Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Impacto! #114 – TNA Old School

São muitas as novidades na TNA que vão surgir em resultado da digressão Britânica, mas esta semana vou adiar a discussão do que está para acontecer, pois estamos perante o primeiro TNA One Night Only de 2014 (ou pelo menos gravado já a pensar em 2014).

Antes de fazer a antevisão deste PPV, relembro que a TNA gravou em Nova Iorque dois PPvs – o “Old School” e o “Hardcore Justice”. O Hardcore Justice será emitido em Abril nos Estados Unidos, apesar de já ter sido transmitido em Janeiro em todos os outros países com conteúdos TNA. Isto deveu-se a um acerto de calendário que a TNA fez, uma vez que se comprometeu a transmitir 12 PPVs por ano a nível global e o último TNA ONO foi transmitido em Dezembro (a nível mundial) e em Janeiro (Só para o Estados Unidos). Espero ter sido claro na explicação…

Por motivos de streams eu irei guiar-me pelo calendário Norte-Americano (que para todos os efeitos é o principal mercado do TNA) e assim só iremos abordar o Hardcore Justice quando este for transmitido nos EUA.

Esta Sexta-feira é dia de Old School, onde poderemos revisitar algumas rivalidades antigas e outros gimmick matches que marcaram a história da TNA. Este evento é gravado, mas irei abordar cada um dos combates sem revelar nenhum resultado. Vamos então ao card deste PPV:

Austin Aries vs Chris Sabin vs Sonjay Dutt

A TNA anunciou em 2013 uma nova era para a X Division. A ideia era estabelecer os triple threat matches como modelo de combate permanente nesta divisão e criando uma espécie de pirâmide, onde no degrau inferior três lutadores procuravam ganhar o combate para receber um title shot e quem perdesse (sofresse o pin ou a submissão) deixava de competir na TNA. No degrau superior, o vencedor era o campeão e quem perdesse ou sofresse o pin descia ao degrau inferior.  Na altura lembro-me de ter pesado os prós e contras desta “nova era” e hoje vejo que todos os contras se confirmaram, ao ponto de a TNA não saber exatamente o que fazer a esta divisão. Ainda assim, é inegável que os melhores combates que a X Division já ofereceu foram em “danças a três” e para este Old School, vamos ter um embate entre os dois principais nomes da divisão hoje – Austin Aries e Chris Sabin e aquele que ao longo da história da TNA é “pau para toda a obra” e um dos mais subvalorizados talentos que passou pela TNA – Sonjay Dutt. Penso que poderemos contar com um combate clássico desta divisão, com bastantes spots, manobras sempre de grande impacto e com um combate que deverá pender para Aries ou Sabin.

Ethan Carter III vs Dewey Barnes

Obviamente este é um combate que apenas pretende continuar a construir Ethan Carter III como o protegido e arrogante sobrinho de Dixie Carter, dando-lhe um adversário fácil para que ele se possa mostrar num PPV. Este combate será quase de certeza um Squash match, e é exatamente este tipo de combate que faz parte da história do wrestling. Quantas e quantas vezes não assistimos a um lutador a ser apresentado aos fãs pela destruição em poucos segundos de adversários desconhecidos? Em todas as promoções de wrestling, com lutadores como Goldberg, Stone Cold Steve Austin, Sting, Ric Flair, The Rock, Triple H, Undertaker, Kevin Nash, Kurt Angle, Jeff Jarrett ou Samoa Joe. Todos já passaram pelo processo de ver a sua credibilidade fortalecida pela vitória relâmpago contra um adversário de muito menor capacidade. Outro aspecto curioso deste combate é que EC3 representa o actual poder que domina a TNA, enquanto sobrinho de Dixie Carter e na história da organização, há uma luta em particular que é repetida com muita (para mim demasiada) frequência – a luta pelo controlo da TNA. EC3 está alinhado com a actual direcção, que o torna privilegiado até nos adversários que recebe. Esta luta pelo controlo da TNA já é uma fórmula repetida, com alguns exemplos como: Main Event Mafia vs Frontline, Immortal vs Fortune, Team Hogan vs Team Flair, Aces and 8s vs TNA, LAX vs TNA, S.E.X. vs TNA, etc etc. Assim, teremos um combate a relembrar dois conceitos muito presentes na história da TNA.

Tommy Dreamer vs Bully Ray (Fall Count Anywhere)

Se há um combate que merece o carimbo Old School é este. A história de Tommy Dreamer e Bully Ray recua mais de 20 anos. Apesar de Dreamer e Ray terem tido uma curta rivalidade na ECW, são dois dos nomes que melhor representam o estilo Hardcore e arrojado que tanto deliciou os fãs da promoção. Bully Ray chegou à TNA em 2005, onde ao lado de Devon deu continuidade aos Dudley Boys (que na TNA se chamaram Team 3D). A partir de 2010, Devon e Ray decidiram seguir pelo wrestling de singulares e o então Bubba Ray, surgiu como Bully Ray, um tipo naturalmente odiável, que actuava como um verdadeiro Bully. A história dele desde então é relativamente conhecida e culminou na vitória do Titulo Mundial enquanto líder dos Aces and 8s. Quanto a Dreamer, chegou à TNA pelas mãos de uma invasão de antigos lutadores da ECW, num grupo conhecido com EV2.0. Com o fim da história, Dreamer tem coloborado pontualmente com a TNA, dentro do ringue e nos bastidores. Neste combate, Ray e Dreamer irão procurar mostrar aos fãs o que tornou a ECW especial, num combate nostálgico e que acredito que irá pender para o lado de Bully Ray.

The BroMans e Lei’D Tapa vs Bad Influence e Velvet Sky (Árbitro – Eric Young)

As divisões femininas e de tag-team da TNA sempre ocuparam um lugar privilegiado na história da organização, com muito mérito próprio. A TNA irá trazer para um combate o melhor destes dois mundos, ao colocar os actuais campeões de Tag-team – BroMans – contra a melhor equipa da actualidade – Bad Influence e junta ainda uma novata Lei’D Tapa aos BroMans e uma veterana Velvet Sky ao lado dos Bad Influence. Esta ideia de ter equipas mistas também não é de todo novidade na TNA, sendo que os America’s Most Wanted James Storm, Chris Harris e Gail Kim foram a stable que melhor provou que esta é uma fórmula que pode funcionar e que na história recente da TNA foi repetida mais consistentemente como Sarita, Anarquia e Hernandez, Tara e os BroMans ou com ODB, Eric Young e Joseph Park, ou de forma mais pontual como ODB, James Storm e Gunner ou de Chavo Guerrero, Hernandez e Velvet Sky. Penso que iremos ter um combate interessante para mostrar um pouco de ambas as divisões, com um certo favoritismo dos Bad Influence e Velvet Sky, não fosse o árbitro algo parcial pelo que Lei’D Tapa e Gail Kim têm feito a ODB.

Kurt Angle vs Mr. Anderson

Outra das rivalidades clássicas da TNA será revisitada neste TNA Old School. Anderson chegou à TNA em 2010 e logo nesse ano a sua primeira grande rivalidade aconteceu contra Kurt Angle. Embora tendo durado apenas alguns meses, quem assistiu não se esqueça das fantásticas promos de Anderson a atacar Kurt Angle, a criticar os soldados Norte-Americanos (tema sensível para o público Americano) e até a caricaturar Kurt Angle numa das melhores promos da sua carreira e da TNA, que tivemos oportunidade de rever numa edição do Best of Impact. Os confrontos resultaram num dos melhores combates de sempre na história da TNA, no Lockdown em 2010, marcado por um incrível moonsault de Kurt Angle do topo da jaula. Os caminhos de Anderson e Angle voltaram a cruzar-se pontualmente em combates por World title shots, mas com intensidade e relevância só em 2011, quando Anderson atacou Angle, juntado-se aos Immortal e resultando em novo confronto entre ambos. Já em 2013, Angle e Anderson voltaram a encontrar-se em lados opostos da barricada com Anderson aliado aos Aces and 8s e Angle do lado da Main Event Mafia. Uma coisa é garantida, dos poucos meses de duração desta rivalidade Anderson e Angle conseguiram retirar o melhor um do outro e é isso que espero ver esta Sexta-feira. Volto a não arriscar um vencedor.

Bobby Roode vs James Storm (Last Man Standing)

Na história recente da TNA, a rivalidade entre Bobby Roode e James Storm será a disputa mais pessoal e mais marcante para os fãs. Em 2008 James Storm e Bobby Roode juntaram-se oficialmente como equipa, formando os Beer Money. A dupla foi das mais bem sucedidas equipas da história da TNA conquistando por 4 vezes os títulos da divisão. Em 2011, os Beer Money pareciam que iriam colocar uma pausa na sua carreira como equipa, quando James Storm e Bobby Roode foram chamados a fazer partes da primeira edição da Bound For Glory Series. A pausa parece que se tornou num fim anunciado, muito graças às acções de Roode. Bobby Roode acabaria por vencer a BFG Series nesse ano e no maior PPV do ano teve o seu title shot contra Kurt Angle, mas não conseguiu vencer o combate. Na semana seguinte ao PPV, Roode viu Sting a não permitir um rematch e a dar a James Storm um title shot. O Cowboy acabaria por vencer Angle e sagrar-se campeão mundial. Storm, agora no topo da TNA não esqueceria o seu amigo e deu a Roode o rematch que Sting não permitiu. Roode não olhou a meios para atingir o seu fim e durante o combate, atingiu Storm com uma garrafa segurando uma vitória muito discutível. Era o inicio do maior reinado como World Champion até hoje e era também o fim da parceria Storm/Roode. Esta rivalidade é ainda hoje uma histórica várias vezes revisitada pela TNA e a intensidade que Storm e Roode colocam em cada combate quando se encontram, continua a transbordar muito daquilo que foi uma amizade traída. Não arrisco vencedor.

Abyss vs Jeff Hardy (Monster’s Ball)

As regras extremas deste combate começam logo com a estipulação inicial (usada nas primeiras seis edições deste gimmick match) de que durante as 24 horas que antecedem o combate, os lutadores devem ser privados de água, comida e luz, de forma a aguçar a sua agressividade. Assim que são libertados para o ringue, o combate decorre sem desqualificação onde o uso de armas é inevitável. O número de participantes é variável e para vencer o lutador tem que alcançar a submissão ou o pinfall do adversário, com a condição que o combate tem de acabar dentro do ringue. O Monster’s Ball é o gimmick match mais associado a Abyss, não fosse ele o lutador que mais vezes participou e venceu neste tipo de combate, aliás participou em todas as edições. Pelas características Hardcore em que decorre, este combate termina sempre num banho de sangue e é facilmente um dos gimmick matches mais violentos e marcantes da história da TNA. Depois de Abyss, Jeff Hardy é o lutador que mais vezes sentiu o quanto um Monster’s Ball pode ser um desafio muito doloroso. O Charismatic Enigma participou por 7 vezes neste tipo de combate, sempre contra Abyss e saiu sempre vitorioso em todas elas. Acredito que Hardy voltará a repetir a dose neste PPV, num combate que será certamente um dos momentos altos da noite.

Magnus vs Samoa Joe (pelo World Heavyweight Championship)

A história de Magnus e Samoa Joe começa no início de 2011, quando a TNA decidiu realizar Wild Card Tournment para determinar uma dupla que seria candidata aos títulos da Divisão de tag team. As equipas foram escolhidas aleatoriamente e quis a sorte que Joe e Magnus formassem a equipa que acabaria por vencer esse torneio. No PPV Genesis Joe e Magnus tiveram pela frente Crimson e Matt Morgan, mas não arrecadaram os títulos, algo que só viria a acontecer quase um mês depois no PPV Against All Odds. A dupla viria a prolongar o seu reinado até Maio, perdendo no Sacrifice para os Bad Influence. Com a primeira edição da Bound For Glory Series acabou a parceria e ambos os lutadores seguiram para tentar conquistar uma hipótese de lutar pelo titulo mundial. Ora, tal como James Storm e Bobby Roode, também Magnus e Samoa Joe acabariam por perder mais que uma perceria na BFG Series. Joe acabaria por eliminar Magnus no Gauntlet Match que abriu a BFG Series e na fase regular do torneio Joe venceu o combate contra Magnus e deixou-o de fora das meias-finais. Magnus foi à procura de vingança e desafiou Joe para um combate pelo TV Title, que era detido por Joe na altura. Mais uma vez Magnus foi incapaz de vencer o Samoan Submission Machine. Frustrado, Magnus viria a desafiar Joe para um rematch numa edição do Open Fight Night e desta vez Magnus teve uma derrota mais saborosa, ao ser desqualificado por atacar Joe com uma ferramenta. A rivalidade culminou num combate no PPV No Surrender, onde Joe voltou a sair vencedor. Curiosamente esta é uma história que não assistiu a um capitulo final. É que pouco tempo depois do PPV, Magnus foi atacado pelos Aces and 8s nos bastidores e teve que se afastar para recuperar de uma lesão no joelho. Ao regressar à televisão, Magnus e Joe não voltaram a acertar contas e até voltaram a combater lado a lado, numa nova versão dos Main Event Mafia. Hoje, Magnus é o novo World Heavyweight Champion e Samoa Joe é uma sombra do seu passado que promete voltar para ameaçar o reinado de Magnus. Neste PPV parece claro que Joe não conseguirá roubar o ouro, mas estaremos a assistir a uma página importante de uma rivalidade que ficou suspensa no tempo há dois anos atrás.

Video da Semana

The Wrestling Cyborg – Kurt Angle

Na próxima semana irei trazer os melhores momentos da Conference Call com Ethan Carter III.

Sobre o Autor

- Colaborador do Wrestling.PT para os conteúdos da Total Nonstop Action!

10 Comentários

  1. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Promete Jorge!

    Não costume ver o “ONO”, mas vou tentar ver esta edição! Alguns combates que prevejo serem bastante bons, e podemos ter um “preview” no Magnus vs Samoa Joe.

    O video com Angle estava muito bom!

    • Jorge Rebelo - há 3 anos

      O Monster’s Ball e o combate do Magnus vs Samoa Joe devem ser excelentes e até o Bobby Roode vs James Storm não costuma falhar :)

  2. AwesomeTheMiz - há 3 anos

    Excelente, Jorge! Nada a acrescentar, depois de gravado e disponível, com certeza irei assistir a esta One Night Only.

    • Jorge Rebelo - há 3 anos

      Felizmente não tivemos de esperar muito tempo entre a gravação e a emissão deste evento, pelo que este card não só é muito bom, como ainda é bastante “fresco”.

  3. JoãoRkNO - há 3 anos

    Temos aqui um card bastante “apetitoso” xD. Belíssimo trabalho Sir.

    • Jorge Rebelo - há 3 anos

      Só tenho dúvidas que haja streams amanhã…de qualquer forma, seja em stream ou no dailymotion, cá estaremos para avaliar este ONO.

  4. danielLP21 - há 3 anos

    “Card” espectacular…

    O Jeff Hardy e o Abyss já lutaram SETE vezes num “Monster’s Ball”?! Wow…

    • Jorge Rebelo - há 3 anos

      Todos em house shows, penso que este será o primeiro que teremos oportunidade de ver na televisão.

  5. Control - há 3 anos

    Um ótimo card que atrai qualquer um,tem tudo para ser o melhor no quesito ‘One Night Only’.Espero que tenha stream,ótimo artigo Jorge!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador