Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Impacto! #125 – Road of Sacrifice!

“Não existe triunfo sem perda, não há vitória sem sofrimento, não há liberdade sem sacrifício”. A frase é da mundialmente famosa obra O Senhor dos Anéis e dá o mote a esta edição do Impacto! que serve para apresentar os combates que vamos poder assistir já este Domingo, no PPV Sacrifice.

O evento será transmitido em direto da Impact Zone e pode ser acompanhado aqui no Wrestling.pt, às 01h de Portugal, 22h no Brasil.

6

Sanada vs Tigre Uno

Quando Seiya Sanada começou a lutar, ele tinha 17 anos de idade. Treinou no All Japan Pro Wrestling Dojo, e durante 6 anos fez parte do roster da AJPW antes de abandonar o barco para seguir Keiji Mutoh na sua nova empresa – WRESTLE -1, isto em setembro de 2013. Instantaneamente, Sanada tornou-se um dos talentos de topo da W-1. Em Novembro de 2013, Sanada apresentou-se ao público ocidental quando defrontou AJ Styles pelo TNA World Heavyweight Championship. Apesar de ter perdido esse combate, Sanada impressionou tanto que acabou por ser convidade e venceu mesmo uma battle royal para se tornar #1 contender ao titulo da X Division. No evento TNA Outbreak, Sanada defrontaria Austin Aries pelo titulo e acabaria por se sagrar o primeiro Japonês a ser campeão da X division. Uma semana depois, Sanada apareceu pela primeira vez num ringue da TNA, em pleno Lockdown num six-man tag team match ao lado de seu mentor Keiji Mutoh (The Great Muta) e de Yasu, derrotando a equipa dos Bad Influence e Chris Sabin. Desde então, Sanada tem impressionado com a sua cativante capacidade atlética e com um reportório de manobras impressionante.

Na plataforma #Impact365 percebe-se a entrega de um lutador que sabe que carrega sobre si a herança do wrestling Japonês e estamos a falar de alguém que todos os dias se levanta ainda de madrugada para treinar. A X Division foi o passaporte de Sanada para a América, mas, além disso, é também a sua oportunidade de se mostrar ao mundo. Ao contrário de Seiya Sanada, Tigre Uno entrou em TNA com algum hype que precedeu a sua estreia. Dias antes do Lockdown, alguns vídeos de Tigre Uno começaram a ser divulgados no Impact Wrestling e na plataforma #Impact365. A Sua estreia não desiludiu, derrotando um nome importante da X Division – Manik. A sua estreia no Impact Wrestling deu-se coincidentemente, num combate de tag-team ao lado de Sanada contra os The Bromans.

Muito semelhante ao que aconteceu no Lockdown, Tigre mostrou a sua inspiração e toda a garra da “lucha” para tentar alcançar os títulos de Tag Team Champions. Sanada e Tigre tem essa oportunidade na semana seguinte num three-way tag-team match onde estiveram os Wolves, mas perderam depois da interferência de DJ Zema. Após a derrota, Sanada e Tigre Uno viraram-se para a X Division e enfrentam-se numa série à melhor de 3. Tigre sofreu a sua primeira derrota na TNA após o primeiro combate, mas recuperou e igualou a série. No Sacrifice, apesar do respeito e admiração um pelo outro, é o momento de decidir quem será o X Division Champion. Este combate muito provavelmente irá abrir o PPV, com Seiya Sanada e Tigre Uno a terem uma boa oportunidade de impressionar o público e ao mesmo tempo lutar por um dos principais titulos na TNA. A minha aposta recai para que Sanada consiga reter o título.

2

Kurt Angle e Willow vs Ethan Carter III e Rockstar Spud

De forma muito simples, Ethan Carter III estreou-se na TNA como sobrinho de Dixie Carter e obedecendo às vontades da sua tia, decidiu ajudar Magnus a manter o titulo mundial, quando este defrontou Kurt Angle. EC3 salvou Magnus de um Angle Lock e não satisfeito, mais tarde acabou por atacar maliciosamente Kurt Angle provocando uma lesão no joelho. Na tour Britânica em Londres, Angle foi definitivamente induzido no TNA Hall of Fame e EC3 quis interromper a cerimónia, agravando a lesão de Angle e impedindo que este lutasse no PPV Lockdown. Durante estes eventos já EC3 e Rockstar Spud tinham atrapalhado Jeff Hardy custando-lhe o titulo mundial e precipitando um afastamento temporário dos ringues. Jeff Hardy regressou à TNA no PPV Lockdown, mas com uma “nova” gimmick. Hardy trouxe para a TNA o seu alter-ego – Willow, um personagem criado por si e utilizado no circuito independente, em particular na OMEGA promoção criada pelo seu irmão Matt. Willow rapidamente dirigiu a sua atenção para EC3 e Rockstar Spud, certamente ainda com a memória fresca relativamente ao que estes lhe custaram. O personagem de Willow é estranhamente sombrio e demasiadamente agressivo para um face, mas esta é a direcção confusa que a TNA e Hardy estão a seguir. Confesso que este é para mim o combate mais desinteressante do PPV, muito por culpa de um aspeto: Willow venceu Spud e EC3 num handicap match a semana passada. Ora porque razão é que Willow precisa de Angle ou como é que Spud e EC3 podem ter alguma hipótese de saírem vencedores contra estes dois, se nem a Willow sozinho conseguem ganhar? A equipa vencedora parece-me mais que óbvia.

4

James Storm vs Gunner

Em Maio James Storm viu-se numa situação muito complicada, ficando no meio de uma tempestade de tag-teams entre os Bad Influence e os Dirty Heels (Austin Aries/Bobby Roode). A forma do Cowboy se defender foi procurar um aliado e encontrou-o em Gunner. No Slammiversary Gunner e Storm, enfrentaram os Bad Influence, os Dirty Heels e a dupla Chavo/Hernadez para um combate pelos titulos da divisão. Foi a tempestade perfeita para Storm que acabou como Tag-team champion. O reinado desta equipa duraria até ao Bound For Glory, onde a dupla acabaria por perder os títulos para os BroMans. Durante os meses desse reinado, Gunner e Storm começaram a dar sinais de desentendimentos, com a dupla a ter algumas vitórias muito complicadas com erros individuais. Os problemas agravaram-se quando falharam a oportunidade de reconquistar os títulos diante dos BroMans novamente por culpa de erros individuais.

A dupla acabaria por se separar em definitivo quando durante um Feast or Fired Match, Gunner atacou Storm e custou-lhe a conquista de uma das malas, que mais tarde se viria a saber que continha um title shot pelo World Heavyweight Championship. Storm acabou por se juntar a Bobby Roode para defrontar Gunner e Kurt Angle e segurar uma vitória, que este prometeu enterrar o machado de guerra. No entanto, Storm acabou por mostrar que não esquecia e não perdoava, quando interferiu no combate pelo Titulo Mundial entre Gunner e o campeão Magnus, custando ao Modern Day Viking  a vitória nesse combate. No Lockdown Gunner e James Storm “roubaram” o PPV ao dar o combate da noite, de onde Gunner sairia vencedor. Storm não demorou a responder à derrota, insultando o pai de Gunner em pleno Impact Wrestling, algemando Gunner ao ringue e atacando o pai dele com uma garrafa. As acções de Storm ultrapassam a luta por um qualquer titulo e agora mais que nunca, Gunner quer vingança e parece-me que a vai conseguir.

3

Bobby Roode vs Bully Ray

No TNA Lockdown jogou-se o controlo das operações de wrestling na TNA. MVP foi a cara que regressou à TNA no papel de investidor, mostrando que estava muito insatisfeito pela forma como Dixie Carter tem comandado a TNA. Apesar de uma fraca tentativa de aproximação de Dixie Carter a MVP, este mostrou que quer romper com o Dixie e quer trazer algo de novo à organização. Sem nenhum tipo de acordo a ser possível, MVP e Dixie decidiram trazer para o Lockdown o futuro da TNA, num Lethal Lockdown onde a equipa vencedora conquistou o controlo da organização. Na equipa de Dixie Carter esteve Bobby Roode (que receberia 10% das acções da TNA se conseguisse vencer o combate), Austin Aries e os BroMans, enquanto MVP, os The Wolves e Willow estiveram na equipa contrária. Dixie Carter tentou jogar uma cartada decisiva ao anunciar Bully Ray como árbitro para este combate. O feitiço virou-se contra o feiticeiro, Ray traiu Dixie a atacou Bobby Roode, oferecendo a vitória à Team MVP. Bobby Roode certamente não gostou da traição, não só por ter perdido o combate, não só por ter perdido a oportunidade de ser um dos investidores da TNA, mas por ter sofrido uma Bully Bomb através de uma mesa. Roode quer vingança e culpa Bully Ray por ter perdido a oportunidade de ser um dos proprietários da TNA. O embate entre os dois deverá ficar encerrado num tables match, onde Bully Ray é especialista e favorito.

5

Angelina Love vs Madison Rayne

Os sacrifícios são muitas vezes feitos por pessoas mais fortes, mais motivadas e este Domingo a TNA Knockouts Champion Madison Rayne demite-se do seu passado, a fim de continuar o seu futuro. Quando Rayne se estreou na TNA ela completou o triângulo que eram as The Beautiful People. Atrás da liderança de Angelina Love e da sua seguidora Velvet Sky, Rayne era a aprendiz que elas muitas vezes negligenciavam ou repreendiam quando tudo falhava. Este tratamento forçaria Rayne a ter de se defender e acabaria por assumir o controlo do grupo. Durante meses, Rayne liderou as TBP com sucesso até ao regresso de Angelina Love, que tratou de se vingar de Rayne. A dupla Love e Sky aliás acabariam por a Rayne vários reinados. Eventualmente, ela transformou-se na cruel Killer Queen. Com parcerias falhadas (tanto com Tara como com Gail Kim) Rayne acabou se afastar dos ringues e nesse tempo foi mãe. Depois de quase exatamente um ano de ausência do Impact Wrestling T Rayne voltou com um novo visual, uma personalidade mais agradável, e uma busca por redenção, onde se inclui a ajuda a ODB e a Velvet Sky dos ataques de Gail Kim e Lei’D Tapa, Um mês depois do seu regresso, no PPV Genesis, Rayne voltava a ocupar o trono da divisão feminina ao ganhar o titulo a Gail Kim. Quatro meses depois, ela permanece como campeã, mas agora demónios antigos ressurgiram com o regresso de Angelina Love à TNA. Love e Sky não tardaram em fazer renascer as TBP e agora querem reinar na divisão. Certamente que Rayne já teve de enfrentar desafios complicados nestes últimos quatros meses e novamente terá de lutar contra os números, pois tal como no último Lockdown em que Gail Kim contou com Lei’D Tapa para a ajudar, também Angelina Love irá contar com Velvet Sky para qualquer eventualidade. Rayne terá de sacrificar o seu passado e enfrentar memórias antigas para vencer um desafio que me parece estar condenado a terminar com a mudança de título.

7

Anderson vs Samuel Shaw

Olhando para trás, o mundo do wrestling deu-nos muitos personagens estranhos e alguns até assustadores. Na TNA o “Creepy Bastard” Samuel Shaw possui um desses gimmicks. O olhar, a voz , o visual, todos os fatores que contribuem para construir este personagem macabro que é Samuel Shaw. Gimmicks como o de Samuel Shaw têm que ser apresentados como credíveis e necessitam de tempo para serem construídos. Shaw tem beneficiado destes dois fatores. Shaw pode ser visto como alguém obcecado por uma mulher – Christy Hemme e disposto a tudo por ela. O medo é uma emoção sentida por qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo e Shaw alimenta-se dele. Depois temos Mr. Anderson, que depois de extinguir os Aces and 8s, decidiu sair em defesa da honra de Christy Hemme. Mr. Anderson também muito tem ajudado a contruir o gimmick de Shaw. Quanto à história deste combate é hoje bastante simples. Desde que Samuel Shaw se estreou no ano passado, vimos que ele queria mais do que uma amizade com Christy Hemme . Vimos que Shaw tinha uma obsessão doentia com Christy, ou não fossem as muitas obras de arte que ele criava baseadas nela. Christy, no entanto, também deixou claro que não procurava um relacionamento com Shaw, mas este simplesmente não aceita um não.

Quando Christy rejeitou Shaw, tornou-se visível que este tinha ostensivamente ignorado as barreiras que Christy levantou na relação deles. Em seguida, ele passou a tentar interferir na sua vida, alegando estar a protegê-la do que ele diz serem os tipos maus como Anderson – e é assim que esta feud ganha vida. Até à data, os combates entre Shaw e Anderson e até as promos e segmentos de bastidores têm sido do melhor que a TNA tem apresentado atualmente. Estes dois lutadores têm uma boa química no ringue e espero um combate metódico, mas muito intenso e com alguns bons spots. A estipulação deste combate tem levantado muitas questões. Até ao momento desconhece-se o que é um “Commited Match” e a especulação que mais frequentemente tem sido sugerida entre os fãs da TNA é que quem perder será internado num asilo. Seja qual for o significado deste Commited Match, acredito que o Sacrifice será a conclusão desta história e para realmente se obter um resultado final, temos de ver o Mr. Anderson a ganhar este combate e a enviar o Sam Shaw para o hospício. Isso permitirá a Samuel Shaw regressar posteriormente à TNA inserido numa nova feud, ou para se vingar de Mr. Anderson. No Lockdown, vimos a derrota de Anderson, no Sacrifice deverá ser Shaw a ser derrotado.

1

Eric Young vs Magnus

É impossível contar a história de Eric Young sem passar por Abyss e Joseph Park. Muito resumidamente, a carreira de Joseph Park começa quando este surge na TNA como um advogado à procura do seu irmão Abyss. Durante semanas Park confrontou uma série de pessoas nos bastidores sofre o paredeiro do seu irmão até chegar ao nome Bully Ray. Depois de dois combates contra Ray, Park acabou por se ver envolvido na feud TNA/Aces and 8s, sendo uma das figuras que esteve do lado da TNA, ocasionalmente dando a entender que estaria a passar por um crise de identidade, quando ao ver o seu próprio sangue se transformava num monstro…no seu irmão. A partir de Setembro de 2013, Young começou a desenhar esforços para levar Joseph Park a perceber que este não era irmão de Abyss, mas sim o próprio Abyss. Esta história de revelação levou a que Abyss regressasse à TNA a tempo-inteiro, mas claramente a precisar de orientação. Magnus sagrou-se World Heavyweight Champion graças à ajuda de Dixie Carter, Rockstar Spud e EC3, que escolheram o Britânico para ser o campeão.

O titulo foi conquistado em Dezembro no Final Resolution, contra Jeff Hardy. Esta caminhada para o titulo começou a 21 de Novembro, quando Dixie Carter decidiu realizar um torneio para determinar um novo campeão, depois de AJ Styles decidir não renovar com a TNA e ter abandonado a organização segurando ainda o titulo. Magnus viria a vencer o torneio e a ter o seu title shot. No entanto o reinado de Magnus não impressionou Dixie e alguns resultados menos conseguidos, em especial no Impact Wrestling em Março quando foi agendado um tag-team match entre EC3 e Magnus contra Kurt Angle e Samoa Joe. Se Magnus e EC3 vencessem o combate forçariam os seus adversários a abandonar a TNA, mas se Joe e Angle ganhassem o combate, quem conseguisse o pin ou a submissão iria receber o title shot. Magnus perdia esse combate e também a confiança de Dixie que assegurou que ninguém o iria ajudar contra Joe. No PPV Lockdown, Magnus recrutou o seu próprio ajudante e durante o main-event, Abyss atacou Joe e custou-lhe a vitória. Eric Young tentou que Abyss entende-se o seu erro e essa ajuda colocou Eric Young no caminho de Magnus, mesmo sem essa intenção. A 10 de Abril Eric Young teve a sua oportunidade para brilhar, para viver o seu sonho, e ele ganhou o Titulo Mundial contra Magnus. O Sacrifice será palco do rematch, que no entanto não deverá trazer mudanças neste titulo.

Video da Semana

Before the Bell – Sacrifice

Não quero encerrar esta edição do Impacto! sem deixar uma breve mensagem ao Roberto Barros, uma pessoa muito dedicada e um tremendo conhecedor de wrestling. Por razões obviamente compreensiveis, o Roberto não conseguirá dar continuidade ao Wrestling For All. Como tive oportunidade de lhe escrever: “é uma perda enorme pois para mim o Wrestling for All é dos espaços que mais ajuda a diferenciar o WPT de tudo o resto, não só pelo foco que dás ao circuito independente, como muito especialmente ao wrestling feminino. Apesar de não comentar todas as semanas, habituei-me a nunca deixar de ler uma edição e como já o disse várias vezes provaste que o wrestling pode mesmo ser para todos e que há espaço para todos”. Vou sentir muita falta de ler aquilo que é resultado de uma enorme dedicação da parte do Roberto. Hoje sinto que deveria ter contribuido mais, comentado mais, pois o Wrestling For All é um espaço único e com o qual muito me identifico, pela capacidade de resistência e entrega que só quem escreve para as minorais sabe o quanto é difícil. O Wrestling For All tem esse mérito, de existir fora de uma indústria inteiramente focada numa só organização e numa só divisão – a masculina. O Wrestling For All mostra que há espaço para quem também quer ver, pensar e debater wrestling fora desse universo, sem preconceitos, sem comparações desnecessárias. Tal como o seu autor, o Wrestling For All é um espaço humilde, mas muito inteligente, que vou sentir imenso a sua falta dentro deste pequeno mundo que é o Wrestling.pt. Como também escrevi Roberto, desejo-te as maiores felicidades e que seja apenas um até já e nunca um adeus. E fica este meu convite que se alguma vez quiseres matar saudades de escrever, tens a porta do Impacto! aberta, porque mostraste que ser para todos é mais que ser mais do mesmo.

Até ao próximo Impacto!

Sobre o Autor

- Colaborador do Wrestling.PT para os conteúdos da Total Nonstop Action!

16 Comentários

  1. GonRodri - há 3 anos

    Excelente artigo Mário !!

    E os meus sentimentos pela perda da tua avo ;)

  2. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Jorge como sempre boa antevisão e opinião.

    Focando-me no Main Event, e quando começaste a escrever o percurso de E.Y, fiquei a pensar que ninguém(quase certo) previa este fim!

    Excelente Homenagem ao Roberto, uma perda para o site(tenho esperanças que volte).O que apreendi com ele!!!!

    Jorge vou fazer os possíveis para ver o PPV na vossa companhia, pois estou a precisar de um boost para não me desligar da TNA!

    Faço-te uma pergunta: Ficarias chocado se E.Y perdesse o titulo? Pois prevês que não haja mudança.

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      No Video tirei as minhas duvidas.O Magnus é um Heel! por natureza…na minha opinião

      • O Magnus é um heel sem dúvida, mas ninguém resiste sem credibilidade. Um reinado de “paper champion” era algo que só poderia acontecer neste momento a alguém como o EC3.

    • André também irei tentar assistir ao PPV ao vivo, apesar de nos últimos meses ser muito complicado para mim abdicar das horas de sono que já são muito poucas. Ainda assim, dizem que quem corre por gosto não cansa por isso…

      Eu não prevejo que o Eric Young perca o titulo, até porque se olharmos para as últimas noticias, a TNA quer credibilizá-lo e continuar a dar-lhe destaque com vista à cross-promotion entre a TNA e o Animal Planet. O que também prevejo é que esse combate não termine de forma limpa. Com tantas pontas soltas e tão pouca construção é quase certo que teremos um combate cheio de interferências, desde Abyss ao Samoa Joe ou a qualquer capanga enviado pela Dixie Carter ou um qualquer herói eleito pelo MVP para ajudar o EY. Tenho a convicção que o final do combate vai ser caótico (o que não quer dizer que seja necessariamente mau). Independentemente de tudo isto, estaremos no final a ver a celebração Forever Young.

      Se me choca o EY perder o titulo…não. Não estou à espera, mas não me choca pois como já tive oportunidade de escrever, se fiquei feliz pelo homem, pela pessoa e pelo trabalhador EY que sempre deu tudo à TNA, não me pareceu que houvesse qualquer justificação para o Eric Young ganhar este titulo. A TNA precisa o quanto antes de ter um campeão à altura do titulo e esse não foi Magnus, nem me parece que será EY.

      • MR Perfection André Santos - há 3 anos

        Pois…Agora que falas no final do combate, tem a sua lógica… e como te compreendo em relação ao sono…

  3. Paulo Vinicius - há 3 anos

    Artigo fantástico para dar aquele aquecimento ao Sacrifice. Ultimamente a qualidade das storylines e dos shows da TNA tem melhorado muito. O card do Sacrifice pode até não ser tão bom quanto o do Lockdown que foi épico, mas eu estou interessado em ver todos os combates por causa de uma boa história contada. É raro a gente se interessar tanto por um card mediano.

    Mesmo o combate do Willow é interessante porque eu quero ver aonde vai dar a história dessas duas surpresas agradáveis que são EC3 e Rockstar Spud. O Willow só vai ser um personagem credível se ele for um tweener meio wild card. Até lá, essa coisa de face agressivo não combina com o Hardy (combina com o Bully… não com o Hardy).

    Quanto ao combate de Divas, como é bom ver as Knockouts em ação. Mesmo a Madison sendo uma wrestler mediana, ela consegue ser dezenas de vezes melhor que uma Alicia Fox ou uma Aksana. A Madison em seus piores dias arrebenta com qualquer das Bellas. Me agrada ver Angelina de volta e pensar: ” que porreira de canadense essa mulher é “. Torço para que apareçam mais algumas lutadoras para deixar essa divisão de bom tamanho (10 ou 12 já seria a glória). Voltando ao combate, me agrada ver as Beautiful People de volta, “espancando pessoas feias”. Ótima stable para dar um gás na divisão que vivia da Gail por um bom tempo. Nem só de Gail Kim e suas fabulosas lutas vive a TNA. Velvel e Angelina estão novamente com mto hype e devem vencer no domingo. E a Killer Queen deve continuar numa feud com as duas por algum tempo.

    Como falar do Bully?? Lutador sempre interessante, heel ou face. Que promos… Pôr Bully e Roode em um mesmo combate é sinônimo de combate clássico. Em uma Tables Match então. Falta só botar fogo na mesa para ser ainda mais porreiro.

    Ninguém merece mais esse TNA title do que o Young. O que fizeram com ele nos anos interiores foi enterrar um wrestler técnico e contagiante. Eu vi o Young segurar combates com o cepo do Nash a alguns anos atrás que me fizeram acreditar nele como campeão. Coisa que não aconteceu. Me agradaria ver o Samoa Joe ganhar o título, mas ele merece algo grandioso. Joe merece um título em um Bound for Glory, com algo preparado para ele. Enquanto durar esta Summer season que normalmente é fraca, deixem o Eric Young em paz, ponham-no em bons combates, credibilizem o homem que aí sai ouro puro. Espero a retenção do título e um bom reinado. E que venham as Bound for Glory Series.

  4. Paulo concordo plenamente com a forma como avaliaste o potencial do Eric Young. Ele é um excelente trabalhador, esforçado e com um moveset muito subvalorizado. Aliás, não é pela falta de qualidade que ele não merecia o titulo, mas o contexto e o timing é que não são valorizam algo que é justo para o homem.

  5. AwesomeTheMiz - há 3 anos

    Mais um belo Impacto! Grande opinião e antevisão.

    Sanada vence, tenho certeza de quase 100% disto. Eu pensei na Handicap em que Willow ganhou, mas ainda acredito que Ethan Carter III e Rockstar Spud conseguem vencer, algo improvável me diz. Gunner vence Storm, provando ser mais forte e forçá-lo a dizer “I Quit”. Apesar da especialidade de Bully Ray, ainda tenho o palpite da vitória de Bobby Roode, assim ainda discordo um pouco também da derrota de Shaw, acho que ele vence. No título das Knockouts e no TNA World Heavyweight Championship também não acredito em mudanças.

    Enfim, não é por sermos diferentes que o artigo está mau, muito pelo contrário. Nossas diferenças só mostra que o pay-per-view estará bom, imprevisível e são previsões, tudo pode acontecer!

    Assim como tive comentado no Beyond the Mat desta semana, palpites finais (que podem mudar ao Impact de hoje):
    – Samuel Shaw
    – Ethan Carter III & Rockstar Spud
    – Gunner
    – Madison Rayne
    – Bobby Roode
    – Eric Young

    • De facto temos “apostas” diferentes e é como referiste, só mostra que há alguma imprevisibilidade. Vejo que colocas as tuas apostas nos heels e se vires acabo por considerar o Sacrifice um PPV dominado pelos faces. A minha previsão baseia-se muito no encerrar das histórias, em que me parece que talvez com a exepção da divisão feminina e da X division (onde não há um heel e um face) teremos muitos capitulos a terminar. Talvez seja uma previsão algo precoce, dado que a TNA poderá prolongar algumas destas feuds até ao Slammiversary em Junho, mas eu vejo com bons olhos se no Domingo o Gunner tiver a sua vingança, se o Anderson conseguir finalmente uma vitória sobre o Shaw que faça ambos avançar na história, que o Willow e o Kurt tenham as suas vitórias e finalmente definam um objectivo mais claro (sobretudo o Willow) e que o Bully Ray se confirme como Master of Tables e que possa abrir espaço para Roode atacat o World Heavyweight Championship ou regressar com James Storm à Tag-team division.

  6. Roberto Barros - há 3 anos

    ótima antevisão Jorge, muito bem escrito e sem ser tornar chato, eu agradeço pela homenagem, sabe que lhe considero muito. ainda tenho algumas semanas, preciso me despedir deixando um número redondo de artigos.

  7. danielLP21 - há 3 anos

    Excelente artigo Jorge. Concordo com as tuas apostas.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador