The People’s Elbow #37 – Paciência Esgotada?

Bons dias, caros leitores! Cá estou eu para mais uma edição, desta vez respeitante ao desfecho da novela Ryback, que coloca em cima da mesa o seu despedimento. Irei averiguar o que tem corrido mal para que este superstar esteja com a vida tremida dentro da empresa que representa. Quem será o culpado por esta situação é uma das perguntas a que tentarei dar resposta nas linhas que se seguem.

Ryan Reeves, nascido a 10 de Novembro de 1981, começou a ver wrestling em criança e, num evento ao vivo da World Wrestling Federation, tocou o sinal de aviso para o começo dum dos combates. Esta aproximação às lutas profissionais fê-lo desejar ser wrestler aos 12 anos, idade com que começou a levantar pesos e a praticar basebol e futebol no liceu. Concluiria os seus estudos na Universidade de Nevada, Las Vegas, entrando no seu programa de treino físico, concentrando-se na sua ambição desportiva.

Em 2004, enviou um vídeo como inscrição ao concurso Tough Enough, tendo sido aceite e tornado-se um dos finalistas. Mesmo não tendo vencido a competição, impressionou os oficiais o suficiente para assinar um contrato de desenvolvimento. Durante o seu processo de recrutamento, foi treinado por Al Snow e chegou aos 132 quilos e 1,91 metros.

Em Julho de 2006, foi suspenso por um mês devido a ter falhado um teste anti droga inerente ao Wellness Program da WWE. Segundo ele, terá tomado demasiados suplementos para apuramento do corpo, causando uma leitura falsa no relatório médico. Esses suplementos seriam postos fora do mercado devido aos seus efeitos e o seu caso foi incluído no documentário da CNN “Death Grip: Inside Pro Wrestling”.

Um facto que muitos não sabem é que o nome “Ryback” e a caracterização exterminadora que com ele advém nasceu em 2008 nos territórios de desenvolvimento, sendo riscada dois anos depois e substituída pela gimnick de cowboy e o nome de detergente para a roupa. Foi anunciado como parte da primeira temporada do NXT, a 16 de Fevereiro de 2010, da qual sairia o grupo Nexus.

Durante um evento ao vivo em Honolulu, partiu o tornozelo e submeteu-se a três cirurgias, retornando num house show em Dezembro de 2011. É de admirar que uma personagem que foi rejeitada num programa que é como uma fase de acesso ao principal escalão da WWE tenha sido considerada a ideal para a sua estreia após lesão.

A intenção de fazer de Wade Barrett a força dominante terá levado à construção da personagem de cowboy, de modo a que só o líder da stable e vencedor da primeira edição do programa sobressaísse. Dando indícios de poder vir a ser um bom face na sua faceta de cowboy, foi mais um patego que por ali andou sob a orientação do inglês, que era o único com qualidade indiscutível.

Retornou em TV a 6 de Abril de 2012 como Ryback e face, squashando lutadores locais e jobbers como Heath Slater e Derrick Bateman. Apresentando um novo attire, barba e o cabelo rapado (usara o cabelo curto enquanto esperava instruções para reentrar ao trabalho) e com uma sequência de vitórias rápidas e nada complicadas, fez lembrar Goldberg, com quem o público não se intimidou em compará-lo.

O contra-golpe a esta “colagem” foi prontamente servido nas redes sociais e em entrevistas, nas quais declarava ser melhor que Goldberg e que este lutava por dinheiro e não tinha a paixão pelo negócio. Tentando distanciar-se da imagem que lhe tentavam implantar, teve uma boa e sólida construção semanal, até que, no Extreme Rules, teve um combate de dois minutos com competidores locais.

Se nós nos queixamos de combates de última hora entre mid e low carders, que sentido faz desperdiçar minutos em PPV com squashs? Isso não consolida nem prova nada que não tivesse acontecido nos programas semanais, mais valia darem-lhe folga ou metê-lo em segmentos de bastidores para que se fosse cruzando com alguns lutadores estabelecidos de meio da tabela.

Nada feito, visto que, no Over the Limit, derrotaria Camacho em mais uma luta da especialidade e, no Money in the Bank, ganharia um Handicap Match à equipa de Tyler Rex e Curt Hawkins. Se isto tinha alguma graça e fundamento durante a semana, era absurdo num PPV.

Se mensalmente a sua situação era dispensável, show a show ele ia sendo elaborado devagar e acertadamente, recorrendo ao seu Shell Shocked (Horizontal Muscle Buster) para se exibir, prendendo nesse finishing move mais do que um adversário.

Se essa demonstração de poder corria bem com meia dúzia de gatos pingados, quando foi preciso levantar uns mais pesados a coisa pendia para o torto… A 27 de Julho, começou a sua primeira feud contra Jinder Mahal, depois do indiano recusar continuar a lutar e perder por contagem. A 24 de Agosto, lá conseguiria vencê-lo por pinfall, encerrando a disputa pouco mais tarde com nova vitória.

O próximo passo seria o da afirmação no mid card: após ter derrotado o campeão Intercontinental Miz a 24 de Setembro, todos esperavam que fosse de encontro a esse título. Contudo, confrontou o campeão da WWE CM Punk, numa aposta totalmente inversa à proposta.

Bem sei que esse lançamento foi motivado em virtude de afastamentos de main eventers, só que o tempo trataria de mostrar que havia sido um passo maior que a perna. Não se tira um título completamente ao alcance das suas possibilidades para se ir meter com caça grossa.

Por via das circunstâncias, a Hell in a Cell pelo WWE Championship foi a primeira pedrada no charco. Não só o combate não foi nada por aí além, como quebraria a sequência até ali imbatível de vitórias, quando era determinante começar a dar-lhe triunfos em PPV. Não falo sequer que ele não ia como uma ameaça válida ao reinado do Straight Edge. Depois do combate, atacou-o com o Shell Shocked no topo da cela, dizendo que aquilo não tinha terminado por ali e que seguiria no Survivor Series.

A 26 de Novembro, exigiu outra oportunidade pelo cinturão por causa dos ataques que a Shield havia encetado contra ele, impedindo-o de atingir o ouro. Em vez disso, fez parelha com os Hell No para competir contra os Hounds of Justice no TLC. A 7 de Janeiro de 2013, falhou novamente a captura do WWE Championship, após interferência dos Shield.

A 27 de Janeiro, no Royal Rumble, foi o último a ser eliminado, por John Cena. Depois, começou uma feud com Mark Henry, perdendo a 7 de Abril, na Wrestlemania. Esta foi a machadada final: porque raio não lhe deram essa vitória? Afinal quem é que tinha de ser elevado? Não só o combate foi desprezível, como o final estapafúrdio, com a tentativa de se redimir ao aplicar o Shell Shocked no “homem mais forte do Mundo”. Se isto era difícil de explicar, recordemos o que se passou na Raw a seguir…

John Cena é atacado pelo World Strongest Man e de repente surge Ryback para a salvação, pensávamos nós que para reatar a medição de forças com o seu oponente da WM. Qual não é o nosso espanto quando ele ataca o campeão da WWE, como se estivesse no direito de reclamar o título depois dum encontro emocionante no maior palco de todos e duma elevação em catadupa contra o 434 dias campeão Punk…

Algo não batia ali certo, mas a coisa lá prosseguiu com a explicação duma vingança por Cena não o ter defendido contra os Shield. Pactos de sangue como no Infantário, hã? E um brutamontes que costumava pegar em dois ou mais tipos às costas para lhes aplicar o seu finisher precisar agora de ajuda contra três estreantes também é por demais plausível… Ficámos aqui a saber a valia e a coragem de Ryback…

Tanta choradeira valeu-lhe a candidatura ao título, continuando a feud com Cena, atacando-o diversas vezes e recebendo a sua oportunidade numa Last Man Standing a 19 de Maio, no Extreme Rules. Foi anunciado um 3 Stages of Hell para 16 de Junho, no Payback, onde perderia mais uma vez a sua shot.

Se contra Punk ainda pudemos ter uma réstia de esperança de o ver deter o cinto, este heel turn deitou tudo por terra, principalmente por ter sido concretizado contra Cena. Ele como face só precisava de vitórias em PPV, para além de melhorar as promos e o contacto visual com a audiência.

Não lutando maravilhosamente, sempre tinha uma Chant of the Year e uma bela música metal. A sua passagem para heel foi fora de contexto, ele teria de partir em direcção a quem o derrotara na WM e sair vitorioso nos combates que se seguissem entre eles. Nem mesmo com essa motivação eu o meteria logo na calha para campeão máximo da companhia e muito menos lhe modificaria a postura face.

A WWE tem a mania que qualquer besta desempenha com naturalidade o papel de vilão, mas não é bem assim. Quando isso é provocado pela vontade de parar John Cena a coisa ainda fica pior… Se como face ele já é fraco, pior ficou com isto que aconteceu…

Então, ainda a poeira não assentara, ele tinha de vencer alguém e esse alguém está nas iniciais Y2J, com quem começou uma feud que levou a um one on one a 14 de Julho, no Money in the Bank, onde o “Feed Me More” emergiu vitorioso. Nem carregado contra um dos maiores do ramo a luta valeu grande coisa, mas pelo menos Chris Jericho fez a sua parte e, quem dá o que tem, a mais não é obrigado!

Em Agosto, começou a amedrontar vários trabalhadores nos bastidores com o seu corpo e tamanho, tendo também recuado quanto a defrontar oponentes de igual estatura, tirando vantagem dos mais pequenos e vulneráveis. Mais um grande incremento de confiança e valorização…

A 15 de Setembro, no Night of Champions, aliou-se a Paul Heyman depois de o ajudar a derrotar Punk. A 6 de Outubro, este vingar-se-ia da acção de Ryback num Singles Match, o mesmo sucedendo na desforra no Hell in a Cell. Na noite seguinte, defrontaram-se numa Street Fight, onde Punk o obrigou a desistir.

A 11 de Novembro, a aliança com o Walrus chegava ao fim e, com a separação, passaria a mid carder, quando outros wrestlers se queixariam da sua falta de segurança em ringue. No Survivor Series, aproveitando a pouca moral que lhe restava, lançou um desafio aberto ao balneário, sendo derrotado por Mark Henry.

Com outro antigo Paul Heyman guy – Curtis Axel – constituiu uma equipa que, a 6 de Dezembro, foi capaz de vencer os campeões de Tag Team, continuando atrás do título no TLC, onde a luta foi ganha pelos irmãos.

Prevê-se que com o heat com que está atrás das câmaras, as lesões a colegas de profissão, a utilização não autorizada dos moves de finalização de Goldberg, a ineficácia na venda de golpes e o fracasso nos lugares cimeiros o mantenha na posição em que está, discutindo rivalidades na divisão de duplas.

Tenho as minhas dúvidas de que lhe seja dada mais alguma oportunidade, pois não conseguiu agarrar nenhuma das anteriores. Aqui a culpa também é do mau booking, porque a WWE teimava em prosseguir o bom desempenho semanal nos PPV’s, onde não devia estar reservado tempo para squashs.

Os poucos pontos fortes dele foram ainda mais ultrajados quando o tornaram o mau da fita, sem falar da ascensão e queda que foi a precipitação contra um campeão totalitário, quando lhe deveria estar destinado um título menor. Isto só comprovou a dependência de certos lutadores e o buraco negro que se abre quando um deles não está presente, tendo a WWE imensas dificuldades em criar estrelas.

Nem contra alguém que está para se reformar há anos foi capaz de se superar, restando um que costuma dar o corpo ao manifesto vezes sem conta. Se o despedimento ocorrer não me surpreende, ficando a certeza que ambas as partes têm culpas e satisfações a dar.

Foi este o meu texto de hoje, leiam e dêem a vossa opinião, eu cá vos espero na próxima Segunda-Feira!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “The People’s Elbow”. Nascido a 25/2/90 na margem Sul, fã desta modalidade desde 2009.

14 Comentários

  1. GonRodri - há 3 anos

    Bom artigo Miguel Rocha :)

    Eu ja tou farto do Ryback como toda a gente(acho eu), Voces tmb n tao fartos do Ryback ??

    • DheFan - há 3 anos

      Eu estou é farto do booking da WWE que só me apetece chegar lá e lhes dar umas valentes chapadas pelas m****s que tem feito ao longos dos anos.

  2. Bad News Barrett - há 3 anos

    Pois neste caso resta-me dizer:

    Obrigado WWE por terem feito um pessimo booking com o Ryback.

  3. MillionDollarMan - há 3 anos

    Ryback é o pior tipo de wrestler que existe ao meu ver : Perigoso.
    Não presta atenção a posição do oponente e faz de tudo para tentar fazer a plateia gostar dele para ele completar o seu “sonho”. Esse “sonho” já custou lesões a outros lutadores..Se eu tivesse o controle e notaria que um rapaz de 33 anos que tem a habilidade de um lutador abaixo da média nas independentes e era perigoso…..RUA.

  4. don_ricardo_corlone - há 3 anos

    O personagem Skip Sheffield, podia ter nome de detergente, mas era muito melhor e ao menos era credivel. Mas com ou sem personagem de jeito, o facto de o Ryback ser um cepo não é ultrapassável. Juntando a tudo isto o péssimo trabalho de construção por parte da WWE que aqui referiste e que eu subscrevo na integra.

  5. filipepc - há 3 anos

    Sinceramente, eu que acompanho o wrestling desde pequeno e já vão mais de 25 anos, este ryback nunca vai chegar onde o Vince queria.
    Acima de tudo porque na vida, como no trabalho, existe algo que ou se nasce com ele ou por muito que treines não chegas lá. Chama-se carisma, algo imprescindivel para seres TOP no wrestling. Ryback não o tem, alem do mais transparece movimentos robóticos, e é aqui que eu vejo a maior diferença para Goldberg. Muitos de vós não sabem o que dizem quando põem em causa a classe deste último. Goldberg era um animal selvagem, uma máquina, mas que transparecia naturalidade no ringue, tinha outro tipo de movimentos e só com o olhar metia medo. Mas um medo verdadeiro. Rybak não. É forte, potente, mas falta-lhe mesmo naturalidade e carisma. A parte de gostar ou não dele, não o vejo apos tantas chances a chegar lá, acima de tudo porque nunca consegue ter o público na mão. Com 1/3 do seu caparro, Punk, Bryan, shawn micheals, Edge, e por aí fora, tinham ou têm o publico na mão a cada aparição. Na wwe isso tambem conta muito, e ryback para já só mostra caparro, o que é manifestamente pouco para um top face.

  6. filipepc - há 3 anos

    Mas concordo com o don corleone, e com a questão do booking dele, que tem sido fraco e que ainda o fragiliza mais.

  7. The Mentalist - há 3 anos

    Bom artigo Rocha. Até hoje não entendo o por que da derrota do Ryback na Wrestlemania e não entendo menos ainda o por que depois disso terem posto ele a lutar pelo WWE Championship

  8. Dolph Ziggler - há 3 anos

    Bom artigo. Infelizmente para ele, o push dele aconteceu numa altura em que os The Shield apareceram e portanto preferiram pushar os The Shield em detrimento do Ryback (e ainda bem). Depois disso foi um acumular de derrotas atrás de derrotas e em consequencia disso a sua credibilidade foi arrasada. Depois o heel-turn apenas aconteceu para o Cena ultrapassar mais um obstáculo e portanto ainda mais arrasado a sua credibilidade ficou. Depois tentaram a gimmick de bully, a parceria com o Heyman e agora, pelos vistos, um psycho que gosta de tweetar. Eu acho que isto não vai a lado nenhum mas enfim, pelo menos aparece na televisão, ao contrário de muitos.

    Acho que o Ryback já não vai a lado nenhum no main-event e duvido que tenha sucesso no futuro.

  9. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Bom Artigo Miguel que já tinha lido de manha.Existe um video que mostra o quanto Ryback já era uma bosta na OVW!
    http://www.youtube.com/watch?v=e7pYHYThxgc

  10. damv - há 3 anos

    Excelente artigo, mas quero reafirmar a opinião do filipepc. Pá comparar um brojesso do Raybosta com o Goldberg, pá estao mt enganados basta ver o ultimo dvd que a WWE publicou deste senhor, k logo no primeiro combate que este tem percebesse o carisma, de uma personagem que sempre foi igual, mesmo sendo Face ou Hell, e nao precisava de interagir com o publico, pois este o adorava. O Goldberg n tinha um físico inchado, e tinha facilidade e astucia nos seus movimentos, o Rayback é um robot. Podemos ver o exemplo do Big E, que é todo inchado mas ainda corre um bocado, mas se quiserem um que era inchado, e tinha um carisma genero Goldberg e foi desperdiçado, falamos então Bobby Lashley. Mesmo este foi despedido e nem se olhou para trás, nao sendo tao perigoso, e estúpido como o Raybosta. Por isso os meus juízos de valor apontam para que o senhor em causa, pense bem daki para frente, e que uma voltinha a TNA ou NJPW, é sempre vem vinda para ganhar mais cabecinha.

  11. danielLP21 - há 3 anos

    Excelente artigo Miguel. Concordo contigo em tudo.

    Como “babyface”, o Ryback era aturável. Não era nada por aí além, mas dava para aturar. Fiquei de boca aberta quando o vi a perder com o Mark Henry na WrestleMania, depois de semanas em que se antevia um “WrestleMania Moment” para o antigo Skip Sheffield. Esse momento chegou, mas foi depois do combate, o que não é a mesma coisa. Queriam dar uma “grande” vitória ao homem mais forte do mundo na WrestleMania? Tivessem pensado nisso antes, há uns anos…

    No dia a seguir, ataca o Cena. Porque sim. Perde um combate na WrestleMania e torna-se num candidato principal ao Título da WWE. Curiosamente, os combates com o Cena nem foram nada maus, até foram dos melhores que ele fez na WWE. Foi, inclusive, melhor do que aquele que teve com o Chris Jericho.

    Para o futuro, não prevejo nada de especial para ele e ficarei lixado se a WWE voltar a apostar nele. Já não vai para novo, não é nenhum jovem talento com margem de progressão… Enfim, nunca vai passar disto. Têm o Roman Reigns, o Brodus Clay, o Alexander Rusev, o próprio Big E Langston… Já para não falar dos eternos Mark Henry e Big Show, e do regressado Batista… Têm muitas bestas, chega de Ryback.

  12. akujy - há 3 anos

    Excelente trabalho. Há que admitir que a WWE foi terrível no booking que fez a Ryback, mas ao fim do dia…um cepo será sempre um cepo e foi isso que acabou por ficar á vista. Esperemos que ele não tenha mais oportunidades no Main Event. Pelo menos eu espero!

  13. RybackSteel - há 3 anos

    Ryback teve momentos Execelentes na WWE como face, como Heel nao !!

    gostei quando ele salvo o Rick F ,mic F, vince M , Jim R., momentos bons , o shield se crio encima dele !!

    Gosto muito do Ryback pra mim ele tem mais talento q muito astro na WWE Ex: A Grande letra E kkk “Big E “!! eu axo o Ryback bem melhor q o Big E ,

    Ryback sai da WWE ,eu paro de acompanhar ! eu voltei a acompanhar por causa dele e do Punk !

    WWE ta um lixo !

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador