Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

The People’s Elbow #78 – A Cor do Dinheiro

Olá, juventude, é um gosto estar aqui convosco para vos trazer nova fornada de informação ligada à Luta Livre. Falta pouco para o ano acabar e resolvi recuar para determinar o porquê daquele que terá sido o maior fracasso de 2014: o retorno do Batista.

Vencedor do Royal Rumble e Headliner do trigésimo aniversário da Mania, acabou riscado da TV para que pudesse promover o “Guardiões da Galáxia”.

Actor desde 2006, irá aparecer no vigésimo quarto filme do James Bond o que, junto ao sucesso na película da Marvel, poderá influenciar o seu regresso a tempo inteiro.

Irei, portanto, desenvolver o artigo baseado no que este curto período foi, o que é e o que poderá vir a ser, não pondo de lado o falatório e a reacção nos bastidores quanto ao seu futuro.

Dias antes do Natal do ano passado, foi anunciado o retorno do Animal para 20 de Janeiro de 2014, sendo depois anunciado como participante da Royal Rumble.

No dia vinculado para a sua aparição, confrontou Randy Orton, fazendo votos de sair vencedor da luta de eliminação e tornar-se WWE World Heavyweight Champion na trigésima edição da Mania.

Nessa noite, ainda encararia Alberto del Rio, atacando-o por ele ter passado semanas a dizer mal dele. Seis dias depois, eliminaria Roman Reigns para vencer o combate temático de acesso ao Main Event do “Greatest Stage of Them All”.

A reacção perante este resultado seria negativa por parte da audiência, que entoava cânticos para o derrotado e entretanto antigo elemento dos Shield (cuja caracterização de vilão havia durado até próximo do PPV) e Daniel Bryan, ausente para efeitos de Storyline.

Depois do show sair do ar, o público continuou a vaiá-lo, tendo como resposta o gesto obsceno do manguito, algo nada profissional e calunioso e que provou a má ideia do seu regresso a Face.

No mês de Fevereiro, seria atacado pelo “Mexico’s Greatest Export” antes de prevalecer sobre ele, retaliando ao jogá-lo contra a mesa dos comentadores.

Durante as suas lutas contra o Aristocrata Mexicano, seria de novo alvo de ofensas dos fãs, continuando a sofrê-las e a ouvir cânticos de “Bootista” na sua vitória na Elimination Chamber.

Percepcionando onde aquilo iria parar, respondeu dizendo que não estava ali para agradar e prometendo ser o próximo detentor do título unificado, revertendo a sua posição para a de vilão.

O agendado Main Event da Mania era Batista contra Randy Orton, contudo, Daniel Bryan foi adicionado ao derrotar Hunter Hearst Helmsley na abertura das hostes, forçando o “Guardião da Galáxia” a desistir.

Na noite seguinte, os antigos parceiros dos Evolution enfrentaram os Usos pelo Tag Team Championship, terminando numa No Contest.

A 14 de Abril, usando a música de entrada da facção, a Víbora, o Animal e o Rei dos Reis vieram ao ringue para atacar os “Hounds of Justice”.

No Extreme Rules, o Escudo foi imbatível, repetindo a proeza no PPV seguinte. A 2 de Junho, Batista abandonou a empresa após o Game lhe ter negado a sua “shot” pelo WWE World Heavyweight Championship.

Eu sou contra os anúncios das voltas de lutadores depois de anos afastados, isso aniquila o efeito surpresa e o clímax que, dependendo da dimensão do regressado, poderá provocar nos espectadores.

Depois há ainda aquela coisa de se voltar para ter tudo aquilo que outros estiveram o ano todo a trabalhar, no caso, a entrada na rampa de lançamento para o maior duelo a decorrer na Mania.

Isto só desprestigia o evento e o seu propósito, faria mais sentido que ele entrasse como todos os convidados.

Passados 4 anos, a sua reentrada foi das piores que já vi: não só se estava à espera, como se pôde verificar a sua falta de forma física e alteração de alguns traços nas feições.

É evidente que os 45 anos e a ausência prolongada são justificação suficiente, mas talvez não devesse ter vindo tão mal preparado sabendo dos presentes que constavam no seu contrato.

A sua aparência manteve-se fiel à dos anos mais recentes (barba feita e cabelo rapado), apenas aquele não parecia o atleta a que estávamos habituados, ele havia perdido os seus trejeitos e parecia uma fotocópia a preto e branco do original colorido dos anos 00.

O seu primeiro segmento pareceu não só um reencontro familiar como algo óbvio e pouco rebuscado, ele que nunca foi tão mau ao microfone quanto isso.

Não se entende o que pretendia Vince aqui: qual o pop que havia de sair para este face quando a plateia já elegera o Goat e o Mister “Superman Punch” como os principais candidatos a marcar presença na luta principal da Mania via Royal Rumble?

Houve total equívoco cronológico e a tentativa de dar aquilo que o pessoal quer; desta vez, toda a gente sabia o que queria e não iria tremer frente a golpes publicitários de ilusão.

A poeira para os olhos tornar-se-ia uma piada até pelos rasgos nas roupas aquando da execução das suas técnicas mais famosas, cuja teatralidade foi remetida para segundo plano.

Para tentar dar a volta à situação e não devendo partir logo para o ataque directo ao Assassino de Lendas, havia que recrutar um Mid Carder que levasse por tabela.

A Essência da Excelência (que vinha adiantando terreno para feud) pagou pelas suas palavras e foi derrubado de modo fácil e rápido.

Eis que a equipa criativa resolve prescindir dos préstimos do homem do momento para dar veracidade à Storyline contra a Autoridade.

Os números vão passando e não há sinal do antigo membro dos Hell No. Menos mal, ainda havia o novo utilizador do Spear para dar cabo daquilo tudo e ir direito ao prestigiante “Showcase of the Immortals”.

Este estava cara a cara contra o rebelde de 05, as semelhanças eram muitas entre os dois e tudo indicava uma passagem de testemunho naquela história que condensava quase 10 anos de distância.

Só que ligou-se a máquina espaço-temporal e transportou-se o Animal 9 anos atrás.

Poderão dizer que Roman Reigns não estava ainda construído para usufruir de tudo aquilo logo a abrir o ano, mas qual a necessidade deste desfecho?

Aqui acabava a visão optimista acerca dos dois anos de duração do seu contrato: não se sabia se iria haver elevação de jovens e vontade de colaborar nos planos vindouros para esta geração entre tantas exigências do quase cinquentão.

Foi então que a federação sofreu o maior abanão vindo das bancadas quando o povo se insurgiu contra esta injustiça cometida sobre o herói de barba rija e até o colega de Seth Rollins e Dean Ambrose.

Se poderia ser exagerada esta manifestação de holofotes postos nestes superstars, o alvo das críticas perdeu toda a razão ao desrespeitar aqueles sem os quais ele não seria nada.

A força popular fazer-se-ia sentir daí para a frente, obrigando a uma tomada de atitude no perfil do visado. O abismo que separa o Royal Rumble do seu destinatário ainda o fez voltar a massacrar o “El Patron” antes de, numa operação relâmpago, se destruir o guião prévio e arrancar o passado pela raiz para se fazer ganhar o “American Dragon” pelo cinto que lhe estaria destinado aquando da sua assinatura.

De beneficiário indiscutível a dar Tap Out frente a milhares de pessoas foi o tiro que se teve de dar para acabar com as ideias preconcebidas de dentro daqueles escritórios.

O alarme foi tão grande que na noite a seguir o campeão fantasma estava a lutar pelos títulos de pares! Tudo aquilo por que havia concordado voltar parecia desvanecer-se e a rivalidade contra os Shield foi o melhor que pôde ter, tendo maior resistência física do que os suores do início.

Outras condicionantes da idade relacionadas com o visual foram assunto de conversa: ele havia deixado crescer a barba e o cabelo despontava lento na sua fraqueza.

Isto matou a imaginação de voltar a tê-lo com o couro cabeludo empastado no gel e a pele lisa de quando era trintão.

Ele estava a ser preso por ter cão e por não ter, tudo ia contra ele, até que, pelos estúdios da Marvel, interpreta Drax, que é um sucesso de crítica e, no aspecto comercial, recorde de vendas.

Especula-se que virá a receber push quando voltar, não estando fora de órbita um reinado, agora que é heel e está adaptado a sê-lo.

Pelo contrário, acredita-se que tal poderá não acontecer, existindo o risco de se lesionar, o que o prejudicaria na sétima arte.

É quase garantido que irá receber ofertas de relevo e terá dificuldades a ser contratado se continuar activo dentro do ringue.

Pelas entrevistas dadas, ele só se encontra disponível para voltar se for para ter rivalidade que culmine na Mania 31, de preferência contra o Assassino Cerebral.

A reestruturação da sua ligação à Marvel irá fazê-lo lucrar mais, tendo a sua presença garantida na sequela de “Guardiões da Galáxia” e “Vingadores”.

Os seus representantes são contra o seu regresso ao ringue e, caso ele queira voltar, a sua carreira desportiva irá ser secundária.

Não fiquei contente com a sua prestação nestes escassos meses, ele poderia e deveria ter dado mais tendo conhecimento dos planos iniciais para ele.

Tirando os reflexos da idade, não houve aqueles maneirismos característicos, o que incentivou o ódio aliado às alíneas do seu acordo com os produtores e o receio das cerimónias fúnebres às estrelas de eleição. Responsabilidades à parte, continua a ser dos meus preferidos, tendo eu dúvidas sobre a sua afirmação no panorama actual por ele vivido.

Estes dias serão mais convenientes a um tratado de paz, só que as telas estão no seu encalço e não se sabe onde isto irá parar.

Desejo-lhe sorte qualquer que seja a encruzilhada onde decida meter-se e despeço-me por esta semana na certeza de voltar o quanto antes.

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “The People’s Elbow”. Nascido a 25/2/90 na margem Sul, fã desta modalidade desde 2009.

9 Comentários

  1. jordean gomes - há 2 anos

    NOS ARTIGOS DAQUI SO LEIO O QUE MAIS ME INTERESSA
    AS DIVAS ^^ PODEM FALAR FICAR DE MIMIMI MAS EU GOSTO
    APENAS DAS DIVAS E AQUELAS LUTAS QUE VALEM APENA VER ‘-‘

  2. FLAVIO BRUNIERA - há 2 anos

    Gosto do Batista, é inclusive um de meus preferidos (apedrejem-me, tudo bem), mas em nada me agradou esta sua última passagem. Em nada acrescentou às feuds em curso, e nem proporcionou uma nova.

    • cicerowalmir@bol.com.br - há 2 anos

      apedreja-lo porque? só porque vc tem coragem de dizer que gosta de coisas que a maioria ou alguns não gostam, isso prova que vc não é um alienado Maria vai com as outras ou esses modinhas de hoje, e sim uma pessoa de atitude, de caráter.

  3. WWE2k15 - há 2 anos

    Disseste tudo.
    Desde o início que a coisa não começou por correr bem. Houve a “infelicidade” de uma fuga de informação que apontava ao regresso do Batista, aí o que a WWE devia ter feito era negar essa informação e fazer uma surpresa no Royal Rumble, mas tal não aconteceu, pois a WWE hoje em dia só pensa em dinheiro.
    Depois o rosto do Batista estava muito diferente ( é certo que passaram 4 anos ), estava sem barba e praticamente sem cabelo , diferente daquele pouco cabelo que ele tinha e a sua pouca barba cinzenta ( pareço um estilista xD ).
    A preparação fisíca tb não ajudou. A partir da Wrestlemania XXX é que ele começou aos poucos e poucos a voltar à sua forma.
    O seu booking foi péssimo. Secalhar por culpa dele e da WWE. Não foi a melhor altura para ele ser o vencedor do Royal Rumble , quando tínhamos o D. Bryan no seu auge e o Roman a “destacar-se”.
    Tive pena porque ele foi e é o meu wrestler favorito ( comecei a ver wrestling em meados de 2006, na altura acho que ele estava lesionado, dps de ter sofrido aquele ataque do Mark Henry ).

    Espero bem que ele regresse , mas com o seu aspecto que nos habituou e não aquele barbudo ( para fazer o filme ) ou aquele que apareceu na Raw, antes da Royal Rumble , super diferente.

    Bom Artigo xD!

  4. thelegendkillerrko - há 2 anos

    Um bom artigo Miguel,concordo com tudo o que disseste,ate me refiro que foi um bocado culpa dele que incetivou a saida do CM Punk,concordo que deveria ser uma supresa a chegada dele(gostava que tivesse acontecido no royal rumble),
    Mas ele com o tempo foi recuperando a forma fisica,também é um dos meus preferidos,é bom no microfone e sabe o que faz no Ringue.
    Enfim,palavras para quê,mais um artigo fantastico Miguel,continua!

  5. Roberto ''The_Viper'' - há 2 anos

    Excelente artigo.
    Espero que Batista tenha pelo menos um último combate na WWE, contra o HHH.

  6. ivan albuquerque - há 2 anos

    Ele merecia o WWE World Heavyweight Championship

  7. danielLP21 - há 2 anos

    Tudo dito. Esta passagem do Batista pela WWE foi muito má. Veremos se, e quando volta, e quais serão os planos para ele. Espero que não tenha um reinado “à Brock Lesnar”…

  8. Hildo - há 2 anos

    Excelente artigo, Concordo com tudo. o retorno do Batista foi horrível, foi na hora mais errada o possível, uma pena. se tiver um reinado que seja bem construído e que tenha mais datas que o atual campeão…

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador