Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Smoke and Mirrors #110 – British Invasion

Esta semana decidi ser contra-corrente, e por isso mesmo decidi dedicar do Smoke and Mirrors antes do Natal á TNA, porque já não abordava essa mesma empresa á já algumas semanas, e considerei ser pertinente abordar esta temática esta semana, uma vez que este acontecimento modificou totalmente o cenário do Main-Event da TNA, dado que assistimos ao nascimento de uma nova estrela no topo da companhia, finalmente assistimos á ascensão de Magnus.

Por isso mesmo, decidi que nesta edição iria debruçar-me sobre o passado e futuro deste inglês da TNA. Até porque urge analisar aquele que será um dos maiores nomes do wrestling britânico dos próximos anos, porque não tenham dúvidas que Magnus será uma referência da TNA para os próximos anos, e isso fará dele um ícone não só da companhia, mas igualmente no seu país que curiosamente é um dos locais onde a TNA é mais forte.

Desse modo, o que farei é um breve resumo do histórico de Magnus na TNA, seguido de uma análise dos seus pontos fortes enquanto wrestlers, para que vos seja possível fazer uma análise sobre aquilo que poderá é a vossa opinião sobre a carreira do inglês na TNA, e sobre qual poderá ser o seu potencial nos próximos tempos dentro da companhia. Basicamente o que farei é a minha análise sobre as principais consequências de Invasão de Magnus, um processo que demorou cerca de 5 anos de trabalho até que ele chegasse ao topo.

1 – A Historia da Invasão Britânica

O jovem Magnus chegou á América em 2008, para combate na TNA, e ao contrário dos seus amigos britânicos Sheamus, Drew McIntyre, e Wade Barrett(Big Stu) o seu percurso parecia ser mais sinuoso. Sobretudo, porque ia para uma empresa com menos impacto mediático do que a WWE, o que fazia com que o seu futuro pudesse ser menos brilhante para o jovem Magnus que os seus restantes amigos britânicos que tinham vindo para os Estados Unidos á procura do sonho do pro-wrestling.

Esse sonho, começou em Dezembro desse mesmo ano ao estrear-se como o “gladiador” Brutus Magnus com uma streak de três vitórias seguidas face a Shark Boy, Chris Sabin e Eric Young. Porém, esta aposta inicial a nível individual dura muito pouco e em Abril de 2009 junta-se a Rob Terry e Douglas Williams e juntos formam os British Invasion, e juntos têm rivalidades com a Team 3D pelos títulos de Tag Team de IGWP, mas essa foi sempre uma rivalidade que a companhia japonesa reconheceu como oficial o reinado dos britânicos. Porém tornam-se campeões de Tag Team da TNA mais tarde ao baterem os Beer Money, Motor City Machine Guns e Booker T e Scott Steiner num Fatal 4 Way, seguindo-se a isso um belo reinado como campeões que culminou com o fim da Stable com o turn de Rob Terry nos parceiros.

Posto isto, os restantes membros mantêm-se juntos até ao Destination X, PPV onde Magnus deixou cair o Brutus do seu nome, passando-se a chamar-se somente Magnus, porém nesse mesmo PPV perdeu o combate para Rob Terry pelo Global Championship.  Porém, essa data foi importante porque começou o percurso dele enquanto wrestler a solo, ou pelo wrestler com gimmick personalizada. E para isso, em muito tinha ajudado o trabalho e talento que demonstrou enquanto membro dos British Invasion, e mesmo que Terry fosse a aposta mais forte naquele momento, a verdade é que a invasão de Magnus tinha começado, e o seu talento e persistência, seriam os seus maiores aliados durante os três anos que distaram desse momento até á afirmação que atingiu actualmente.

2 – O percurso até ao Topo

O percurso de Magnus até ao topo foi muito árduo, e quase sempre ele acabou por ultrapassar todas as odds, mesmo quando elas pareciam jogar contra ele, o que de facto ocorreu na maioria das situações. De facto, ele é a prova que não basta ter físico e talento para ser bem sucedido, é preciso trabalhar muito até se conseguir ter uma oportunidade de brilhar e criar ligação com os fãs. Sem essa ligação nunca conseguirás nada, porque podes ter o talento todo que quiseres mas se o público não quiser saber do que fazes no ringue, então pode-se tentar impingir um wrestler de todas as formas e feitios que ele nunca irá fazer impacto junto dos fãs.

E Magnus passou um longo calvário até ter a sua verdadeira oportunidade spotlight, porque durante muito tempo foi sempre visto como o homem das alianças, das tags, e por isso passou por tempos difíceis até 2011, quando esteve numa parceria (infelizmente) falhada com Desmond Wolve, parceria que levou a um regresso dos British Invasion mas este foi um regresso que pouco beneficiou a carreira individual de Magnus.

Aliás, o verdadeiro “wake up call” da TNA para com Magnus deu-se no projecto na India onde foi campeão Mundial, a partir daí a TNA começou a olhar para ele com outros olhos, a ver o verdadeiro potencial que Magnus tinha como possível futuro main-eventer da TNA. E por isso mesmo, é que o colocaram ao lado de Samoa Joe, para testar verdadeiramente as capacidades de Magnus enquanto wrestler, e assim Magnus teve naquele momento a sua oportunidade de mostrar que não o futuro lhe pertencia.

E verdade seja dita, ele correspondeu, e a aliança e posterior rivalidade com Samoa Joe mudou completamente o status dele dentro da TNA, porque finalmente pode mostrar as suas verdadeiras capacidades in-ring. Ou seja, sobretudo teve a capacidade de criar uma gimmick com impacto, e partir dela desenvolver um discurso e linguagem que tornaram Magnus único, e a partir daquele momento ele deixou de ser visto como apenas um talento underrated, mas principalmente como o “Futuro da TNA”.

Aliás, no momento em que a TNA o usa enquanto um dos alvos dos Aces and Eights é fácil para todos nós perceber que ela iria começar a ver o Magnus como um projecto de futuro, e se 2011 e 2012 tinham sido o arranque do push, o ano de 2013 iria marcar a verdadeira afirmação do Britânico. Desse modo, ficou provado aos olhos de todos nós que Magnus mais cedo ou mais tarde iria conseguir algo que poucos acreditavam, um europeu iria ser um main-eventer firmado de uma empresa de Wrestling com impacto, e isso é algo que escassos europeus ou mesmo britânicos o conseguiram no passado, e isso foi a primeira grande conquista de Magnus na TNA pelo menos no que diz respeito ao caminho para o main-event.

Sendo que esse caminho acelerou-se com o seu envolvimento com os Aces and Eights, e mesmo que o projecto de reabilitação dos Main Event Mafia não tenha decorrido da melhor forma ele foi benéfico para Magnus. Primeiro porque deu-lhe visibilidade, e consolidou-o como futuro main-eventer aos olhos dos fãs, e isso foi importantíssimo para a sua carreira e para o que viria a acontecer durante o Bound For Glory Series, e sobretudo no Pós-Bound for Glory.

Sendo facilmente perceptível que Magnus acabou por ser o único beneficiado com a reencarnação dos Main Event Mafia, e isso foi visível na forma em como eles o ajudaram durante o BFG Series. Mas também devemos dizer que ele já no inicio do torneio era uma aposta forte da TNA, que se empenhou muito em demonstrar que ia apostar nele com ou sem a Stable. Assim, a Stable foi apenas um pretexto para a TNA dizer aqui têm o futuro da empresa, e no final do Bound For Glory Series todos nós já sabíamos que Magnus estava claramente destinado para o Main-Event em breve.

Dessa forma, a mini-feud com Sting serviu sobretudo o propósito do Icon o elevar ainda mais o britânico como futuro campeão Mundial, porque todos na TNA sabiam que ia acontecer, só não sabiam era a data. E a verdade é que desde do dia 19 de Dezembro de 2013 que Magnus é campeão Mundial, é verdade que todos já o previam quando chegou á final com Jeff Hardy porém esta é uma data para recordar na carreira dele.

3 – Futuro brilhante enquanto campeão Mundial?

Essa é a grande questão que se coloca daqui para frente a Magnus, será ele capaz de ser um excelente campeão mundial com um reinado com impacto? Em princípio a resposta será sim, até porque Magnus já provou vezes suficientes que estava preparado para este salto, porém nem tudo depende dele, e vai precisar de um excelente booking para que seja um campeão credível e com força, sobretudo porque irá ser campeão enquanto heel.

E a verdade é que já durante o torneio ele começou bem esse percurso enquanto campeão de topo e heel, ao vencer a maioria dos combates através de truques sujos, ou mesmo com ajuda de outras pessoas. Ao fazer isto, ele foi coerente com aquilo que tinha garantido no inicio do torneio, ou seja ele iria fazer tudo o que fosse preciso para ser um campeão mundial. E a verdade é que ele fez exactamente isso, não da forma mais limpa que é a forma ideal de ele se tornar um heel importante e com heat.

Eu sei que muitos preferiam vê-lo chegar ao main-event como face, mas a verdade é que considero que ele tem o talento suficiente para ser um excelente campeão heel no seu primeiro reinado como campeão Mundial. Até porque, jovem como ainda é ele terá tempo para futuros reinados de campeão de topo na TNA enquanto Face, não é preciso afirmar-se no main-event nesta altura desse modo. O mais importante, pelo menos na minha óptica é que ele consiga cimentar-se no main-event com este reinado mesmo que seja como heel, até o tempo joga a favor do Magnus.

Ou seja, o que eu considero imprescindível é que ele tenha um reinado forte enquanto campeão Mundial da TNA, e para isso terá que ser um campeão que joga sujo, mas que vence na mesma porque tem as costas guardadas pela presidente Dixie Carter, e a sua equipa (Rockstar Spud e Ethan Carter III). Claro, que terá que defender por vezes de forma clara para não ser visto como um campeão cobarde, mas para ser o heel perfeito terá que conjugar o jogo sujo com a capacidade de ter vitórias convincentes onde o seu talento seja bem perceptível.

Basicamente, o que quero dizer com isto é que Magnus deveria vencer o desafio com o Styles pelo título (algo que por certo ocorrerá, e que ele deve vencer), para depois começar um reinado com uma duração razoável. Quando digo razoável, não quero dizer que tenha um reinado até ao Bound For Glory, mas estiver se perder o título no Slammiversary e continuar na rota do título até próximo do Bound for Glory, acho que a missão de afirmação do Magnus enquanto main-eventer estará conseguida.

De resto, o futuro de Magnus na TNA tem tudo para ser brilhante e digna de um futuro hall of Famer, porque ele tem talento, carisma, promos, capacidade in-ring, e sobretudo consegue ser tanto um heel eficaz como face. E todos estes ingredientes fizeram com que a invasão Britânico de Magnus seja um sucesso, todavia esta ainda não acabou, até porque o futuro d TNA  em parte pertence-lhe e ainda teremos muitas historias e motivos de debate em torno deste agora TNA World Champion.

Assim despeço-me desta edição do Smoke and Mirrors, espero que ela tenha sido do vosso agrado, mesmo sabendo que aborda um tema que nem todos acompanham, eu considerei ser premente falar desta temática. Para semana, estou de regresso para aquele que será o último capitulo deste espaço de 2013, e para esse artigo guardei um tema especial. No entanto, e como não estarei em contacto com todos vós até lá desejo-vos um excelente Natal, e marcamos encontro no próximo Sábado aqui no Wrestling.Pt.

Figuras da Semana

Daniel Bryan- Aparentemente está de volta á ribalta, na Raw voltou a aproximar-se da rota do titulo de Orton, e na Smackdown voltou ao caminho de Bray Wyatt, sendo por isso difícil de perceber o destino de Bryan para o Royal Rumble. Uma coisa parece certa, ele vai ser um dos destaque da Road To Wrestlemania deste ano, até porque a WWE não pode ignorar o óbvio, e o óbvio é que Bryan está mais popular que nunca.

Wyatt Family- Venceram todos os seus combates desta semana, e graças a isso devem entrar na rota dos títulos de Tag Team dos irmãos Rhodes. Além disso Bray continua em alta e a credibilizar-se com a sua rivalidade com Daniel Bryan, e por isso não os podia excluir dos destaques da semana.

CM Punk- O Best in the World venceu o seu combate com os Shield(com sorte mas venceu), e mesmo perdendo na Raw ele continua a ser um dos destaques da WWE na actualidade. Ele é destaque pela rivalidade com os Shield, e consequentemente com a Autoridade, e por ser um dos principais favoritos á vitória no Royal Rumble.

Roman Reigns –Não podia destacar os Shield todos porque esta semana o destaque esteve todo em Reigns, seja no Domingo ao dar acidentalmente o Spear a Ambrose que deu a vitória a CM Punk. Mas também porque na Raw deu o spear da vitória ao Shield, e ao fazer o pin em Punk consolidou mais o seu estatuto de “golden Boy”.

Randy Orton- A “Viper” em um ano passou de uma superstar main-eventer esquecida para o Spotlight, e a confirmação dessa ascensão aconteceu na sua vitória no TLC, ao qual deu sequência com uma performance de luxo na Raw. E tudo graças a momento simples, mas dignos de um heel de topo e com heat.

Bobby Roode- Com sorte ou sem sorte, a verdade é que Roode tem saído claramente por cima nesta rivalidade com Kurt Angle. Não foi o combate que todos sonhávamos é verdade, mas não deixou de ser um uma vitória dupla importante para Bobby Roode.

Joseph Parks- Mais uma performance de luxo deste impressionante performer, e numa semana onde podia destacar muitas coisas eu tinha que colocar alguns segmentos como prioritários e a verdade é o segmento Parks e Young foi de excelente qualidade.

Sting e EC3-  O excelente confronto verbal entre Sting e o Ethan Carter III antes deste conhecer o seu destino no Feast or Fired, foi sem duvida um dos momentos altos desta semana do Impact Wrestling. E se EC3 aproveitar bem a oportunidade tem nesta feud o momento que o pode colocar no spotlight da TNA.

Magnus- Este brilhante na performance na promo inicial quando confrontou Jeff Hardy, mas o grande destaque da semana do inglês vai todo para o seu heel turn e para  a sua conquista do TNA World Heavyheight Championship.

Surpresa da Semana

Vitória de AJ no TLC- Acho que poucos acreditavam que ela iria continuar campeã depois dos problemas que tinha criado no backstage. Porém, a WWE manteve a confiança nela enquanto campeã, e a verdade é que ela está a dias de bater o record de um titulo feminino da WWE, isto caso seja campeã até ao Royal Rumble.

Desilusão da Semana

Booking do Miz- Num dia é heel, noutro é face, no combate a seguir ninguém sabe o que vai acontecer se ele é heel ou face, ou seja um completa confusão. Sinceramente, a WWE com esta situação tornou a situação do Miz na WWE ainda mais complicada do que já estava.

Perguntas da Semana

Qual a tua opinião sobre Magnus?  E qual poderá ser o seu potencial enquanto campeão Mundial?

Concordas com as figuras, surpresa e desilusão da semana? Ou escolherias outras?

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Smoke and Mirrors”.

9 Comentários

  1. Dolph Ziggler - há 3 anos

    Bom artigo, José. É sempre bom saber mais sobre o passado do Magnus na TNA e como foi o seu percurso até ao main-event. Gostei imenso de o ver ganhar o título pois é algo que este já merecia vencer há bastante tempo. A TNA está a começar a apostar em talentos mais novos e está a tornar-se numa empresa que dá oportunidades a novos talentos de se mostrarem e terem uma oportunidade de criar um carácter que chame atenção aos fãs. EC3, Magnus e Spud são exemplos disso.

    Espero que o Magnus tenha um grande reinado e, como disseste, para isso vai ser preciso um booking forte e trabalho árduo do Magnus. O possível confronto entre este e o AJ Styles tem muito potencial e espero que o Magnus acabe por vencer para se cimentar como top heel da companhia.

    Concordo com as surpresas e desilusões da semana e nas figuras da semana ainda podias ter metido o Big E. Langston porque este teve um bom tag-team match no Raw, venceu no Smackdown e ainda arrumou com os Shield mais tarde nesse mesmo programa.

    Uma vez mais, bom artigo, dude :)

    • José Sousa - há 3 anos

      Percebo exactamente a tua perspectiva mas eu tento sempre colocar 5, semana passada foram mais mas foi uma excepção. E considerei a AJ vencer mais surpreendente, mas aceito que o Big E esteve bem esta semana. Porém o verdadeiro teste é o live Raw de dia 30, quando ele tiver mesmo reacção live ao que fizeram agora com os Shield.

  2. danielLP21 - há 3 anos

    Bom artigo. Não há muito a dizer. O Magnus merece o topo e esta conquista só peca por tardia. Espero que seja um grande campeão, mesmo sendo “heel”. No futuro, gostaria de o ver como “babyface” principal da TNA.

    Já agora, não concordo com o que dizem sobre o Miz ser “face” num dia e no outro ser “heel”. Enfim, já falei disso no “post” do Main Event, por isso não vou estar a escrever tudo outra vez. Acho apenas que são um exagero essas análises sobre o Miz.

    • José Sousa - há 3 anos

      Eu compreendo o que queres dizer, mas mesmo assim acho que deviam ter pensado antes de tentar fazer o turn. Deviam ter visto que o homem tinha o filme, e evitava-se este impasse.

      Quanto ao Magnus é tardia talvez, ou é mesmo na altura certa, tal como eu disse ele nunca teve exactamente o spotlight até ao momento do Tag com o Samoa Joe, acabava sempre por perde-lo para outros.

  3. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    José gostei da forma como fizeste o artigo. Fazendo perguntas que são perfeitas e deste a tua opinião.Há pouco acrescentar, talvez dava uma medalha de mérito ao Jeff Hardy, por mais um grande desempenho!

    Bom Natal para ti e para a família José!

    • José Sousa - há 3 anos

      Também acho desta vez o Jeff Hardy comportou-se como um senhor, e isso tem que ser dito tens toda a razão.

  4. FAlmeida_10 - há 3 anos

    Excelente artigo José. Foi uma boa decisão da tua parte focares este artigo no Magnus, já que nesta semana o Impact deve ter ficado mais na nossa cabeça do que o próprio Raw, talvez por ter sido á 5ª feira e pela conquista do Magnus.

    Sim o Magnus finalmente é o campeão mundial. Eu comparo muito esta ascenção do Magnus com a do Roode. Ambos deram a respetiva importância que a conquista do título tinha para eles, não conseguiram enquanto faces, e conseguem o título com o Heel Turn. O que é que eu vejo no Magnus, o Magnus reúne todos os ingredientes, e eu acredito fortemente que seja a cara da companhia no futuro. Todos os Main Eventers da TNA têm a mesma idade (entre os 35 e 38 anos em média) o Magnus tem os seus 27 talento que ninguém lhe nega, se quiser focar toda a sua carreira na empresa de Orlando pode muito bem ser a futura cara da companhia.

    Agora concordo com o que dizes, há que protege-lo com o Booking. Este ano tivemos uma carrada de vítimas de mau Booking sem terem culpa própria. Sinceramente também concordo contigo, gostei bastante que ele tenha ganho o título como heel. A maneira como desprezou o Hardy (depois deste o ter ajudado) e se aliou á Dixie foi espetacular, não só deu o impacto necessário ao momento devido a uma traição suposta, mas a TNA conseguiu que ficássemos ansiosos pelo próximo Impact. Outra razão de eu gostar deste Magnus heel ter ganho o título, é que este heel Turn pode vir a completar o Magnus, a falta de agressividade no Microfone que antes lhe era apontada como uma pequena falha, facilmente será corrigida com esta personagem heel.

    • José Sousa - há 3 anos

      Concordo totalmente contigo, o booking vai ter que jogar a favor do Magnus mas a verdade é que o potencial existe, e espero que o saibam utilizar da melhor maneira. Se isso for feito potenciado o Magnus enquanto heel então temos ali um novo Main-eventer. Com o tempo terá as suas oportunidades enquanto face de atingir o topo, isso não me preocupa.

  5. JoãoRkNO - há 3 anos

    Excelente artigo José. Gostei bastante do tema, visto ser, talvez, o momento da semana.

    Não tenho muito a dizer, foi merecido, esperemos agora é que tenha um bom reinado, com boas feud´s, não um reinado que esteja estagnado no tempo. Estou curioso em ver como se vai portar como heel, mas o booking vai ser crucial para a afirmação do mesmo. Não tenho dúvidas que será um excelente Main Eventer, apenas espero ve-lo como babyface no futuro, acho que encaixaria melhor nessa personagem.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador