Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Opinião Feminina #49 – Sem Vinganças

San Antonio no Texas foi o local escolhido para albergar o PPV da WWE: Vengeance. Quem esperava o regresso de Kane, Undertaker, ou até uma aparição do Heartbreak Kid Shawn Michaels, ficou desiludido. O resto do comum dos mortais, nem tanto.

A escolha do primeiro e segundo combate não penso que tenha surpreendido alguém. Os combates de Tag Team têm feito um excelente trabalho ao abrir PPVs, e além disso não fazia sentido mudança de título, logo nada fora do normal até aqui. Como normal, foi uma bela forma de abrir o PPV, conseguiram puxar pelo público, e nesse sentido a presença de Vickie ao lado do ringue mostrou a sua razão de ser, visto terem existido cânticos “Vickie sucks” durante o combate. Os lutadores conjugaram bem as habilidades de cada um, e mesmo sendo o resultado previsível e mais que sabido, da minha parte, conseguiram-me pôr ansiosa perto do fim. Tinham existido rumores sobre uma possível lesão de Evan Bourne, numa Raw, e se esse foi o caso, ele não me pareceu mal neste combate por isso, ou está bem ou nunca esteve mal. Excelente trabalho, só têm é que continuar assim.

O combate pelo título dos Estados Unidos também só fazia sentido se fosse logo a seguir a este, senão o drama de Ziggler de ter dois combates na mesma noite, não tinha tanto impacto. Fiquei contente por não fazerem deste combate, um “squash”. Passo a explicar porquê. A meu ver, não havia dúvidas de que Ziggler retinha. Contudo, apesar de saber que um “squash” só faria sentido se fosse o Ziggler a vítima (e ele já tinha o combate anterior para usar como desculpa), eu não sabia o quão disposta estava a WWE em apostar/credibilizar Zack Ryder.

Afinal, o que deu sucesso a Ryder e o que está a causar a venda abrupta de merchandise dele, que está a esgotar, foi o facto da WWE não querer apostar nele, daí as minhas dúvidas. Eles ganham mais em não apostar nele, do que o contrário. Os fãs compram merchandise, vêem os vídeos e apoiam-no, não só porque o podem achar engraçado, mas porque ele simboliza algo que a WWE não lhes está a dar, e isso dá-lhes mais vontade de chamar por ele.

Mesmo assim, a WWE acabou por não fazer um “squash” e embora tenha sido curto, não se podia pedir mais devido ao estado de Ziggler. Se dessem mais que isso, então não tinha afectado Ziggler ter tido um combate antes. Tendo tudo isto em consideração, foi um combate razoável para as condições em que foi feito, e Ziggler provou que mesmo sofrendo pins noutras situações, quando importa, é ele que fica por cima. Achei piada ao superkick estilo Shawn Michaels, que deu a vitória. Acho que isto pode ser um sinal de que estão a começar a apostar em Ryder, mas se eles forem inteligentes, não apostam já tudo em Ryder e continuam a brincar com os fãs. É assim que farão dinheiro.

E depois, surpresa das surpresas, combate das divas! Estranhei um pouco pois é normal o combate delas ser entre os combates pelo Título, ou antes do main-event. Mais uma vez, a campeã vem primeiro, mas esqueci-me que mesmo estando a WWE a tentar credibilizar os títulos e os campeões, ainda não se aperceberam que este pequeno pormenor faz sentido.

Vou explicar, a meu ver, a diferença entre Kelly Kelly e Eve. Não, não é só a cor do cabelo. Entre as duas, a que tem mais conhecimentos técnicos é Eve. Eve tem um passado, apesar de ainda activo, de Jiu-Jitsu que acaba por influenciá-la no seu trabalho no ringue. Ora, ela não é um caso perdido, é algo que a meu ver ainda merece ser apostado, mas não já para títulos, muito menos para ser campeã, como já foi. Ela ainda não está a esse nível. Precisa de treinar mais as promos porque o carisma é quase nulo, de escolher uma personagem, porque ela neste momento não é nada. Tanto ela como a Kelly, não tem razões de ser. E precisa de ser mais fluída nos combates. Ela neste combate mostrou melhorias, mas a meu ver ela parece-me ser um pouco robótica. Ela sabe as manobras que tem de fazer, sabe a ordem, e executa-as, não pondo muita emoção no que está a fazer. Em muitos combates que vi dela, ela não me deu a ideia de estar a contar uma história. Sempre a vi a fazer aquilo como uma coreografia.

Ora, dou a mão à palmatória dizendo que considero que ela fez melhorias, mas continuo a achar que não é ainda pessoa para andar a competir por títulos, mas está no bom caminho, ao contrário da amiga.

Pondo tudo isso de parte, este foi o melhor combate de Divas que se viu ultimamente, e foi benéfico Natalya e Kelly serem proibidas de estar ao pé do ringue. Mesmo sabendo que Beth é uma campeã justa, convém mostrá-lo de vez em quando.

E de seguida tivemos Sheamus vs Christian II. Este combate foi uma coisa que não entendi. Deram-lhes menos tempo que no evento passado, o que é ridículo, pois estes dois conseguem fazer brilharetes, se nas condições certas, e podiam muito bem ter sido o combate da noite. Depois, elevaram ainda mais Sheamus com o “Walkout Angle”, logo não precisava de vencer Christian outra vez. Também já sabemos que Vince está nas nuvens com este moço, mas neste caso, Christian precisava de uma vitória. Portanto, porquê voltar a repetir este combate, se o resultado não muda?

Christian incarna, actualmente, uma personagem propícia a críticas por ser, basicamente, um “queixinhas infantil”, mas ele também precisa de ganhar para ainda ter o mínimo de credibilidade possível para sequer ser considerado hipótese para um PPV. Não basta sabermos que Christian é dos melhores, precisam de mostrá-lo também. Sinceramente, não sei qual será o futuro de Christian neste momento. A rivalidade com Sheamus parece continuar, mas não há razão lógica para mais um combate. E envolvido com o título não estará de certeza, pelo menos até 2012.

O combate em si, não foi mau porque eles não conseguem fazer maus combates juntos, mas já vi melhor.

E com isto, meus amigos, passou uma hora. Em 60 minutos exactos, a WWE despachou metade do card. No fim, verão o porquê de eu ter chamado isto à atenção.

E agora, o combate de Tag Team mais esperado. Se no primeiro da noite, assistimos a erros infantis mas normais dentro das personagens incarnadas, estes mostraram como é que se faz. Inteligentes, com estatuto de main-events, fizeram um combate sólido e bem construído. Todos eles. Triple H e Punk mostraram ter posto os seus problemas de lado quando confiaram um no outro e conseguiram trabalhar como equipa, e isso foi bem pensado. Afinal, se Triple H e CM Punk são ambos vítimas desta conspiração, só faz sentido que se unam. Aconteceu aquilo que eu achava mais lógico, que era os Awesome Truth arrecadarem a vitória. Simplesmente, não fazia sentido eles perderem, tal como expliquei na semana passada. Se eu acreditava que Punk e Triple H perdessem? Não, não acreditava. Se eu achava a semana passada, e ainda acho que era a melhor decisão? Sim. E felizmente foi isso que aconteceu.

Kevin Nash teve que dar ar de sua graça, e desta vez parece que é para ficar. Um regresso que de chocante não teve nada, afinal parece que é hábito Nash voltar em quase todos os PPVs. Enfim, posso não concordar, mas dou crédito quando é devido, e Kevin parece estar em melhor forma do que quando apareceu no Summerslam. Mesmo assim, a meu ver não há desculpas lógicas que o metam no ringue, seja qual for a história.

De seguida tivemos um bom combate entre Cody Rhodes e Randy Orton, mas sem o título em jogo. O facto de o título não estar em jogo é algo lamentável a vários níveis. Primeiro, um combate envolvendo um campeão em PPV, tem que ser pelo título, e isso, meus amigos, é pura lógica! Combates destes, temos nós numa Smackdown ou numa Raw. Num PPV tem que ser diferente, tem que ser especial. Como é que querem convencer os fãs a comprar os PPVs se lá metem a mesma coisa que se vê na televisão?

Em segundo lugar, temos um título que está a tentar renascer das cinzas e que no PPV passado apareceu com o visual clássico. E neste PPV, não está em jogo? Ora aqui temos uma bela contradição.

E por fim, ao não por o título em jogo, automaticamente diz aos fãs que quem vai ganhar é Randy Orton e isso não é uma boa imagem que se deva ter do campeão. Percebo que Randy Orton esteja no top de estrelas com mais vendas, e que seja um nome bastante importante que eles gostam de ver ganhar, mas este combate não acrescentou nada. Orton ganhou de forma limpa, descredibilizando o campeão e por consequente, título. O título tem de ser representado em PPVs o máximo de vezes possível. E o facto do campeão perder mesmo quando o título não está em jogo, não ajuda. Randy Orton está de tal forma forte, que mesmo que perdesse, não ficaria descredibilizado. Ele é rápido, metódico e com um ar de louco que lhe permite ser considerado um perigo para todos os outros lutadores, mesmo depois de ter perdido um combate.

Neste combate, era muito mais aceitável ter visto o campeão a ganhar. De qualquer maneira, ambos mostraram que trabalham bem juntos e da próxima, se houver, esqueçam as pessoas que levam os sacos. Estraga um pouco o efeito.

Já o disse noutros artigos e repito, um combate envolvendo pessoas de grande estatura são difíceis. Logo, quando ambas as pessoas têm essas características, ainda mais difícil é. Estes dois continuam a receber nota máxima pelo esforço demonstrado, que não foi só neste combate que se viu. Conseguiram fazer muito bons dez minutos, e o seu esforço foi recompensado.

E o final foi simplesmente excelente e credível. Sim, como é óbvio o que Brock Lesnar e Big Show fizeram em 2003 não foi esquecido, afinal, um ringue a implodir não é algo que aconteça todos os dias, vai ser sempre uma surpresa e algo curioso. Estas condições falaram por si e elevaram este momento sozinho, não ofuscando o que aconteceu à 8 anos atrás, mas aparentemente a WWE quis fazer história ao ter uma coisa destas acontecer em PPV. Talvez para aumentar as vendas. Foi um bom culminar do que eles estavam a fazer e serviu o seu propósito: Henry manter sem ninguém, e repito, ninguém sair descredibilizado. Afinal, depois de algo assim, quem os pode culpar de nao efectuarem o pin?

O mais engraçado, é que isto deixou os fãs ainda mais ansiosos e curiosos para o combate seguinte. Um combate com o ringue naquelas condições era histórico e simplesmente algo que tinha de ser visto! O facto da estipulação ser “Last Man Standing” aliado com um ringue naquele estado, foi a maneira excelente de acabar um PPV.

A cara de apreensão de John Cena e Alberto Del Rio quando iam para o ringue, e ver Cena a perguntar-se sobre como deveria aplicar uma das suas famosas manobras, foi hilariante.É certo que eles passearam muito e não se mantiveram só no ringue, o que foi bem feito, porque eles fizeram um grande trabalho nos bastidores e com o “V”.

Em relação ao resultado, eu admito que tinha medo que Cena ganhasse. Eu sabia que não fazia sentido. Eu acreditava que não fariam isso a Del Rio, outra vez. Mas, o Cena é o Cena, e eu estive receosa ao longo do combate. E depois, temos uma estipulação que assenta que nem uma luva a super-heróis e bem, é o que o Cena é! O momento nos bastidores em que Del Rio pôs várias coisas em cima de Cena e ele se levanta, é prova disso.

Por essa razão, este foi um combate que me conseguiu por ansiosa sempre que começava a contagem. O combate em si, foi muito bom. Quando os combates têm que ter estipulações, a “Last Man Standing” é uma das minhas preferidas para assistir, e eles conseguiram não me desiludir. Ambos se portaram bem, e outro pormenor que adorei neste evento, foi que no fim, na última contagem feita pelo árbitro, os fãs “ajudaram” Del Rio, o heel, a levantar-se. Sempre gostei de ver a interacção entre fãs e lutadores, e esta não foi excepção.

E para aqueles que não entenderam o porquê da intervenção de Miz e R-Truth, pessoalmente, eu concordei. Tal como já disse acima, a WWE construiu uma história que subentende a existência de uma conspiração dentro da WWE. O Laurinaitis pode aparecer as vezes que quiser para castigar o Truth e o Miz, até pode tomar algumas decisões que sejam do agrado do público, mas isso não se deve tornar hábito e deve sim, ser entendido, como uma manobra de distracção. Como é que se entende que existe uma conspiração se tudo corre bem aos bons da fita?

E além disso, tivemos o encontro de Laurinaitis e Del Rio nos bastidores, que apesar de não ter sido revelador, deveria ter alertado para a possível aparição dos Awesome Truth. Devo relembrar também, que Del Rio foi um dos primeiros a apoiar Laurinaitis e a desertar Triple H.

Por falar em Triple H, tal como a Raw seguinte o mostrou, ele e Punk seguiram caminhos diferentes. Correndo o risco de soar repetitiva, reafirmo que para esta conspiração que anda a assolar a WWE se manter credível e, acima de tudo, notória, os bons da fita têm que ser prejudicados, principalmente estes dois. Pelo que tenho lido na Internet, os fãs não estão a entender que existe uma conspiração de facto, por isso eles têm que investir nisso. Não de forma muito intensa, pois devem ser subtis,mas um pouco mais do que agora.

E sinceramente, depois de toda a construção que fizeram, se não houver uma conspiração ou se esta não levar a lado nenhum, então toda esta história, desde que Vince foi dispensado até agora, foi muita bonita, mas sem sentido.

No geral, foi um bom PPV. Não foi nada de extraordinário, e teve as suas surpresas. Mas está a tornar-se cansativo ter um PPV a cada duas semanas, e acho que esse é um dos principais problemas da WWE. Ter um PPV por mês é, a meu ver, perfeito. Não há razão para Outubro ter dois PPV. Não ajuda as histórias, e de certeza que não ajuda nas vendas, principalmente em tempos de crise. A bem ou mal, a WWE há-de entender isso.

Senti também que eles tinham um card demasiado grande para o que tinham planeado. Como é óbvio, eles queriam dar tempo ao combate de Punk/Triple H, ao de Big Show com Henry por causa do ringue, e ao último com Cena e Del Rio, e com essa necessidade de tempo, despacharam numa hora, quatro combates. Um deles com potencial para roubar o evento. Ora, da próxima vez, pensem melhor na forma de organizar as coisas. Porque se é para “despachar”, mais vale não ter de todo.

Uma coisa que é de notar, é que a meu ver, apenas Randy Orton fez Vingança. Cena, Christian, Dolph Ziggler e Swagger (pelas suas derrotas em PPVs anteriores), Big Show, Triple H e CM Punk falharam em obter a Vingança que tanto procuravam. Ou muito me engano, ou daqui a um ano assistiremos outra vez a mudança de nome. As vendas não acredito que sejam ao agrado da WWE, e o nome do PPV simplesmente não fez justiça. Daqui a um ano, veremos.

Para finalizar, e num aparte que nada tem a ver com o tema original mas que tem de ser mencionado, aconselho vivamente todos os fãs de wrestling, a comprarem e verem o novo DVD da WWE “Greatest Rilvaries: Bret Hart vs Shawn Michaels”. Honesto, hipnotizante e simplesmente fantástico. Já vi quase todos os DVDs recentes da WWE, e este é sem dúvida o melhor. Eles focaram-se na carreira e nas vidas de dois dos melhores de sempre, e não só no Montreal Screwjob, por isso quem vai vê-lo unicamente por isso, desengane-se. Eles falam do assunto, esclarecem algumas coisas, mas tal como já foi dito, a carreira de nenhum dos dois deveria ser manchada pelo que aconteceu. A meu ver, este DVD foi um bonito tributo a ambos. E aqui, fica o meu.

Até para a semana!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

23 Comentários

  1. Excelente artigo Salgado, mais um vez ^^

    No geral concordo contigo em tudo e no caso de Christian e Sheamus tenho exactamente a mesma opinião que tu. Para mim esta feud já não tem motivos para continuar, se Sheamus venceu em dois ppv´s seguidos de forma limpa que credibilidade tera Christian para continuar atrás do Sheamus?

    Esta feud para mim perdeu o interesse e se é para continuar a WWE vai ter que me surpreender porque senão nem vale a pena.

    E no caso dos PPV´s concordo que 1 é excelente. 2 é cansativo.

    • Salgado - há 5 anos

      Obrigado Tiago xD

      Por isso é que eu acho que se era para aquilo, nem tinham feito o combate! A primeira hora foi toda a correr, por isso não tinham feito e outros combates tinham-se destacado. SImplesmente não acrescentou nada! Isto faz me lembrar a Beth Phoenix atrás da Kelly. Enfim..

      Mas é que já nos outros anos, Outubro tem sempre dois PPVs, ou quase sempre, e não há razão para isso! 1 por mês (menos em Março) é perfeito, menos cansativo, e as vendas melhoram! Eles hão-de chegar lá, eventualmente, quando deixarem de mudar de nomes..

      • Percebo e concordo e o pior disso é que já não me lembro de ver o Christian vencer um combate em PPV e falo de vencer decentemente e não quando conquistou o título contra Orton.

        Em vês de 2 em Outubro era simples mesmo como dizes acabavam com um e promoviam o que ficasse de maneira que cativasse por exemplo com noticia que saiu, com a vinda da WWE Network o show passava a ser transmitido e podiam por o HIAC em TV-14 por exemplo, claro que nos primeiros tempos não ia ser como antigamente mas se a WWE mostrar que esta empenhada em fazer desse PPV aquilo que ele vale realmente vai começar a ganhar muito com isso.

      • Salgado - há 5 anos

        Podes crer e ele merece! Ele é dos melhores que ali está e toda a gente reconhece isso! Mas mesmo assim, insistem em pô-lo de parte..

        Eu não vou nisso. Para mim, a classificação ou é PG em todos os conteúdos WWE, ou TV-14 em todos, um ser excepção não acho que seja boa ideia… Haver excepções vai aumentar as vendas num e vai diminuir noutros. Tem que haver uniformidade em todo o produto apresentado pela WWE. E ao pores um PPV com classificação especial também estás a descredibilizar os outros. A Wrestlemania, o Summerslam e vá, o Survivor Series (apesar de já ser fraco em vendas de há uns anos para cá), que são 3 dos 4 grandes, como continuavam em PG ficavam com uma desvantagem psicológica. E teoricamente, a Wrestlemania, por ser a Wrestlemania, teria que ser o mais especial de todos., logo estar a pôr um com a classificação TV-14 acaba por ofuscar a wrestlemania a um nível psicológico.

        (Não mencionei o Rumble porque o Rumble vende pelo Rumble Match)

        E depois, qual é a lógica de por o HIAC em TV-14 e não por o Extreme Rules e a Elimination Chamber também?

        Se eles fizerem isso, eu discordo, porque a meu ver o produto tem que ser todo apresentando segundo as mesmas regras, e eles com o PG conseguiram ser gerais, e apresentar um produto extremo quando necessário, sem abusar. Se fores bem a ver, hoje toda a gente dá valor ao Extreme porque é algo condicionado, se for dado livremente, isto deixa de ser wrestling para ser uma festa de sangue. Eu não digo que seja completamente pró PG, mas reconheço que há coisas que a PG trás que a TV-14 não trazia. Ambos tem os seus lados bons e maus, e penso que a WWE tem que trabalhar bem com aquela que escolher. Mas a que escolher, é para TUDO!

      • Claro que se for para alterar é para tudo xD

        Só falei no HIAC porque estava a falar de promover apenas um e a maneira de o começar a promover. A partir dai a WWE só tinha que racicionar um pouco xD.

      • Salgado - há 5 anos

        Ahhh desculpa, pensava que era só alterar aquele em especifico.

        O HIAC tinha mais vendas se não estivesse no meio de outros 2 PPVs, porque os combates que tinha até eram apelativos. Eles que eliminem um PPV e que trabalhem nas histórias que vão culminar na cela, e as vendas melhoram.

      • Falei desse porque falavamos do mês de Outubro e dos dois PPV´s porque de facto ter um TV-14 e o próximo ser PG e o seguinte voltar á TV-14 não era muito lógico, ou melhor não era nada de jeito.

        Porque se tivesse que escolher alguns especificos só para TV-14 não era só o HIAC que escolhia.

      • Salgado - há 5 anos

        Eu não escolhia nenhum, tudo igual!

      • Escolher era uma maneira de dizer.

      • Salgado - há 5 anos

        Se pudesses, mudavas a WWE para TV-14 ou mantinhas?
        Mesmo geral, sem condições ou estipulações para PPV.

      • Para isso tinha que ter uma especie de estudo para ver o porque de eles apostarem na PG, sim um produto mais infantil mas deve ter mais qualquer coisa e só depois decidia.

        Sinceramente eu não sou daqueles que precisa de ver lutadores banhados em sangue para ficar feliz muito pelo contrario mas eu trocava.

        Nem preciso de perguntar e tu? porque sei que vais dar a tua opinião.

      • Salgado - há 5 anos

        Claro que isto teria que ser sempre uma decisão com base nas receitas e marketing, e na ideia que se passa para o exterior, e por aí adiante, ou seja, nunca meros fãs podem dizer que A ou B é melhor.

        Pessoalmente,penso que visto já termos passado pela classificação TV-14, toda a gente sabe o que quer daquela época. Ou seja, se agora disseres que vais ter um PPV com TV-14, toda a genta vai ver com a expectativa de ver sangue por todo o lado e palavrões ao desbarato. Se tal não acontecer, toda a gente fica desiludido e critica a WWE ao dizer que a WWE “estragou” algo.

        Com isto, pretendo dizer que a classificação TV-14 está rotulada, logo eu não acho boa ideia eles voltarem atrás porque eles nunca poderão dar aos fãs o que eles querem que foi o mencionado acima. Eles fornecem o meio-termo. Com a classificação PG, eu acho que só fazem dela infantil se assim o quiserem, e penso que se houve alturas em que as coisas foram assim, foi porque eles abusaram e ainda estavam a aprender a trabalhar com a nova classificação. Porque olha para o Extreme Rules deste ano. Eu gostei e esteve dentro do PG material. Se acho que a PG é melhor que a TV-14? Não sei, isso é subjectivo e cada um tem a sua opinião. Mas neste momento, é mais fácil ser PG. Eles serão muito mais criticados se tentarem agora apresentar algo TV-14.

        E uma coisa que todos os fãs parecem esquecer que me irrita ligeiramente, é que a Attitude Era com a TV-14 resultou pelas personalidades que tinhas, pelos combates que davam. Não é qualquer um que sangra, que acaba por ser um sucesso.

      • Isso em qualquer coisa que mude ou aconteça vai sempre haver um certo numero que nunca vai estar contente com nada do que se faça, enfim.

        E sinceramente não percebo a certa panca que muitos tem, eu preciso de ver sangue -_-“, eu não me acredito em vampiros mas se calhar eles existem =O (-_-“).

        O Ric Flair sempre que combate parece que entrou numa banheira cheia de sangue e não é isso que vai fazer com que os combates de actualmente sejam muito bons, nada disso.

      • Salgado - há 5 anos

        E não é só o sangue, Tiago. Muitas manobras que eles fazem, com vários objectos, por exemplo, os pioneses, não devem ser feitos ao desbarato, mesmo numa classificação TV-14. Há coisas e manobras que devem ser guardadas para certas ocasiões e PPVs, senão não surpreendem ninguém.

        E estamos a esquecer-nos da integridade fisica de quem faz estas coisas. Eu sou muito a favor do tradicional combate um para um, a contar uma história, e a tornar-se num clássico. Se gosto de ver coisas extremas? Se gosto que de vez em quando apareça um bocadinho de sangue? Sim, se bem jogado pode fazer maravilhar numa história e marcar um PPV. Mas ao desbarato, não ajuda ninguém e a longo prazo podia perder os verdadeiros fãs de wrestling.

        Olha vai na volta, existem mesmo xD

        E o mais engraçado é que dos melhores combates do Flair, em praticamente nenhum ele estava a sangrar.

      • Também não gostava que todas os shows andassem a fazer hardcore match ou last man standing matches mas em PPV´s era muito bom e vai estar sempre limitado em certas coisas.

        Claro o bem estar dos lutadores estão acima de tudo que se lixe o sangue se isso prejudicar algum deles.

      • Salgado - há 5 anos

        Por isso é que eu acho que a WWE quando pôs PG foi de 8 a 80 porque ainda estava a ver como podia trabalhar aquilo, e porque Cena ainda era o que vendia mais.. Acho que eles passaram por um período de experimentação e daí estarmos a ver ultimamente coisas que considero inocentes mas que eles já não faziam. Daí agora sempre que alguém diz/faz algo que já não se via à algum tempo, é logo chocante e novo. Significa que lhes foi dado valor, e nisso até acho que foi positivo.

  2. VitorD - há 5 anos

    Beth NÃO é uma campeã justa

  3. Malamadre16 - há 5 anos

    No geral concordo contigo Salgado e apesar de ser um PPV sem vinganças foi na mesma um excelente ppv e provavelmente vinganças viram até ao TLC em dezembro.

  4. Chazz_Princeton - há 5 anos

    Quanto ao DVD que mencionas no final do teu texto… mais alguém reparou que dá para ver a cara do Chris Benoit no discurso de Hall of Fame do Bret Hart?… já é um progresso, penso eu…

    • Salgado - há 5 anos

      Era dificil de cortar tendo em conta que que ele iria fazer um discurso em honra do Eddie. A não ser que lhe metessem uma imagem na cara sempre que aparecesse era impossível de disfarçar.

      • Chazz_Princeton - há 5 anos

        Pois mas o que eu acho é que se o sentimento de “apagar o Benoit” fosse agora tão forte como foi há anos, eles nem tinham posto sequer o discurso do Bret no DVD.

      • Salgado - há 5 anos

        Discordo. Eles não querem apagar o Benoit, simplesmente diminuir as aparições dele sempre que possível. Se conseguirem cortar, excelente. Se não conseguirem, azar. Como este DVD é um tributo a ambos os lutadores, era ridículo não ter lá o discurso do Bret no HOF e sim o do Shawn. Por isso meteram, e bem.

        Se quisessem apagar o Benoit não tinham posto.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador