Pensamentos #108 – Global Force Wrestling

A Global Force Wrestling é uma companhia de wrestling Norte Americana, fundada em 2014 por Jeff Jarrett. A companhia tem uma parceria estratégica com a 25/7 Productions e com David Broome. Neste momento, a companhia tem parcerias com a AAA do México e com a IGF e NJPW do Japão.

Esta é, para já, a descrição completa do novo projecto do criador da TNA, Jeff Jarrett. Aos 46 anos, Jeff abandonou uma das suas criações mais bem sucedidas e decidiu dar um pontapé no cu daqueles que lhe apontavam sucessivamente o dedo por este não possuir controlo na companhia. Jeff anunciou que iria criar uma nova empresa e assim o fez. A Global Force Wrestling é (mais) um projecto saido da cabeça de Jeff e que já conta com apoios de peso. Mas esta empresa não vai nada de novo. Não vai ser nada a que já não estejamos habituados, tirando o facto de ser um candidato de peso a destronar a TNA como segunda empresa a nivel mundial.

Se fosse para ser mais uma, no vasto leque de empresas de wrestling pelos Estados Unidos fora, Jeff não queimaria dinheiro e pestanas nela. Se Jeff decidiu avançar para a crianção da empresa, é porque tem um plano elaborado para ela e sabe bem o que quer do futuro. Jeff não quer que a GFW comece e acabe sem sucesso e principalmente, sem ter retorno financeiro. É imperial que a empresa seja bem gerida e bem pensada, antes de começarem a fazer shows pelos Estados Unidos fora. E é nisso, a gestão, que Jeff tem de apostar e bem. E é isso que tem feito. Até agora, imensos talentos foram contactados e/ou avaliados por Jeff para poderem fazer parte da GFW, na medida em que nenhum está oficialmente contratado, até porque a GFW não vai ter um plantel fixo assim tão extenso.

Se olharmos bem para o serne da questão, a GFW vai ser uma Super-Indy, uma empresa que terá lutadores contratados e fixados no plantel e como já foi dito, usar lutadores de outras empresas nos seus shows, tornando-se assim numa espécie de ROH. Por muito que nos custe, as comparações com outras empresas vão sempre existir, mas quando se tem uma mente brilhante à frente de uma empresa destas, qualquer empresa se vê em risco de sofrer uma concorrência forte.

Na criação de uma empresa de wrestling, são 5 os factores essenciais para que esta tenha sucesso:

5 – Ter Dinheiro: Deixa esta para a posição menos relevante, mas até é um dos mais importantes. Se uma empresa quer começar e apresentar-se ao público, fazer shows e tudo o que mais existe, tem obrigatoriamente de ter capitais relativamente elevados (isto se não quiserem abrir hoje e fechar amanhã para balanço). Pagar despesas, alugar arenas, pagar aos lutadores, fazer publicidade, etc. Tudo isto tem custos, muitas vezes elevados, mas não deixa de ser algo que Jarrett tenha que se preocupar muito. Como eu disse, a empresa tem já um acordo com a 25/7 Productions e com David Broome (David é o criador do conceito Biggest Loser, aquele programa que o pessoal perde peso). Dinheiro, apesar de ser contido, não aparenta ser problema.

4 – Um (bom) acordo televisivo: Este é um factor que já não é para todos, porque muito poucas empresas novas têm a “sorte” de gerarem interesse por parte de uma cadeia de televisão ou de Internet sequer. Claro que Jeff tem a larga experiência para negociar com cadeias televisivas e o seu sucesso na TNA, onde vendeu o programa a várias televisões ao longo dos anos, falam por si. Não só as televisões confiam no produto que Jeff tem para apresentar, como querem tê-lo na sua grelha. O acordo entre Broome e a GFW contempla um show televisionado, com 52 programas, ou seja, uma vez por semana durante um ano inteiro, todas as semanas. Ora, uma empresa que tem um acordo destes, ainda antes de ter feito um show, é de louvar.

3 – Contratar: Ter um bom plantel e ter bons talentos no show. A nivel de ringue, não há nada mais importante do que isto. Qualquer empresa consegue contratar refugo, lutadores que andam a arrastar-se pelas empresas do fundo da cadeia alimentar, mas nem todas conseguem descobrir novos talentos e usar lutadores consagrados nos seus shows, uns por questões de dinheiro, outros porque as suas empresas são uma anedota. Jeff sabe bem o que quer: Talentos jovens, com potêncial e que tenham já uma carreira conhecida, não só para se certificar que o show tenha wrestling de qualidade, mas também para atrair a atenção dos media.

2 – Publicidade: Se vão criar uma empresa de wrestling, têm de ter alguém ao vosso lado (ou vocês, se conseguirem) que tenha a capacidade para apresentar o produto, não só aos fãs, mas também a outras empresas para potenciais acordos. Se uma empresa tiver uma exposição meditática e ao mesmo tempo, apresentar um bom produto, é meio caminho andado para ter sucesso. Antigamente era muito mais dificil publicitar algo, pois apenas por papel e/ou TV/Rádio poderia ser feito. Hoje em dia, uma coisa chamada internet ajuda e de que maneira a vender um produto para o exterior e até ajuda a melhorar esse mesmo produto. Na Internet, um produto que seja mau, se bem publicitado, é vendido ao público como bom. Jeff saberá com certeza tirar o melhor partido deste ponto, na medida em que conhece muita gente, não só no wrestling, como nos media.

gfwshirt

Que boa… publicidade.

1 – Não querer imitar ninguém: Sempre que surge uma nova empresa no panorama do wrestling, as comparações com as empresas mais famosas são impossivelmente inevitáveis. Se usa talentos Indy, é como a ROH. Se usa luzes, pirotecnia e outros que tais, quer ser como a WWE, se contrata talentos à WWE, é igual à TNA. Este é um erro que Jeff não quer (voltar) a cometer. A sua primeira experiêcia não correu assim tão bem a nivel de scouting, pois um gajo que fosse corrido da WWE, era contratação certa da TNA (se bem que isto aconteceu mais no periodo pós-Jeff). Se Jarrett quer que a GFW tenha sucesso, tem de apresentar um produto inovador, único. Tem de se distanciar de todas as outras empresas. Primar pela originalidade. Mesmo que use talentos conhecidos. Tem de ter o seu estilo, os seus fãs. Tem de fazer o que a ECW fez para se colocar no mapa, quando tinha dois gigantes como a WWF e a WCW. Era impossivel uma empresa pequena ser importante, mas a ECW foi e muito, porque tinha um estilo único. Jarrett tem de tirar ilações de tudo isso e implementar um estilo único na GFW.

A dificuldade que uma nova empresa tem para se impor no panorama do wrestling, depende que quanto essa empresa quer mesmo ter sucesso e de quanto está disposto a gastar para se tornar uma referência (uma empresa como a ROH também gasta dinheiro, não duvidem). É como um clube de futebol: Tendo dinheiro, é tudo muito mais fácil. Saber gerir esse dinheiro também é algo decisivo, porque podemos ter todo o dinheiro do mundo, mas se for gasto à toa, mais vale estarem quietos. Gastar dinheiro é nos talentos certos, nunca em lixo que não acrescenta nada de novo ao show (sim, estou a falar de ti Vince).

Outra coisa que eu implementaria numa empresa minha seriam cláusulas de pagamento em caso de saida, ou seja, se outra empresa quisesse um lutador que tivesse contrato com a minha empresa, teria de me pagar uma certa verba ou publicitar a minha empresa. Uma espécie de olho por olho, com vantagens para todos. Tem de ser assim que uma empresa tem de ser gerida: Vantagens para todos. E na GFW, isso não vai acontecer, mas espero que Jarrett tenha boas medidas para trazer dinheiro à empresa.

jointheforce

Eu defendo a criação desta empresa, principalmente porque quero ver como a TNA e/ou ROH vão reajir se a GFW começar a ter sucesso. A WWE não está ameaçada, mas as outras duas podem estar, principalmente a TNA. Da mesma maneira que Jeff ergueu a TNA, pode agora com a GFW enterrá-la ou acabar com ela. É dificil, mas não é impossivel, tendo em conta que a TNA atravessa um mau bocado há já alguns anos. Será engraçado ver em que dia os shows da GFW serão transmitidos, principalmente se quiser fazer concorrência a outro show. Sábado seria um bom dia para a GFW apresentar o seu produto, porque não teria concorrência e seria num dia de fim de semana, mais fácil para atrair fãs e espectadores.

GFW pode ser o futuro. Não imediato, mas tem condições para, a médio prazo, cimentar-se na imensa roda de companhias de wrestling de topo. Veremos como Jarrett trabalha e principalmente, com quem trabalha.

E tu? Qual é a tua opinião sobre a GFW?

See you nextweek, here on WPT

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Pensamentos”.

18 Comentários

  1. TheManWhoGravityForgot - há 2 anos

    Excelente artigo. Ainda bem que escreveste sobre a GFW.
    Por acaso ainda não sabia o nome da promoção do Jeff Jarrett.

  2. Igor - há 2 anos

    Esperamos que seja melhor do que a TNA, nao querendo dizer que ela ruim, mas sim que quanto melhor os produtos melhores a competitividade.

  3. Muita gente incluindo neste artigo vê a GFW como “ameaça” a qualquer coisa. Enquanto alguém que gosta de wrestling não podia estar mais entuasiasmado com o nascimento de uma nova organização, que poderá significar mais postos de trabalho para os atletas que fazem desta modalidade o seu ganha-pão e significa também mais concorrência. Precisamente a concorrência é fundamental para obrigar toda a gente a melhorar e a inovar.

    Espero que a GFW venha a concretizar-se, mas para já a GFW simplesmente não existe e essa é a realidade. Aliás, se hoje eu viesse aqui defender uma teoria da conspiração sobre o ainda investidor-minoritário da TNA Jeff Jarrett ter criado uma marca que vai ficar sob a alçada da TNA como segundo show, reunindo nomes do passado da TNA como AJ Styles, Daniels, Chris Sabin, Alex Shelley, Jay Lethal, Amazing Red ou tantos outros, a verdade é que ninguém me conseguiria desmentir, pois a dura realidade dos factos é que a GFW hoje ainda não tem corpo, forma ou conteúdo. Pouco ou nada se sabe e o que se sabe não chega para dizer o que é. Como tal, cá estarei para analisar a GFW quando realmente for alguma coisa.

    Sobre o artigo, alguns apontamentos. O David Broome não entrou neste projeto como investidor mas sim como produtor executivo. Jarrett não revelou quem são os investidores, mas ainda recentemente o Wrestling Observer (do Sr. Meltzer) voltou a lançar o nome de Toby Keith como parte de um grupo financeiro que poderá estar a apoiar Jarrett.

    Saliento que vai ser muito dificil ao Jarrett obter qualquer acordo televisivo nesta altura em que as cadeias de televisão não querem tocar em nada que tenha a haver com esta indústria. Basta ver as dificuldades que a TNA está a ter a renovar com a Spike TV e mais grave que isso a incapacidade da WWE vender os seus shows secundários seja a quem for. Aliás, penso que saiu uma noticia recentemente sobre o Raw ter sido negociado muito abaixo do valor esperado pela WWE. Ora se a organização que domina o monopólio do wrestling não se consegue vender, imagine-se como será a vida dos restantes?

    Penso que ao analisar o que poderá ser a GFW é importante não esquecer que o JJ criou a TNA, mas que em poucos meses esteve prestes a fechar portas. Não fosse o resgate financeiro da Panda Energy e a TNA teria morrido em poucos meses sob o comando de JJ. Também é importante recordar que um dos calcanhares de aquiles da TNA é a incapacidade de construir a sua marca e promover os seus shows e o JJ esteve na TNA até o presente ano.

    Faço estas ressalvas porque o curriculo de JJ não é imaculado apesar de merecer todo o crédito de arriscar criar algo novo, mesmo não tendo mercado para tal. Espero que ele aprenda com o passado e como disse no início espero que a GFW venha a ser qualquer coisa que possa dar emprego a mais algumas pessoas. Cá estarei para assistir.

  4. PedroSWWE - há 2 anos

    Esta Global Force Wrestling pode vir mesmo a surpreender, com esses excelentes parceiros que tem, com um homem que sabe como criar uma empresa (Jeff Jarrett), acho que esta empresa daqui a uns anos pode mesmo estar na posição de segunda maior empresa de Wrestling do Mundo. E quem sabe, se não fará algum tipo de pressão à WWE, porque cada vez mais a WWE tem menos pessoas interessadas no seu produto, tanto por ser “Boring” como por ser PG e mais ligado a crianças.

  5. Hildo - há 2 anos

    Excelente artigo, Penso que sempre é bom ter uma ”’concorrência” há mais, pois com o eventual sucesso da GFW, a TNA teria que melhorar seu produto, assim como a ROH…
    Eu espero muito que dê certo, tentarei acompanhar os shows assim que possível.

  6. ygor - há 2 anos

    excelente artigo,tomara que essa empresa cresça para eu ver tna e roh começarem a melhorar mais e criar uma competição entre elas para elas começarem mostrar mais qualidade no seus shows.

  7. AFFALLOU - há 2 anos

    vou esperar pra ver e falar , ja q ñ sou grande fã da tna, espero q a gfw supere-a em qualidade

  8. Leonardo Trevisane - há 2 anos

    Fico feliz com a criação da GFW, mas acredito que nunca será uma ameaça para a WWE, pra TNA talvez, pois a WWE é impressionante, a empresa vai mal, os shows não trazem interesses, mas ai chega no Road to WM, e as pessoas esquecem,e a WWE continuar a lucrar, mas acredito com a chegada de novos superstars no main roster como Dean,Seth,Roman,Bray,Cesaro, o produto pode até trazer atenção.

  9. JoaoTnafanLuis - há 2 anos

    Quem sabe a GFW nao faz outra Monday Night Wars com a WWE e depois a TNA e ROH se juntem também á guerra com os seus shows e teremos 4 belas empresas com bom wrestling e boas Storylines.
    Vamos esperar para ver o que é que vai sair daqui, e já agora espero que a GFW e ROH deem na BTV(Benfica Tv) ou na Sic Radical.

  10. joaomorgado - há 2 anos

    Mano, a TNA nem sequer é a 2ª maior empresa do mundo em Wrestling e quem disser isso só se está a enganar, muitas companhias do Mexico ou mesmo do Japão são maiores que a TNA.

  11. danielLP21 - há 2 anos

    Quase impossível. “Ninguém” conhece a ROH em Portugal. 96% das pessoas que ouvem falar de Wrestling sem serem fãs da modalidade acham que só existe a WWE e os outros 4% sabem da existência da TNA… Podes esperar sentado lol

    • Mas apesar de ser impossivel, não me importava nada de ver uma espécie de sinergia entre a TNA, a ROH e eventualmente outras promoções indy. Claro que sou eu a falar como fã e não como “business man”.

      • danielLP21 - há 2 anos

        Sem dúvida. Era fantástico se voltássemos a ter 3/4 grandes empresas, como aconteceu nos anos 90. Mas isso é uma utopia…

  12. Mister - há 2 anos

    Ele já tem grandes parceiros, acho que deve fazer uma parceria com a Shimmer para ter plantel feminino, no mínimo mais umas empresas pequenas devem entrar de Porto Rico e da índia onde ele já fez negócios. Minha dúvida é se ele pensa sobre a ROH como inimigo ou possível parceiro.Se for visão como parceiro e fazer uma parceria que eu acho difícil, pode ser a segunda maior empresa tranquilamente.

  13. Alexandre Gramiliki Vieira - há 2 anos

    Espero que seja sucesso e que lancem um game pra gente. Porque os da WWE já me dão nojo…

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador