Opinião Feminina #231 – Getting over without permission

O sucesso que a recente rivalidade de Damien Sandow e The Miz teve foi maior do que aquele que se esperava. Ou se poderia esperar de uma rivalidade de midcard que nunca foi bem executada, promovida e protegida por parte da companhia.

A ideia de ter um lutador de midcard a imitar a gimmick de outro lutador não é nova. Não só era algo que Damien Sandow tinha passado meses a fazer, antes de ser contratado por The Miz para ser seu duplo, como é algo que vários outros lutadores fizeram ao longo dos anos como, por exemplo, Charlie Haas e Big Show.

Normalmente, o objectivo destas personagens é criar alguns momentos de comédia, dar a alguns lutadores algo para fazer e ter mais alguns nomes para serem arrasados por outras estrelas. Aquando a sua concepção, o objectivo nunca foi ter uma nova estrela cujas reacções ofuscassem as reacções que os lutadores de main-event têm.

A execução de Damien Mizdow reflectiu isso mesmo.

Não fazia muito sentido ter The Miz, o vilão, a lutar combates inteiros sozinho contra outras duas pessoas, sem usufruir do uso do seu duplo. Ou The Miz era um babyface que insistia em lutar sozinho, enquanto o seu duplo se continuava a meter no seu caminho – o que não resultaria, porque The Miz é um vilão natural – ou The Miz era vilão que se apropriava dos feitos e glória do seu duplo.

O que a WWE apresentou apenas funcionou porque é demasiado fácil para os fãs odiarem The Miz. Este tem aquela qualidade que irrita todos à sua volta. Não só isso, como este é demasiado bom a ser irritante e egomaníaco.

Além disso, os momentos em que The Miz roubava a vitória nos poucos momentos em que Mizdow lutava e fingia que iria fazer a tag, para depois negar esse momento aos fãs, apenas davam aos fãs ainda mais razões para o vaiarem.

Estes não eram os únicos problemas. A forma como outros vilões, nomeadamente Triple H, desvalorizavam a função de The Miz, como sendo algo que existia apenas para fazer algumas pessoas rir, impedia que esta dupla fosse levada a sério.

Os fãs já têm dificuldade em levar The Miz a sério, depois da forma como este foi tratado depois da Wrestlemania 27. Os fãs já têm dificuldades em levar personagens como Mizdow a sério, porque existe todo um histórico de personalidades do género que foram criadas sem qualquer intenção de originar uma história minimamente séria e interessante.

Quando outro vilão com mais poder reforça esta mentalidade, num ambiente em que é pouco provável que os fãs o apupem devido à presença de outros veteranos, os resultados não costumam ser positivos.

Como se tudo não bastasse, esta dupla de midcarders foi tratada como quaisquer outros midcarders. Ou seja, vitórias e derrotas eram atribuídas sem lógica ou propósito. A WWE teve oportunidades de ouro para tornar a história mais interessante ao dar a Mizdow umas vitórias, de forma a causar ainda mais a ira de Miz e reforçar que Mizdow era um talento a sério que estava a ser desperdiçado como duplo de The Miz, mas preferiu dar as vitórias a talentos como Sín Cara.

Atenção, o objectivo não era que os fãs olhassem para Mizdow como o talento que estava a ser desperdiçado pela WWE numa rivalidade de midcard. O objectivo era tornar a rivalidade em algo importante, algo em que os fãs se investissem emocionalmente porque estavam a ver um talento superior a The Miz a ser colocado à sua sombra.

Tal como Daniel Bryan e The Miz fizeram em 2010.

A ideia deveria ter sempre sido que o duplo, neste caso Mizdow, era muito melhor que Miz. Infelizmente, tal poucas vezes aconteceu, porque para a WWE, é muito mais importante garantir que 90% do roster se encontra exactamente no mesmo barco.

Resumindo, não haviam quaisquer razões ou motivos para esta história resultar. Não haviam quaisquer motivos para a rivalidade se tornar interessante para os fãs. Não houve qualquer esforço sério em tornar Mizdow num favorito dos fãs.

Todavia, não foi isso que aconteceu. Desde que começou como duplo de The Miz em Agosto até à Wrestlemania, Mizdow tornou-se numa das estrelas mais ovacionadas. Porque, por muito mal executado que tenha sido, Mizdow era naturalmente hilariante.

Seja a imitar tudo o que Miz faz ao lado do ringue, roubando por completo a atenção dos fãs ao que acontece no combate, seja em segmentos de bastidores ou em entrevistas, onde imitava cada maneirismo de The Miz; a verdade é que Mizdow era mesmo engraçado.

Mizdow transformou algo que ninguém esperava que funcionasse, algo que não estava agendado para funcionar, em algo que as pessoas gostavam. Em algo que fazia as pessoas rir, que fazia as pessoas gritar e sentir. Algo que fazia as pessoas investirem-se nele, quando existe mais de uma década de razões para não o fazer.

Mizdow mostrou que um midcarder na WWE pode ser popular. Um midcarder da WWE pode estar envolvido em histórias interessantes.

Mizdow não fez isto sozinho, The Miz desempenhou o seu papel de forma absolutamente brilhante. Aliás, esta rivalidade resultou porque ambos, Miz e Mizdow, tinham uma excelente noção do seu papel e desempenharam-no na perfeição. Eram ambos perfeitos para o que estavam a fazer. Pequenos detalhes como The Miz a usar os Títulos verdadeiros, enquanto Mizdow usava as réplicas, funcionavam tão bem quanto as imitações que Mizdow fazia durante os combates.

Felizmente, os fãs reconheceram isso. A WWE não fez muito para que os fãs vissem Sandow como alguém melhor que Miz, mas mesmo assim estes gritavam “Sandow’s better”. Não fazia muito sentido ter The Miz a lutar todos os combates sozinho, mas mesmo assim os fãs gritavam “We want Sandow”.

No meio de tanta aselhice, a WWE conseguiu colocar os fãs em pulgas para ver Mizdow a virar-se contra The Miz. Através das suas reacções, os fãs recompensaram os dois lutadores pelo seu excelente trabalho.

Infelizmente, foram os únicos a fazê-lo.

Depois de ter começado em Agosto de 2014, Miz e Mizdow estavam prontos para finalmente se separar, para delícia dos fãs, ao mesmo tempo que se provava que Mizdow era melhor que Miz, na Battle Royal em Memória a Andre, The Giant.

Não havia espaço no card para rivalidade atingir o clímax num combate individual, portanto tal como todos os outros midcarders, estes ficaram reduzidos à Battle Royal. E havia uma forma de, mesmo assim, usufruir da situação e transformá-la num bom momento sinónimo de Wrestlemania e que todos os fãs iriam apreciar.

Que melhor forma haveria de capitalizar uma rivalidade de vários meses, de acordo com as circunstâncias?

Nenhuma outra estrela na Battle Royal tinha tanta história que justificasse uma vitória. Nenhuma outra rivalidade incluída na Battle Royal tinha tanta energia pronta para explodir. Era a oportunidade perfeita para reconhecer o trabalho de dois talentos. Era a oportunidade perfeita para criar um momento. Era a oportunidade perfeita para tentar relançar uma estrela de quem os fãs gostam.

Uma oportunidade perfeita… para ser desperdiçada. Mesmo depois de ver como os fãs vibravam com Mizdow, como os fãs reagiam quando parecia que este se iria finalmente libertar, a WWE não conseguiu tomar a decisão certa. Afinal, porque haveria do fazer? Desde o início que esta rivalidade era composta por uma lista de más decisões.

Como já vem sendo costume ao longo dos últimos anos, o nome desta má decisão é Big Show. Quem acompanha os artigos com regularidade, sabe exactamente o que penso da forma como Big Show tem sido usado, portanto consegue inferir tudo o que posso dizer sobre esta decisão.

A meu ver, nada é mais simples do que isto: um Big Show com o troféu e um Big Show sem o troféu são exactamente a mesma coisa. Mizdow a, finalmente, virar-se contra Miz, recusar eliminar-se, apenas para ganhar a Battle Royal e provar que era melhor que o seu patrão era um momento que teria feito a diferença. Toda a diferença do mundo.

E como se tal não bastasse, não só a WWE tratou uma rivalidade de meses que conquistou os fãs como se não fosse nada de especial, como não conseguiu dar-lhes um final apropriado. Já nem era uma questão de ser a Wrestlemania e de criar um momento especial, era simplesmente tentar terminar a rivalidade de forma a que os fãs se sentissem recompensados por todo o investimento que colocaram na mesma.

Mas não, o que aconteceu foi uma série de combates insignificantes na Raw que, todos juntos, nem chegaram à marca dos dez minutos. Oito meses para três combates na Raw que não significaram nada e nem duraram dez minutos. Oito meses de ovações, de interesse, de investimento, de história que, no fim do dia, não significaram nada.

Este é o problema da WWE. Não interessa se os fãs gostam de algo. Não interessa se estão investidos ou não. Se não for aquilo que eles idealizaram, se não for aquilo que a companhia quer que os fãs gostem, então não interessa.

E o mais curioso, é que não importava que fosse assim. O que realmente me incomoda é que nem tentam disfarçar. O que realmente me faz confusão é que sejam de tal forma descarados que não existe forma possível de ignorar o insulto.

É por isto que as crianças que gostam de John Cena são mais felizes. Não é porque John Cena vence sempre, é porque elas não sabem que, na realidade, trabalho árduo nem sempre é recompensado.

Hoje é o Extreme Rules e esta rivalidade nem tem combate agendado, porque a mesma já acabou. The Miz venceu duas vezes, Mizdow venceu apenas uma e a ideia de que este, afinal, não era assim tão melhor que Miz ficou ainda mais reforçada. Os fãs passaram oito meses a apoiar um falhado. A acreditar numa noção que não existia.

Foi mais importante para a WWE acabar com esta rivalidade rapidamente para que Miz fosse filmar um filme que, mais tarde, seria gozado em televisão pela sua qualidade e por ser lançado directamente para DVD. Porque se há algo que a WWE faz melhor do que arrasar com os seus próprios talentos, é arrasar com a WWE Studios, apenas para que Triple H possa suscitar umas gargalhadas.

E o mais engraçado, é que a ideia de Miz vencer e reter os direitos à sua personagem era perfeita. O único pormenor que faltava para Miz não perder a personagem, mas mesmo assim, Sandow provar que era melhor era o troféu da Battle Royal e o respectivo momento da vitória.

Se a WWE fizesse assim tanta questão de não colocar Miz no pay-per-view, então porque não fazer do combate o main-event da Raw? Porque não promover o combate ao longo das três horas como o grande embate de uma dupla que finalmente implodiu? Porque não assegurar os fãs que não se tinham investido em vão?

Trish e Lita viram o seu main-event a ser promovido ao longo das duas horas e é um momento do qual ainda falamos hoje. O mundo não acabou.

Foi por mero acidente da parte da WWE que a rivalidade de Miz e Mizdow teve tanto sucesso, mas foi deliberadamente que a WWE arrasou, mais uma vez, com o investimento dos fãs em Sandow.

Desejo um excelente Extreme Rules a todos, peço a todos que, como normal, apostem na League e, se estiverem interessados, oiçam as previsões que eu e o PM temos para o Extreme Rules no Tretas, dizem eles!. Façam gosto na página no Facebook, pois a nova edição ficará disponível online hoje.

Até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

20 Comentários

  1. Reigns one versus all - há 2 anos

    Excelente artigo,Salgado.
    Concordo com o que escreveste,esta rivalidade podia ter sido mais elevada,e por consequência, mais interessante.
    Eles poderiam ter mais tempo e serem mais promovidos de forma a que pudessemos talvez,mas talvez,uma das melhores rivalidades do ano.
    Mas a WWE não pensa no que o universo WWE quer.

    • Salgado - há 2 anos

      Obrigado :)

      Não digo que tivesse o potencial de ser uma das melhores do ano, mas mesmo assim, os lutadores e os fãs tinham dado tanto de si que a rivalidade merecia, pelo menos, terminar com alguma pompa e circunstância.

  2. Wrestling Life - há 2 anos

    Concordo com tudo o que disseste.

    Esperemos que agora a WWE não desperdice a popularidade do Sandow. Mas isso, aparentemente, é sonhar muito alto.

    Bom Extreme Rules!

    • Salgado - há 2 anos

      A meu ver, já desperdiçou, porque arrasaram com esta reinvenção de Sandow sem pensar nas consequências que isso poderia ter. Acho que agora, Sandow vai voltar à estaca zero, ou seja, onde estava antes de começar a imitar outros lutadores.

  3. Awesome_Mark - há 2 anos

    Não poderia estar mais de acordo contigo.Para mim,desde muito cedo ficou bem claro que para a WWE o angle entre Miz e Mizdow sempre foi um passatempo,que acabou por durar mais tempo do que o que seria suposto porque acidentalmente foi apreciado pelos fãs.O cúmulo,deu-se na Wrestlemania,naquela que aliás deve ter sido a Battle Royal com piores escolhas de sempre(nenhuma promoção aos regressos de Bo Dallas e sobretudo Alex Riley,prestação muito pequena na estreia de Hideo Itami no main roster,e claro,o spotlight ao Big Show ao invés do Mmizdow).Ao contrário de muitos,nunca vi a WWE a marcar um combate no maior de todos os palcos entre estes dois ou sequer fazer algo melhorzinho do que aquilo que aconteceu entre Stardust e Goldust,porque simplesmente está-se a borrifar para estes dois grandes talnetos.E é uma pena,porque ambos,se bem utilizados,têm Main Event escrito na testa ou no mínimo deveriam marcar presença no Up Mid Card.Nos próximos meses,voltarão a alternar vitórias e derrotas e provavelmente não estarão envolvidos em nenhuma rivalidade propriamente dita,sendo que a WWE pouco ou nada deverá estar preocupada com a eventualidade do hype ao Sandow esfumar-se.Aliás,e tendo em conta a estipulação do último dos seus combates,este deverá voltar com a sua personagem inicial brevemente.Vamos a ver o que nos aguarda.

    Em suma,mais um excelento artigo da tua parte e só posso subscrever cada uma das tuas palavras.

    • Salgado - há 2 anos

      Eu também achava isso, mas como a WWE arrastou tanto a rivalidade para que esta culminasse na Wrestlemania, pensei que – se calhar – o objectivo era recompensar os lutadores e os fãs através da Battle Royal. Foram sete/oito meses de história que poderia ter acabado a qualquer momento, mas escolheram a Wrestlemania. Se já tinha chegado até aí, porque não ir um pouco mais longe e criar um momento especial? Mostrar que os fãs não se tinham investido em vão?

      Eu também não acreditava que Miz e Mizdow tivessem um combate individual no evento, simplesmente não haveria tempo com Triple H, Sting, Undertaker e companhia limitada no evento. Mas a questão é que, mesmo assim, mesmo sem um combate individual, o booking da Battle Royal poderia ter disfarçado isso. Enfim, foi uma oportunidade desperdiçada.

      Muito obrigado :)

  4. MicaelDuarte - há 2 anos

    Excelente artigo, Marta.

  5. Tunes9 - há 2 anos

    Excelente artigo como costume, nunca desilude.

    Esta feud foi mais para “encher chouriços” e promover o filme do The Miz e a sua carreira como actor, além de proporcionar uns momentos cómicos aos fãs e divertir um pouco, no entanto a história e o talento do Sandow acabaram por levar os fãs a apoia-lo e estar do lado dele, sem esquecer o The Miz que é um heel incrível, não é dos meus Superstars preferidos e não é o melhor da WWE e há certos aspectos que não o deixam ser Main-Eventer com o booking que a WWE lhe deu após a Wrestlemania 27 a tirar-lhe credibilidade, agora a verdade é que ele parece genuíno e é egocêntrico e irritante por natureza e depois quando se enerva é tão natural e faz as pessoas ficarem ligadas à história e odiá-lo, é um heel com naturalidade e ajuda qualquer face que o enfrentar a ficar “over”.

    Quanto ao Sandow, na Battle Royal o que se pedia era a eliminação do Big Show por parte do The Miz mas com a ajuda do Sandow e depois aí sim o Sandow recusava eliminar-se a si próprio para dar a vitória ao The Miz, revoltava-se e eliminava o The Miz para vencer o combate, no entanto a WWE escolheu o caminho mais simples e básico mas também o pior, enfim.

    Por fim, tenho receio que este “hype” do Sandow vá acabando aos poucos e ele volte a ser insignificante no roster porque o seu talento é enorme e merece muito mais, espero que saia por cima nesta feud e lhe dêem outra decente e credível com um push a condizer.

    Bom trabalho Salgado. :-)

    • Salgado - há 2 anos

      Obrigado :)

      Nem acho que tenha sido tanto para promover o filme, pois eles divertem-se imenso a gozar com os próprios filmes em televisão. Era uma rivalidade para entreter, era uma forma de garantir que existiam mais dois lutadores para outros nomes arrasarem.

      Exacto. O Mizdow não tinha que eliminar o Big Show sozinho. Os dois eliminavam o Big Show e depois sim, o Miz ordenava ao Mizdow para se eliminar e tinha-se o grande momento de tensão.

      Eu acho que vai acabar, pois não faço a mais pequena ideia como é que, com este booking, o apoio dos fãs vai continuar. Especialmente agora que o Miz não está lá para o Sandow imitar ou gozar. Sem Miz, sem uma conclusão decente que validasse tudo o que este fez, não sei como é que Sandow vai manter a popularidade.

      Mais uma vez, obrigado :)

      • Tunes9 - há 2 anos

        Não tens de quê.

        Sim, concordo, acho que foi um pouco de tudo e assim juntaram o útil ao agradável e além de promoverem o filme do The Miz e a carreira deste como actor também entretiveram os fãs e criaram mais dois lutadores para outros nomes arrasarem, subscrevo.

        A WWE só faz o que acha mais indicado e aquilo que quer, o que os fãs querem pouco interessa e o que fazia sentido no desfecho da Battle Royal era isto, no entanto a WWE seguiu o básico e deram a vitória ao Big Show, enfim.

        Por fim, também acho que é isso que vai acontecer e é uma pena, o Sandow merece mais.

        Desejo-te uma excelente semana e até ao próximo artigo. :-)

  6. Diogo7 - há 2 anos

    Excelente artigo. Subscrevo tudo o que foi dito.

  7. danielLP21 - há 2 anos

    Muito bom.

  8. 434 Days - há 2 anos

    Mais um artigo muito pertinente Salgado.

    Sendo um dos fãs que se investiu na história do Mizdow, fiquei muito desiludido com a direcção que isto tomou, pelo que concordo com tudo o que escreveste. Realmente, esta ideia do duplo cresceu muito além do que a WWE planeou e é aqui que esta empresa me confunde. Gostava mesmo de saber que tipo de equipa criativa é tão idiótica ao ponto de não agradar o consumidor. Esta desconexão entre os fãs e a WWE é deveras frustrante e só resulta em animosidade entre os dois lados. Eu pergunto, será tão difícil adaptar-se ás escolhas dos fãs? Será difícil ter decisões lógicas para a storyline? Enfim, a vitória do Big Show foi uma vergonha para qualquer negócio que preze por uma boa clientela. Isto foi nada mais nada menos do que um roubo de um momento que poderia ter sido especial. Enfim de mim é tudo e dou-te os parabéns por mais um excelente artigo.

  9. Cronos HHH - há 2 anos

    BOM ARTIGO,só não entendo pq vc critica tanto o Triple H TUDO VC CULPA ELE POR QUE?

  10. Sorlei Rui Oltramari - há 2 anos

    Excelente artigo, sobre um tema no qual me dei conta alguns dias atrás, Salgado. É simples, os dois fizeram um excelente trabalho. Tudo o que o Miz fazia, como fingir que faria o Tag, andar com os dois belts e o slammy vencido pelo Mizdow, a retirada dos óculos, enfim, tudo foi bem feito. O Mizdow é excelente e com a separação, só tende a aumentar sua popularidade.

    O Miz fez o que os veteranos deveriam fazer, que é elevar os novos talentos, mesmo sem ele próprio ter tido sua oportunidade real (aquele ME de Mania não conta, pois ele foi um fantoche no meio de Cena e Rock). Sou um grande fã do Miz e nessa rivalidade ele subiu muito no meu conceito.

    Quanto ao Mizdow, não há muito o que falar. Ele transborda talento e potencial, só precisando de um empurrão para ter sucesso. O que era para ser somente o término do enterro do Sandow se tranformou em um fenômeno e a WWE se obrigou a dar atenção a ele. Pelo que vi no segmento do Raw, acho que ele voltará com a gimmick de Intelectual Savior Of The Masses ligeiramente modificada, como um face.

  11. #pushambrose The referee - há 2 anos

    Quero ver se minha foto foi :)

  12. ricarcovitotf - há 2 anos

    Ou

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador