Este artigo estará certamente no top 5! ;D

    Também não sou espectadora assídua do NXT mas, estou a par do trabalho fabuloso que se faz por lá. Confesso que a Bayley é uma das lutadoras que ainda não me conquistou a 100%, já deve estar nos 85%. Reconheço o enorme trabalho que ela tem feito. Aquele combate dela com a Sasha Banks foi algo de… não existem palavras para o descrever! Na divisão feminina, até hoje, acho que existiram poucas como a Bayley.
    Assim como tu, espero sinceramente que a WWE não faça asneira quando a fizer chegar ao main roster. Estariam a desperdiçar uma das personagens femininas mais bem construídas dos últimos tempos.

    De resto, não tenho mais nada a acrescentar. Escreveste exatamente aquilo que, ainda esta semana, falei com o meu sobrinho.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador