Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Opinião Feminina #59 – A Batalha contra o Mal

Os Avisos

Se há uma coisa que a WWE faz bem são as vignettes. Os vídeos mostrados semanalmente, na sua maioria, pertubadores, crípticos e que fazem lembrar um filme de terror, resultam na perfeição quando se quer anunciar a chegada de alguém. Até aqueles que temos a certeza dos protagonistas. Este ano tivemos vários exemplos: as vignettes a anunciar o regresso do Undertaker, do Chris Jericho, do Kane e da Kharma. Sín Cara também teve direito a vignettes com sucesso, embora não tivesse sido da mesma natureza que as restantes.

Na primeira vignette o fogo, a arma, o espelho a partir e por fim, a máscara a cair em chamas foram símbolos decisivos e bem escolhidos para o funcionamento da vignette. A aura que transmitiu e as dúvidas que deixou no ar falaram por si, dizendo, sem palavras, que Kane estava de regresso, mas que não seria tudo como dantes.

Todas as outras que se mostraram seguiram pela mesma direcção. Tudo estava bem engendrado e repleto de simbolismo o que aguçava ainda mais a ansiedade de ver este monstro de volta. Principalmente se contarmos com o facto de que estas vignettes anunciavam Kane e também o possível regresso do objecto mais simbólico da sua carreira: a máscara.

Regresso às Origens

O uso da máscara da parte de Kane leva-nos de volta às suas origens, na década de 90. É certo que Kane já se tinha mostrado noutros papéis, mas foi a sua estreia como irmão do Undertaker e com a sua máscara que Kane fez a diferença. Há vários tipos de lutadores mascarados, mas Kane personifica um tipo único que ele reinventou na WWE.

Temos por exemplo Rey Mysterio. Rey já foi desmascarado na WCW, mas na WWE ainda não simplesmente porque faz parte da sua identidade. É o que o torna especial e é importante para os fãs ver o quanto a máscara é importante para ele. Ou seja, para Rey a máscara funciona como algo que preserva a sua característica de face . Mas por exemplo, Hunico era um lutador heel que nunca ninguém teve especial interesse em ver desmascarado.

Contudo, quando o lutador possui uma personagem demoníaca como a de Kane, que são características raras, a curiosidade de ver a cara do filho preferido do Diabo é muito maior do que qualquer um dos outros casos. Aliás, para explicar esta situação basta ver filmes de terror. Todos os grandes vilões que tiveram sucesso usavam máscaras, pois o facto de não dar ao nosso maior medo um rosto, apavora-nos ainda mais. É inconsciente a necessidade que temos de classificar ou reconhecer tudo o que conhecemos. O facto de não conseguirmos ver as expressões faciais de alguém que sabemos que é bom, deixa-nos curiosos. O facto de não conseguirmos em alguém que à partida sabemos que não só é mau, mas também extremamente malévolo deixa-nos em pulgas.

A personagem do Undertaker, e mais tarde a de Kane, nunca teriam tido o sucesso que tiveram se não tivesse sido pelo trabalho de Paul Bearer, os efeitos com as luzes e as músicas. Porém, Kane tinha algo que o Undertaker não tinha, uma máscara que complementava ainda mais a sua personagem.

Consigo compreender a curiosidade em ver Kane ser desmascarado e o porquê dessa situação ser mais urgente numa personagem tão peculiar. Contudo, penso também que muitos fãs irão concordar comigo quando digo que Kane perdeu alguma sua importância e brilho quando se desmascarou. Ver a face de Kane era um daqueles detalhes que mantinha os fãs presos à personagem. Penso que deveriam ter dado aos fãs a sensação que tal pudesse acontecer para que construíssem antecipação à volta disso, mas nunca deixar que chegasse a vias de facto. Simplesmente foi uma manobra que não devia ter acontecido.

A meu ver, Kane consegue construir boas promos se a situação se adequar e for com uma história sólida por trás, a questão é que a credibilidade dele como monstro, filho do diabo e irmão do Undertaker já foi colocada em risco tantas vezes, que simplesmente chega a uma altura em que não funciona mais.

É certo que Kane tem o tamanho suficiente para ser intimidante, mas vê-lo a fazer a dança do Trombone com Santino Marella, por muito hilariante que seja, arrasa com qualquer credibilidade que ele possa ter e esta grande vantagem que Kane possui não faz milagres. O seu trabalho dentro do ringue não é perfeito. O tamanho de Kane pode ser uma grande vantagem na construção de uma personagem, mas no ringue é difícil trabalhar com um lutador de grande envergadura. Contudo, uma coisa que valorizo muito em Kane é o facto dele trabalhar e dar push a quem for preciso da forma que preciso. A credibilidade pode por vezes ser ténue, mas quem o vencer ou tiver uma rivalidade com ele acaba por dar nas vistas.

Sempre vi Kane como um jogador de equipa, um lutador com o qual se pode contar e a quem se de vez em quando dá algumas recompensas pelo facto de estar lá sempre para ajudar. Exemplo disso é o reinado dele em 2010. Ele não precisava e certamente não era o único que podia ter um reinado, mas em parte ele mereceu-o.

O Regresso

Eu vi a edição dos Slammy Awards de 2011 em directo e sinceramente, não estava a manter o interesse em algumas das partes. Muita conversa, parte dela pouco interessante. O que salta mesmo à memória é o regresso de Kane e a fantástica Fatal Four Way que Ziggler, Bryan, Ryder e Rhodes protagonizaram. Ora, pode não ter conseguido ser coeso e estável durante todo o programa, mas no fim conseguiu ir de oito a oitenta na escala de interesse. Tudo isso graças ao regresso de Kane.

No meio de um combate que também não estava a ajudar manter ninguém acordado, viu-se as chamas a erguerem-se e as luzes apagaram-se de seguida. O que veio de seguida foi a confirmação. E naquela altura não houve palavras para descrever a aura e a intensidade que emanava da figura de Kane à medida que ele andava em direcção ao ringue. Ele tinha de facto, ressuscitado.

Uma máscara de couro que lhe cobria a face inteira intensificou a ideia de ser uma cena retirada de um filme de terror o que tornou aquele momento ainda mais hipnotizante. O jogo de luzes usado e a forma como as câmaras foram posicionadas deram a ideia que Kane ainda era mais gigantesco do que realmente é. Logo, ainda mais assustador. Tudo isto para mostrar que quando quer, a WWE sabe fazer regressos em grande estilo.

O problema foi quando as luzes brancas substituíram as vermelhas. A meu ver, estragaram um pouco da magia que tinha sido capturada. Tirou-nos de um momento surreal e obrigou-nos a regressar à realidade. Nesta situação cheguei a pensar que podia ter deixado ficar as luzes diferentes, podendo apenas suavizar um pouco. Colocar logo a luz branca terminou com a aura toda que se tinha construído. Quer dizer, se Sín Cara tinha lutado contra vários adversários com as luzes azuis e amarelas, fazer este ataque com as luzes iniciais, ainda que mais suaves, não era assim tão difícil.

E depois a roupa de Kane. É claro que o regresso de Kane não perde mérito nenhum por causa destes detalhes. Estes detalhes são aqueles que não arruínam um momento, mas tinham o poder do tornar perfeito. Aquela chama típica faz relembrar bons da fita, é muito clara e o fato não conjuga com a personagem. Mas se o pior de um momento é o fato que a estrela usa, então acho que avaliação final tem que ser no mínimo muito boa.

O momento em que Kane começou a tirar a máscara de couro para mostrar a segunda que tinha por baixo foi bastante bem sucedido e com muito suspense. Afinal, essa era uma das grandes questões que as vignettes nos tinha deixado.

É claro que racionalmente Kane não poderia entrar em rivalidade com Mark Henry. Este estava ocupado com Big Show, outro que tinha lesionado, e Daniel Bryan estava frequentemente a aparecer na situação principal. Simplesmente não havia forma de se encaixar lá Kane, apesar de não ser estranho à WWE por os lesionados a lutar contra os que os lesionaram, assim que regressam.

Naquele momento entendi que Kane atacou John Cena simplesmente porque ele estava no sítio errado, à hora errada. Ora eu já devia saber que muito raramente a WWE faz coisas por acaso e Cena tinha que se manter ocupado com algo até à Wrestlemania 28.

Muita gente reclamou e achou que aquele Kane não era o verdadeiro Kane. Penso que isso foi tudo foi o resultado do trabalho todo que se colocou em reconstruir esta personagem, desde as vignettes aos efeitos. E a verdade é que cabelo comprido e o regresso da máscara fez com que Kane parecesse de facto outro. Tal como costumo dizer, neste negócio, percepção é tudo. Até aqui, estava tudo a correr às mil maravilhas.

O Alvo

O discurso de John Cena que conduziu ao segundo ataque pela parte de Kane foi típico e não surpreendeu. O facto de Mark Henry ter aparecido depois não veio acrescentar muito, evidenciando apenas quem é que Kane queria atacar. Com este segmento, Kane encerrou a sua história com Mark Henry, iniciando assim um novo capítulo com John Cena. Este foi o segmento que tirou todas as dúvidas.

Uma das coisas que gostei imenso neste segmento é que John Cena parecia verdadeiramente assustado. Geralmente quando se quer fingir medo as pessoas tendem a cair no exagero e num ambiente como aquele que está a ser criado, qualquer pormenor pode arruinar o ambiente e destruir a aura que tinha sido criada. Algo que a mudança abrupta das luzes fazem, mas eles não reparam.

A ideia de Kane dar a entender que estava a sufocar Cena cumpre o seu propósito. Porque mesmo sabendo que não está a acontecer nada por aí além, a imagem visual do que está a acontecer é forte e cativante. Mantém-nos presos ao que está a acontecer.

Os Motivos

Quando Kane se comprometeu a dizer o porquê das suas acções, fiquei bastante curiosa. E uma das coisas que tenho de apontar pela positiva nesse segmento foi a entrada de John Cena. Quando a sua música soou, eu automaticamente pensei que seria a entrada do costume, com o discurso do costume e que acabaria por ser Cena a controlar o segmento.

Mas não foi assim. O facto das chamas se terem erguido aquando a entrada de Cena marcou uma posição. Mudou a forma habitual de gerir estas situações e mostrando quem é que iria conduzir este segmento. E essa pessoa era Kane porque o papel de John Cena, nesta situação, era puramente simbólico e ele fez bem ao estar quieto e assustado. Desta forma ele deu poder à personagem de Kane, o que é bastante difícil, pois é uma personagem que não existe na realidade. Em todo o lado vemos pessoas descontroladas, pessoas íntegras, rebeldes, convencidos… Contudo, personagens como a de Kane e de Undertaker são difíceis de criar e manter interessantes (embora não impossível) porque são demasiado irreais. A qualquer momento, pode acontecer algo que estraga o efeito de tudo e o facto de estarmos a ver uma “peça de teatro” torna-se mais evidente, perdendo-se assim o efeito. E estas personagens sobrevivem graças a estes efeitos

Por isso é que nestes casos, todos os pormenores, por mais pequenos que pareçam, contam. Permitir que fosse Kane a conduzir o discurso ajudou a manter a aura e o poder desta personagem, assim como o controlo que ela deve exercer sob todas as outras personagens.

Embora bem construído, aquele segmento teve falhas no que toca ao público. Mas isso claro, a WWE não pode controlar. Ao longo do discurso de Kane, até o tópico de conversa se tornar mais claro, o público estava abstraído do que se estava a passar e pouco preocupado. Isto tudo, até começar os cânticos do costume, claro.

Não posso dizer que tenha ficado feliz com a direcção da história e o porquê de tudo isto. Voltámos ao mesmo assunto que trouxe o regresso temporário de Piper: a eterna questão do heel turn de Cena. Embora o fim tenha sido bem construído, pois Cena mostrou possuir dúvidas, e embora Kane tenha sido dominante, a nossa ingenuidade e vontade de acreditar nas coisas só vai até certo ponto.

Esta questão do Cena virar heel e as histórias que se conseguem fazer à volta disso é cansativa e frustrante de ver porque eu não acredito que tal aconteça. Claro que pode haver pessoas que acreditem e então para elas isto resulta. Mas para aqueles que não acreditam, isto perde o seu mistério. Embora ambos tenham um feito um bom trabalho, eu não tinha gostado do segmento de Roddy “Rowdy” Piper, logo ao ver que ia-se repetir a história, não fiquei entusiasmada.

John Cena tem uma personagem vincada e que dá sucesso. As pessoas podem dizer o que quiserem, mas a verdade é que a maioria dos fãs quer John Cena assim. Ele vende assim. Ele tem sucesso assim. Os segmentos com ele na televisão são aqueles que ganham telespectadores e não aqueles que perdem. Logo, eu não acredito que a WWE se arrisque a mudar uma peça tão fundamental do trabalho deles. Simplesmente porque ainda têm motivos para correr esse risco. Quando correr o risco compensar mais do que continuar assim, eles consideram mudá-lo e até podem fazê-lo. Mas até a WWE chegar a essa situação, eu não acredito que tal possa acontecer. Se formos ver a situação do ponto de vista dos negócios, é bastante normal a decisão deles. Aliás, se as novas t-shirts a dizerem “Cena Sucks” forem um sucesso de vendas, podem ter a certeza que ele não faz o heel-turn, porque eles terão que o manter assim para as pessoas o continuarem a odiar.

Ou seja, os fãs que gostam do Cena continuam a dar-lhe sucesso e agora aqueles que não gostam também garantem que ele se mantém assim. A forma como a WWE gere a situação de Cena está preparada para todos os cenários. Os únicos fãs que não são satisfeitos no meio desta história são aqueles que gostam de Cena mas estão cansados. Contudo, no meio da multidão, esses são uma minoria.

O propósito desta história é semear a dúvida e deixar os fãs acreditar que pode ocorrer uma mudança na personagem de John Cena. Ora, como eu não acredito em tal coisa, a história começa por falhar. Contudo, mesmo esperando uma história mais sólida e mais interessante, este segmento não foi mau e teve um grande desempenho por parte de ambos. Lá porque os fãs não acreditam em algo, não quer dizer que o esforço não esteja lá. Cena desempenhou bem o seu papel de pessoa com dúvidas existenciais e Kane, embora a multidão não tenha ajudado, esforçou-se no seu papel e isso é reconhecido.

Olhar para o Abismo

Como esta história já tinha revelado os seus pontos cruciais e agora era só vê-la desenrolar, fiquei desapontada por ver John Cena a abrir a Raw seguinte. Primeiro, porque mais uma vez ele não disse nada de novo. E segundo, porque nessa Raw eu estava mais ansiosa em ver quem era o senhor mistério.

O discurso de John Cena era necessário porque ele tinha mostrado dúvidas no episódio passado, mas não houve novidade nenhuma e isso coloca a história em perigo. Isto está a tornar-se vulgar demais e depressa demais. Se Kane precisa de John Cena para manter a sua faceta, era bom vê-los a adicionar algo mais de interessante à história porque até agora, excepto os efeitos, já vimos isto acontecer.

O fim dessa Raw deixou-me um pouco aborrecida. Primeiro, porque sem dúvida que devia ter sido Jericho a fechar a Raw. Jericho ainda possui muitos mistérios para revelar e o seu críptico regresso teria sido uma forma muito mais chocante de terminar a Raw. Aliás, se tal tivesse acontecido teria sido semelhante à conclusão da Raw de Junho com a promo de CM Punk. Afinal, em nenhuma das situações as pessoas perceberam o que se estava a passar.

Não acredito que a história de Kane e Cena ainda tenha mais alguma revelação chocante e, tal como já disse acima, agora é só ver isto desenrolar e culminar em combates. Os jogos psicológicos usados por Kane são visualmente apelativos e sempre memoráveis, mas para haver suspense é preciso haver algo que não se saiba.

Ver Ryder a ser arrastado para debaixo do ringue não é nada de especial, principalmente se tivermos em conta que a única coisa que há lá em baixo é o Tribunal dos Anões (dica: DX). Contudo, se adicionarmos as luzes, os efeitos e por fim, as chamas, acaba por ficar um segmento engraçado e visuavelmente atraente. O fim foi cliché, pois ver Cena a resgatar Ryder no último momento, mesmo tendo sido atacado antes, foi demasiado típico.

Finalidade

Entre estes dois a única coisa que falta é um confronto. Mas antes disso gostaria de ver Kane em ringue a mostrar a sua dominância. Este monstro ainda não voltou aos ringues desde o seu regresso e isso era algo que o fortalecia, antes do seu confronto com John Cena. Eu não acredito que esta rivalidade dure muito mais tempo. A partir da Elimination Chamber começa a construção da história para Wrestlemania 28, por isso tem que ficar tudo tratado até lá. Ora, Kane e Cena podem-se encontrar no Royal Rumble ou no PPV “Elimination Chamber”. Isso será algo que ficará mais claro nas futuras Raw. Contudo, penso que é difícil escolher um fim correcto para esta história.

Eu não tenho dúvidas que todo este simbolismo que Kane representa é para, pelo menos em parte, fortalecer o novo lema de John Cena. Andam-se a experimentar novas caras na rota do título, mantendo Cena afastado do mesmo. Ora, este precisa de estar ocupado até Rock poder construir a sua rivalidade com ele, por isso Kane foi a solução que se encontrou.

Ora, por isto mesmo é que eu acho que um dos finais prováveis vê Cena a sair por cima. Em relação a Rock e a tudo o que já aconteceu entre eles, Cena está demasiado fraco e pouco credível. Pô-lo a perder ou a ser destruído por um monstro antes do embate de ambos, quando o que esse monstro está a atacar é o seu lema, não só parece-me improvável, como mal pensado. Cena vai ser bastante odiado a caminho da Wrestlemania, frente a The Rock, aquele lema é uma das coisas à qual ele se pode agarrar.

Contudo, esta construção toda que a personagem de Kane sofreu deveria ser para durar e não apenas para ser dedicada a um lutador. Como todos os projectos contínuos, deveria haver uma forma de manter Kane assim, sem perder o ímpeto que recuperou no seu renascimento sem prejudicar John Cena. E acho que a WWE tem de explorar uma forma de terminar esta história sem que nenhum dos dois fique muito danificado. Se este é o renascimento de Kane, então terá que durar até pelo menos ele se reformar de vez. Afinal, não há forma mais poética dele se reformar do que usando a máscara que o ajudou a ter sucesso.

De qualquer forma, embora tenha tomado uma direcção menos interessante, sempre fui fã dos simbolismos e momentos que as personagens de Kane e Undertaker conseguem criar, por isso fico à espera para ver o que Kane irá fazer no futuro.

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

19 Comentários

  1. WWE Universe - há 5 anos

    Bom artigo!

  2. José Sousa - há 5 anos

    Belo Artigo e concordo contigo como já tihna dito semana passada o meu medo é que o Kane seja o caminho para o Cena sair na mesma face e em grande como o super-heroi que resiste a tudo.

    • Chazz_Princeton - há 5 anos

      Eu concordo contigo, tal como a Salgado disse, o ideal seria acabar a história sem nenhum dos dois sair danificado, o que acho difícil.

      O Cena vai lutar contra o The Rock na Wreslemania, e por isso não pode sair por baixo nesta feud, pois se ele vai para o combate entre Eras com pouco ímpeto, vai parecer fragilizado, e a WWE não quer isso. Mas por outro lado, o Kane sofreu agora a sua ressurreição, se ele sai por baixo desta feud, a sua nova credibilidade vai ficar abalada, e penso que isso também não é desejável.

  3. Frederico_WWE - há 5 anos

    Realmente estas de Parabéns tens uma qualidade de escrita e de raciocinio e de percepção das coisas absolutamente brutal!

    Os Avisos:
    As vignettes realmente quando a WWE quer consegue fazer algo em grande e consegue criar – nos enormes expectativas.

    Regresso às origens:
    Kane com máscara é claramente o melhor Kane e o que faz colar verdadeiramente as pessoas ao ecrã e em alguns momentos ficarem sem fôlego e concordo que aquela dança do trombone que Kane fez com Santino fez pensar me (eu que sou um fã incondicional de Kane) que o Kane que me cativou estava doente e o monstro já tinha morrido.
    Daí a minha alegria em ver este actual Kane que faz me lembrar de certa forma o Kane aterrador antes de perder a máscara num combate com Triple H pelo titulo Mundial se não estou em erro se bem que com máscara ele já foi algumas vezes face e protagonizou momentos cómicos em backstage.
    Este Kane mascarado é aquele que é verdadeiramente respeitado pelos fãs!

    O Regresso:
    O regresso de Kane provocaria me se não fosse rapaz uma emoção pouco própria de dizer com a PG xDD se é que me faço entender dado que tinha tanta vontade e desejo de ver este Kane voltar de máscara após aquelas brutais vignettes.
    Este Kane chegou a parecer um novo Kane e como dizes e bem neste negócio, percepção é tudo!

    O Alvo:
    Aquele confronto com Henry bastou para tirar dúvidas e se perceber que Mark Henry já tinha passado há história e o alvo era John Cena.
    Percebo que isto é para Cena se manter ocupado mas esta expectativa toda ha volta de Kane e ele regressa não faz combates e no primeiro que faz contra Cena perde?
    Então que raio de monstro ressuscitado é este? Estão a vender nos gato por lebre? As pessoas vão pensar isso…
    Kane tem que ganhar esta feud mas não concordo contigo quando dizes que Cena ia descridibilizado para a Wrestlemania se perdesse esta feud porque pensa comigo: Que impeto precisa um homem que nos últimos anos conquistou o que conquistou? Se é que me faço entender… e mais Cena se fosse mal (fase negativa) para a Wrestlemania e vencesse The Rock
    ainda tornaria maior o ódio sobre ele não é?
    Ele ganhava a Rock atacava o insultava o no fim do combate dava lhe uma carga de porrada e pronto heel turn consumado xD

    Os motivos:
    Grande promo de Kane a pedir a Cena para abraçar o ódio umas das melhores promos de 2011!
    Adorei ver Cena assustado e Kane a comandar as operações da promo foi bem feito.
    A WWE que arrisque em por Cena a heel quem não arrisca não petisca por algum motivo vejo tanta gente a falar ou a comentar em sites de wrestling ou redes sociais a pedir o turn de Cena para o negócio pode ao inicio não ser bom mas depois pode dar certo até porque o Cena heel provavelmente continuaria a vencer e para a wwe podem arranjar uma estrela ou seja o homem que parasse o Cena heel funcionava como um next big thing creio eu!

    Olhar para o Abismo:
    Não acredito mas espero que a história de Kane e Cena ainda tenha mais alguma revelação chocante e não tenham dúvidas que a WWE está a tentar fazer com que Cena volte a cair nas boas graças pelo menos é o que penso quando vejo Cena ir ajudar um dos favoritos do público que é? Zack Ryder pois nada é por acaso xD

    Finalidade:

    Oxalá Kane volte aos combates para marcar uma posição ainda mais forte neste seu regresso e entendo quando dizes que é para Cena tar entretido até The Rock e que a WWE tem de explorar uma forma de terminar esta história sem que nenhum dos dois fique muito danificado mas para mim eu não quero é que Kane saia danificado porque não merece e porque tem que ganhar! ponto final xD se Kane não ganha é revoltante desculpa mas para mim é tanta expectactiva no monstro e ele perde.
    Oxalá o super herói (Cena) não saia por cima do monstro isto é um final demasiado visto em novelas e contos de fadas e farta me estas coisas.
    É injusto para Kane!
    KANE RULES CENA SUCKS

  4. Anónimo - há 5 anos

    Grande artigo!

  5. Frozzen11 - há 5 anos

    Belo artigo, como sempre.

  6. Malamadre16 - há 5 anos

    excelente artigo!
    Acho excelente o kane ter regressado com mascara pq da outra atitude ao monstro e os segmentos e os efeitos sao excelentes e o trabalho qe tem tido com cena senao der turn é um desperdicio. E obviamente cena vai ficar por cima nesta feud.

  7. - há 5 anos

    bom artigo mas com um pequeno erro.o rey mysterio já foi desmascarado na wwe.na feud que ele teve com o cody rhodes há cerca de 1 ano

    • Salgado - há 5 anos

      Pois foi, mas como não se chegou a ver a cara dele e depois eles até levaram as toalhas para cobrir a face dele, eu não tive em conta essa situação. É certo que foi desmascarado, mas essa situação não pode ser comparada às situações em que a máscara faz parte da estipulação de um combate e se vê de facto a cara dele.

      A máscara é um objecto com muito significado no México e lutadores que lá fizeram lá sucesso vêem perder a máscara como algo muito profundo. No fundo foi isso que tentei explicar quando referi Rey Mysterio lá em cima, porque como os fãs compreendem essa importância não o querem ver desmascarado. E acho que o que a WWE fez com Cody Rhodes foi uma forma de dar credibilidade a Rhodes sem que o acto de desmascarar fosse totalmente oficial. O acto está lá, mas ninguém viu a cara de Mysterio.

      Percebes?

      • - há 5 anos

        sim,eu sei que nao se chegou a ver a cara dele,mas mesmo assim ele tinha ficado sem a máscara.e como tinhas dito que ele na wwe nunca tinha ficado sem a máscara…mas percebi onde querias chegar

    • Zé Pedro - há 5 anos

      Sim , e o Jericho tambem ja o desmascarou , e o Del Rio o ano passado no MITB tambem , mas nunca se vê a cara dele

      • Salgado - há 5 anos

        Sim, o Rey Mysterio teve uma rivalidade com o Jericho em que este ganhava os combates porque tentava tirar a máscara do Mysterio ou chegava até a vias de facto. Uma vez para prevenir isso o Rey até usou duas xD

        Mas lá está, quando comparado com os combates onde a máscara é uma estipulação e com todas as tradições mexicanas, não tem nada a ver nem pode ser posto no mesmo saco, por assim dizer. Porque tanto na do Del Rio, como na do Jericho como na situação do Rhodes foram situações à traição e colocadas para elevar os heels, nunca para chamar atenção ao que é desmascarado, que é o completamente o contrário do que se pretende quando é um combate sério com essa estipulação.

      • Basta lembrar do combate entre Sín Cara vs Sín Cara Negro no Mexico com a estipulação de quem perder tira a mascara.

      • Salgado - há 5 anos

        O único problema que esse combate teve é que para o público americano não teve impacto nenhum, e o público mexicano também desiludiu, porque segundo li, a WWE esperava mais. Mas lá está, não construiram as personagens decentemente e as pessoas não conseguem sentir nada por elas.

      • O público Mexicano que vi nesse evento nem parece aquele que normalmente se ve na CMLL ou AAA.

      • Salgado - há 5 anos

        Lá está, não basta ter um bom público, se não houver personagens interessantes não há ninguém interessado nelas.

  8. Se á coisa que a WWE sabe fazer bem são vignettes e normalmente quando quer fazer grandes regressos ou grandes debuts são ainda melhor e no caso do Kane não foi excepção excelentes vignettes a promover o seu regresso e a mascara a queimar foi sinal de algo cativante.

    O Masked Kane foi das melhores personagens que Kane interpretou e nesse papel sempre mostrou bem o monstro que foi no passado quando a interpretou. Acho excelente ele ter regressado com a mascara e no geral o WWE Universe adorou mas uma coisa que tem que te em atenção que apesar de regressar mascarado não sera o mesmo Kane que vimos na Atitude ERA e isso vai acabar por desiludir muita gente que não percebe o sentido de evolução.

    Os Slammys a diferença de uma Raw normal foi que estavam a entregar premios e sem dúvida que como é normal nestes casos havia partes desinteressante e o ME prometia apenas ser mais um ME mas quando as chamas apaceram, fiquei WOOW então quando surge Kane com a mascara foi incrivel. A dúvida que fiquei naquela altura foi quem Kane ia atacar porque regressar mascarado e com as vignettes que vimos indicava que era heel e apesar de Mark Henry ter afastado dos ringues e estar la no seu regresso o lógico era a vingança mas não estava a ver a WWE aposta numa feud heel vs heel até porque Henry estava bastante ocupado mas quando atacou Cena ficou mais que visto o que ia acontecer.

    O Alvo foi John Cena e percebe-se porque nada melhor que regressar mascarado e ter uma feud com o maior face da empresa. Os ataques do Kane tem sido excelente e cativam e o Cena tem vendido muito bem os ataques que sofreu.

    Os motivos do John Cena ser o alvo são excelentes e isso podia ajudar muito bem Cena a sofrer o heel turn mas o desperdicio esta aqui apesar de Kane estar excelente a tentar levar John Cena para o dark size é capaz de ser uma perda de tempo se no fim ele não sofre o turn. Mas mesmo que não sofra o turn e ele fique pensativo com aquilo e sofra o turn após combate com The Rock na WM tudo bem mas senão acontecer vai ser triste.

    Eu tenho gostado dos segmentos do Kane com John Cena e aquilo de tentar puxar Zack Ryder para debaixo do ringue tambem gostei apesar de saber que Cena não ia deixar que isso acontecesse acho que isso para a personagem que Kane protagoniza é lógico desde que não comecem abusar disso e façam demasiadas vezes.

    Aquilo 6 Man Tag Team Match estava mais que visto que Kane não ia participar até porque pela personagem que tem não o estava a fazer tag com ninguem pelo menos até um confronto contra o seu principal alvo. Ambos devem-se enfrentar no Royal Rumble e John Cena vai ficar por cima nesta feud mas espero que ao ficar por cima não descredibilize o Kane. Visto que estamos na road to WM o obvio é Cena ficar por cima.

    Parabens pelo excelente artigo.

  9. Flavio Bruniera - há 5 anos

    Graaande artigo!
    Sou sincero em dizer que, quando eles são muito grandes, não me chamam a atenção em lê-lo por inteiro. Leio rapidamente e tiro a ideia principal para comentar.
    Porém, este artigo foi tão bom, que conseguiu me prender a cada palavra! Um dos melhores artigos que já li aqui no PTW desde que acessei pela primeira vez!

    Concordo com tudo o que foi dito aqui, e só coloco um pontinho de “concordância em partes” quando dizes que tudo de “sobrenatural” que se coloca pra ele não chama tanto a atenção. Como o artigo é uma opinião, entendo ser diferente da minha.
    No seu retorno, e no dia em que ele falou pela primeira vez, confesso que, apesar de saber o que é a WWE, como um bom filme de terror, conseguiu me fazer um certo gelo subir pela espinha!
    Lembro demais de uma imagem de um garotinho, na plateia, atônito, sem saber se acreditava, chorava, recorria ao colo da mãe… uma cena que realmente me marcou naquele segmento.

    Bem, mas reitero minha opinião de que foi um belíssimo artigo. Redação e opinião perfeitos, como uma ótima jornalista de wrestling tem que ser!

    Parabéns!

  10. Master of Chaos - há 5 anos

    Ótimo artigo.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador