Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Smoke and Mirrors #97 – Manual de Booking para Marks

O booker desempenha um papel extremamente importante no wrestling, pois é dele a responsabilidade de ter o papel criativo de definir o resultado final de um combate e a forma como o combate desenrola. Assim, em última instância é dele a responsabilidade de uma escolha correcta ou errada para o desenrolar de uma storyline, por isso depende deles a qualidade dos combates e das histórias que nós assistimos no ecrã quando vemos o produto final.

Em semanas como a que estamos a concluir, nós fãs por vezes criticamos as opções por diversos motivos, sejam eles lógicos ou não, por vezes a trabalho dos bookers e dos criativos é bastante criticado pela comunidade de fãs online. Sendo que, o seu trabalhado tanto pode ser avaliado positivamente quando uma história segue o caminho correcto para os fãs, como é facilmente criticado quando de facto estragam uma história, ou simplesmente seguem um caminho diferente do que seria o mais previsível, como é exemplo claro o que aconteceu na Night of Champions no WWE Championship.

É por esse motivo que os fãs de wrestling online (IWC) tem um papel importante, mas por vezes perverso no sucesso ou insucesso de uma feud, porque por vezes fazemos todos julgamentos precipitados, e isso tolda toda a nossa avaliação de um produto que por vezes não é tão mau quanto nós Smarks ou smarts pensamos.

Assim, esta semana o Smoke and Mirrors será dedicado a nós fãs da internet, (sejam eles  smark, smarts ou mesmo marks), porque todos nós corremos riscos de errar as nossas análises. E erramos, porque por vezes racionalizamos demais ou somos inocentes de mais a observar as histórias que nos são apresentadas. E foi a pensar nisso que decidi fazer uma edição especial, onde apresentarei 10 dicas para todos nós (eu inclusive) apredermos a analisar e ver melhor o wrestling, naquilo que será um Manuel de Wrestling para Totós (que no fundo é o que por vezes o booking nos faz sentir quando não percebemos a lógica do produto).

1. Devemos sempre ter uma memória selectiva.

No wrestling é importante que tenhamos uma memória selectiva, porque por vezes um rival passa a aliado e vice-versa num curto espaço de tempo, e nessas situações temos que nos alhear das desses acontecimentos do passado, tudo em prol da história actual. Caso sejamos excessivamente racionais, corremos o risco de algumas feuds não nos agradarem, tudo porque alguns rivais passaram a aliados, ou esqueceram-se de referir factos do passado.

Um belo exemplo disso, foi a aliança Triple H e McMahons com o Orton depois do passado que tiveram em 2009, seria natural que isto não fizesse sentido, mas uma vez mais a nossa memória selectiva tem que funcionar e engolir esses acontecimentos passados, caso o contrário nunca conseguiremos ver a história actual com algum interesse. Por isso, mesmo sempre que virmos alguma aliança incoerente tendo em conta o passado que tiveram, temos que esquecer-nos um pouco que isso aconteceu, ou pelo menos tolerar essa aliança fazendo-nos passar um pouco por totós ou marks nessa situação.

2. Não exigir resultados práticos muito rapidamente

Por vezes, nós fãs exigimos resultados rápidos numa determinada feud, seja por quereremos ver o resultado final o mais rapidamente possível, seja por quereremos ver os nossos favoritos a serem bem sucedidos rapidamente, ou porque não temos paciência para ver uma história a ser contada devagar e com paciência, esperando pelos frutos finais da história sem exigir celeridade nesses mesmos resultados.

Um dos exemplos de uma história bem contada de forma inteligente e paciente, foi a primeira fase da história dos Aces and Eights, que foi contada de forma exemplar por parte da TNA e que conseguiu prolongar a ansiedade nos fãs antes de revelar o seu desfecho. Assim, nós totós da net devemos ter calma e esperar por cada capitulo da história calmamente, sem queimar nenhuma etapa da mesma, ou seja temos que ser capazes de ter algo que na era da Internet muitos fãs não têm que é: capacidade de esperar pelo timing certo para que a feud se desenrole da melhor forma.

3. Não chamar por veteranos cada vez que o produto sofrer um sobressalto

Este é um do erros mais vulgares que nós fãs da internet fazemos, consideramos muitas vezes que um veterano é capaz de melhorar a qualidade do produto só por si, ou pela sua experiência. Mas ao fazermos isto esquecemo-nos de um dado: eles são veteranos, e são lendas pelos feitos e qualidade que tinham no passado, por isso se eles vierem colaborar no presente deve ser para ajudar a valorizar a actual geração, e não para centrarem o produto neles e no seu ego. Até porque, na grande maioria dos casos eles já não conseguem apresentar a mesma qualidade dentro do ringue que apresentavam no passado, e por isso motivo já não são os mesmos que aprendemos a admirar e isso faz com que não venham acrescentar nada ao produto, pelo menos no que diz respeito á capacidade in-ring.

Um bom exemplo disso é Jerry Lawler, Dusty Rhodes, ou mesmo Rock, Batista, Ric Flair, Sting, Hulk Hogan ou Goldberg. Ou seja foram importantes e marcaram uma era na sua altura, mas actualmente fruto da idade ou dos caminhos profissionais que tomaram já não são os mesmo que marcaram a sua época, e por isso actualmente a sua presença num ringue da WWE ou TNA só tem efeitos nos ratings e no aspecto financeiro, porque do ponto de vista da qualidade efectiva dos combates e do produto, o facto de estarem num ringue tem mais efeitos negativos do que positivos, ao contrário do que algumas camadas dos fãs da IWC pensam a respeito desse regresso ao ringue de lendas.

4. Nunca analisar gimmicks antes da sua estreia

Este é um erro muito comum dos fãs de wrestling da modernidade, ou seja, é muito vulgar um fã avaliar uma gimmick em função das vignettes onde a sua estreia é antecipada. Essa situação pode criar erros de análise que onde podemos ter uma visão demasiadamente positiva por excesso de espectativas, mas também o contrário é igualmente verdade, e por vezes surgem críticas excessivas a determinadas gimmicks sem sequer termos visto um wrestler e a sua personagem em acção.

Por isso aconselho que todos vós não crieis expectativas nem muito elevadas nem reduzidas para uma gimmick, porque por vezes um mau booking poderá prejudicar uma gimmick que tinha tudo para bem sucedida. Tal como umas gimmick que criticamos poderão ser bem sucedidas caso tenha bom booking e uma boa performance, por isso para não correremos riscos o ideal é analisar as gimmicks após a sua estreia, caso o contrário podemos risco de sobrevalorizar ou desvalorizar uma gimmick. E exemplo disso foi á sobrevalorização de Tensai antes da sua estreia, e a desvalorização que Fandango teve antes sequer de sequer se estrear, e as expectativas geradas pela estreia de Bray Wyatt no main-roster (que até ao momento devido a booking ainda não foram concretizadas).

5. Não afirmar que o booking actual é sempre pior que o do passado

Este é mais um dos erros que se comete muito frequentemente por parte dos fãs actuais, porque muito embora tenhamos tido excelentes feuds e histórias no passado, também é verdade que apesar da recente crise de criatividade da indústria, este ano tem nos trazido feuds com qualidade na WWE e provavelmente a TNA poderá voltar ao patamar do ano passado depois do Bound for Glory. Por isso, existem razões suficientes para confiar na qualidade das histórias do wrestling actual, basta não estarmos a comparar histórias e feuds do passado com as actuais porque cada produto tem a sua especificidade, por isso não podemos esperar repetições do passado porque cada época tem as suas diferenças.

O que quero dizer é que é possível termos um produto bom na actualidade, tendo em conta as especificidades do produto e dos wrestlers actuais, basta para isso que os bookers potenciem da melhor forma os wrestlers e as suas gimmicks, tal como as feuds onde estão envolvidos. A nós, smarks ou marks, só nos resta não fazer demasiadas comparações com o produto do passado, ou com histórias do passado que tenham pontes de contacto com as actuais. Assim, claros que podemos criticar o booking actual mas de forma fundamentada, mas por vezes algumas criticas surgem por pura insatisfação ou vontade de ver os nossos favoritos a serem bem sucedidos.

6. Não devemos querer ver o nosso favorito a sair por cima de uma feud se a situação não o exige.

Esta situação é algo que todos nós fazemos, e por isso todos nós somos totós neste aspecto, pelo menos quando falamos dos wrestlers que gostamos. E é perfeitamente natural que queiramos ver o nosso favorito a vencer e a receber um push, mas por vezes temos que perceber que a história que os bookers estão a desenvolver implica algum sacrifício por parte dos fãs. Por esse motivo, nós deveríamos ter mais paciência com as histórias e o rumo que o nosso favorito está envolvido, uma vez que nem sempre todas as decisões são negativas e por vezes uma sequência de derrotas, ou segmentos em que saiam desvalorizados são por vezes apenas fases da feud e eles acabarão por ser recompensados e valorizados no final da história.

Exemplo disso foi o que se passou com os fãs antes do Night of Champions, uma vez que clamavam por vantagem para Daniel Bryan e quando ele venceu no PPV todos nós ficamos surpreendidos, e alguns irados porque achamos que foi cedo demais, quando anteriormente pedíamos essa vantagem da forma mais célere. O resultado final foi o excesso de críticas á história no Domingo e na Segunda, só porque o rumo que definiram para o Bryan não foi exactamente aquele que tínhamos pensado. Mas isso não foi negativo para o Bryan, e o resultado final foi satisfatório e a história continua interessante, e com a mesma força não estando totalmente estragada como algumas vozes clamam na Internet.  Para isso, aconselho-vos a não criar demasiados cenários (inclusive eu) e analisar a história pelo que a WWE nos apresenta, e não pelo que gostaríamos que ela fosse porque isso por vezes é o melhor para o nosso favorito.

7.Nunca comparar booking ou produtos de empresas diferentes

Este erro é igualmente muito comum por parte dos totós da net, ou seja, é muito fácil avaliar dois produtos totalmente diferentes e compara-los dizendo que um deles é superior e outro inferior. A questão é que todos acabamos por fazê-lo, mas isso é errado porque dois produtos diferentes não podem ser comparáveis, e não o são porque tem características diferentes. Porém esse erro é muito comum, e não são poucas as situações onde se compara o produto da TNA com o da WWE, ora dizendo mediante o gosto de cada um que uma é superior.

Mas, na minha opinião essa comparação é errada porque as duas companhias podem agradar aos dois lados, desde que os fãs sejam capazes de perceber que são duas companhias com um estilo de produto e booking diferente, e por esse motivo é impossível dizer com exactidão qual delas é melhor porque cada um de nós tem gostos diferentes. Desse modo, o mais correcto é dizermos que um estilo de produto nos agrada mais que outro, mas fazendo-o evitando comparações entre empresas, porque essas comparações raramente são feitas de forma racional e inteligente, tendo como resultado uma análise enviesada dessa comparação entre WWE e TNA.

8. Não depreciar personagens de entretenimento

Outro dos erros mais comuns dos fãs do IWC é criticar personagens de entretenimento, e criticam não porque alguns deles sejam maus wrestlers mas sobretudo porque estão a desempenhar papeis mais divertidos. Isto não quer dizer que ache que esses wrestlers devam ter títulos importantes, mas eles são importantes porque permitem atrair para o wrestling um determinado publico que também interessam às empresas de wrestling.

Por esse motivo, personagens como Eric Young, Santino Marella, ou mesmo Brodus Clay são exemplos de personagens que em termos de wrestling não são necessários mas que dão uma componente que o wrestling sempre teve. E quem não se lembra do Doink the Clown, Rikishi, Shark Boy e outras personagens do passado da WWE e TNA que foram personagens de entretenimento, ou seja, o que quero dizer é que personagens como estas existiram sempre, e existirão sempre. Por isso, não vale a pena pedirmos que eles abandonem as empresas, ou desvalorizar o seu valor porque por vezes são apenas bons wrestlers a desempenhar um papel divertido, o que não implica que não tenham talento como wrestlers, e isso é algo que os fãs da net por vezes se esquecem.

9. Não exigir pushes rápidos para os jovens talentos

Esta é de todas a tentações dos fãs que abordei aquela que os bookers mais cedem, ou seja acabam por vezes por dar pushes precipitados a wrestlers populares junto dos fãs que não estão totalmente preparados para o estatuto que os fãs pedem.  Uma ascensão de um jovem talento num modelo de booking ideal é feita de forma gradual, afirmando-se lentamente no roster e subindo progressivamente no card e estatuto dentro da companhia.

Raros são os talentos que são capazes de chegar, ver e vencer, atingindo em pouco tempo o main-event estando preparados para esse desafio, e por esse motivo o ideal é não fazer pushes precipitados e os bookers devem esperar pelo timing ideal para dar essas oportunidades, não cedendo á pressão exigida pela opinião dos fãs, por mais que essa seja oportunidade. E um bom exemplo de push rápido foi Ryback, ele acabou por ser lançado para o main-event sem estar consolidado, nem com grandes vitórias em feuds, e isso acabou por ser letal pois a consequência foi um booking horrível para o seu lado, porque foi obrigado a ser desvalorizado para que Cena, Punk e os Shield brilhem. Por isso, fãs da net nunca esperem um push rápido a um novo talento sem ele estar preparado para tal porque isso pode dar mau resultado, e por certo que não quererão isso para os jovens talentos que admiram.

10. Não questionar decisões que nos parecem ilógicas porque por vezes têm um motivo escondido

Este é um dos erros que nem chega a ser bem um erro, porque tanto por vezes podemos ter algumas decisões com uma explicação escondida, como por vezes temos razão nesta criticas porque de facto algumas decisões são de lógica questionável para o desenvolvimento de uma determinada feud. Eu sei que nem todos concordarão com esta última dica, porque vão dizer que está relacionada com a forma como a WWE deu a vitória a Bryan na Night of Champion, e de facto tem mesmo haver com isso.

Sei que será polémico dizer que acho que a decisão acabou por não ser tão errada quanto pensei no próprio dia, porque muitos consideram que a feud ficou abanada com essa decisão e com a escolha de Tripe H de retirar o título a Bryan por fast count. Mas, tal como já referi no inicio por vezes temos que ignorar pequenos pormenores para disfrutar uma feud, e este é um desses casos. Ou seja, apesar de tudo e do facto Bryan ter tido dois reinados curtos, a verdade é que aquele resultado trouxe mais interesse á feud porque vai despertar mais revolta em Bryan e fez despertar a ira da “Viper” que existia em Orton e que estava escondida até Domingo.

Por esse motivo, a WWE acabou por tomar uma boa decisão e minimizou os erros de bookar Bryan como vencedor no PPV, com boas escolhas do ponto de vista criativo durante os shows desta semana. E fê-lo com motivos e racionalidade na história, e digo isto sabendo que nem todos concordarão, mas nem sempre as minhas opiniões têm de ser pacíficas e nesta caso sei que não será, só espero é debatam com elevação caso tenham uma opinião diferente. Até porque é isso que distingue os fãs inteligentes, a capacidade de ver lógica nas decisões que não estão nos nossos planos, ou mesmo refutar essas decisões mas argumentando com argumentos válidos.  Mesmo assim, não devemos questionar algumas decisões dos bookers porque por vezes eles podem surpreender-nos com surpresas que nos motivam ainda mais para ver uma determinada feud.

Deste modo concluo esta edição do Smoke and Mirrors, para a semana voltamos para uma edição mais Vintage(desculpa André Santos) dedicada a um tema do passado, no que será um dos primeiros passos no caminho para a edição 100 deste vosso espaço. Despeço-me desejando um ótimo bom fim-de-semana cheia de wrestling, e espero que a construção dos PPV´s de Outubro da WWE e TNA vos motive para assistirem a esses eventos ao vivo aqui no Wrestling.PT

Momentos da Semana

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Smoke and Mirrors”.

35 Comentários

  1. Jagb - há 3 anos

    Isso foi a única vez que vi tanta vdd num tópico…é algo que se tive-se um espaço para escrever no site de certeza que abordava este tema em primeiro lugar,apesar de haver bastantes temas que muita gente aki no Wrestling.pt desconhece…este sim é a PRINCIPAL da cronologia do somke and mirrors e espero que pessoas que visitam este site nunca estão bem com nada,pk o cena não sabe lutar,o bryan perde sempre,a wwe tá pior e etc vejam certas coisas que desconhecem!
    Parabéns José Sousa,é a primeira vez que comento aki no teu espaço mas acredita que costumo ver o smoke and mirros desde o inicio c:

    • José Sousa - há 3 anos

      Muito obrigado, e a verdade é que até eu cometo alguns deste erros. É sempre muito mais difícil olhar para os nosso defeitos enquanto fã, mas é um exercício muito in. interessante de ser feito. Pelo menos eu gostei bastante de o fazer.

  2. Pantallica - há 3 anos

    Muito bom artigo, foi muito interessante tal como o tema.

    Concordo com todas as “dicas/regras” que deste e pessoalmente eu infrinjo algumas delas, principalmente as número 3 e 6. Mais de resto não costumo infringir muito as outras mas por vezes acontece claro.

    • José Sousa - há 3 anos

      Todos nós cometemos alguns destes erros quando estamos ver o show live. E vamos acabar sempre por comete-los, isto foi um exercício de olhar-me ao espelho e ver alguns dos meus(nossos defeitos) como fãs).

      • Pantallica - há 3 anos

        Foi algo muito bem feito e pensado :)

  3. MicaelDuarte - há 3 anos

    Gostei muito deste artigo, José ;)

    1. Revejo-me neste ponto, principalmente depois daquilo que aconteceu no final do Summer Slam, pois fui dos primeiros a criticar tal decisão. Felizmente, as explicações do HHH na Raw seguinte foram minimamente aceitáveis. A “feud” HHH/Orton não foi uma “feud” como foi um Sheamus/Del Rio. Foi uma “feud” movida pelo ódio, chegando a atingir uma intensidade extrema, logo, é natural que esteja fresca na memória de alguns fãs e estes se questionem até que ponto um ódio que era capaz de “mover montanhas”, passe a um estado em que estes, mais tarde, se tornem aliados. Tal como disse anteriormente, as explicações dadas pelo HHH foram aceitáveis.

    4. Felizmente, não “sofro” disto. Um caso recente é dos Los Matadores. Desde que a notícia foi publicada aqui no WPT, que muitos têm criticado esta “gimmick”, julgando-a apenas pelas “vignettes” que têm aparecido.

    6. No caso da “feud” que reina neste momento, eu não queria que o Bryan saisse por cima muita vez (duas vezes seriam suficientes), mas tanto o Raw, como a Smack Down, terminavam sempre do mesmo modo, sendo quase uma cópia daquilo que se tinha passados nos episódios anteriores. Depois do NOC, o Bryan tem saído por cima tanto na Raw, como na Smack Down, mas também é algo que não pode ser o prato do dia…

    8. Por mim, as personagens ao estilo do Santino podem e devem existir em qualquer programa de “wrestling”, no entanto, e na minha opinião, não devem ganhar títulos. É certo que a personagem do Santino nos primeiros tempos não era de comédia, mas este já ganhou o IC (2x), o US Title (1x) e Tag-Team Titles (1x). Isto, a meu ver, não é muito bom. Um título, seja lá qual for, é a recompensa do trabalho de um “wrestler” e deve ser algo a levar com seriedade, por isso, como é que “um Santino” consegue credibilizar um título, quando a sua personagem requer uma constante palhaçada? Outro pormenor: por vezes, “wretlers” que ficam com este tipo de papeis nas companhia são bons “wrestlers” e não é por terem tal “gimmick” que o deixam de ser (isto a propósito de muitos que dizem que o Santino não vale nada).

    9. Dean Ambrose. Parece-me que este seria um dos casos em que a aposta daria certo, no entanto, apoio a ideia que os “wrestlers” (na sua maioria) devem ter uma carreira gradual, de forma a que o fã também possa sentir essa evolução ao longo do tempo. Se olharmos para o caso de Punk, mesmo sabendo que a este nem sempre lhe foi reconhecido o talento que possui, percebemos que a carreira dele foi feito de uma forma algo gradual (com altas e baixos, naturalmente), pois este só conquistou o WWE Title depois de passar pelos outros ditos “menos importantes”.

    10. Uma vez que o Bryan ganhou pela segunda vez o título da WWE de uma forma “não muito limpa”, não faria sentido que anulassem este segundo reinado? Sei que estou a bater na mesma tecla, mas o Bryan já vai com dois reinados como WWE Champion: um de poucos minutos e outro de um dia. Faz sentido? Aliás, o facto do HHH anular o segundo reinado do HHH poderia ser outro pormenor adicionado à “feud”. São pormenores, mas a verdade é que da próxima vez, o Bryan será um “Three time WWE Champion” com reinados piores que os reinados do Del Rio.

    Começa mas é a preparar uma verdadeira bomba de artigo para a centésima edição deste espaço! :)

    • José Sousa - há 3 anos

      Oh não vem bomba. Eu tenho tudo bem definido(até ao final de Outubro tenho).

      Olha até eu cometi esse erro no NOC, por isso meu caro todos nós a quente julgamos mal a decisão. E a que foi tomada foi a que minimizou o que aconteceu no Domingo. A terceira vai ser mais longo, da próxima o Bryan fica campeão mais tempo não tenhas dúvidas.

      Sim eu também acho que não devem ganhar títulos, o que quis dizer é que sempre existiram este tipo de gimmicks, elas não são um exclusivo da PG Era.

      E claro que também acho que o Ambrose está pronto para o ME, mas compreendo que tenha que esperar mais um pouco porque não estão reunidas as condições de story para tal.

  4. Sergio Fantastico - há 3 anos

    4. Eu analisei a gimmick dos Los Matadores
    antes de estreiar por algo totalmente
    pessoal: Odeio touradas e tudo o que
    remete ou lembre a ela.

    3. Talvez um exemplo disso seja Sting vs Hulk Hogan
    no Bound for Glory de 2011 mas o Hogan
    já era nada no ringue antes ele apenas
    ficou mais lento.

    6. Quando quase nada entendia de wrestling
    isso era o que mais me irritava agora isso
    não ocorre comigo mais.

    8. Este caso e o mesmo que acontece com
    os jobbers pessoas acham que não devem
    existir jobbers nas companhias e que
    eles são inuteis…

    Todos os topicos são justos e coerentes
    boa analise.

  5. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Um Tema bastante original José!

    Eu quando inicialmente comecei a comentar no site, era um dos que dizia que antigamente é que era…e tal, agora admito que estava errado e bem errado.
    Os restantes não podiam estar mais verdadeiros, temos que colocar os nossos anticorpos em acção e sermos mais racionais e pacientes.

    Os momentos da semana são clarissimos e correctos, especialmente o face to face entre AJ e Dixie, sem duvida o mais marcante da semana do wrestling a par da retirada do titulo a Bryan!

    PS:falta um…não odiar o Bo Dallas…. :)dar-lhe algum tempo…

    Mias uma grande edição, sempre inovadora!

    • José Sousa - há 3 anos

      Pois todos nós já cometemos os nossos erros, eu apenas fiz do artigo um espelhos dos vossos e também dos meus defeitos enquanto fã de wrestling.

      Sim, ele no ringue ainda não convence…. Porém fora dele fez um acting tão bom que nos fez acreditar que era mesmo a sério aquela atitude face que ele tinha.

  6. JoãoRkNO - há 3 anos

    Parabéns José, conseguiste escolher um tema bastante interessante, e bem estruturado.
    Destaco dois dos dez tópicos que apresentaste:

    3. Não chamar por veteranos cada vez que o produto sofrer um sobressalto:
    Bem, este tópico vem sobretudo mostrar o que a TNA está a passar. Para que é preciso Hogan e Bishoff, quando a empresa tem talentos que não estão a ser aproveitados? Bem, eu falo essencialmente de estrelas que já passaram por lá ou que estão até na OVW. Tomemos por exemplo Crimson. Boa gimmick, boas mic skills, opá, para mim tem tudo para ser um main-eventer. É verdade que ainda é muito novo, mas podiam, sei lá, trazer de novo o Petey Williams, o Alex Shelley, que gostava muito de o ver numa feud contra este Sabin Heel, ou até mesmo o Jay Lettal.

    4. Nunca analisar gimmicks antes da sua estreia:
    Concordo no que dizes, principalmente em relação ao Fandango e ao Tensai. Vendo agora o Debut e os primeiros tempos do Tensai, um powerhouse fulgurante, boa gimmick, um potencial Heel para estar seguramente no Mid-Card (já era sonhar muito tê-lo num patamar superior). E agora Tensai é o que? Um wrestler que é contratado para fazer figura de parvo, e jobbar é claro, sozinho ou juntamente com o outro palhaço da companhia, Brodus Clay.
    Em relação ao Fandango, é daqueles que ao inicio pensei, mais um para animar os shows, palhaço de serviço, e agora é daqueles que eu adoro ver no ring, e mesmo nos segmentos de Backstage, etc, é bom relembrar os velhos tempos com o Johny Nitro, e ele está a conseguir adequar-se perfeitamente á personagem.

    • José Sousa - há 3 anos

      Sem dúvida. Não digo que seja personagem de main-event mas para titulo de midcard o Fandango serve, ele é muito bom no ringue e tem pop junto dos fãs e isso conta como é lógico.

      O Tensai basta ver que venceu o Cena, e depois deu no que deu. Acho que isto diz tudo sobre aconteceu ao Tensai enquanto gimmick desde do début até agora.

  7. ThaGr8One - há 3 anos

    Tema muito bem pensado José, e são dicas bem preciosas para muitos fãs de wrestling de entretenimento, até para nós, que por vezes pensamos que sabemos mais que os bookers. Acho que o nome que deste no texto devia ser o nome do artigo, aquele “Manual de Wrestling para Totós”, mas acredito que houvesse quem se sentisse ofendido xD

    1- Ter uma memória selectiva é obrigatório quando se fala de wrestling de entretenimento pois se há coisas que acontecem constantemente são turns e tem de haver “coligações” entre certos wrestlers mesmo que o passado seja conturbado entre estes. É como um partido coligar-se com o outro, eles continuam rivais, mas é para um bem maior.

    2- Bem verdade, todos fazemos isso! Caso disso é a recente feud entre o Punk e o Ryback em que todos querem que as coisas acabem já no próximo PPV e com vitória do Punk, sem sequer terem visto nada da feud. Eu próprio já o fiz, que incoerente…

    3- Esse é um dos pecados fatais de muitos fãs, acreditarem que o regresso de um Shawn Michaels, SCSA, Goldberg e etc haveria de melhorar o produto, sem sequer pensar nas consequências que isso traria.

    4- Isso já está a acontecer com os “Los Matadores” e aconteceu com o Fandango, todos o odiavam sem sequer ter visto o homem no ringue. A partir do momento em que ele venceu o Jericho já toda a gente “Fandangoava” (numa adaptação do termo em inglês) sempre que este aparecia na arena.

    5- Outro dos grandes pecados dos fãs, “antes é que isto era bom, bem melhor do que agora!”. Já disse isto várias vezes e vou dizê-lo aqui também: não podemos viver do passado, mudam-se os tempos mudam-se as vontades e o mesmo acontece com o wrestling, mudam-se os tempos, mudam-se os bookers, mudam-se os wrestlers, tudo muda… Não se pode viver do passado, period.

    6- Isso fartou-se de acontecer com o Bryan agora e com o Punk na feud com o Lesnar, pedia-se sempre que estes saíssem por cima sem pensar no significado do facto de eles saírem por baixo por diversas vezes.

    7- Não me posso pronunciar sobre este pois não vejo TNA, mas acontece a mesma coisa, e aconteceu recentemente aqui no site na noticia sobre o Dana White, fazer-se a comparação entre duas coisas que têm dois objectivos e produtos diferentes. Neste caso, a WWE e a UFC.

    8- Quando se fala de wrestling de entretenimento, tem de se falar de personagens de entretenimento, ou senão não se chamava dessa forma. Uma ou outra personagem cómica é sempre necessária numa companhia como a WWE, pois nem tudo pode ser sério e sombrio, tem de haver um wrestler para descompressão, um wrestler que nos divirta, e é esse o objectivo de personagens (como tu citaste e bem) como Santino Marella, Brodus Clay e atrevo-me a acrescentar Khali e Hornswoggle.

    9- Fazer um push demasiado precipitado a um lutador ainda verde é o passaporte para o fracasso. Esse foi o caso de Ryback e agora vejam a situação em que ele se encontra (se bem que estar com o Heyman deve ter sido o ponto alto desde que virou heel).

    10- Isso então é o pecado capital, todos sem excepção cometemos este erro. Julgamos tudo e todos sem sequer saber o que vem a seguir, e muitas das vezes somos surpreendidos como aconteceu com o Bryan ultimamente. Por vezes temos de “comer e calar” em vez de comentar logo algo e o tiro sair-nos pela culatra.

    Artigo mesmo muito interessante José, gostei bastante! Continua assim e cá estarei eu para acompanhar o teu caminho até à centésima edição deste ilustre espaço :)

    • José Sousa - há 3 anos

      Sim não falta assim tanto são só mais 3 edições, e já tudo pensado para essa edição.

      Sobre os teu comentário até eu cometo alguns destes erros, eu também critiquei a vitoria do Bryan e depois vi que tinha alguma lógica(pelo menos para mim, porque existirá sempre quem não veja essa lógica).

      De resto concordo em tudo contigo, usaste exemplos que eu usaria como o caso do Fandango. Eu não o critiquei antes, mas demorou até me conquistar no ringue, acho que só o conseguiu mesmo no combate pela mala de WHC.

      • José Sousa - há 3 anos

        Já agora eu tinha definido esse titulo, mas mudei para não levantar ondas. Mas sim foi a minha primeira ideia admito.

      • ThaGr8One - há 3 anos

        Eu percebi o porquê de mudares, porque era um título que poderia causar polémica fizeste bem em mudar.

      • ThaGr8One - há 3 anos

        Que vai ser uma boa edição eu sei, pois tu só produzes boas edições ahahah.

        Eu também compreendi a lógica da vitória dele, apenas continuo sem concordar com o timing em que foi aplicado mas sim, sem dúvida que foi muito bem pensado pelos bookers.

        O Fandango em ringue também não começou da melhor maneira, logo a “botchar” no combate com o Jericho e isso, mas acabou por demonstrar que consegue ser responsável por bons spots como foi o caso do combate pela mala como dizes.

        E sim, todos cometemos esses erros, muitas vezes sem nos apercebermos.

      • José Sousa - há 3 anos

        Nem sempre são. Acontece em 100 teres algumas más, só não acontece a quem não está cá como nós meu caro.

        Sim, o timing é questionável, mas graças a isso acordou o Orton, deixamos de ter o boneco para termos a Viper, e só por isso já recompensou. Agora digo que o Bryan não pode sair sempre por cima como esta semana, e não pode mesmo caso o contrário não é justo para história.

      • ThaGr8One - há 3 anos

        Oh, pronto, eu sei que sim. Foi apenas uma maneira de elogiar o teu trabalho pois afinal são quase 100 edições, não é brincadeira! Eu sei o que custa arranjar temas bons todas as semanas, e tu já andas nisto há muito mais tempo pelo que é preciso ter cabecinha bem organizada para conseguir concretizar até ao momento 97 edições e continuar aqui firme.

        Sim, isso é bem verdade, o Orton finalmente despertou e começamos a ter um “gostinho” do antigo Orton. Ainda não vi a SD por acaso, embora na Raw eu tenha compreendido o porquê daquele apoio todo. Até porque temos de ter em conta que ele, no inicio da noite tinha ficado sem o título e foi uma maneira de começar a “revolução” que já se esperava. Mas sim, o Bryan não pode sair sempre por cima pois isso nem faria sentido algum e estragava o que até aqui tem sido bem trabalhado.

  8. danielLP21 - há 3 anos

    Excelente artigo José. Excelente mesmo. Adorei o tema. Arriscaste e, a meu ver, arriscaste bem.

    1- ainda na quinta-feira falei sobre este exemplo com um amigo meu. Outro exemplo que acaba por ser um atentado à inteligência dos fãs ( apesar de ter mesmo que ser assim…) é a equipa Two Men Power Trip, constituída pelo SCSA e pelo Tiple H, depois de tudo o que eles passaram nos anos anteriores. Por outro lado, não coloco a Rock N’ Sock Connection no mesmo saco, uma vez que o Rock nunca escondeu que não gostava do Mankind e eles nunca deixaram de falar da sua feud no início daquele ano.

    2- sinceramente, costumo ter bastante calma. Pegando no exemplo dos Aces & Eights, lembro-me de ler muitas vezes que a TNA devia ter revelado o Bully Ray como líder do grupo mais cedo, mas eu não concordo. Foi na altura certa, foi um enorme momento para a TNA e foi o ponto alto daquela história. O mesmo se passa agora com a história do Daniel Bryan. Temos que ter calma e ir desfrutando.

    3- espero mesmo que o Batista e o Jeff Hardy voltem para a WWE… Agora a sério, este é dos pontos mais ridículos e tenho orgulho em dizer que não me revejo nestes fãs.

    4- o Fandango é um paneleiro! Naahhh, just kidding. Isto aconteceu com o Fandango e já está a acontecer com os Los Matadores. Custa muito esperar?

    5- este é um pouco relativo… O “booking” actual é pior que o de 2006 e melhor do que o de 2011 ( por exemplo)… Tragam masé a Attitude Era de volta! Queremos sangueeeeeee!

    6- neste ponto, ninguém consegue ser 100% racional. Ainda assim, uns conseguem ser mais racionais que outros.

    7- a WWE é mais melhor do que a TNA, porque a WWE é mais maior.

    8- nada disso! Maldita PG Era, que trouxe estes palhaços todos! Antigamente isto não era nada assim! A WWE vai falir!

    9- mais um ponto relativo. Quando o lutador em questão se chama Ryback, concordo. Se o lutador e«em debate for o Wade Barrett, então aí sou daqueles que defende que ele devia ter sido campeão da WWE dois meses depois da sua estreia.

    10- para quem analisa e debate sobre Wrestling todos os dias, é normal que se cometam algumas “injustiças” para com as empresas. Ainda assim, também há situações em que as empresas nos desiludem, daí a nossa cepticidade em relação a algumas decisões. É um ciclo vicioso.

    • José Sousa - há 3 anos

      Claro eu contra mim falo. Eu ao abordar o tema sabia que arriscava, e sabia que estava a olhar-me ao espelho em alguns dos casos que eu falei. E todos cometemos alguns destes erros e vamos continuar a cometer porque quando estás a ver um show ao vivo , e reages com a emoção á flor da pele sobretudo quando envolve wrestlers que tu gostas.

  9. Tibraco - há 3 anos

    Bom artigo e continuas a primar pela originalidade dos temas. Vejo um grande esforço da tua parte para surpreenderes todas as semanas e isso é meritório. Estás de parabéns.

    Concordo genericamente com todos os pontos que enunciaste exceto o último. Quer dizer esse ponto também é verdade mas o exemplo que deste, na minha opinião, foi mau. Acho que a vitória do Bryan e consequente explicação foi totalmente forçada e serviu apenas o propósito de adicionar controvérsia. O problema é que existem demasiados buracos na história e eu não consegui engolir. De resto, mais uma vez, parabéns José.

    • José Sousa - há 3 anos

      Eu sei mas nem todos concordam contigo nesse ponto. Tipo esta feud vai dividir pessoas, porque alguns acham que ele está a melhorar, enquanto outros consideram que ela está estragada. Não digo que tenha sido a melhor escolha possível, só acho que resolveram de forma razoável e a história continua interessante para mim. E mantêm-se porque escolhi ignorar os tais buracos que falas porque não os considero tão relevantes quanto isso.

  10. Sylvester15 - há 3 anos

    Muito bom artigo, a parte em que referes que o rikishi é um enterteiner é verdade eu partia-me a rir com ele, mas houve um momento em que a meio de um royal rumble que ele começou a dançar XD

    Vejam: http://www.dailymotion.com/video/x31nwf_wwe-too-cool-dance-rikishi-scotty-2_news

    • José Sousa - há 3 anos

      Era um excelente wrestler atenção, tal como é o Santino mas a personagem era diversão e ela é bem necessária no Wrestling.

      • Sylvester15 - há 3 anos

        Exato, eu curtia o rikishi tambem por ser um execelente wrestler e a diversão nao acho que o prejudique.

  11. Dolph Ziggler - há 3 anos

    Excelente artigo, José. Acho que foste bastante original em escolher este tema e dou-te os parabéns por ser criativo. Confesso que fiquei surpreendido quando li o título do artigo e gostei muito.

    Não vou fazer um grande comentário pois hoje não estou nos meus melhores dias e estou sem pachorra para estar no PC. Só vim mesmo aqui ler o teu artigo e dar algum feedback.

    Concordo com todos os pontos que referiste. Destaco o ponto 4 pois nestes últimos tempos o IWC tem criticado bastante a gimmick dos Los Matadores e eles ainda nem se quer fizeram o seu debut. Acho que isso está mal e devia-se dar primeiro uma oportunidade e caso falhe, então aí pode-se criticar.

    Destaco também a “3. Não chamar por veteranos cada vez que o produto sofrer um sobressalto” Isto é verdade e foi um dos maiores erros da TNA quando foram buscar aquelas velhadas todas para tentar evoluir o produto. A WWE também faz isso um pouco principalmente quando os ratings da RAW atingem os 2.5 e aí tem que se ligar para 1-800-Vince McMahon. Num curto prazo pode ajudar os ratings do produto, mas num longo termo, não vai ajudar e prefiro que criem estrelas para um longo termo.

    Destaque também para a 9 pois eu, por vezes, “infrinjo” esta regra pois eu fui um dos que pedi um grande push ao Bray Wyatt.

    • José Sousa - há 3 anos

      Como disse ao Daniel Leite para para ser Manual para Totós, mas considerei que alguns poderiam considerar ofensivo ou agressivo. Assim o objetivo manteve-se e foi do vosso agrado, surpreendentemente para mim que não esperava este feedback com este tema.

      Claro deixem os homens estrear, vejam a gimmick em acção e depois critiquem á vontade caso eles não sejam eficazes no desempenho do papel.

      Sim até eu cometo esse do Wyatt, e com o Ambrose. Por mim o Ambrose já tinha tido uma oportunidade pelo WWE Title.

      • Dolph Ziggler - há 3 anos

        O Ambrose é fantástico. Quando os The Shield acabare, ele vai explodir e vai-se tornar numa das maiores estrelas da WWE num par de anos. Ele tem tudo, só precisa de mais character development.

      • José Sousa - há 3 anos

        Claro mas esse desenvolvimento pode ser feito facilmente a solo. Ele só não tem mais esse aspecto limado porque está nos Shield.

  12. FAlmeida_10 - há 3 anos

    Mais um grande artigo José. Mais um tema para descontrair um pouco, mas que não deixa de dizer verdades e um artigo curioso em que várias opiniões sobressaem. Já agora queria salientar o facto da escolha das imagens para cada exemplo estar tão bem relacionada! Quanto ao conteúdo em si:

    1- Eu adoro quando a WWE se lembra do Passado, e é uma das coisas que eu gosto do CM Punk, ele lembra-se e não tem medo de referir que tem história com aquele tipo… Mas pronto é como tu dizes, de vez em quando temos de “engolir um sapo” e calar-nos porque a WWE assim o quer.

    2- ” A pressa é inimiga da perfeição”, esta expressão adequa-se tão bem aqui! O Exemplo que tu dás do Heel Turn do Bully Ray é espetacular, e sim, as história têm de ser levadas com calma para fazerem sentido. Prova disso é o Turn do AJ Styles…

    3- Este deve ser o ponto que menos sentido faz, é como se as pessoas não tivessem noção de que o tempo passa. Contam-se pelos dedos de uma mão as lendas que regressam e têm um papel útil no produto.

    4- Este ponto é um bocado seletivo. Vou dar o meu exemplo com o caso dos Matadores. Eu não consigo imaginar esta Gimmick de toureiros com estofo para coisas maiores. E não os consigo ver a desempenhar papéis interessantes. Mas no geral até concordo contigo, tirando esta dos Matadores também nunca julguei uma Gimmick antes da estreia.

    5- Isto vem basicamente da ideia “Ai! A Atittude Era era melhor”. Os tempos mudam, e as pessoas tÊm de interiorizar isso. O Público alvo mudou, as storylines por consequência mudam… Pronto nada mais a dizer

    6- O Vilão tem de se mostrar credível como um obstáculo difícil de ultrapassar pelos Faces. É á volta disto que giram as rivalidades. Se não for acontece o que aconteceu aos Aces. E é por isso que a feud da Corporation tem de ser levada com calma…

    7- Isso sempre aconteceu, mas mais frequente ainda é dizerem que querem “WWE vs TNA”. São produtos diferentes, têm as suas diferentes, podem servir como alternativas uma da outra ou para complementarem um fã de Wrestling (não sei se me fiz entender muito bem nesta última parte). Têm tipos de Storylines diferentes, Wrestlers diferentes, públicos alvo diferentes, dimensões ainda mais diferentes… Se é tudo assim porque dizer que “x é melhor que y”. Mas pronto…

    8- Deste aí o exemplo do Eric Young José, e custou me a engolir porque gosto do Young no ringue. Mas personagens dessas sempre existiram e sempre vão existir. Mas geralmente essas personagens têm sempre um grande valor de entertainment. Sinceramente não tenho nada contra tais personagens.

    9- Aqui mais uma vez é seletivo. Se for o Ryback, como tu metes na imagem como exemplo e mais uma vez muito bem, é isso mesmo que tu falaste. Se fosse um tipo como o Ambrose ou o Wyatt como falaram acima aí a situação poderia mudar de figura. O Exemplo do Wade Barret que é aquele que nos salta sempre á cabeça. Mas não é andar sempre á espera té ponto de ficarem presas, como Booker T ficou preso ao Mid Card depois de perder na Mania 19. Mas tu aqui falas é dos talentos que apanham a maldição de apanhar pushes cedo de mais, E então o Ryback de Jobbers Locais que ninguém conhecia para um ME pelo título da WWE, num HIAC com o CM Punk…

    10- E Mais uma vez a imagem é mesmo muito e muito bem escolhida. Aposto que foi nesta última que te inspiraste principalmente para o artigo. Como tu sabes e eu me fartei de dizer, aquela vitória do Bryan foi mesmo uma enorme chapada na cara para todos nós. Mesmo o público nunca soube como reagir á altura durante as vitórias do Bryan! No SS todos tínhamos a certeza que o Cena fazia Kick Out á Running Knee do Bryan, logo reagiram como que surpresos e não explodiram como era suposto explodirem. NO NOC, ninguém estava á espera daquela contagem do árbitro, e também não conseguiram explodir como se fosse uma vitória limpa! Mas estas são emsmo situações polémicas José, porque tanto pode sair um erro fatal dali como uma Excelente ideia, daí aquele sentimento de pé atrás de todos nós.

    • José Sousa - há 3 anos

      Sem dúvida e engana-se quem acha que não é preciso feuds e historias e capacidade de comunicar, isso existe na TNA e na WWE, aliás é por causa disso que existe booking. E sem a revolução que o booking e as story trouxeram nenhum de nós via wrestling actualmente, por isso é uma hipocrisia dizer que não conta para nada.

  13. Cadu Ito - há 3 anos

    Resumo isso em poucas palavras… “Não deixem a magia do Wrestling desaparecer!!”

    Os fãs principalmente dos blogs tem que ser menos engessados e curtir mais o show… não querer buscar pormenores dentro das lutas… e deixar acontecer… fica muito melhor e mais atraente de assistir desta forma.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador