Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Top Ten #128 – Maiores Rivais de Sheamus

E dou-vos as boas-vindas a mais um Top Ten! Olhem lá para o indivíduo de quem esta edição se trata e sorriam de alegria. Será que, da mesma forma que as audiências do Raw caíram de cabeça, também este Top Ten vai ter uma queda de visualizações? Espero que não, é que isto também parece que já andou mais arrebitado!

O certo é que temos um novo WWE World Heavyweight Champion. E nem Reigns nem Ambrose. É mesmo o Sheamus, a última opção desejada da maioria mas que eu nunca tinha chegado a descartar. Sim, ele nem sempre consegue estar tão over como lhe convinha estar, visto que é uma estrela de topo e detém agora o título principal. Logo, uma carreira teve que ser composta e muitas feuds notáveis, definidoras ou aclamadas teve que ter. Já não é nenhum estranho ao main event e o título principal não é novidade para ele. Olhemos para dez rivais importantes na definição de Sheamus como ele é agora.

10 – Goldust

Se acham que começo com um exemplo estranho, é porque recuo bastante e começo logo pelo início. Goldust foi quem o recebeu “de braços abertos” quando Sheamus primeiro chegou aos plantéis principais, na ECW. Pouco tempo esteve lá e pouco chegou a cumprir, daí que o seu percurso na ECW seja pouco mais que esta feud. Mas foi importante porque foi a primária rivalidade que mostrou ao mundo este Heel agressivo de aspecto esquisito. Goldust era um estupendo veterano para o colocar over e ambos tiveram uma boa série de combates. Foi bem aclamada por fãs e críticos e já se constava que houvesse nesse novato muito potencial para uma grande subida. Se calhar nesta altura nem se importavam tanto com a ideia de Sheamus a WWE Champion…

9 – Roman Reigns

E da primeira, avanço os anos todos para a última. Tão recente que ainda decorre agora ao ponto de só agora ter começado. E que ainda não cheira a muitos. Mas é importantíssima por ser a que coloca – ou tenta – Sheamus de novo no topo da cadeia. A feud que vem do seu regresso aos títulos Mundiais e o seu primeiro grande feito desde que voltou a ser Heel. É claro que a sua vitória desagradou a devastadora maioria e ele parece estar aqui a ser mais usado como bode expiatório, para que Roman Reigns a Campeão fosse o melhor de dois males. O que só comprova a actual mentalidade de Vince & Ca. – até podem cagar no actual Campeão, desculpem o Português, desde que não apupem o Reigns! Ainda existe muito a provar nesta sua feud com Reigns e acredito que a sua parceria com King Barrett e Rusev – da qual já gostava anteriormente – o ajude nisto. O combate no TLC não é do tipo de batalha de cative e que pareça apelativa a muitos. Mas acredito que a estipulação do combate combine com os estilos agressivos de ambos e os ajude a dar um combate acima do decente. O mesmo com a feud. Estaremos cá para ver. Ou, a julgar pelas audiências recentes, se calhar muitos não estarão cá para ver!

8 – Mark Henry

Mais uma combinação de wrestlers em trabalho conjunto que já parece pronta para torcer todo o tipo de narizes. Talvez, é compreensível. Mas foi uma rivalidade breve mas bem conseguida e muito importante para definir um outro passo na carreira de Sheamus. Foi contra Mark Henry que Sheamus teve a sua primeira Face Turn. Mark Henry era um bully, destruía tudo e todos, tinha um “Hall of Pain” e estava na sua melhor fase em muitos anos. Chegou a World Heavyweight Champion pouco depois e nem sequer caiu mal, algo impensável actualmente e algo impensável uns tempos antes disso. Estava no seu melhor. Já Sheamus, estava gasto e andava a precisar de uma mudança. É algo que acontece sempre com ele. A Face Turn fez-lhe muito bem nos meses seguintes e tornou-o num Irlandês brigueiro mas cómico, algo que resultou mas com limite de prazo, lá está. Fê-lo em grande ao responder a um desafio de Mark Henry, numa altura em que todos o temiam. Chegou ao SummerSlam e, apesar da derrota de Sheamus por contagem – foi encartado pela barreira dentro – ficou bem lançado para, numa questão de meses, estar a vencer a Royal Rumble e a tornar-se World Heavyweight Champion na Wrestlemania – algo que caiu muito mal no povo mas mais pelas circunstâncias que outra coisa…

7 – John Morrison

É bem capaz de ser das menos lembradas aqui, mas não devia. Por finais de 2010, Sheamus e John Morrison ocupavam o midcard alto em feud. Era pouco mais que desgostarem um do outro. E trabalharem bem juntos. A primeira vitória para John Morrison veio no Survivor Series de 2010 mas a rivalidade não ficaria por aí. No torneio King of the Ring decorrido no Raw, vencido por Sheamus, o Irlandês teve várias etapas a atravessar para ser o King Sheamus por um breve tempo. Teve que passar por John Morrison mais uma vez e aí venceu mas as coisas não ficavam por aí e faltava um grande combate a decidir a feud. Tal aconteceu no TLC desse mesmo ano, onde Sheamus e John Morrison se enfrentaram num Ladder Match por uma candidatura ao WWE Championship – sob a forma de um contrato pendurado sobre o ringue. E grande combate. Melhor dessa noite, se me perguntarem. Foi uma boa feud transitória para manter ambos entretidos e esteve no processo da gimmick de King Sheamus que, por acaso, não deu em nada. Tem um certo impacto a nível pessoal pois aconteceu na altura em que decidi deixar de acompanhar às pinguinhas textuais o wrestling e recomecei a assistir à WWE assiduamente. Fiquei logo com uma boa impressão – o Morrison já o conhecia. O Sheamus, se calhar… Na altura nem me importava de o ter a WWE Champion… Na altura…

6 – The Shield

Isto conta como repetido? É que um destes gajos já apareceu aqui. Mas aqui é todo o histórico trio, é diferente. Seth Rollins, Roman Reigns e Dean Ambrose, nos seus bons e velhos tempos como Shield acabaram por fazer vítima tudo o que se mexesse. Sheamus ainda era um Face do midcard alto, logo também tinha que levar. Teve vários parceiros e andou por grandes palcos. Fez-se acompanhar de John Cena e Ryback e perdeu no Elimination Chamber de 2013. Não ficou por aí e foi essa a feud que o levou à Wrestlemania XXIX, já na companhia de Randy Orton e com uma relação conturbada com Big Show que não foi o melhor parceiro e que lhes custou o combate no evento. Viria uma mini-feud com Big Show – até em handicap com Randy – mas por pouco. O que ficou registado é que Sheamus nunca conseguiu passar a perna aos Shield, sendo o mais próximo quando venceu o United States Championship a Dean Ambrose no ano seguinte, numa battle royal, já quando os Shield eram Faces. Mas contando a sério, Sheamus foi apenas mais uma vítima. Mas ao menos foi uma vítima na Wrestlemania!

5 – Big Show

Acabo de falar nos seus desentendimentos no pós-Shield mas é claro que não me refiro a isso. Terei que recuar um pouco mais no tempo a uma rivalidade que saiu muito boa para o que se esperava. Aliás, esperava-se um fiasco e saiu algo de jeito, até em ringue. É preciso recuar a 2012, quando Sheamus era World Heavyweight Champion e já depois de ter maçado toda a vivalma com uma feud interminável com Alberto Del Rio. Apareceu-lhe um alvo gigante. Big Show. Combate pelo título marcado para o Hell in a Cell desse ano e as expectativas lá embaixo. Os estafermos dão o combate da noite e nós a perder qualquer significado que pudéssemos ter achado da vida. A rivalidade conseguiu prolongar-se ao longo dos dois seguintes meses, com combates menos bons no Survivor Series e no TLC, onde Sheamus venceu por desqualificação e onde foi partido ao meio por uma especial cadeira gigante num Chairs match, respectivamente. Big Show continuou como Campeão num reinado que, lá está… Não foi assim tão mau como seria de se associar à expressão “Big Show World Champion em 2012”. E é o que resume todo o trabalho conjunto dos dois!

4 – Randy Orton

Não pensemos nos setecentos combates que se deram depois disto. Assim que rivalizaram a primeira vez, à volta do WWE Championship, apegaram-se demais e foi um tal de vê-los a bailar juntos. Até tiveram outra rivalidade há bem pouco tempo, pouco antes do “Viper” se lesionar. “Orton vs Sheamus” tornou-se mais uma piada recorrente em relação aos bookings repetitivos que se vêem na WWE actualmente, logo ao lado de “Orton vs Cena”. O Randy pende muito para isto, realmente, ainda se vai a ver e ele teve cinco diferentes adversários na carreira toda. A que “interessa” é mais antiga e envolve os seus dois primeiros reinados como WWE Champion, em 2010. O primeiro encontro foi no Royal Rumble de 2010, em que venceu Orton por desqualificação quando este recebe uma ajuda inconveniente de Cody Rhodes. O segundo encontro foi no Elimination Chamber, mas já dentro da câmara, também com Triple H, Ted DiBiase, Kofi Kingston e John Cena, o vencedor. Reencontrar-se-iam no Fatal 4-Way, onde ele recuperava o título a Cena – num Fatal 4-Way, claro, com Orton e Edge – e era para o “Apex Predator” que se voltava, assim que ficava arrumado o rematch de Cena. Venceu no Money in the Bank, reteve no SummerSlam via desqualificação, perdeu o título para Randy no Night of Champions e falhou o rematch no Hell in a Cell, destacando-se este último pelo brutal e devastador spot em que Orton aplica o seu backbreaker… Encima dos degraus. Tão efectivo como um PTO encima da mesa de comentadores. Como se pode ver, já foi uma feud bem longa, mas aqui pronto, aceita-se. Nos anos seguintes é que colou…

3 – Daniel Bryan

Todos têm boas memórias com esta, não têm? Foi uma rivalidade com a necessidade de se repetir e de se repetir na Wrestlemania. A primeira ia para ser e não foi e a segunda acabou por ser mas como se não fosse. Afinal sempre descolam as coisas entre estes ou não? A primeira ocasião não é a que mais importa para aqui. Aconteceu pouco antes da Wrestlemania XXVII e viu Sheamus a retirar o United States Championship a Bryan pouco antes do evento. Ficou marcado para o PPV um combate pelo título, que acabou por ser retirado para “dark match” – porque era preciso tempo para o Cole vs Lawler e para a Snooki – num Lumberjack que deu em cagaçal e acabou numa battle royal. Resolveram a feud com um rematch no Raw e por aí ficou. Para realmente se sentir algo entre estes dois, temos que avançar um ano e para Sheamus a vencer a Royal Rumble de 2012. Escolheu o World Heavyweight Champion Daniel Bryan como alvo para a Wrestlemania e enfrentou-o e venceu-o em… 18 segundos. Ainda hoje recordado como uma fantochada mas é assim que se regista o primeiro reinado como World Heavyweight Champion de Sheamus. Compensariam as coisas um mês depois no rematch no Extreme Rules, num 2 ouf of 3 Falls que já viu Sheamus vencer num combate em condições. Num grande combate, aliás. Mas, infelizmente, não é isso que é lembrado. Ainda é aquele Brogue Kick e final abrupto que assombra as mentes e memórias dos fãs. Por razões infames, por matar um bom pedaço do momentum de Sheamus como Face, por torná-lo World Heavyweight Champion… Com certeza uma das suas feuds mais impactantes.

2 – John Cena

Tive aqui uma batalha à volta da primeira posição, confesso. Este é um dos seus mais importantes rivais. E é o Cena, porque não há de estar no topo de todas as listas? Mas foi um dos mais importantes momentos da carreira de Sheamus. Foi com Cena que chocou o mundo. Ainda estava o povo a habituar-se a ele, à sua brancura, ao seu sotaque, ao seu aspecto esquisito, quando ele ganha uma candidatura ao WWE Championship de Cena no TLC, num Tables Match. Sabe-se lá quantos santos caíram quando chega ao evento e Sheamus manda Cena por uma mesa dentro e torna-se WWE Champion. Uns meros 166 dias depois da sua estreia. Um recorde. Foi uma manobra arriscada. Muitos viram a premiar um lutador ainda verde e a ser atafulhado por todas as goelas abaixo como o “next big thing”. Outros acharam que foi uma boa surpresa, uma boa jogada imprevisível e que servia de antevisão para uma boa época de recompensar lutadores novos. Como a coisa não correu muito para esses lados e actualmente a recepção à sua vitória no Survivor Series foi o que foi… Qual será a mais correcta?

1 – Triple H

Para a primeira posição, fica uma outra feud bem próxima da anterior e que serviu para cimentar aquilo que a anterior tinha começado. Sheamus era um competidor de topo para se levar a sério – por acaso não se ia conseguir manter de forma permanente mas isso veio mais tarde. E além disso tudo, quem mais pode encabeçar uma lista, que não seja o Cena? Pois, claro! Brincadeiras à parte, foi uma feud de colocar Sheamus à prova e de o colocar numa grande e privilegiada posição num grande palco. Sheamus perdeu o título que conquistara a Cena para o mesmo mas não num confronto singular. Foi no Elimination Chamber de 2010 que Cena recuperou e Sheamus viu-se escorraçado da câmara por Triple H. A aparentar não estar habituado a este tipo de combate mais violento, ficou de baixa devido a uma concussão. O seu regresso foi básico, atacou Triple H em vingança e conseguiu montar um combate contra o “The Game” na Wrestlemania XXVI! Nem é uma má maneira de dar o pontapé de saída na Wrestlemania, ainda com menos de um ano de carreira, enfrentar Triple H! Como isto não é um conto de fadas ainda, perdeu. Pronto, nada a apontar aí. Mas não se deu por satisfeito e conseguiu um rematch à força no Extreme Rules, numa Street Fight. Venceu e nem foi de forma bonita. Foi após dar tanto estouro na cabeça de Triple H que tiveram que parar o combate. E ainda continuou o ataque, afastando Triple H de TV por dez meses. Só voltaríamos a ver o “Cerebral Assassin” quando este regressou a interromper Undertaker para o desafiar para a Wrestlemania XXVII. Boas memórias. Entretanto Sheamus ficava estabelecido como um Heel monstruoso que, não só ganhava títulos muito rapidamente, como era perigoso e retirava lutadores lendários. O seu ataque vicioso marcou-o para sempre. Estava aqui um Heel de topo estupendo formado. É claro que não foram capazes de manter as coisas e o interesse nele dissipava-se com tanta rapidez como a da sua chegada ao WWE Championship ou do seu combate com Daniel Bryan na Wrestlemania. Aí ele pode deitar as culpas em quem quiser, até nele mesmo se assim achar. Mas estava aqui um plano de formação bastante promissor.

E com estas dez recordações concluo esta revisão à carreira de Sheamus. É claro que existiram mais e há algumas exclusões propositadas como a sua feud interminável com Alberto Del Rio que, fora um momento ou outro, fez o seu melhor para maçar o povo. Não queria incluir dessas. Mas podem muito bem acrescentar ou substituir, recordando outras das vossas favoritas. Quanto ao seu reinado actual… Deve ser como quando eles andavam com aquela do “Deal with it!”. Paciência, a ver no que vai dar – cá para mim, isto é só para lhe tirar a mala e para dar alguma simpatia ao Reigns no Survivor Series e ele perde já o título no TLC, mas isto sou só eu a dizer à sorte. A gente continua a ver, mesmo quando descontente e temos Sheamus como representante. Vejamos o que ele faz. Já coisa boa fez ele e muita está aqui listada. Agora o artigo pertence-vos mas ainda é sobre o mesmo. Encorajo-vos a comentar estas feuds do actual WWE Champion, outras que prefiram, o que acham de Sheamus como performer, o que esperam dele neste seu reinado, etc. Encorajo mas não mando, logo façam o que quiserem. É para fazer o mesmo na próxima semana, espero que me recebam bem lá. Quero-vos seguros até lá e uma boa entrada no último mês de 2015. Já cheira a fim de ano! Até à próxima!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

14 Comentários

  1. RFBM - há 1 ano

    Bom Top Ten, não menosprezando as outras, a que eu mais gostei foi a com o John Morrison. Acho que as suas feuds com o Cena e o Triple H não atingiram o potencial que poderiam ter atingido, assim como a com o Daniel Bryan se limitou a um combate bastante bom no Extreme Rules.

  2. MicaelDuarte - há 1 ano

    Concordo com o RFBM. A feud com o Morrison, na minha opinião, foi a mais interessante. Também gostei da feud com o Triple H, mas a rivalidade com o Cena traz-me recordações dos Guest Hosts, o que é mau… Enfim, depende dos gostos de cada um.

    Bom trabalho, Chris.

  3. Filipe - há 1 ano

    Aquele combate contra Morrison de escadotes foi dos melhores que vi 1 contra 1. Aconselho a ver

  4. Miakuda - há 1 ano

    A maior feud do Sheamus é tentar ser Wrestler.

  5. Bom Top Ten, senti apenas falta do Del Rio e do Big show, já que foram os maiores oponentes do Sheamus em seu reinado como WHC.

  6. SCSA - há 1 ano

    Pessoalmente considero que Sheamus não é o problema e que pode perfeitamente ser um bom campeão tal como a meu ver o foi como heel Celtic Warrior! O problema aqui é ele desempenhar exatamente o mesmo papel que Seth Rollins desempenhava até porque se bem me recordo eram muitas as pessoas que suspiravam por ver o irlandes voltar a ser heel. O que satura acaba por ser mais a autoridade que já praticamente ninguem quer ver mais e nao propriamente o Sheamus que diga-se de passagem apenas com Rusev e Barrett a apoia-lo seria bem mais interessante. Não desgosto dele e prefiro que seja ele o campeão do que Roman Reigns. Apenas critico o fraco booking que sofreu enquanto Mr.MITB que denotou claramente que a aposta nele nao era tão grande quanto o foi por exemplo em Seth Rollins. Se este tivesse tido rivalidades mais marcantes e bem construidas igual o ex shield acredito que a sua posiçao atual seria melhor. Para o futuro e com a autoridade por trás prevejo um fiasco de reinado para ele e pior ainda um fiasco ainda maior de tentar fazer de Roman Reigns popular à força gozando com a inteligencia dos espectadores.

  7. Brock Lesnar - há 1 ano

    Fico contente, por não teres colocado a feud com o del Rio, uma vez que esta foi altamente aborrecida e nada produtiva para nenhum dos envolvidas.

    Sinceramente, tenho um pouco pena do Sheamus porque é um brawler do cacete, mas ficou extremamente stale assim que fizeram dele World Heavyweight Champion. Vi este heel turn, como algo com potencial quando inicialmente ele vinha para acabar com os underdogs todos e tal…mas não aproveitaram totalmente isso e acabou por tornar-se um vilão génerico até ao momento que faz o cash-in.

    Pessoalmente, não há ainda nenhuma rivalidade que tenha gostado assim muito, mas curti da feud dele com o Dragon – mesmo com a controvérsia toda à mistura. Aquele 2 out of 3 Falls vale pela feud toda e seria muito mais relembrado…caso esse Extreme Rules não tivesse sido do cacete ( Jericho vs. Punk e Lesnar vs. Cena – combates do caralh*)

  8. Vitor Oliveira - há 1 ano

    Bom artigo.
    Tenho uma sugestão de artigo que poderia ser as top theme songs da história da wwe

  9. The Cobra 619 - há 1 ano

    excelente artigo, apenas acho que a rivalidade entre Sheamus e Morrison poderia ter ficado pelo menos entre as 3 primeiras pois foi muito boa

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador